Portugal

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar

República portuguesa
República Portuguesa  ( português )
Hino:  A Portuguesa
("A [Canção] Portuguesa")
EU-Portugal (orthographic projection).svg
EU-Portugal with islands circled.svg
Localização de Portugal (verde escuro)

- na Europa  (verde e cinza escuro)
- na União Europeia  (verde)

Capital
e a maior cidade
Lisboa
38 ° 46′N 9 ° 9′W / 38.767°N 9.150°W / 38.767; -9.150
Língua oficial
e língua nacional
português
Linguagem regional reconhecida
Mirandês [nota 1]
Grupos étnicos
Religião
(2011)
Demônimo (s)português
GovernoUnitária semipresidencialista constitucional República [4]
•  Presidente
Marcelo Rebelo de Sousa
Eduardo ferro rodrigues
António Costa
LegislaturaAssembleia da Republica
Estabelecimento
•  Fundação
868
1095
•  Soberania
24 de junho de 1128
•  reino
25 de julho de 1139
1 de dezembro de 1640
23 de setembro de 1822
•  República
5 de outubro de 1910
25 de abril de 1974
25 de abril de 1976 [nota 3]
1 de janeiro de 1986
Área
• Total
92.212 km 2 (35.603 sq mi) [5] ( 109º )
• Água (%)
1.2 (a partir de 2015) [6]
População
• censo de 2021
Neutral decrease10.347.892 [7]
• Densidade
112,2 [8] / km 2 (290,6 / sq mi)
PIB  ( PPP )Estimativa de 2021
• Total
Increase$ 370,5 bilhões [9]
• per capita
Increase$ 36.079 [9]
PIB  (nominal)Estimativa de 2021
• Total
Increase$ 257,4 bilhões [9]
• per capita
Increase$ 25.065 [9]
Gini  (2019)Positive decrease 31,9 [10]
meio
HDI  (2019)Increase 0,864 [11]
muito alto  ·  38º
MoedaEuro ( ) ( EUR )
Fuso horárioUTC ( WET )
UTC − 1 ( Atlântico / Açores )
• Verão ( DST )
UTC +1 ( OESTE )
UTC (Atlântico / Açores)
Nota: Portugal Continental e Madeira utilizam WET / WEST, os Açores atrasam 1 hora.
Formato de datadd / mm / aaaa ( CE )
Lado de conduçãodireito
Código de chamada+351
Código ISO 3166PT
Internet TLD.pt
  1. ^ O mirandês, falado em algumas aldeias do concelho deMiranda do Douro, foi oficialmente reconhecido em 1999 (Lei n.º 7/99 de 29 de Janeiro), [1] conferindo-lhe o direito de uso oficial. [2] A Língua Gestual Portuguesatambém é reconhecida.
  2. ^ Por país de cidadania
  3. ^ Constituição portuguesa adoptada em 1976com várias pequenas revisões subsequentes, entre 1982 e 2005.

Portugal ( português:  [puɾtuˈɣal] ), oficialmente a República Portuguesa (português: República Portuguesa [ʁɛˈpuβlikɐ puɾtuˈɣezɐ] ), [nota 4] é um país localizado na Península Ibérica , no sudoeste da Europa . É o mais ocidental estado soberano na Europa continental , limitado a oeste e ao sul pelo Oceano Atlântico e para o norte e leste pela Espanha , o único país a ter uma fronteira terrestre com Portugal. O território de Portugal inclui também os arquipélagos atlânticosdos Açores e da Madeira , ambas regiões autónomas com governos regionais próprios. A língua oficial e nacional é o português. Lisboa é a capital e maior cidade.

Portugal é o mais antigo Estado-nação da Península Ibérica e um dos mais antigos da Europa , tendo o seu território sido continuamente povoado, invadido e disputado desde a pré - história . Foi habitada por povos pré-célticos e célticos , visitados por fenícios - cartagineses , gregos antigos e governados pelos romanos , a que se seguiram as invasões dos povos suevos e visigodos germânicos . Após a invasão da Península Ibérica pelos Mouros, a maior parte de seu território fazia parte de Al-Andalus. Portugal como país foi estabelecido durante a primeira Reconquista Cristã . Fundado em 868, o Concelho de Portugal ganhou destaque após a Batalha de São Mamede (1128). O Reino de Portugal foi posteriormente proclamado após a Batalha de Ourique (1139), e a independência de Leão foi reconhecida pelo Tratado de Zamora (1143). [12]

Nos séculos XV e XVI, Portugal estabeleceu o primeiro império marítimo e comercial global , tornando-se uma das maiores potências económicas, políticas e militares do mundo . [13] Durante este período, hoje referido como a Era dos Descobrimentos , os exploradores portugueses foram os pioneiros na exploração marítima com a descoberta do que viria a ser o Brasil (1500). Durante este tempo, Portugal monopolizou o comércio de especiarias , dividiu o mundo em hemisférios de domínio com Castela , e o império se expandiu com campanhas militares na Ásia . No entanto, acontecimentos como o terramoto de Lisboa de 1755 , a ocupação do país durante oAs Guerras Napoleônicas e a independência do Brasil (1822) apagaram em grande parte a opulência anterior de Portugal . [14] Uma guerra civil entre constitucionalistas liberais e absolutistas conservadores em Portugal pela sucessão real durou de 1828 a 1834.

Após a deposição da monarquia pela revolução de 1910 , foi instituída a democrática mas instável Primeira República portuguesa , sendo posteriormente substituída pelo regime autoritário do Estado Novo . A democracia foi restaurada após a Revolução dos Cravos (1974), encerrando a Guerra Colonial Portuguesa . Pouco depois, a independência foi concedida a quase todos os seus territórios ultramarinos . A transferência de Macau para a China (1999) marcou o fim do que pode ser considerado um dos impérios coloniais mais longevos da história.

Portugal deixou uma profunda influência cultural, arquitetônica e linguística em todo o mundo , com um legado de cerca de 250 milhões de falantes de português , e muitos crioulos baseados no português . É um país desenvolvido com uma economia avançada e elevados padrões de vida . [15] [16] [17] Além disso, tem uma classificação elevada em paz , democracia , [18] liberdade de imprensa , estabilidade , progresso social e prosperidade . Um membro das Nações Unidas , oUnião Europeia , Espaço Schengen e Conselho da Europa (CoE), Portugal foi também um dos membros fundadores da OTAN , da Zona Euro , da OCDE e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa .

Etimologia

Dolmen Calcolítico Anta da Arca

A palavra Portugal deriva do topónimo romano - celta Portus Cale ; [19] uma cidade onde hoje se ergue Vila Nova de Gaia , na foz do rio Douro , a norte do que hoje é Portugal. O nome da cidade vem da palavra latina para porto ou porto, portus , mas o segundo elemento de Portus Cale é menos claro. A explicação corrente para o nome é que se trata de um etnônimo derivado do povo castrista , também conhecido como Callaeci , Gallaeci ou Gallaecia, que ocupou o noroeste da Península Ibérica.[20] Os nomes Cale e Callaici são a origem da Gaia e da Galiza de hoje. [21] [22]

Outra teoria propõe que Cale ou Calle é uma derivação da palavra celta para porto, como o caladh irlandês ou cala gaélico escocês . Essas explicações exigiriam que a língua pré-romana da área fosse um ramo do Céltico Q, o que não é geralmente aceito porque a língua pré-romana da região era o Céltico Gallaec, geralmente considerado P-Céltico. No entanto, estudiosos como Jean Markale e Tranoy propõem que todos os ramos celtas compartilham a mesma origem, e nomes de lugares como Cale, Gal, Gaia, Calais, Galatia, Galicia, Gaelic, Gael, Gaul, Wales, Cornwall, Wallonia e outros originam-se de uma raiz linguística. [21] [23] [24]

Outra teoria diz que Cala era o nome de uma deusa celta (fazendo uma comparação com a gaélica Cailleach , uma bruxa sobrenatural). Alguns estudiosos franceses acreditam que o nome pode ter vindo de "Portus Gallus", [25] o porto dos gauleses ou celtas.

Por volta de 200 aC, os romanos tomaram a Península Ibérica aos cartagineses durante a Segunda Guerra Púnica . No processo, eles conquistaram Cale, rebatizando-o de Portus Cale ("Porto de Cale") e incorporando-o na província da Gaellícia com sua capital em Bracara Augusta (atual Braga , Portugal). Durante a Idade Média , a região ao redor de Portus Cale tornou-se conhecida pelos Suebi e Visigodos como Portucale . O nome Portucale evoluiu para Portugaledurante os séculos VII e VIII, e no século IX, esse termo era amplamente utilizado para designar a região entre os rios Douro e Minho . Nos séculos XI e XII, Portugale , Portugallia , Portvgallo ou Portvgalliae já era referido como Portugal .

O nome francês médio do século XIV para o país, Portingal , que acrescentou um som / n / intrusivo por meio do processo de excrescência , se espalhou para o inglês médio . [26] As variantes de grafia do inglês médio incluíam Portingall , Portingale , [nota 5] Portyngale e Portingaill . [26] [28] A grafia Portyngale é encontrada no Epílogo de Chaucer ao Conto do Sacerdote de Freira . Essas variantes sobreviveram na Torrent de Portyngale , um romance do período medieval composto por volta de 1400, e "Old Robin of Portingale ", uma balada infantil inglesa. Portingal e variantes também foram usadas em escoceses [26] e sobrevivem no nome córnico para o país, Portyngal .

História

Pré-história

O início da história de Portugal é partilhado com o resto da Península Ibérica localizada no sudoeste da Europa. O nome de Portugal deriva do nome romano-céltico unido Portus Cale . A região foi colonizada por Pré- Celtas e Celtas, dando origem a povos como os Gallaeci , Lusitanos , [29] Celtici e Cynetes (também conhecidos como Conii ), [30] visitados por Fenícios - Cartagineses e Gregos Antigos , foi incorporada na República romanadomínios como Lusitânia e parte da Gallaecia , depois de 45 aC até 298 dC.

A região do atual Portugal era habitada por neandertais e depois pelo Homo sapiens , que perambulava pela região sem fronteiras do norte da Península Ibérica. [31] Estas eram sociedades de subsistência e embora não tenham estabelecido assentamentos prósperos, elas formaram sociedades organizadas. O Portugal neolítico experimentou a domesticação de animais de pastoreio, a criação de algumas culturas de cereais e a pesca fluvial ou marinha. [31]

Monumentos megalíticos de Alcalar , construídos no terceiro milênio AC.

Alguns estudiosos acreditam que no início do primeiro milênio aC várias ondas de celtas invadiram Portugal a partir da Europa Central e casaram-se com as populações locais, formando diferentes tribos . [32] Outra teoria sugere que os celtas habitavam o oeste da Península Ibérica / Portugal muito antes de qualquer grande migração celta da Europa Central . [33] Além disso, uma série de linguistas especialistas em celta antigo apresentaram evidências convincentes de que a língua tartessiana , uma vez falada em partes do sudoeste da Espanha e sudoeste de Portugal, é pelo menos proto-céltico na estrutura. [34]

A arqueologia e as pesquisas modernas mostram uma raiz portuguesa nos celtas em Portugal e em outros lugares. [35] Durante esse período e até as invasões romanas, a cultura castrista (uma variação da cultura Urnfield também conhecida como Urnenfelderkultur ) foi prolífica em Portugal e na Galiza moderna. [36] [37] [22] Essa cultura, junto com os elementos remanescentes da cultura megalítica atlântica [38] e as contribuições que vêm das culturas mediterrâneas mais ocidentais, culminou no que se chamou de Cultura Castreja ou Cultura Castro . [39] [40]Esta designação refere-se às populações celtas características chamadas 'dùn', 'dùin' ou 'don' em gaélico e que os romanos chamavam de castrae em suas crônicas. [41]

Exemplos da cultura celta castreja no Norte de Portugal (9º - 1º c. AC): Citânia de Briteiros (topo) e Cividade de Terroso (fundo).

Com base nas crónicas romanas sobre os povos Callaeci , a par das narrações do Lebor Gabála Érenn [42] e da interpretação dos abundantes vestígios arqueológicos espalhados pela metade norte de Portugal e da Galiza, é possível inferir que existiu uma sociedade matriarcal, com uma aristocracia militar e religiosa provavelmente do tipo feudal. [ Carece de fontes? ] As figuras de autoridade máxima foram o chefe (chefe tribal), do tipo militar e com autoridade em sua Castro ou clã, e o druida, referindo-se principalmente às funções médicas e religiosas que poderiam ser comuns a vários castros. A cosmogonia celta permaneceu homogênea devido à habilidade dos druidasreunir-se em conselhos com os druidas de outras áreas, o que garantiu a transmissão do conhecimento e dos eventos mais significativos. [ carece de fontes? ] As primeiras referências documentais à sociedade castreja são fornecidas por cronistas das campanhas militares romanas, como Estrabão , Heródoto e Plínio, o Velho, entre outros, sobre a organização social, e descrevendo os habitantes destes territórios, os Gallaeci do Norte de Portugal como : "Um grupo de bárbaros que passam o dia lutando e a noite comendo, bebendo e dançando sob a lua."

Havia outras tribos semelhantes, e os principais entre elas eram os Lusitanos ; a área central dessas pessoas ficava no interior do centro de Portugal, enquanto numerosas outras tribos relacionadas existiam, como os Celtici do Alentejo e os Cynetes ou Conii do Algarve . Entre as tribos ou subdivisões estavam os Bracari , Coelerni , Equaesi , Grovii , Interamici , Leuni , Luanqui , Limici , Narbasi , Nemetati , Paesuri , Quaquerni , Seurbi ,Tamagani , Tapoli , Turduli , Turduli Veteres , Turdulorum Oppida , Turodi e Zoelae . Algumas pequenas povoações costeiras comerciais semipermanentes (como Tavira ) foram também fundadas na região do Algarve por fenícios - cartagineses .

Roman Lusitania e Gallaecia

O Templo Romano de Évora , no Alentejo , é uma das estruturas romanas mais bem preservadas do país.

Os romanos invadiram a Península Ibérica pela primeira vez em 219 AC. Os cartagineses, adversários de Roma nas Guerras Púnicas , foram expulsos de suas colônias costeiras. Durante os últimos dias de Júlio César , quase toda a península foi anexada à República Romana .

A conquista romana do que hoje faz parte de Portugal demorou quase duzentos anos e ceifou muitas vidas de jovens soldados e a vida daqueles que foram condenados a uma morte certa nas minas de escravos quando não vendidos como escravos a outras partes do império. Ela sofreu um severo revés em 155 aC, quando uma rebelião começou no norte. Os Lusitanos e outras tribos nativas, sob a liderança de Viriathus , [43] [44] tomaram o controle de todo o oeste da Península Ibérica.

Centum Cellas , na região da Beira , é uma villa romana rustica do século I dC.

Roma enviou numerosas legiões e seus melhores generais à Lusitânia para reprimir a rebelião, mas em vão - os Lusitanos continuaram conquistando territórios. Os líderes romanos decidiram mudar sua estratégia. Eles subornaram os aliados de Viriathus para matá-lo. Em 139 AC, Viriathus foi assassinado e Tautalus tornou-se líder dos Lusitanos.

Roma instalou um regime colonial. A romanização completa da Lusitânia só ocorreu na época visigótica .

Em 27 aC, a Lusitânia ganhou o status de província romana . Posteriormente, formou-se uma província do norte da Lusitânia, conhecida como Gallaecia , com capital em Bracara Augusta, hoje Braga . [45] Ainda existem muitas ruínas de castros ( fortes de colina ) em todo o Portugal moderno e vestígios da cultura castreja . Alguns vestígios urbanos são bastante extensos, como Conímbriga e Mirobriga . A primeira, para além de ser uma das maiores povoações romanas de Portugal, está também classificada como Monumento Nacional . Conímbriga fica a 16 quilómetros (10 milhas) de Coimbra, que por sua vez era o antigo Aeminium . O local também possui um museu que exibe objetos encontrados por arqueólogos durante suas escavações.

Diversas obras de engenharia, como banhos, templos, pontes, estradas, circos, teatros e casas de leigos, estão preservadas em todo o país. Também foram encontradas moedas, algumas cunhadas em terras lusitanas, assim como inúmeras peças de cerâmica. Os historiadores contemporâneos incluem Paulus Orosius (c. 375-418) [46] e Hydatius (c. 400-469), bispo de Aquae Flaviae , que relatou os anos finais do domínio romano e a chegada das tribos germânicas .

Reinos germânicos: suevos e visigodos

Mapa do Reino do Suebi nos séculos V e VI
Reino visigótico na Península Ibérica c.560

No início do século V, tribos germânicas , nomeadamente os Suebi [47] e os Vândalos ( Silingi e Hasdingi ), juntamente com os seus aliados, os Sármatas e os Alanos, invadiram a Península Ibérica onde formariam o seu reino. O Reino dos Suebos [48] foi o reino germânico pós-romano, estabelecido nas antigas províncias romanas de Gallaecia - Lusitânia . Vestígios do século 5 de assentamentos de Alan foram encontrados em Alenquer (do antigo alemão Alan kerk ,templo dos Alanos ), Coimbra e Lisboa. [49]

Por volta de 410 e durante o século 6, tornou-se um reino formalmente declarado dos Suevos , [48] [47] onde o rei Hermeric fez um tratado de paz com os galácios antes de passar seus domínios para Rechila , seu filho. Em 448 morreu Rechila, saindo do estado em expansão para Rechiar . Após a derrota contra os visigodos, o reino de Suebian foi dividido, com Frantan e Aguiulfo governando simultaneamente. Ambos reinaram de 456 a 457, ano em que Maldras (457-459) reunificou o reino. Ele foi assassinado após uma conspiração romano-visigótica fracassada. Embora a conspiração não tenha alcançado seus verdadeiros propósitos, o Reino Suebiano foi novamente dividido entre dois reis: Frumar(Frumario 459-463) e Remismundo (Remismundo, filho de Maldras ) (459-469) que reunificaria novamente o reino de seu pai em 463. Ele seria forçado a adotar o arianismo em 465 devido à influência visigótica. Por volta do ano 500, o Reino Visigótico havia sido instalado na Península Ibérica, baseava-se em Toledo e avançava para o oeste. Eles se tornaram uma ameaça ao governo de Suebian. Após a morte de Remismund em 469, um período sombrio se instalou, onde virtualmente todos os textos e relatos escritos desaparecem. Este período durou até 550. A única coisa que sabe sobre este período é que Theodemund (Teodemundo) provavelmente governou o Suebians. O período negro terminou com o reinado de Karriarico (550-559), que reinstalouCristianismo católico em 550. Ele foi sucedido por Theodemar (559–570), durante cujo reinado foi realizado o 1º Concílio de Braga (561).

Descrição ilustrada do Primeiro Concílio de Braga de 561 DC

Os concílios representaram um avanço na organização do território (paroeciam suevorum) e a cristianização da população pagã ( De Correctione rusticorum ) sob os auspícios de São Martinho de Braga (São Martinho de Braga). [50]

Após a morte de Teodomiro, Miro (570-583) foi seu sucessor. Durante o seu reinado, realizou-se o 2º Concílio de Braga (572). A guerra civil visigótica começou em 577. Miro interveio. Mais tarde, em 583, ele também organizou uma expedição malsucedida para reconquistar Sevilha. Durante o retorno desta operação fracassada, Miro morreu.

No Reino Suebiano, muitas lutas internas continuaram ocorrendo. Eborico (Eurico, 583-584) foi destronado por Andeca (Audeca 584-585), que não conseguiu evitar a invasão visigótica liderada por Leovigildo. A invasão visigótica, concluída em 585, transformou o outrora rico e fértil reino dos Suebos na sexta província do reino gótico. [51] Leovigild foi coroado rei da Gallaecia, Hispania e Gallia Narbonensis .

Nos 300 anos seguintes e no ano 700, toda a Península Ibérica foi governada pelos Visigodos . [52] [53] [54] [55] [56] Sob os visigodos, Gallaecia era um espaço bem definido governado por um doge próprio. Doges nesta época eram relacionados à monarquia e agiam como príncipes em todos os assuntos. Ambos os 'governadores' Wamba e Wittiza (Vitiza) atuaram como doge (mais tarde se tornariam reis em Toledo). Esses dois ficaram conhecidos como os 'vitizians', que tinham sua sede no noroeste e chamavam os invasores árabes do sul para serem seus aliados na luta pelo poder em 711. Rei Roderic(Rodrigo) foi morto enquanto se opunha a esta invasão, tornando-se assim o último rei visigodo da Península Ibérica. Dos vários grupos germânicos que se instalaram no oeste da Península Ibérica, os Suebi deixaram o legado cultural mais forte e duradouro no que hoje é Portugal, Galiza e as franjas ocidentais das Astúrias. [57] [58] [59] Segundo Dan Stanislawski, o modo de vida dos portugueses nas regiões a norte do Tejo é maioritariamente herdado dos Suebi, onde prevalecem as pequenas explorações, distintas das grandes propriedades do Sul de Portugal. Bracara Augusta, a moderna cidade de Braga e antiga capital da Gallaecia , tornou-se a capital do Suebi. [50]Para além de alguns vestígios culturais e linguísticos, os suevos deixaram em Portugal e na Galiza a maior contribuição genética germânica da Península Ibérica. [60] Orósio , na época residente na Hispânia, mostra um assentamento inicial bastante pacífico, com os recém-chegados trabalhando em suas terras [61] ou servindo como guarda-costas dos habitantes locais. [62] Outro grupo germânico que acompanhou os Suebi e se estabeleceu em Gallaecia foi o Buri . Estabeleceram-se na região entre os rios Cávado e Homem , na zona conhecida como Terras de Bouro . [63]

Período islâmico eo Reconquista

O Califado de Córdoba no início do século 10

O Portugal continental de hoje, junto com a maior parte da Espanha moderna, fez parte de al-Andalus entre 726 e 1249, após a conquista do califado omíada da Península Ibérica . Essa regra durou de algumas décadas no Norte a cinco séculos no sul. [64]

Depois de derrotar os visigodos em apenas alguns meses, o califado omíada começou a se expandir rapidamente na península. A partir de 726, a terra que hoje é Portugal passou a fazer parte do vasto império do califado omíada de Damasco , que se estendia do rio Indo no subcontinente indiano até o sul da França, até seu colapso em 750. Naquele ano, o oeste do império ganhou sua independência sob Abd-ar-Rahman I com o estabelecimento do Emirado de Córdoba . Depois de quase dois séculos, o emirado tornou-se o Califado de Córdoba em 929, até sua dissolução um século depois, em 1031, em nada menos que 23 pequenos reinos, chamados reinos Taifa .[64]

Estátua de Ibn Qasi fora do Castelo de Mértola , no Alentejo

Cada um dos governadores das taifas se proclamou Emir de suas províncias e estabeleceu relações diplomáticas com os reinos cristãos do norte. A maior parte do Portugal atual caiu nas mãos da Taifa de Badajoz da Dinastia Aftasid e, após um curto período de uma efêmera Taifa de Lisboa em 1022, caiu sob o domínio da Taifa de Sevilha dos poetas abadidas . O período da Taifa terminou com a conquista dos Almorávidas que vieram do Marrocos em 1086 conquistando uma vitória decisiva na Batalha de Sagrajas , seguida um século depois, em 1147, após o segundo período da Taifa, pelosAlmohads , também de Marrakesh . [65] Al-Andaluz foi dividido em diferentes distritos chamados Kura . Gharb Al-Andalus em sua maior era constituído de dez kuras, [66] cada um com uma capital e governador distintos. As principais cidades do período em Portugal situavam-se na metade sul do país: Beja , Silves , Alcácer do Sal , Santarém e Lisboa . A população muçulmana da região consistia principalmente de convertidos ibéricos nativos ao Islã (os chamados Muwallad ou Muladi ) e berberes. Os árabes eram principalmente nobres deSíria e Omã ; e embora poucos em número, eles constituíam a elite da população. Os berberes eram originários da região das montanhas Rif e Atlas , no norte da África, e eram nômades. [64]

Condado de Portugal

Uma estátua do conde Vímara Peres , primeiro conde de Portugal

Um nobre visigodo asturiano chamado Pelágio das Astúrias em 718 foi eleito líder [67] por muitos dos nobres visigodos depostos. Pelágio convocou o remanescente dos exércitos cristãos visigóticos a se rebelar contra os mouros e se reagrupar nas invencíveis montanhas do norte das Astúrias, mais conhecidas hoje como Montanhas Cantábricas , no que hoje é a pequena região montanhosa no noroeste da Espanha , adjacente à Baía da Biscaia . [68]

O plano de Pelágio era usar as montanhas da Cantábria como local de refúgio e proteção contra os mouros invasores. Ele então teve como objetivo reagrupar os exércitos cristãos da Península Ibérica e usar as montanhas da Cantábria como um trampolim para recuperar suas terras. No processo, após derrotar os mouros na Batalha de Covadonga em 722, Pelágio foi proclamado rei, fundando assim o Reino Cristão das Astúrias e dando início à guerra de reconquista cristã conhecida em português como Reconquista Cristã . [68]

No final do século IX, a região de Portugal, entre os rios Minho e Douro, foi reconquistada aos mouros pelo fidalgo e cavaleiro Vímara Peres por ordem do rei Afonso III das Astúrias . Ao constatar que a região tinha anteriormente duas grandes cidades - Portus Cale no litoral e Braga no interior, com muitas vilas agora desertas - decidiu repovoá-las e reconstruí-las com refugiados portugueses e galegos e outros cristãos. [69] Além dos árabes do sul, as regiões costeiras do norte também foram atacadas por normandos e vikings [70] [71]raiders principalmente a partir de 844. A última grande invasão, através do Minho (rio) , terminou com a derrota de Olaf II Haraldsson em 1014 contra a nobreza galega que também impediu novos avanços no Condado de Portugal.

O conde Vímara Peres [72] organizou a região que reconquistou e elevou-a à categoria de condado , batizando-a de condado de Portugal em homenagem à maior cidade portuária da região - Portus Cale ou Porto moderno . Uma das primeiras cidades que Vimara Peres fundou nesta época é Vimaranes, hoje conhecida como Guimarães - a "cidade natal da nação portuguesa" ou a "cidade berço" (Cidade Berço). [69]

Após anexar o Condado de Portugal a um dos vários condados que compunham o Reino das Astúrias , o Rei Afonso III das Astúrias fez cavaleiro Vímara Peres, em 868, como Primeiro Conde de Portus Cale (Portugal). A região ficou conhecida como Portucale , Portugale e simultaneamente Portugália - o Concelho de Portugal . [69]

Mais tarde, o Reino das Astúrias foi dividido em vários Reinos Cristãos no norte da Península Ibérica devido às divisões dinásticas de herança entre os descendentes do rei. Com a abdicação forçada de Alfonso III "o Grande" das Astúrias por seus filhos em 910, o Reino das Astúrias se dividiu em três reinos separados. Os três reinos foram finalmente reunidos em 924 sob a coroa de León .

Em 1093, Alfonso VI de León concedeu o condado a Henrique da Borgonha e casou-o com sua filha ilegítima, Teresa de Leão , por seu papel na reconquista das terras dos mouros. Henrique fundou o seu recém-formado concelho em Bracara Augusta (moderna Braga ), capital da antiga província romana e também anterior capital de vários reinos ao longo dos primeiros milénios.

Independência e afonsina era

No dia 24 de junho de 1128, a Batalha de São Mamede ocorreu perto de Guimarães . Afonso Henriques , conde de Portugal, derrotou a sua mãe, a condessa Teresa e o seu amante Fernão Peres de Trava , estabelecendo-se assim como único líder. Afonso então voltou as armas contra os mouros no sul.

As campanhas de Afonso foram exitosas e, a 25 de julho de 1139, obteve uma vitória esmagadora na Batalha de Ourique , sendo logo depois proclamado rei de Portugal por unanimidade pelos seus soldados. Tradicionalmente, esta é a ocasião em que o Condado de Portugal, como feudo do Reino de Leão, foi transformado no Reino de Portugal independente .

Afonso estabeleceu então a primeira das Cortes portuguesas em Lamego , onde foi coroado pelo Arcebispo de Braga, embora a validade das Cortes de Lamego tenha sido contestada e considerada um mito criado durante a Guerra da Restauração portuguesa . Afonso foi reconhecido em 1143 pelo rei Alfonso VII de León e em 1179 pelo Papa Alexandre III .

Afonso Henriques foi o último conde de Portugal e o primeiro rei de Portugal após vencer a Batalha de Ourique em 1139. ( Representado em manuscrito iluminado dos anos 1530 )

Durante o período da Reconquista , os cristãos reconquistaram a Península Ibérica do domínio mouro . Afonso Henriques e os seus sucessores, auxiliados por ordens militares monásticas , avançaram para o sul para expulsar os mouros. Nesta altura, Portugal cobria cerca de metade da sua área atual. Em 1249, a Reconquista terminou com a captura do Algarve e a expulsão total das últimas povoações mouriscas da costa sul, dando a Portugal as suas fronteiras actuais, com pequenas excepções.

Numa destas situações de conflito com o reino de Castela , Dinis I de Portugal assinou com o rei Fernando IV de Castela (que foi representado, quando menor, pela sua mãe a rainha Maria de Molina ) o Tratado de Alcañices (1297) , que estipulou que Portugal aboliu os tratados acordados contra o reino de Castela para apoiar o infante Juan de Castilla . Este tratado estabeleceu, entre outras coisas, a demarcação da fronteira entre o reino de Portugal e o reino de Leão, onde estava incluída a disputada cidade de Olivença .

Os reinados de Dinis I ( D. Dinis I ), Afonso IV ( Afonso IV ) e D. Pedro I ( D. Pedro I), na sua maioria, foram de paz com os reinos cristãos da Península Ibérica.

Em 1348 e 1349 Portugal, como o resto da Europa, foi devastado pela Peste Negra . [73] Em 1373, Portugal fez uma aliança com a Inglaterra , que é a aliança mais antiga do mundo. Com o tempo, isso foi muito além da cooperação geopolítica e militar (protegendo os interesses de ambas as nações na África, nas Américas e na Ásia contra os rivais franceses, espanhóis e holandeses) e manteve fortes laços comerciais e culturais entre os dois antigos aliados europeus. Na região do Porto , em particular, é visível a influência inglesa até aos dias de hoje.

Era joanino e época dos Descobrimentos

A vitória de D. João I de Portugal na Batalha de Aljubarrota assegurou a reivindicação da Casa de Aviz ao trono.
O Mosteiro da Batalha foi erguido pelo Rei João I para comemorar a sua vitória na Crise de 1383–1385 contra Castela.

Em 1383, João I de Castela , marido de Beatriz de Portugal e genro de Fernando I de Portugal , reivindicou o trono de Portugal. Uma facção de pequenos nobres e plebeus, liderada por João de Aviz (posteriormente Rei D. João I de Portugal) e comandada pelo General Nuno Álvares Pereira derrotou os castelhanos na Batalha de Aljubarrota . Com esta batalha, a Casa de Aviz passou a ser a casa governante de Portugal.

Portugal liderou a exploração europeia do mundo e a Era dos Descobrimentos . O Infante D. Henrique, o Navegador , filho do Rei D. João I de Portugal , tornou-se o principal patrocinador e mecenas desta empreitada. Durante este período, Portugal explorou o Oceano Atlântico , descobrindo os arquipélagos atlânticos dos Açores , Madeira e Cabo Verde ; explorou a costa africana; colonizou áreas selecionadas da África; descobriu uma rota oriental para a Índia através do Cabo da Boa Esperança ; descobriu o Brasil , explorou o Oceano Índico, estabeleceu rotas comerciais na maior parte do sul da Ásia; e enviou o primeiro comércio marítimo europeu direto e missões diplomáticas à China e ao Japão .

Em 1415, Portugal adquiriu a primeira das suas colónias ultramarinas ao conquistar Ceuta , o primeiro próspero centro comercial islâmico no Norte de África. Seguiram-se as primeiras descobertas no Atlântico: Madeira e Açores , que deram origem aos primeiros movimentos de colonização .

Ao longo do século XV, exploradores portugueses navegaram pela costa da África, estabelecendo entrepostos comerciais de vários tipos de mercadorias negociáveis ​​da época , desde ouro a escravos , em busca de uma rota para a Índia e suas especiarias , cobiçadas na Europa. .

O Tratado de Tordesilhas , destinado a resolver o litígio que se criou na sequência do regresso de Cristóvão Colombo , foi feito pelo Papa Alexandre VI , mediador entre Portugal e Espanha. Foi assinado em 7 de junho de 1494, e dividiu as terras recém-descobertas fora da Europa entre os dois países ao longo de um meridiano 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde (na costa oeste da África).

Em 1498, Vasco da Gama concretizou o que Colombo pretendia e tornou-se o primeiro europeu a chegar à Índia por mar, trazendo prosperidade económica a Portugal e à sua população de 1,7 milhão de habitantes, ajudando a iniciar o Renascimento português . Em 1500, o explorador português Gaspar Corte-Real alcançou o que hoje é o Canadá e fundou a vila de Portugal Cove-St. Philip's , Newfoundland and Labrador , muito antes dos franceses e ingleses no século XVII, e sendo apenas uma das muitas colonizações portuguesas nas Américas . [74] [75] [76]

Em 1500, Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil e reivindicou-o para Portugal. [77] Dez anos depois, Afonso de Albuquerque conquistou Goa na Índia, Muscat e Ormuz no estreito persa , e Malaca , agora um estado na Malásia. Assim, o império português detinha o domínio do comércio no Oceano Índico e no Atlântico Sul. Os marinheiros portugueses partiram para alcançar a Ásia Oriental navegando para o leste, vindos da Europa, desembarcando em lugares como Taiwan, Japão, a ilha de Timor e as Molucas .

Embora por um longo período se acreditou que os holandeses foram os primeiros europeus a chegar à Austrália, também há algumas evidências de que os portugueses podem ter descoberto a Austrália em 1521. [78] [79] [80] De 1519 a 1522, Ferdinand Magellan (Fernão de Magalhães) organizou uma expedição espanhola às Índias Orientais que resultou na primeira circunavegação do globo. Magalhães nunca conseguiu voltar para a Europa, pois foi morto por nativos nas Filipinas em 1521.

O Tratado de Saragoça , assinado em 22 de abril de 1529 entre Portugal e Espanha, especificava o anti-meridiano para a linha de demarcação prevista no Tratado de Tordesilhas.

Todos estes fatores fizeram de Portugal uma das maiores potências econômicas, militares e políticas do século XV até o final do século XVI.

União Ibérica, Restauração e era cedo Brigantine

Áreas em todo o mundo que fizeram, num determinado momento da sua história, parte do Império Português

Portugal entrou voluntariamente numa união dinástica entre 1580 e 1640. Isto ocorreu porque os dois últimos reis da Casa de Aviz  - D. Sebastião , falecido na batalha de Alcácer Quibir em Marrocos , e o seu tio-avô e sucessor, o Rei- Cardeal Henrique de Portugal  - ambos morreram sem herdeiros, resultando na crise da sucessão portuguesa de 1580 .

Posteriormente, Filipe II da Espanha reivindicou o trono e foi aceito como Filipe I de Portugal. Portugal não perdeu a sua independência formal, formando brevemente uma união de reinos. Nessa época, a Espanha era um território geográfico . [81] A união das duas coroas privou Portugal de uma política externa independente e levou ao seu envolvimento na Guerra dos Oitenta Anos entre a Espanha e a Holanda .

A guerra levou à deterioração das relações com o aliado mais antigo de Portugal, a Inglaterra , e à perda de Ormuz , um posto comercial estratégico localizado entre o Irã e Omã . De 1595 a 1663, a guerra holandesa-portuguesa envolveu principalmente as empresas holandesas invadindo muitas colônias portuguesas e interesses comerciais no Brasil, África, Índia e Extremo Oriente, resultando na perda do monopólio português do comércio marítimo indiano. Em 1640, João IV de Portugal liderou uma revolta apoiada por nobres descontentes e foi proclamado rei. A Guerra da Restauração Portuguesa encerrou o período de sessenta anos da União Ibérica sob oCasa dos Habsburgos . Assim nasceu a Casa de Bragança , que reinou em Portugal até 1910.

D. João V patrocinou inúmeras obras artísticas, valendo-lhe o epíteto de Rei Sol português .

O filho mais velho de D. João IV veio a reinar como Afonso VI , mas as suas deficiências físicas e mentais deixaram-no vencido por Luís de Vasconcelos e Sousa, 3.º Conde de Castelo Melhor . Num golpe palaciano organizado pela esposa do Rei, Maria Francisca de Sabóia , e pelo seu irmão, Pedro, Duque de Beja , D. Afonso VI foi declarado mentalmente incapaz e exilado primeiro para os Açores e depois para o Palácio Real de Sintra , nos arredores de Lisboa. Após a morte de Afonso, D. Pedro subiu ao trono como D. Pedro II. O reinado de Pedro viu a consolidação da independência nacional, a expansão imperial e o investimento na produção doméstica.

O filho de D. Pedro II, João V , viu um reinado caracterizado pelo influxo de ouro para os cofres do tesouro real, fornecido em grande parte pelo quinto real (um imposto sobre metais preciosos) que era recebido das colônias portuguesas do Brasil e do Maranhão .

Desconsiderando as instituições tradicionais portuguesas de governo, João V agiu como um monarca absoluto, quase esgotando as receitas fiscais do país em ambiciosas obras arquitetônicas, principalmente o Palácio de Mafra , e em encomendas e acréscimos para suas consideráveis ​​coleções de arte e literárias.

Devido ao seu desejo de reconhecimento diplomático internacional, John também gastou grandes somas nas embaixadas que enviou para as cortes da Europa, sendo as mais famosas as que enviou a Paris em 1715 e Roma em 1716.

As estimativas oficiais - e a maioria das estimativas feitas até agora - colocam o número de migrantes portugueses para o Brasil colonial durante a corrida do ouro do século 18 em 600.000. [82] Isso representou um dos maiores movimentos de populações europeias para suas colônias nas Américas durante a época colonial.

Era pombalina e do Iluminismo

O 1º Marquês de Pombal efetivamente governou Portugal como um déspota esclarecido durante o reinado de D. José I .

Em 1738, o fidalgo Sebastião José de Carvalho e Melo (posteriormente enobrecido como 1º Marquês de Pombal ) iniciou a carreira diplomática como Embaixador de Portugal em Londres e posteriormente em Viena. A rainha consorte de Portugal, arquiduquesa Maria Ana da Áustria , gostava de Carvalho e Melo; e após a morte da primeira esposa, ela arranjou o segundo casamento da viúva Carvalho e Melo com a filha do marechal de campo austríaco Leopold Josef, o conde von Daun . O rei D. João V , porém, não gostou e chamou Carvalho e Melo de volta a Portugal em 1749. João V morreu no ano seguinte e seu filho, José I, Foi coroado. Ao contrário do pai, José I gostava de Carvalho e Melo e, com o aval da Rainha Mãe, nomeou Carvalho e Melo Ministro dos Negócios Estrangeiros.

À medida que a confiança do Rei em Carvalho e Melo aumentava, o Rei confiou-lhe mais controlo do Estado. Em 1755, Sebastião José de Carvalho e Melo foi nomeado primeiro-ministro. Impressionado com o sucesso económico britânico que testemunhou desde o seu tempo como Embaixador, implementou com sucesso políticas económicas semelhantes em Portugal. Ele aboliu a escravidão em Portugal continental e nas colônias portuguesas na Índia, reorganizou o exército e a marinha, reestruturou a Universidade de Coimbra e acabou com a discriminação legal contra diferentes seitas cristãs em Portugal, abolindo a distinção entre cristãos antigos e novos .

As grandes reformas de Carvalho e Melo foram económicas e financeiras, com a criação de várias empresas e grêmios para regular toda a actividade comercial. Criou um dos primeiros sistemas de denominação do mundo ao demarcar a região para produção de Vinho do Porto para garantir a qualidade do vinho; e esta foi a primeira tentativa de controlar a qualidade e a produção do vinho na Europa. Ele governou com força, impondo uma lei estrita a todas as classes da sociedade portuguesa, da alta nobreza à classe trabalhadora mais pobre, juntamente com uma ampla revisão do sistema tributário do país. Essas reformas renderam-lhe inimigos nas classes superiores, especialmente entre a alta nobreza, que o desprezava como um arrivista social.

O terremoto de 1755 em Lisboa devastou Portugal com uma magnitude estimada entre 8,5 e 9,0.

O desastre caiu sobre Portugal na manhã de 1 de novembro de 1755, quando Lisboa foi atingida por um violento terremoto com uma magnitude de momento estimada em 8,5-9. A cidade foi arrasada pelo terremoto e o subsequente tsunami e incêndios que se seguiram. [83] Carvalho e Melo sobreviveu por um golpe de sorte e logo embarcou na reconstrução da cidade, com a sua célebre frase: "E agora? Enterramos os mortos e cuidamos dos vivos".

Apesar da calamidade e do grande número de mortos , Lisboa não sofreu epidemias e em menos de um ano já estava a ser reconstruída. O novo centro da cidade de Lisboa foi concebido para resistir aos terramotos subsequentes. Modelos arquitetônicos foram construídos para testes, e os efeitos de um terremoto foram simulados com tropas marchando ao redor dos modelos. Os edifícios e grandes praças da Baixa Pombalina continuam a ser uma das atrações turísticas de Lisboa. Carvalho e Melo também deu uma importante contribuição para o estudo da sismologia ao desenhar uma investigação detalhada sobre os efeitos do terremoto, as Memórias Paroquiais de 1758, que foi enviado a todas as paróquias do país; essa riqueza de informações permite aos cientistas modernos reconstruir o evento com algum grau de precisão científica.

Após o terremoto, Joseph I deu ao seu primeiro-ministro ainda mais poder e Carvalho de Melo tornou-se um ditador poderoso e progressista . À medida que seu poder crescia, seus inimigos aumentavam em número e as disputas amargas com a alta nobreza tornaram-se frequentes. Em 1758, Joseph I foi ferido em uma tentativa de assassinato. A família Távora e o Duque de Aveiro foram implicados e sumariamente executados após um rápido julgamento . No ano seguinte, os jesuítas foram reprimidos e expulsos do país e seus bens confiscados pela coroa. Carvalho e Melo não poupou nenhum dos envolvidos, nem mesmo mulheres e crianças (notadamente, Leonor de Almeida Portugal , de 8 anos, preso em um convento por dezenove anos). Este foi o golpe final que esmagou toda a oposição ao demonstrar publicamente que até mesmo a aristocracia estava impotente diante do leal ministro do rei. José I enobreceu Carvalho e Melo como Conde de Oeiras em 1759.

Em 1762, a Espanha invadiu o território português como parte da Guerra dos Sete Anos , mas em 1763 o status quo entre a Espanha e Portugal antes da guerra foi restaurado.

Na sequência do caso Távora, o novo Conde de Oeiras não conheceu oposição. Posteriormente intitulado "Marquês de Pombal" em 1770, governou efetivamente Portugal até a morte de José I em 1777.

A nova governante, Rainha Maria I de Portugal , não gostou do Marquês de Pombal pelo poder que acumulou, e nunca o perdoou pela crueldade com que despachou a família Távora, e com a sua ascensão ao trono, ela retirou todos os seus escritórios. O Marquês de Pombal foi banido para a sua quinta em Pombal , onde faleceu em 1782.

No entanto, os historiadores também argumentam que o "esclarecimento" de Pombal, embora de longo alcance, foi principalmente um mecanismo para aumentar a autocracia em detrimento da liberdade individual e, especialmente, um aparato para esmagar a oposição, suprimir críticas e promover a exploração econômica colonial, bem como intensificar o livro. censura e consolidação do controle pessoal e do lucro. [84]

Era napoleônica

Com a ocupação de Napoleão, Portugal iniciou um lento mas inexorável declínio que durou até ao século XX. Esse declínio foi acelerado pela independência do Brasil , a maior posse colonial do país.

No outono de 1807, Napoleão moveu as tropas francesas pela Espanha para invadir Portugal. De 1807 a 1811, as forças luso-britânicas lutariam com sucesso contra a invasão francesa de Portugal na Guerra Peninsular , durante a qual a família real e a nobreza portuguesa , incluindo Maria I, se mudaram para o território português do Brasil , então uma colônia do Império Português , na América do Sul. Esse episódio ficou conhecido como Transferência da Justiça Portuguesa para o Brasil .

Em 1807, quando o exército de Napoleão se aproximou de Lisboa, João VI de Portugal , o Príncipe Regente , transferiu sua corte para o Brasil e estabeleceu o Rio de Janeiro como a capital do Império Português. Em 1815, o Brasil foi declarado Reino e o Reino de Portugal uniu-se a ele, formando um estado pluricontinental, o Reino Unido de Portugal, o Brasil e os Algarves .

O frontispício da Constituição portuguesa de 1826 com o rei-imperador D. Pedro IV e a sua filha a rainha D. Maria II

Com a mudança de status e a chegada da família real portuguesa , o aparato administrativo, cívico, econômico , militar, educacional e científico brasileiro foi ampliado e altamente modernizado. Os portugueses e as suas tropas britânicas aliadas lutaram contra a invasão francesa de Portugal e em 1815 a situação na Europa tinha arrefecido o suficiente para que João VI pudesse regressar em segurança a Lisboa. No entanto, o Rei de Portugal permaneceu no Brasil até que a Revolução Liberal de 1820 , iniciada no Porto , exigiu o seu regresso a Lisboa em 1821.

Assim, ele voltou para Portugal, mas deixou seu filho Pedro no comando do Brasil. Quando o governo português tentou, no ano seguinte, devolver o Reino do Brasil ao status de subordinado, seu filho Pedro, com o apoio esmagador das elites brasileiras, declarou a independência do Brasil de Portugal. A Cisplatina (atual Estado soberano do Uruguai), no sul, foi uma das últimas adições ao território do Brasil sob domínio português.

A independência do Brasil foi reconhecida em 1825, quando o Imperador Pedro I concedeu a seu pai a honra titular de Imperador do Brasil . A morte de João VI em 1826 causou sérias questões em sua sucessão. Embora Pedro fosse seu herdeiro e reinasse brevemente como Pedro IV, seu status como monarca brasileiro era visto como um impedimento para manter o trono português por ambas as nações. Pedro abdicou em favor de sua filha, Maria II (Maria II). No entanto, o irmão de Pedro, o infante Miguel , reivindicou o trono em protesto. Após o fracasso de uma proposta de casamento de Miguel e Maria, Miguel assumiu o poder como Rei D. Miguel I, em 1828. Para defender os direitos de sua filha ao trono, Pedro lançou as Guerras Liberaisreinstalar a filha e estabelecer uma monarquia constitucional em Portugal. A guerra terminou em 1834, com a derrota de Miguel, a promulgação de uma constituição e a reintegração da Rainha D. Maria II.

Monarquia constitucional

De cima para baixo: O Regicídio de Lisboa (1908), a aclamação de D. Manuel II a Rei (1908) e a Proclamação da República (1910)

A rainha Maria II (Maria II) e filho do rei Fernando II , o rei Pedro V (Pedro V) modernizaram o país durante seu curto reinado (1853-1861). Sob seu reinado, estradas, telégrafos e ferrovias foram construídos e melhorias na saúde pública avançaram. Sua popularidade aumentou quando, durante o surto de cólera de 1853-1856, ele visitou hospitais distribuindo presentes e confortando os doentes. O reinado de Pedro foi curto, pois ele morreu de cólera em 1861, após uma série de mortes na família real, incluindo seus dois irmãos Infante Fernando e Infante João, duque de Beja , e sua esposa, Stephanie de Hohenzollern-Sigmaringen . Pedro não tendo filhos, seu irmão, Luís I de Portugal (Luís I) subiu ao trono e continuou sua modernização.

No auge do colonialismo europeu no século 19, Portugal já havia perdido seu território na América do Sul e quase todas as bases na Ásia. Luanda , Benguela , Bissau , Lourenço Marques , Porto Amboim e a Ilha de Moçambique figuram entre as mais antigas cidades portuárias fundadas por portugueses nos seus territórios africanos. Durante esta fase, o colonialismo português concentrou-se em expandir seus postos avançados na África em territórios do tamanho de uma nação para competir com outras potências europeias.

Com a Conferência de Berlim de 1884, os territórios portugueses em África tiveram as suas fronteiras formalmente estabelecidas a pedido de Portugal, a fim de proteger os interesses seculares portugueses no continente das rivalidades suscitadas pela Scramble for Africa . As vilas e cidades portuguesas em África como Nova Lisboa , Sá da Bandeira , Silva Porto , Malanje , Tete , Vila Junqueiro , Vila Pery e Vila Cabral foram fundadas ou reconstruídas no interior durante este período e posteriormente. Novas cidades costeiras como Beira , Moçâmedes , Lobito, João Belo , Nacala e Porto Amélia também foram fundados. Ainda antes do início do século XX, vias férreas como a de Benguela, em Angola, e a da Beira, em Moçambique, começaram a ser construídas para ligar as zonas costeiras a regiões seleccionadas do interior.

Outros episódios durante este período de presença portuguesa em África incluem o Ultimatum britânico de 1890 . Isso forçou os militares portugueses a se retirarem do território entre as colônias portuguesas de Moçambique e Angola (a maior parte do atual Zimbábue e Zâmbia ), que havia sido reivindicado por Portugal e incluído no seu " Mapa Rosa ", que colidia com as aspirações britânicas de criar uma ferrovia do Cabo ao Cairo .

Os territórios portugueses em África eram Cabo Verde , São Tomé e Príncipe , Guiné Portuguesa , Angola e Moçambique . A pequena fortaleza de São João Baptista de Ajudá, na costa do Daomé , também esteve sob domínio português. Além disso, Portugal ainda governava os territórios asiáticos da Índia portuguesa , do Timor português e de Macau português .

Em 1 de fevereiro de 1908, o Rei Dom Carlos I de Portugal e seu herdeiro aparente e seu filho mais velho, Príncipe Real Dom Luís Filipe , Duque de Bragança , foram assassinados em Lisboa, no Terreiro do Paço, por dois revolucionários ativistas republicanos portugueses, Alfredo Luís da Costa e Manuel Buíça . Sob seu governo, Portugal foi declarado falido  duas vezes - primeiro em 14 de junho de 1892, e novamente em 10 de maio de 1902 - causando turbulência social, distúrbios econômicos, protestos furiosos, revoltas e críticas à monarquia. Seu segundo filho mais novo, Manuel II de Portugal, tornou-se o novo rei, mas acabou sendo derrubado pela revolução republicana portuguesa de 5 de outubro de 1910 , que aboliu a monarquia e instalou um governo republicano em Portugal, fazendo com que ele e sua família real fugissem para o exílio em Londres , Inglaterra .

Primeira República e Estado Novo

Da esquerda para a direita: Presidente Bernardino Machado , Presidente Teófilo Braga , Presidente António José de Almeida e Primeiro-Ministro Afonso Costa ; 1911

A nova república teve muitos problemas. Portugal teve 45 governos diferentes em apenas 15 anos. Durante a Primeira Guerra Mundial (1914–1918), Portugal ajudou os Aliados a lutar contra as Potências Centrais . Mas a guerra prejudicou sua economia fraca. A instabilidade política e as fraquezas econômicas foram um terreno fértil para o caos e a agitação durante a Primeira República Portuguesa . Essas condições levariam ao fracasso da Monarquia do Norte , ao golpe de Estado de 28 de maio de 1926 e à criação da Ditadura Nacional ( Ditadura Nacional ). Este, por sua vez, levou ao estabelecimento da ditadura de direita do Estado Novo sob António de Oliveira Salazar em 1933.

Portugal permaneceu neutro na Segunda Guerra Mundial . Entre os anos 1940 e 1960, Portugal foi membro fundador da NATO , da OCDE e da European Free Trade Association (EFTA). Gradualmente, foram iniciados novos projectos de desenvolvimento económico e relocalização de cidadãos portugueses do continente para as províncias ultramarinas em África, sendo Angola e Moçambique , como os maiores e mais ricos territórios ultramarinos, os principais alvos dessas iniciativas. Estas ações foram utilizadas para afirmar o estatuto de Portugal como nação transcontinental e não como império colonial.

Depois que a Índia alcançou a independência em 1947, residentes pró-indianos de Dadra e Nagar Haveli , com o apoio do governo indiano e a ajuda de organizações pró-independência, separaram os territórios de Dadra e Nagar Haveli do domínio português em 1954. [85] Em 1961, a anexação do Forte de São João Baptista de Ajudá pela República do Daomé deu início a um processo que conduziu à dissolução definitiva do centenário Império Português.

António de Oliveira Salazar governou Portugal de 1932 a 1968, no regime do Estado Novo .

De acordo com o censo de 1921, São João Baptista de Ajudá tinha 5 habitantes e, à data do ultimato do Governo do Daomé, tinha apenas 2 habitantes representativos da Soberania Portuguesa.

Outro recuo forçado dos territórios ultramarinos ocorreu em dezembro de 1961, quando Portugal se recusou a ceder os territórios de Goa , Damão e Diu na Índia . Como resultado, o exército e a marinha portugueses envolveram-se em conflitos armados em sua colônia da Índia portuguesa contra as Forças Armadas indianas .

As operações resultaram na derrota e rendição da limitada guarnição defensiva portuguesa, que foi forçada a render-se a uma força militar muito maior. O resultado foi a perda dos restantes territórios portugueses no subcontinente indiano . O regime português recusou-se a reconhecer a soberania indiana sobre os territórios anexados, que continuaram representados na Assembleia Nacional de Portugal até ao golpe militar de 1974.

Também no início da década de 1960, os movimentos de independência nas províncias ultramarinas portuguesas de Angola , Moçambique e Guiné, na África, resultaram na Guerra Colonial Portuguesa (1961–1974).

Ao longo do período da guerra colonial, Portugal teve de lidar com a crescente dissidência, embargos de armas e outras sanções punitivas impostas pela maior parte da comunidade internacional. No entanto, o regime autoritário e conservador do Estado Novo , inicialmente instalado e governado por António de Oliveira Salazar e a partir de 1968 liderado por Marcelo Caetano , procurou preservar um vasto império intercontinental secular com uma área total de 2.168.071 km 2 . [86]

Revolução dos Cravos e da integração europeia

África portuguesa antes da independência em 1975

O governo eo exército Português resistiu à descolonização dos seus territórios ultramarinos, até abril de 1974, quando um sem derramamento de sangue de esquerda militar golpe em Lisboa, conhecida como a Revolução dos Cravos , abriu o caminho para a independência dos territórios ultramarinos na África e Ásia, bem quanto ao restabelecimento da democracia após dois anos de um período de transição conhecido como PREC ( Processo Revolucionário Em Curso ). Este período foi caracterizado por turbulências sociais e disputas de poder entre forças políticas de esquerda e de direita. No verão de 1975, a tensão entre eles era tão alta que o país estava à beira de uma guerra civil. As forças ligadas à extrema esquerda lançaram mais um golpe de estadoem 25 de novembro, mas o Grupo dos Nove, uma facção militar moderada, iniciou imediatamente um contra-golpe. O episódio principal deste confronto foi o assalto bem sucedido ao quartel do Regimento da Polícia Militar dominado pela ala esquerda pelas forças moderadas do Regimento de Comando, resultando na morte de três soldados em combate . O Grupo dos Nove saiu vitorioso, impedindo assim o estabelecimento de um estado comunistaem Portugal e terminando o período de instabilidade política no país. A retirada dos territórios ultramarinos e a aceitação dos termos da independência pelos principais representantes portugueses para as negociações ultramarinas, que criariam estados independentes em 1975, provocaram um êxodo em massa de cidadãos portugueses dos territórios africanos de Portugal (principalmente dos portugueses de Angola e Moçambique ). [87] [88]

Mais de um milhão de refugiados portugueses fugiram das antigas províncias portuguesas porque os colonos brancos geralmente não eram considerados parte das novas identidades das antigas colônias portuguesas na África e na Ásia. Mário Soares e António de Almeida Santos foram encarregados de organizar a independência dos territórios ultramarinos de Portugal. Em 1975, todos os territórios portugueses africanos eram independentes e Portugal realizou as suas primeiras eleições democráticas em 50 anos.

Portugal continuou a ser governado por uma Junta de Salvação Nacional até às eleições legislativas portuguesas de 1976 . Foi ganho pelo Partido Socialista Português (PS) e Mário Soares, seu dirigente, tornou-se Primeiro-Ministro do 1.º Governo Constitucional a 23 de julho. Mário Soares seria Primeiro-Ministro de 1976 a 1978 e novamente de 1983 a 1985. Nessa qualidade, Soares tentou retomar o crescimento económico e o recorde de desenvolvimento alcançado antes da Revolução dos Cravos, durante a última década do regime anterior. Ele iniciou o processo de adesão à Comunidade Econômica Européia (CEE) iniciando as negociações de adesão já em 1977.

Mário Soares tornou-se o primeiro primeiro-ministro eleito democraticamente em 1976.

Após a transição para a democracia, Portugal oscilou entre o socialismo e a adesão ao modelo neoliberal . Reforma agrária e nacionalizações foram aplicadas; a Constituição portuguesa (aprovada em 1976) foi reescrita de forma a acomodar os princípios socialistas e comunistas. Até as revisões constitucionais de 1982 e 1989, a constituição era um documento com numerosas referências ao socialismo, aos direitos dos trabalhadores e à conveniência de uma economia socialista . A situação econômica de Portugal após a revolução obrigou o governo a buscar programas de estabilização monitorados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em 1977-78 e 1983-85.

Em 1986, Portugal, juntamente com a Espanha, aderiu à Comunidade Económica Europeia (CEE) que mais tarde se tornou a União Europeia (UE). Nos anos que se seguiram, a economia portuguesa registou uma evolução significativa, em resultado dos fundos estruturais e de coesão CEE / UE e da maior facilidade de acesso das empresas portuguesas ao mercado externo.

O último território colonial ultramarino e asiático de Portugal, Macau , foi entregue pacificamente à República Popular da China (RPC) em 20 de Dezembro de 1999, ao abrigo da declaração conjunta de 1987 que definia os termos da transferência de Macau de Portugal para a RPC. Em 2002, a independência de Timor Leste (Ásia) foi formalmente reconhecida por Portugal, após um processo de descolonização incompleto iniciado em 1975 por causa da Revolução dos Cravos, mas interrompido por uma invasão armada e ocupação indonésia .

O Tratado de Lisboa foi assinado em 2007, quando Portugal ocupou a presidência do Conselho Europeu .

Em 26 de março de 1995, Portugal começou a implementar as regras do Espaço Schengen , eliminando os controles de fronteira com outros membros de Schengen e, ao mesmo tempo, reforçando os controles de fronteira com Estados não membros. Em 1996 o país foi co-fundador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) com sede em Lisboa. Em 1996, Jorge Sampaio tornou-se presidente. Foi reeleito em Janeiro de 2001. A Expo '98 teve lugar em Portugal e em 1999 foi um dos países fundadores do euro e da zona euro . Em 5 de julho de 2004, José Manuel Barroso , então Primeiro-Ministro de Portugal , foi nomeadoPresidente da Comissão Europeia , o cargo mais poderoso da União Europeia. A 1 de Dezembro de 2009, entrou em vigor o Tratado de Lisboa , após ter sido assinado pelos estados membros da União Europeia a 13 de Dezembro de 2007 no Mosteiro dos Jerónimos , em Lisboa, reforçando a eficácia e legitimidade democrática da União e melhorando a coerência da sua ação. A República da Irlanda foi o único Estado da UE a realizar um referendo democrático sobre o Tratado de Lisboa. Foi inicialmente rejeitado pelos eleitores em 2008.

Perturbação económica e um crescimento insustentável da dívida pública durante a crise financeira de 2007-2008 levaram o país a negociar em 2011 com o FMI e a União Europeia, através do Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (MEEF) e do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF) , um empréstimo para ajudar o país a estabilizar suas finanças.

Geografia

Topografia e administração.

O território de Portugal inclui uma área na Península Ibérica (referida como continente pela maioria dos portugueses) e dois arquipélagos no Oceano Atlântico: os arquipélagos da Madeira e dos Açores . Encontra-se entre as latitudes 30 ° e 42 ° N , e longitudes 32 ° e 6 ° W .

Portugal continental está dividido pelo seu principal rio, o Tejo , que sai de Espanha e desagua no estuário do Tejo , em Lisboa, antes de escapar para o Atlântico. A paisagem a norte é montanhosa para o interior com vários planaltos recortados por vales fluviais, enquanto o sul, incluindo o Algarve e o Alentejo , é caracterizado por planícies onduladas. [89]

O pico mais alto de Portugal é o Monte Pico com o mesmo nome, na ilha do Pico nos Açores. Este antigo vulcão, que mede 2.351 m (7.713 pés) é um símbolo icônico dos Açores, enquanto a Serra da Estrela no continente (o cume está 1.991 m (6.532 pés) acima do nível do mar) é uma importante atração sazonal para esquiadores e entusiastas dos esportes de inverno.

Os arquipélagos da Madeira e dos Açores estão espalhados no Oceano Atlântico: os Açores estendendo -se pela Dorsal Mesoatlântica numa junção tripla tectónica, e a Madeira ao longo de uma faixa formada por geologia de hotspot em placa . Geologicamente, essas ilhas foram formadas por eventos vulcânicos e sísmicos. A última erupção vulcânica terrestre ocorreu em 1957–58 ( Capelinhos ) e pequenos terremotos ocorrem esporadicamente, geralmente de baixa intensidade.

A zona económica exclusiva de Portugal , uma zona marítima sobre a qual os portugueses têm direitos especiais de exploração e utilização dos recursos marinhos, tem 1.727.408 km 2 . Esta é a 3ª maior zona económica exclusiva da União Europeia e a 20ª maior do mundo. [90]

Clima

Mapa de classificação climática de Köppen de Portugal continental

Portugal é caracterizado principalmente por um clima mediterrâneo ( Csa no Sul, interior central e vale do rio Douro ; Csb no Norte, Centro-Oeste e Costa Vicentina) , [91] clima marítimo temperado (Cfb) no noroeste continental planaltos e montanhas, e em algumas zonas de grande altitude das ilhas dos Açores; um clima semi-árido em certas partes do Distrito de Beja no extremo sul ( BSk ) e na Ilha de Porto Santo (BSh), um clima desértico quente (BWh) nas Ilhas Selvagens e umclima subtropical húmido no oeste dos Açores (Cfa), de acordo com a Classificação Climática Köppen-Geiger . É um dos países mais quentes da Europa: a temperatura média anual em Portugal continental varia de 10–12 ° C (50,0–53,6 ° F) no interior montanhoso a norte a 16–18 ° C (60,8–64,4 ° F) em a sul e na bacia do rio Guadiana . Existem, no entanto, variações das terras altas para as terras baixas: o biólogo espanhol Salvador Rivas Martinez apresenta várias zonas bioclimáticas diferentes para Portugal. [92] O Algarve , separado da região do Alentejo por montanhas que atingem até 900 metros (3.000 pés) emO Alto da Fóia , tem um clima semelhante ao das zonas costeiras do sul da Espanha ou do Sudoeste da Austrália.

A precipitação média anual no continente varia de pouco mais de 3.200 mm (126,0 pol.) No Parque Nacional da Peneda-Gerês a menos de 500 mm (19,7 pol.) No sul do Alentejo . O Monte Pico é reconhecido por receber a maior precipitação anual (mais de 6.250 mm (246,1 in) por ano) em Portugal, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera .

Em algumas áreas, como a bacia do Guadiana, as temperaturas médias diurnas anuais podem chegar a 26 ° C (79 ° F), e as temperaturas mais altas do verão são rotineiramente superiores a 40 ° C (104 ° F). O recorde máximo de 47,4 ° C (117,3 ° F) foi registado na Amareleja , embora este possa não ser o local mais quente no verão, de acordo com leituras de satélite. [93] [94]

A Praia da Marinha em Lagoa , Algarve é considerada pelo Guia Michelin como uma das 10 praias mais bonitas da Europa e como uma das 100 mais belas praias do mundo.

As nevadas ocorrem regularmente no inverno no interior Norte e Centro do país em distritos como Guarda , Bragança , Viseu e Vila Real , nomeadamente na serra. No inverno, as temperaturas podem cair abaixo de -10,0 ° C (14,0 ° F), particularmente na Serra da Estrela , Serra do Gerês , Serra do Marão e Serra de Montesinho . Nesses lugares, a neve pode cair em qualquer época, de outubro a maio. No sul do país, as nevadas são raras, mas ainda ocorrem nas altitudes mais elevadas. Enquanto o mínimo oficial absoluto pelo IPMA é −16,0 ° C (3,2 ° F) em Penhas da Saúde eMiranda do Douro , foram registadas temperaturas mais baixas, como −17,5 ° C (0,5 ° F) pelo Instituto Politécnico de Bragança nos arredores da cidade em 1983, e abaixo de −20,0 ° C (−4,0 ° F) na Serra da Estrela .

Portugal Continental tem cerca de 2300 a 3200 horas de sol por ano, uma média de 4-6 h no inverno e 10-12 h no verão, com valores mais elevados no sudeste, sudoeste e na costa do Algarve e mais baixos em o noroeste. Os valores de insolação são mais baixos nos arquipélagos, sendo cerca de 1600 h na húmida Ilha das Flores e cerca de 2300 h na ilha da Madeira e Porto Santo. Acredita-se que a insolação nas Selvagens seja maior devido à sustentação orográfica mais fraca e sua relativa proximidade com o Deserto do Saara .

As costas centro-oeste e sudoeste de Portugal têm um atraso sazonal extremo do oceano , as temperaturas do mar são mais quentes em outubro do que em julho e são mais frias em março. A temperatura média da superfície do mar na costa oeste de Portugal continental varia de 14-16 ° C (57,2-60,8 ° F) em janeiro-março a 19-21 ° C (66,2-69,8 ° F) em agosto-outubro, enquanto no costa sul varia de 16 ° C (60,8 ° F) em janeiro a março e aumenta no verão para cerca de 22-23 ° C (71,6-73,4 ° F), ocasionalmente atingindo 26 ° C (78,8 ° F). [95] Nos Açores, cerca de 16 ° C (60,8 ° F) em fevereiro-abril a 22-24 ° C (71,6-75,2 ° F) em julho-setembro, [96] e na Madeira, cerca de 18 ° C ( 64,4 ° F) em fevereiro-abril a 23-24 ° C (73,4-75,2 ° F) em agosto-outubro. [97]

Ambos os arquipélagos dos Açores e da Madeira têm um clima subtropical, embora existam variações entre as ilhas, o que torna as previsões meteorológicas muito difíceis (devido à topografia acidentada). Os arquipélagos da Madeira e dos Açores têm uma amplitude térmica mais estreita, com temperaturas médias anuais superiores a 20 ° C (68 ° F) em algumas zonas da costa (de acordo com o Instituto Português de Meteorologia). Algumas ilhas dos Açores têm meses mais secos no verão. Consequentemente, as ilhas dos Açores foram identificadas como tendo um clima mediterrânico (tanto do tipo Csa como Csb ), enquanto algumas ilhas (como as Flores ou o Corvo ) são classificadas como subtropicais húmidas ( Cfa), em transição para um clima oceânico ( Cfb ) em altitudes mais elevadas, de acordo com a classificação de Köppen-Geiger.

A Ilha do Porto Santo na Madeira tem um clima semi-árido quente ( BSh ). As Ilhas Selvagens , que fazem parte do território regional da Madeira e são uma reserva natural, são as únicas a serem classificadas como um clima desértico ( BWh ) com uma precipitação média anual de cerca de 150 mm (5,9 in). A temperatura da superfície do mar nessas ilhas varia de 18,5 ° C (65,3 ° F) no inverno a 23–24 ° C (73,4–75,2 ° F) no verão, ocasionalmente atingindo 25 ° C (77,0 ° F). [ citação necessária ]

Biodiversidade

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é o único parque nacionalmente designado em Portugal, pela raridade e importância do seu ambiente.

Portugal está situado na Bacia do Mediterrâneo , o terceiro hotspot de flora mais diverso do mundo. [98] Devido ao seu contexto geográfico e climático - entre o Mediterrâneo e o Atlântico - Portugal apresenta um elevado índice de biodiversidade terrestre e marítimo. É o lar de seis ecorregiões terrestres: Açores temperadas florestas mistas , florestas mistas Cantábrica , Madeira florestas perenes , florestas sclerophyllous e semi-decíduas ibéricos , florestas de altitude Northwest ibéricos e Sudoeste Ibérico Mediterrâneo florestas sclerophyllous e mistos . [99] Mais de 22% de sua área terrestre está incluída noRede Natura 2000 , incluindo 62 áreas especiais de conservação e 88 tipos de habitats naturais de paisagem protegida. [100] [98]

O eucalipto , o sobreiro e o pinheiro bravo representam, em conjunto, 71% da área florestal total de Portugal continental, seguindo-se a azinheira , o pinheiro manso , os restantes carvalhos ( Q. robur , Q. faginea e Q. pyrenaica ) e o castanha doce , respectivamente. [101] Na Madeira, laurisilva (reconhecida como Património Mundial ) domina a paisagem, especialmente na encosta norte. As espécies predominantes nesta floresta incluem Laurus novocanariensis , Apollonias barbujana ,Ocotea foetens e Persea indica . Antes da ocupação humana, os Açores também eram ricos em densas florestas laurisilva, hoje essas florestas nativas são minadas pelas introduções Pittosporum undulatum e Cryptomeria japonica . [102] [103] Vários projectos visam a recuperação da Laurissilva presente nos Açores. [104] Restos destas florestas laurisilva também estão presentes em Portugal continental com os seus poucos testemunhos vivos Laurus nobilis , Prunus lusitanica , Arbutus unedo , Myrica faya e Rhododendron ponticum . [105]

Essas condições geográficas e climáticas facilitam a introdução de espécies exóticas que mais tarde se tornam invasoras e destrutivas para os habitats nativos. Mais de 20% do número total de espécies existentes em Portugal continental são exóticas . [106] Na Madeira, cerca de 36% [107] e nos Açores, cerca de 70% são exóticos. [108] [109] Devido a isso, Portugal foi colocado em 168º lugar globalmente entre 172 países no Índice de Integridade da Paisagem Florestal em 2019. [110]

Da esquerda para a direita: um homem de guerra português , um camaleão comum , um petrel da tempestade madeirense e um lince ibérico . Portugal é o ponto de encontro das espécies atlânticas e mediterrânicas .

Portugal é o segundo país da Europa com o maior número de espécies ameaçadas (488 em 2020). [111] [112]

Portugal como um todo é uma escala importante para espécies de aves migratórias: os pântanos do leste Algarve ( Ria Formosa , Castro Marim ) e da Região de Lisboa ( Estuário do Tejo , Estuário do Sado ) hospedagem diversas espécies de aves aquáticas, a águia de Bonelli e egípcia abutre em os vales do Douro Internacional , a cegonha preta e o grifo do Tejo Internacional , os santuários de aves marinhas das Ilhas Selvagens e das Berlengas e das terras altas deMadeira e São Miguel representam a grande diversidade de espécies de aves selvagens (cerca de 450 em Portugal continental), não só migratórias, mas também endémicas (p.ex. pombo trocaz , dom-fafe dos Açores ) ou exóticas ( myna -de- crista , whydah-rabo-de- crista ). [113] [114]

As grandes espécies de mamíferos de Portugal ( gamo , veado , veado , cabrito-ibérico , javali , raposa vermelha , lobo - ibérico e lince-ibérico ) foram outrora generalizadas por todo o país, mas caça intensa, degradação do habitat e crescente pressão da agricultura e a pecuária reduziu em grande escala o número da população no século XIX e no início do século XX, outras, como a íbex portuguesa, chegaram mesmo à extinção. Hoje, esses animais estão expandindo novamente sua área de distribuição nativa. [115] [116] Mamíferos menores incluem o esquilo-vermelho ,Texugo europeu , lontra euro-asiática , mangusto egípcio , lebre de Granada , coelho europeu , geneta comum , gato selvagem europeu , entre outros. [116]

Devido à sua localização isolada, as ilhas vulcânicas dos Açores , Madeira e Salvages , parte da Macaronésia , possuem muitas espécies endémicas que evoluíram independentemente dos seus parentes europeus e africanos.

A costa oeste portuguesa faz parte dos quatro principais sistemas de ressurgência do limite oriental do oceano. Este sistema sazonal de ressurgência tipicamente visto durante os meses de verão traz água mais fria e rica em nutrientes até a superfície do mar, promovendo o crescimento do fitoplâncton , o desenvolvimento do zooplâncton e a subsequente rica diversidade em peixes pelágicos e outros invertebrados marinhos . [117] Isto, somado à sua grande ZEE, torna Portugal um dos maiores consumidores per capita de peixe do mundo. [118] Sardinhas ( Sardina pilchardus ) e carapau ( Trachurus trachurus) são coletados aos milhares todos os anos. [119] enquanto o verdinho , tamboril , bacalhau do Atlântico , cefalópodes , patins ou qualquer outra forma de frutos do mar são tradicionalmente pescados nas aldeias costeiras locais. [120] Esta ressurgência também permite a Portugal ter florestas de kelp que são muito raras ou inexistentes no Mediterrâneo. [121]

73% dos peixes de água doce que ocorrem na Península Ibérica são endémicos, os maiores de qualquer região da Europa. [122] Muitas dessas espécies endêmicas estão concentradas em corpos d'água da região centro-oeste ( um exclusivamente endêmico ), esses e outros corpos d'água em toda a Península são em sua maioria temporários e sujeitos à seca todos os anos, colocando a maioria dessas espécies sob Status ameaçado . [123]

Cerca de 24 [124] a 28 [125] espécies de cetáceos percorrem os Açores, tornando-o um dos quatro locais do mundo onde ocorre a maioria das espécies desta infra-ordem. [124] Começando em meados do século 19 e cessando em 1984, a caça às baleias (especialmente de cachalotes ) explorou fortemente esta diversidade. A partir do início dos anos 90, a observação de cetáceos cresceu rapidamente e tornou-se uma das principais atividades económicas do arquipélago português. [126] [127]

Algumas áreas protegidas em Portugal para além das anteriormente mencionadas incluem: as Serras de Aire e Candeeiros com as suas formações calcárias, história paleontológica e grande diversidade de morcegos e orquídeas , [128] o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina com o seu bem preservado, litoral selvagem. [129] o Parque Natural de Montesinho que acolhe algumas das únicas populações de lobo ibérico e um urso-pardo ibérico recentemente avistado , [130] considerado extinto no país; entre outros.

Governo e política

Portugal tem sido um semi-presidencial democrática representativa república desde a ratificação da Constituição de 1976 , com Lisboa , a maior cidade do país, como sua capital. [131] A Constituição concede a divisão ou separação de poderes entre quatro órgãos denominados "órgãos de soberania": o Presidente da República , o Governo , a Assembleia da República e os Tribunais . [132]

O Presidente, eleito para um mandato de cinco anos, tem funções executivas: o atual Presidente é Marcelo Rebelo de Sousa . A Assembleia da República é um parlamento de câmara única composto por um máximo de 230 deputados eleitos para um mandato de quatro anos. O Governo é chefiado pelo Primeiro-Ministro (actualmente António Costa ) e inclui Ministros e Secretários de Estado. Os Tribunais estão organizados em várias instâncias, entre os poderes judicial, administrativo e fiscal. Os Supremos Tribunais são instituições de último recurso / recurso. Um Tribunal Constitucional de treze membros supervisiona a constitucionalidade das leis.

Portugal opera um sistema multipartidário de legislaturas / governos administrativos locais competitivos aos níveis nacional, regional e local. A Assembleia da República, as Assembleias Regionais e os municípios e freguesias locais, são dominados por dois partidos políticos, o Partido Socialista e o Partido Social Democrata , para além da Coligação Democrática Unitária ( Partido Comunista Português e Partido Ecologista "Os Verdes" ), o Bloco de Esquerda e o Centro Democrático e Social - Partido Popular , que arrecadam regularmente entre 5 e 15% dos votos.

Presidência da República

O Palácio de Belém é a residência oficial e local de trabalho do Presidente da República .

O Chefe de Estado de Portugal é o Presidente da República , eleito por sufrágio universal direto para o mandato de cinco anos . Ele ou ela também tem poderes de supervisão e reserva . Os poderes presidenciais incluem a nomeação do Primeiro-Ministro e dos outros membros do Governo (onde o Presidente tem em consideração os resultados das eleições legislativas); demitir o primeiro-ministro; dissolução da Assembleia da República (convocar eleições antecipadas); vetar legislação (que pode ser anulada pela Assembleia); e declarar estado de guerra ou sítio. O Presidente é também ex officio Comandante-em-Chefe das Forças Armadas.

O presidente é aconselhado sobre questões importantes pelo Conselho de Estado , que é composto por seis oficiais civis seniores, quaisquer ex-presidentes eleitos de acordo com a Constituição de 1976, cinco membros escolhidos pela Assembleia e cinco escolhidos pelo presidente.

Governo

A Praça do Comércio acolhe vários ministérios do Governo de Portugal .

O Governo é chefiado pelo Primeiro-Ministro nomeado presidencialmente , incluindo também um ou mais Vice-Primeiros-Ministros, Ministros, Secretários de Estado e Subsecretários de Estado.

O Governo é ao mesmo tempo o órgão de soberania que conduz a política geral do país e o órgão superior da administração pública.

Tem poderes essencialmente executivos, mas também tem poderes legislativos limitados. O Governo pode legislar sobre a sua própria organização, sobre os domínios abrangidos pelas autorizações legislativas concedidas pela Assembleia da República e sobre a regulamentação específica das leis generalistas emitidas pela Assembleia.

O Conselho de Ministros - sob a presidência do Primeiro-Ministro (ou do Presidente de Portugal a pedido deste) e dos Ministros (pode também incluir um ou mais Vice-Primeiros-Ministros) - atua como gabinete . Cada governo deve definir o esboço geral de suas políticas em um programa e apresentá-lo à Assembleia por um período obrigatório de debate. O fracasso da Assembleia em rejeitar o programa de governo por maioria absoluta dos deputados confirma o gabinete em exercício.

Parlamento

A Assembleia da República , em Lisboa, é o parlamento nacional de Portugal. É o principal órgão legislativo, embora o Governo também tenha poderes legislativos limitados.

A Assembleia da República é um órgão unicameral composto por até 230 deputados. Eleitos por sufrágio universal segundo um sistema de representação proporcional de lista partidária fechada , os deputados cumprem mandatos de quatro anos, a menos que o presidente dissolva a Assembleia e convoque novas eleições.

Atualmente, o Governo ( PS ) e os partidos que o apóiam por meio de um acordo de confiança e fornecimento ( BE , PCP , PEV ) controlam o parlamento com mais assentos. Os partidos PSD e CDS-PP fazem oposição ao governo ao lado do PAN , Chega, Iniciativa Liberal e Partido Livre.

Relações externas

Membro das Nações Unidas desde 1955, Portugal é também membro fundador da NATO (1949), da OCDE (1961) e da EFTA (1960); deixou o último em 1986 para ingressar na Comunidade Econômica Europeia , que se tornou a União Europeia em 1993.

Em 1996, Portugal co-fundou a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), também conhecida como Comunidade Lusófona, uma organização internacional e associação política de nações lusófonas em quatro continentes, onde o português é a língua oficial. A sede global da CPLP é no Palácio da Penafiel , em Lisboa .

António Guterres , que foi Primeiro-Ministro de Portugal de 1995 a 2002 e Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados de 2005 a 2015, assumiu o cargo de Secretário-Geral da ONU a 1 de janeiro de 2017; tornando-o o primeiro Secretário-Geral da Europa Ocidental desde Kurt Waldheim da Áustria (1972-1981), o primeiro ex-chefe de governo a se tornar Secretário-Geral e o primeiro Secretário-Geral nascido após o estabelecimento das Nações Unidas em 26 de junho de 1945 .

Além disso, Portugal era membro de pleno direito da União Latina (1983) e da Organização dos Estados Ibero-Americanos (1949). Possui aliança de amizade e tratado de dupla cidadania com sua ex-colônia, o Brasil. Portugal e o Reino Unido partilham o acordo militar ativo mais antigo do mundo através da sua Aliança Anglo-Portuguesa ( Tratado de Windsor ), que foi assinado em 1373.

Existem duas disputas territoriais internacionais, ambas com a Espanha:

  • Olivença . Sob soberania portuguesa desde 1297, o município de Olivença foi cedido à Espanha pelo Tratado de Badajoz em 1801, após a Guerra das Laranjas . Portugal reclamou-o em 1815 ao abrigo do Tratado de Viena . No entanto, desde o século 19, tem sido continuamente governado pela Espanha, que considera o território seu não só de facto, mas também de jure . [133]
  • As Ilhas Selvagens ( Ilhas Selvagens ). O arquipélago está sob domínio português, mas está geograficamente mais próximo das Ilhas Canárias (165 km) do que da Madeira (280 km). Fundadas em 1364 por navegadores italianos, as ilhas pertenceram a proprietários privados até 1971, altura em que o governo português as comprou e constituiu uma área de reserva natural que abrangia todo o arquipélago. As ilhas são reivindicadas pela Espanha desde 1911 e a disputa tem causado alguns períodos de tensão política entre os dois países. O principal problema não é tanto o seu valor intrínseco mas o facto de expandirem consideravelmente a Zona Económica Exclusiva de Portugal para sul. [134]

Militar

As Forças Armadas têm três ramos: Marinha , Exército e Força Aérea . Eles servem principalmente como uma força de autodefesa cuja missão é proteger a integridade territorial do país e fornecer assistência humanitária e segurança no país e no exterior. Em 2008 , as três agências somavam 39.200 funcionários ativos, incluindo 7.500 mulheres. A despesa militar portuguesa em 2009 foi de 5 mil milhões de US $, [135] representando 2,1 por cento do PIB. O recrutamento militar foi abolido em 2004. A idade mínima para o recrutamento voluntário é 18 anos.

O Exército (21.000 efetivos) é composto por três brigadas e outras pequenas unidades. Uma brigada de infantaria (principalmente equipada com Pandur II APC ), uma brigada mecanizada (principalmente equipada com tanques Leopard 2 A6 e M113 APC) e uma Brigada de Reação Rápida (composta por pára-quedistas , comandos e rangers). A Marinha (10.700 efetivos, dos quais 1.580 são fuzileiros navais ), a força naval sobrevivente mais antiga do mundo, tem cinco fragatas, sete corvetas, dois submarinos e 28 embarcações de patrulha e auxiliares. A Força Aérea (7.500 funcionários) tem o Lockheed F-16 Fighting Falcon como a principal aeronave de combate.

Além dos três ramos das Forças Armadas, existe a Guarda Nacional Republicana , uma força de segurança sujeita ao direito e à organização militar ( gendarmerie ) composta por 25.000 efetivos. Esta força está sob a autoridade do Ministério da Defesa e do Interior. Forneceu destacamentos para participação em operações internacionais no Iraque e em Timor Leste.

Sucursais das Forças Armadas Portuguesas
Exercise TRIDENT JUNCTURE (22791211312).jpg
Exército Português
Leopardo 2A6
POS Corte Real (F 332).jpg
Marinha Portuguesa
MEKO-200 PN
Lockheed F-16A Fighting Falcon, Portugal - Air Force AN1088466.jpg
Falcão de combate F-16 da Força Aérea Portuguesa

The United States maintains a military presence with 770 troops in the Lajes Air Base at Terceira Island, in the Azores. The Allied Joint Force Command Lisbon (JFC Lisbon) – one of the three main subdivisions of NATO's Allied Command Operations – it is based in Oeiras, near Lisbon.

No século 20, Portugal envolveu-se em dois grandes conflitos: a Primeira Guerra Mundial e a Guerra Colonial Portuguesa (1961–1974). Após o fim do Império Português em 1975, as Forças Armadas portuguesas participaram em missões de manutenção da paz em Timor-Leste, Bósnia, Kosovo, Afeganistão, Somália, Iraque ( Nasiriyah ), Líbano, Mali [136] e República Centro-Africana . [137] Portugal realizou também várias operações militares unilaterais independentes no estrangeiro, como foram os casos das intervenções das Forças Armadas portuguesas em Angola em 1992 e na Guiné-Bissau em 1998 com os principais objectivos de protecção e retirada de cidadãos portugueses e estrangeiros ameaçados por civis locais. conflitos.

Lei

Campus da Justiça de Lisboa

O sistema jurídico português faz parte do sistema jurídico de direito civil, também designado por sistema jurídico da família continental. As principais leis incluem a Constituição (1976, conforme alterada), o Código Civil Português (1966, conforme alterado) e o Código Penal de Portugal (1982, conforme alterado). Outras leis relevantes são o Código Comercial (1888, conforme alterado) e o Código de Processo Civil (1961, conforme alterado).

Os supremos tribunais nacionais são o Supremo Tribunal de Justiça e o Tribunal Constitucional . O Ministério Público , chefiado pelo Procurador-Geral da República, constitui o órgão independente do Ministério Público.

As leis portuguesas foram aplicadas nas antigas colônias e territórios e continuam a ser as principais influências para esses países.

Portugal foi o primeiro país do mundo a abolir a prisão perpétua (em 1884) e foi um dos primeiros países a abolir a pena de morte . As penas máximas de prisão são limitadas a 25 anos.

Portugal is also known for having decriminalized the usage of all common drugs in 2001, the first country in the world to do so. Portugal decriminalized possession of effectively all drugs that are still illegal in other developed nations including cannabis, cocaine, heroin, and LSD. While possession is legal, trafficking and possession of more than "10 days worth of personal use" are still punishable by jail time and fines. People caught with small amounts of any drug are given the choice to go to a rehab facility, and may refuse treatment without consequences. Despite criticism from other European nations, who stated Portugal's drug consumption would tremendously increase, overall drug use has declined along with the number of Os casos de infecção por HIV , que caíram 50 por cento em 2009. O uso de drogas entre jovens de 16 a 18 anos também diminuiu, no entanto, o uso de maconha aumentou apenas ligeiramente entre essa faixa etária. [138] [139] [140]

Os direitos LGBTI aumentaram substancialmente nos últimos anos. Em 27 de agosto de 2003, Portugal acrescentou a lei laboral antidiscriminação com base na orientação sexual. [141] Em 24 de julho de 2004, a orientação sexual foi incorporada à Constituição como parte das características de proteção contra discriminação. [142] Em 31 de maio de 2010, Portugal se tornou o sexto país na Europa e o oitavo país no mundo a reconhecer legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo a nível nacional. A lei entrou em vigor em 5 de junho de 2010. [143] A adoção do mesmo sexo foi permitida desde 1 de março de 2016 [144], assim como o acesso de casais do mesmo sexo à reprodução medicamente assistida desde 13 de maio de 2016. [145]Esta proposta foi aprovada pela Assembleia da República e assinada pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa . [146] [147] [148] Em janeiro de 2017, a Nova Lei de Identidade de Gênero , [149] simplificou o processo legal de mudança de gênero e nome para pessoas trans , tornando mais fácil para menores mudarem sua marca de sexo em documentos legais. [150] Em agosto de 2018, o direito à identidade de gênero e à autodeterminação de expressão de gênero foram protegidos, menores intersexos foram protegidos por lei de procedimentos médicos desnecessários“até que a identidade de gênero menor se manifeste” e o direito à proteção contra a discriminação com base nas características do sexo também passou a ser protegido pela mesma lei. [151]

A aplicação da lei

Um cavaleiro da guarda de honra da Guarda Nacional Republicana

As principais organizações policiais portuguesas são a Guarda Nacional Republicana  - GNR ( Guarda Nacional Republicana ), uma gendarmaria ; a Polícia de Segurança Pública  - PSP , uma força policial civil que atua em áreas urbanas; e a Polícia Judiciária  - PJ (Polícia Judiciária), polícia de investigação criminal altamente especializada e tutelada pelo Ministério Público .

Serviços prisionais

Portugal tem 49 unidades correcionais no total geridas pelo Ministério da Justiça. Eles incluem 17 prisões centrais, 4 prisões especiais, 27 prisões regionais e 1 'Cadeia de Apoio' (Centro de Apoio à Detenção). [152] Em 1º de janeiro de 2021 , sua população carcerária atual era de cerca de 11.234 presidiários, o que equivale a cerca de 0,11% de toda a sua população. [153] Sua taxa de encarceramento tem aumentado desde 2010, com um aumento de 15% nos últimos oito anos. [153]

Divisões administrativas

Administrativamente, Portugal está dividido em 308 municípios ( portugueses : municípios ou concelhos ), que após uma reforma em 2013 foram subdivididos em 3.092 freguesias ( portugueses : freguesia ). Operacionalmente, o município e a freguesia, juntamente com o governo nacional, são as únicas unidades administrativas legalmente locais identificadas pelo governo de Portugal (por exemplo, cidades, vilas ou aldeias não têm estatuto legal, embora possam ser utilizadas como bacia hidrográfica para o definição de serviços). Para fins estatísticos, o Governo português identifica também a Nomenclatura das Unidades Territoriais Estatísticas(NUTS), comunidades intermunicipais e informalmente, o sistema distrital, usado até a integração europeia (e em fase de extinção pelo governo nacional). [ pesquisa original? ] Portugal Continental está aglomerado em 18 distritos, enquanto os arquipélagos dos Açores e da Madeira são governados como regiões autónomas ; as maiores unidades, estabelecidas desde 1976, são Portugal Continental ( português : Portugal Continental ) e as regiões autónomas de Portugal ( Açores e Madeira ).

Os 18 distritos de Portugal Continental são: Aveiro , Beja , Braga , Bragança , Castelo Branco , Coimbra , Évora , Faro , Guarda , Leiria , Lisboa , Portalegre , Porto , Santarém , Setúbal , Viana do Castelo , Vila Real e Viseu  - cada distrito leva o nome da capital do distrito.

No sistema NUTS da União Europeia, Portugal está dividido em sete regiões: Açores , Alentejo , Algarve , Centro , Lisboa , Madeira e Norte e, com excepção dos Açores e da Madeira, as áreas NUTS estão subdivididas em 28 sub-regiões.

Distritos [7]
  Distrito Área População PortugalNumbered.png   Distrito Área População
1 Lisboa 2.761 km 2 (1.066 sq mi) 2.275.591 10 Guarda 5.518 km 2 (2.131 sq mi) 143.019
2 Leiria 3.517 km 2 (1.358 sq mi) 458.679 11 Coimbra 3.947 km 2 (1.524 sq mi) 408.631
3 Santarém 6.747 km 2 (2.605 sq mi) 425.431 12 Aveiro 2.808 km 2 (1.084 sq mi) 700.964
4 Setúbal 5.064 km 2 (1.955 sq mi) 875.656 13 Viseu 5.007 km 2 (1.933 sq mi) 351.592
5 Beja 10.225 km 2 (3.948 sq mi) 144.410 14 Bragança 6.608 km 2 (2.551 sq mi) 122.833
6 Faro 4.960 km 2 (1.915 sq mi) 467.495 15 Vila Real 4.328 km 2 (1.671 sq mi) 185.878
7 Évora 7.393 km 2 (2.854 sq mi) 152.436 16 Porto 2.395 km 2 (925 sq mi) 1.786.656
8 Portalegre 6.065 km 2 (2.342 MI quadrado) 104.989 17 Braga 2.673 km 2 (1.032 sq mi) 846.515
9 Castelo branco 6.675 km 2 (2.577 sq mi) 177.912 18 Viana do castelo 2.255 km 2 (871 sq mi) 231.488
Regiões Autônomas
Região Autónoma Área População
2.333 km 2 (901 sq mi) 236.657
801 km 2 (309 sq mi) 251.060

Financiamento do governo

Portuguese debt compared to Eurozone average
Dívida em percentagem da economia de Portugal , em comparação com a média da zona euro

The Portuguese government is heavily indebted, and received a 78-billion-euro bailout from the European Union and the International Monetary Fund in May 2011.[154] The ratio of Portugal's debt to its overall economy, was 107 per cent when it received the bailout.[154] As part of the deal, the country agreed to cut its budget deficit from 9.8 per cent of GDP in 2010 to 5.9 per cent in 2011, 4.5 per cent in 2012 and 3 per cent in 2013.[155]

Após o anúncio do resgate, o governo português chefiado por Pedro Passos Coelho conseguiu implementar medidas com o intuito de melhorar a situação financeira do estado, incluindo aumento de impostos, congelamento de salários mais baixos relacionados com a função pública e corte dos salários mais altos em 14.3 %, além dos cortes de gastos do governo. O governo português também concordou em eliminar a sua golden share na Portugal Telecom, que lhe deu poder de veto sobre decisões vitais. [156] [157] Em 2012, todos os funcionários públicos já tinham visto um corte salarial médio de 20% em relação à sua linha de base de 2010, com cortes chegando a 25% para aqueles que ganham mais de 1.500 euros por mês. [158]

O FMI, a Comissão Europeia (CE) e o Banco Central Europeu (BCE) disseram em setembro de 2012 que a dívida de Portugal atingiria um pico de 124 por cento do produto interno bruto em 2014. [159] O FMI disse anteriormente em julho de 2012 que a dívida de Portugal atingiria um pico de cerca de 118,5 por cento do PIB em 2013. [159] Em setembro de 2013, o Governo português voltou a rever a dívida pública de Portugal em 2013 para 127,8 por cento, após um pico de 130,9 por cento nesse mês. [160]

Um relatório divulgado em Janeiro de 2011 pelo Diário de Notícias [161] e publicado em Portugal pela Gradiva , tinha demonstrado que no período entre a Revolução dos Cravos em 1974 e 2010, os governos democráticos da República Portuguesa encorajaram sobre-despesas e bolhas de investimento através de bolhas de investimento pouco claras. Parcerias público-privadas e financiamento de numerosas consultorias externas ineficazes e desnecessárias e assessoria de comitês e empresas. Isso permitiu uma derrapagem considerável nas obras públicas administradas pelo estadoe bônus e salários inflacionados da alta administração e dos dirigentes. Políticas de recrutamento persistentes e duradouras aumentaram o número de funcionários públicos redundantes. O crédito de risco , a criação de dívida pública e os fundos estruturais e de coesão europeus foram mal administrados ao longo de quase quatro décadas. [162]

Dois bancos portugueses, o Banco Português de Negócios (BPN) e o Banco Privado Português (BPP), há anos acumulam perdas devido a maus investimentos, peculato e fraude contabilística. O caso do BPN foi particularmente grave pela sua dimensão, quota de mercado e implicações políticas - o então Presidente de Portugal, Cavaco Silva e alguns dos seus aliados políticos, mantinham relações pessoais e comerciais com o banco e com o seu CEO, que acabou por ser acusado e presos por fraude e outros crimes. [163] [164] [165] Com o intuito de evitar uma crise financeira potencialmente grave na economia portuguesa, o governo português decidiu conceder-lhes um resgate, eventualmente com prejuízo futuro para os contribuintes e para o povo português em geral.

Economy

A proportional representation of Portugal's exports, as of 2019

Portugal é um país desenvolvido e de elevado rendimento , com um PIB per capita de 77% da média da UE28 em 2017 (aumentou de 75% em 2012) [166] e um IDH de 0,850 (o 40º maior) em 2018. [ 167] No final de 2018, o PIB de Portugal (PPC) era de $ 32.554 per capita, de acordo com o relatório da OCDE. [168] A moeda nacional de Portugal é o euro (€), que substituiu o Escudo português , e o país foi um dos primeiros membros da zona euro . O banco central de Portugal é o Banco de Portugal , parte integrante do Sistema Europeu de Bancos Centrais. A maior parte das indústrias, empresas e instituições financeiras concentram-se nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - os distritos de Setúbal , Aveiro , Braga , Coimbra , Leiria e Faro são os maiores centros económicos fora destas duas áreas principais. De acordo com os World Travel Awards, Portugal foi o principal destino de golfe da Europa em 2012 e 2013. [169] [170]

Desde a Revolução dos Cravos de 1974, que culminou com o fim de uma das mais notáveis fases de expansão económica de Portugal (iniciada na década de 1960), [171] ocorreu uma mudança significativa no crescimento económico anual do país. [172] Após a turbulência da revolução de 1974 e do período PREC , Portugal tentou adaptar-se a uma economia global moderna em mudança , um processo que continua em 2013. Desde a década de 1990, o modelo de desenvolvimento económico baseado no consumo público de Portugal tem mudado lentamente para um sistema que tem como foco as exportações, o investimento privado e o desenvolvimento dosetor de alta tecnologia . Consequentemente, os serviços prestados às empresas ultrapassaram as indústrias mais tradicionais, como os têxteis, o vestuário, o calçado e a cortiça (Portugal é o maior produtor mundial de cortiça), [173] produtos de madeira e bebidas. [174]

Novembro de 2011 protestos contra medidas de austeridade fora da Assembleia da República

Na segunda década do século XXI, a economia portuguesa sofreu a sua recessão mais severa desde os anos 1970, tendo o país sido resgatado pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional (FMI). O resgate, acordado em 2011, exigia que Portugal aderisse a uma série de medidas de austeridade em troca de um apoio financeiro de € 78 milhões. Em maio de 2014, o país saiu do resgate, mas reafirmou seu compromisso em manter seu ímpeto reformista. No momento da saída do resgate, a economia havia contraído 0,7% no primeiro trimestre de 2014; no entanto, o desemprego, embora ainda elevado, caiu para 15,3%. [175]

O salário médio em Portugal é de € 910 por mês, excluindo os trabalhadores independentes [176] e o salário mínimo , regulamentado por lei, é de € 635 por mês (pago 14 vezes por ano) em 2020. [177]

O Global Competitiveness Report 2019, publicado pelo World Economic Forum , colocou Portugal na 34ª posição do índice económico.

O índice de qualidade de vida da Economist Intelligence Unit colocou Portugal como o país com a 19ª melhor qualidade de vida do mundo em 2005, à frente de outros países económica e tecnologicamente avançados como a França, Alemanha, Reino Unido e Coreia do Sul, mas 9 lugares atrás de seu único vizinho, a Espanha. [178] Isto apesar do facto de Portugal continuar a ser um dos países com o PIB per capita mais baixo da Europa Ocidental. [179]

Portugal possui a décima terceira maior reserva de ouro do mundo.

As principais empresas estatais incluem: Águas de Portugal (água), Caixa Geral de Depósitos (bancário), Comboios de Portugal (ferrovias), Companhia das Lezírias (agricultura) e RTP (mídia). Algumas antigas entidades públicas são geridas pela holding estatal Parpública , que é acionista de várias empresas públicas e privadas. [ Carece de fontes? ] Entre os ex-empresas estatais recentemente privatizadas são: CTT (correios) e ANA (aeroportos).

As empresas cotadas na Bolsa de Valores Euronext Lisboa como a EDP , Galp , Jerónimo Martins , Mota-Engil , Novabase , Semapa , Portucel Soporcel , Portugal Telecom e Sonae , estão entre as maiores empresas de Portugal em número de colaboradores, resultados líquidos ou quota de mercado internacional . A Euronext Lisbon é a maior bolsa de valores de Portugal e faz parte da NYSE Euronext , a primeira bolsa global de valores. O PSI-20 é o mais seletivo e amplamente conhecido de Portugalíndice de ações .

O Fundo Monetário Internacional divulgou um relatório de atualização sobre a economia de Portugal no final de junho de 2017, com fortes perspetivas de curto prazo e um aumento dos investimentos e das exportações em relação aos anos anteriores. Por causa de um superávit em 2016, o país não estava mais vinculado ao Procedimento de Déficit Excessivo que havia sido implementado durante uma crise financeira anterior. O sistema bancário manteve-se mais estável, embora ainda existissem créditos de cobrança duvidosa e dívida corporativa. O FMI recomendou trabalhar na resolução destes problemas para que Portugal pudesse atrair mais investimento privado. "O forte crescimento sustentado, juntamente com a redução contínua da dívida pública, reduziria as vulnerabilidades decorrentes do alto endividamento, especialmente quando a acomodação monetária é reduzida." a OCDE economic reports since 2018 show recovery, albeit slow; and Portugal's growth prospects continue positive for 2020.[180][181][182]

Primary sector

The Alentejo is known as the "bread basket of Portugal", being the country's leading region in wheat and cork production.

A agricultura em Portugal baseia-se em unidades dispersas familiares de pequena e média dimensão. No entanto, o setor também inclui maior escala agricultura intensiva orientadas para a exportação agro-indústrias apoiados por empresas (como Grupo RAR 's Vitacress , Sovena , Lactogal , Vale da Rosa , a Companhia das Lezírias e Valouro ). O país produz uma grande variedade de produtos agrícolas e animais, incluindo: tomates , frutas cítricas , vegetais verdes , arroz , trigo , cevada ,milho , azeitonas , sementes oleaginosas , nozes , cerejas , mirtilo , uvas de mesa , cogumelos comestíveis , laticínios , aves e carne bovina . De acordo com a FAO , Portugal é o maior produtor mundial de cortiça e alfarroba , representando cerca de 50% e 30% da produção mundial, respetivamente. [183] É também o terceiro maior exportador de castanha e o terceiro maior produtor europeu de celulose . [184]Portugal está entre os dez maiores produtores de azeite do mundo e é o quarto maior exportador. [185] O país também é um dos maiores exportadores mundiais de vinho , sendo conhecido por seus vinhos finos .

A silvicultura também desempenhou um papel económico importante entre as comunidades rurais e a indústria (nomeadamente a indústria do papel, que inclui o Grupo Portucel Soporcel , a madeira transformada que inclui a Sonae Indústria , e o mobiliário que inclui várias fábricas em Paços de Ferreira e arredores , o núcleo da maior de Portugal operações industriais da IKEA ). Em 2001, o produto agrícola bruto representava 4% do PIB nacional.

A "Cupa" , lápide romana em forma de barrica de vinho de madeira, foi utilizada para marcar a sepultura de enólogos do século III no Alentejo , região até hoje conhecida pelos seus vinhos.

Tradicionalmente uma potência marítima, Portugal tem uma forte tradição no sector pesqueiro português e é um dos países com maior consumo de pescado per capita. [186] Os principais locais de desembarque em Portugal (incluindo Açores e Madeira), de acordo com o peso total dos desembarques por ano, são os portos de Matosinhos , Peniche , Olhão , Sesimbra , Figueira da Foz , Sines , Portimão e Madeira . Os produtos de peixe processado à portuguesa são exportados através de várias empresas, sob diversas marcas e marcas registadas, como a Ramirez, o mais antigo produtor de conservas de peixe ativo do mundo.

Portugal é um importante produtor europeu de minerais e está classificado entre os principais produtores de cobre da Europa . O país também é um notável produtor de estanho , tungstênio e urânio . No entanto, o país carece de potencial para a exploração de hidrocarbonetos e de alumínio , limitação que tem dificultado o desenvolvimento dos setores mineiro e metalúrgico em Portugal . Embora o país tenha vastas reservas de ferro e carvão - principalmente no norte - após a revolução de 1974 e a consequente globalização econômica, a baixa competitividade obrigou à diminuição da atividade de extração desses minerais. As minas da Panasqueira e Neves-Corvo estão entre as mais reconhecidas minas portuguesas que ainda se encontram em funcionamento. [187]

Portugal é rico no subsolo de lítio , que se concentra especialmente nos distritos da Guarda , Viseu , Vila Real e Viana do Castelo , enquanto a maior parte do lítio do país provém do campo de aplito-pegmatito de Gonçalo. A maior mina de lítio da Europa é operada pelo Grupo Mota, a Felmica, na região da Guarda, que se estima ter reservas para 30 anos de produção. Possui mais 5 depósitos em sua posse. [188] [189] [190]A Savannah Resources anunciou em maio de 2018 um aumento de 52% nos recursos estimados de lítio no Projeto de Lítio da Mina do Barroso, no norte de Portugal, dizendo que o país poderia se tornar o primeiro fornecedor europeu de espodumeno , um mineral de lítio. [191] A empresa disse que os recursos minerais estimados na mina agora eram de 14 milhões de toneladas. Os preços do lítio aumentaram devido à expectativa de crescimento da demanda pelo mineral, que é usado em baterias para veículos elétricos e para armazenar eletricidade da rede elétrica. A Europa consome mais de 20 por cento do suprimento global de lítio para bateria, mas atualmente tem que importar todos os seus suprimentos do mineral. [192]

A W Resources afirmou em 2018 que iniciou uma nova campanha de perfuração no projeto de ouro São Martinho , em Portugal. O chamado programa de perfuração de circulação reversa incluiu 15 furos com cerca de 2.000 metros de perfuração total. O objetivo é ampliar os recursos integrando os dados dos resultados da perfuração de 2016 com a expansão prevista com a campanha em andamento. [193] [194] [195]

Sector secundário

Uma fábrica de pasta e papel da Portucel Soporcel em Setúbal

A indústria é diversificada, abrangendo desde automotivo ( Volkswagen Autoeuropa e Peugeot Citroën ) e bicicletas , [196] aeroespacial ( Embraer e OGMA ), eletrônicos e têxteis , a alimentos , produtos químicos , cimento e celulose . A fábrica de montagem de veículos automóveis AutoEuropa do Grupo Volkswagen em Palmela está entre os maiores projetos de investimento direto estrangeiro em Portugal. Indústrias modernas não tradicionais baseadas em tecnologia, comoaeroespacial , biotecnologia e tecnologia da informação , foram desenvolvidas em vários locais em todo o país. Alverca , Évora [197] e Ponte de Sor são os principais centros da indústria aeroespacial portuguesa, liderada pela empresa brasileira Embraer e pela portuguesa OGMA. Após a virada do século XXI, muitas das principais indústrias de biotecnologia e tecnologia da informação foram fundadas, e estão concentradas nas áreas metropolitanas de Lisboa , Porto , Braga , Coimbra e Aveiro . [ citação necessária ]

Setor terciário

Da esquerda para a direita: Vista do Estoril , na Riviera Portuguesa ; vista da Nazaré , na Estremadura ; os canais de Aveiro , na Beira Litoral ; Palácio Nacional da Pena , em Sintra

Os sectores da banca e dos seguros tiveram um bom desempenho até à crise financeira de 2007-2008 , o que reflectiu, em parte, um rápido aprofundamento do mercado em Portugal. Embora sensível a vários tipos de riscos de mercado e de subscrição , foi estimado que, em geral, os setores de vida e não vida serão capazes de suportar uma série de choques severos, embora o impacto nas seguradoras individuais varie amplamente. [198]

As viagens e o turismo continuam a ser extremamente importantes para Portugal. Foi preciso que o país se concentrasse nos atrativos de seus nichos, como saúde, natureza e turismo rural, para ficar à frente de seus concorrentes. [199]

Portugal is among the top 20 most-visited countries in the world, receiving an average of 20,000,000 foreign tourists each year.[200] In 2014, Portugal was elected The Best European Country by USA Today.[201]

In 2017, Portugal was elected both Europe's Leading Destination[202] and in 2018 and 2019, World's Leading Destination[203]

Os hotspots turísticos em Portugal são: Lisboa , Cascais , Fátima , Algarve , Madeira , Porto e Coimbra . Lisboa atrai o décimo sexto lugar com maior número de turistas entre as cidades europeias [204] (com sete milhões de turistas a ocupar os hotéis da cidade em 2006). [205] Destinos de luxo notáveis ​​incluem a Riviera Portuguesa e a Costa da Comporta .

Além disso, entre 5 a 6 milhões de peregrinos religiosos visitam Fátima todos os anos, onde as aparições da Virgem Maria a três pastorinhos supostamente ocorreram em 1917. O Santuário de Nossa Senhora de Fátima é um dos maiores santuários católicos romanos do mundo. O governo português continua a promover e desenvolver novos destinos turísticos, como o Vale do Douro , a ilha de Porto Santo e o Alentejo .

Galo de Barcelos , uma lembrança portuguesa icônica

The legend of the Rooster of Barcelos tells the story of a dead rooster's miraculous intervention in proving the innocence of a man who had been falsely accused and sentenced to death. The story is associated with the 17th-century calvary that is part of the collection of the Archaeological Museum located in Paço dos Condes, a gothic-style palace in Barcelos, a city in northwest Portugal. The Rooster of Barcelos is bought by thousands of tourists as a national souvenir.

No dia 30 de novembro de 2016, as Nações Unidas adicionaram a tradição portuguesa de Bisalhães de fazer cerâmica negra à Lista de Proteção do Património da UNESCO. [206] A 7 de dezembro de 2017, as Nações Unidas acrescentaram a tradição dos Bonecos de Estremoz - Brinquedos de Estremoz como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO . [207]

Setor quaternário

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia , criado em 2005, está sedeado em Braga .
O Observatório Astronómico de Lisboa é o mais antigo observatório astronómico de Portugal (1878).
The Champalimaud Foundation, in Lisbon, is one of the world's leading medical research centres.

Scientific and technological research activities in Portugal are mainly conducted within a network of R&D units belonging to public universities and state-managed autonomous research institutions like the INETI – Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação and the INRB – Instituto Nacional dos Recursos Biológicos. The funding and management of this research system is mainly conducted under the authority of the Ministry of Science, Technology and Higher Education (MCTES) and the MCTES's Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

As maiores unidades de P&D das universidades públicas, em volume de bolsas de pesquisa e publicações revisadas por pares, incluem instituições de pesquisa em biociências como o Instituto de Medicina Molecular , o Centro de Neurociências e Biologia Celular , o IPATIMUP , o Instituto de Biologia Molecular e Celular e o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar .

Among the largest non-state-run research institutions in Portugal are the Instituto Gulbenkian de Ciência and the Champalimaud Foundation, a neuroscience and oncology research centre which awards every year one of the highest monetary prizes of any science prize in the world. A number of both national and multinational high-tech and industrial companies, are also responsible for research and development projects. One of the oldest learned societies of Portugal is the Sciences Academy of Lisbon, founded in 1779.

Iberian bilateral state-supported research efforts include the International Iberian Nanotechnology Laboratory and the Ibercivis distributed computing platform, which are joint research programmes of both Portugal and Spain. Portugal is a member of several pan-European scientific organizations. These include the European Space Agency (ESA), the European Laboratory for Particle Physics (CERN), ITER, and the European Southern Observatory (ESO).

Portugal has the largest aquarium in Europe, the Lisbon Oceanarium, and the Portuguese have several other notable organizations focused on science-related exhibits and divulgation, like the state agency Ciência Viva, a programme of the Portuguese Ministry of Science and Technology to the promotion of a scientific and technological culture among the Portuguese population,[208] the Science Museum of the University of Coimbra, the National Museum of Natural History at the University of Lisbon, and the Visionarium. With the emergence and growth of several science parks throughout the world that helped create many thousands of scientific, technological and knowledge-based businesses, Portugal started to develop several[209] science parks across the country. These include the Taguspark (in Oeiras), the Coimbra iParque (in Coimbra), the biocant (in Cantanhede), the Madeira Tecnopolo[210] (in Funchal), Sines Tecnopolo[211] (in Sines), Tecmaia[212] (in Maia) and Parkurbis[213] (in Covilhã). Companies locate in the Portuguese science parks to take advantage of a variety of services ranging from financial and legal advice through to marketing and technological support.

Egas Moniz, a Portuguese physician who developed the cerebral angiography and leucotomy, received in 1949 the Nobel Prize in Physiology or Medicine – he is the first Portuguese recipient of a Nobel Prize and the only in the sciences.

The European Innovation Scoreboard 2011, placed Portugal-based innovation in the 15th position, with an impressive increase in innovation expenditure and output.[214] Portugal was ranked 31st in the Global Innovation Index in 2020, up from 32nd in 2019. [215][216][217][218]

Transport

Vasco da Gama Bridge is the longest bridge in the EU.
The Lisbon Metro is Portugal's oldest and largest subway system.

By the early-1970s, Portugal's fast economic growth with increasing consumption and purchase of new automobiles set the priority for improvements in transportation. Again in the 1990s, after joining the European Economic Community, the country built many new motorways. Today, the country has a 68,732 km (42,708 mi) road network, of which almost 3,000 km (1,864 mi) are part of system of 44 motorways. Opened in 1944, the first motorway (which linked Lisbon to the National Stadium) was an innovative project that made Portugal one of the first countries in the world to establish a motorway (this roadway eventually became the Lisbon-Cascais highway, or A5).

Although a few other tracts were created (around 1960 and 1970), it was only after the beginning of the 1980s that large-scale motorway construction was implemented. In 1972, Brisa, the highway concessionaire, was founded to handle the management of many of the region's motorways. On many highways, a toll needs to be paid (see Via Verde). Vasco da Gama bridge is the longest bridge in Europe at 12.345 km.[219][220]

Continental Portugal's 89,015 km2 (34,369 sq mi) territory is serviced by four international airports located near the principal cities of Lisbon, Porto, Faro and Beja. Lisbon's geographical position makes it a stopover for many foreign airlines at several airports within the country. The primary flag-carrier is TAP Air Portugal, although many other domestic airlines provide services within and without the country. The government decided to build a new airport outside Lisbon, in Alcochete, to replace Lisbon Portela Airport, though this plan has been suspended due to austerity measures. Currently, the most important airports are in Lisbon, Porto, Faro, Funchal (Madeira), and Ponta Delgada (Azores), managed by the national airport authority group ANA – Aeroportos de Portugal. One other important airport is the Aeroporto Internacional das Lajes on the island of Terceira in the Azores. This airport serves as one of two international airports serving countries outside the European Union for all nine islands of the Azores. It also serves as a military air base for the United States Air Force. The base remains in use to the present day.

A national railway system that extends throughout the country and into Spain, is supported and administered by Comboios de Portugal (CP). Rail transport of passengers and goods is derived using the 2,791 km (1,734 mi) of railway lines currently in service, of which 1,430 km (889 mi) are electrified and about 900 km (559 mi) allow train speeds greater than 120 km/h (75 mph). The railway network is managed by Infraestruturas de Portugal while the transport of passengers and goods are the responsibility of CP, both public companies. In 2006, the CP carried 133,000,000 passengers and 9,750,000 tonnes (9,600,000 long tons; 10,700,000 short tons) of goods.

The major seaports are located in Sines, Lisbon, Leixões, Setúbal, Aveiro, Figueira da Foz, and Faro.

The two largest metropolitan areas have subway systems: Lisbon Metro and Metro Sul do Tejo in the Lisbon metropolitan area and Porto Metro in the Porto Metropolitan Area, each with more than 35 km (22 mi) of lines. In Portugal, Lisbon tram services have been supplied by the Companhia de Carris de Ferro de Lisboa (Carris), for over a century. In Porto, a tram network, of which only a tourist line on the shores of the Douro remains, began construction on 12 September 1895 (a first for the Iberian Peninsula). All major cities and towns have their own local urban transport network, as well as taxi services.

Energy

Portugal has considerable resources of wind and river power, the two most cost-effective renewable energy sources. Since the turn of the 21st century, there has been a trend towards the development of a renewable resource industry and reduction of both consumption and use of fossil fuels. In 2006, the world's largest solar power plant at that date, the Moura Photovoltaic Power Station, began operating near Moura, in the south, while the world's first commercial wave power farm, the Aguçadoura Wave Farm, opened in the Norte region (2008). By the end of 2006, 66% of the country's electrical production was from coal and fuel power plants, while 29% were derived from hydroelectric dams, and 6% by wind energy.[221]

In 2008, renewable energy resources were producing 43% of the nation's consumption of electricity, even as hydroelectric production decreased with severe droughts.[222] As of June 2010, electricity exports had outnumbered imports. In the period between January and May 2010, 70% of the national production of energy came from renewable sources.[223]

Portugal's national energy transmission company, Redes Energéticas Nacionais (REN), uses sophisticated modelling to predict weather, especially wind patterns, and computer programs to calculate energy from the various renewable-energy plants. Before the solar/wind revolution, Portugal had generated electricity from hydropower plants on its rivers for decades. New programmes combine wind and water: wind-driven turbines pump water uphill at night, the most blustery period; then the water flows downhill by day, generating electricity, when consumer demand is highest. Portugal's distribution system is also now a two-way street. Instead of just delivering electricity, it draws electricity from even the smallest generators, like rooftop solar panels. The government aggressively encouraged such contributions by setting a premium price for those who buy rooftop-generated solar electricity.

Demographics

Young people in traditional attire from Minho

The Statistics Portugal (Portuguese: INE – Instituto Nacional de Estatística) estimates that, according to the 2021 census, the population was 10,347,892 (of which 52% was female, 48% was male).[7] This population has been relatively homogeneous for most of its history: a single religion (Roman Catholicism) and a single language have contributed to this ethnic and national unity.[224]

The most important demographic influence in the modern Portuguese seems to be the oldest one; current interpretation of Y-chromosome and mtDNA data suggests that the Portuguese have their origin in Paleolithic peoples that began arriving to the European continent around 45,000 years ago. All subsequent migrations did leave an impact, genetically and culturally, but the main population source of the Portuguese is still Paleolithic. Genetic studies show Portuguese populations not to be significantly different from other European populations.[225] Portuguese people have a preponderancy of genetics (Iron Age Period)[226] which belong to R1b haplogroup family along with Brythonic, Alpine and Goidelic genetical markers. Also expectable but not so common are South European (Sardinian, Italian and Balkans), broadly North-western (West Germanic) and to a lesser extent British/Irish (Brythonic/Gaelic) and French (Alpine). With a low confidence range there are Scandinavian and East European genetical markers.[226] Other sources would point out a small presence of Berber and Jewish that would be also part of a low confidence region.[227]

Native Portuguese are an Iberian ethnic group and they form 95% of the whole population, whose ancestry is very similar to Spaniards and have strong ties with fellow Atlantic Arc countries like Ireland, British Isles, France and Belgium due to maritime trade dated as far back as the Bronze Age. These maritime contacts and the prevalence of R1b haplogroup as the main genetical marker of these countries suggest a common ancestry and cultural proximity. Other maritime contacts with the Mediterranean especially with Greeks, Phoenicians, Romans and Moors added some particular phenotypes in southern Portugal and particularly southern Spain (the Tartessos culture), making Portugal and north-western Spain a bridge between north-western Europe and the Mediterranean but maintaining the Atlantic character.

Despite the good economic development in the past three decades the Portuguese were the shortest in Europe since 1890. This emerging height gap took place in the 1840s and has increased since. One of the driving factors was the modest real wage development, given the late industrialization and economic growth in Portugal compared to the European core. Another determinant was the delayed human capital formation.[228]

The total fertility rate (TFR) as of 2015 was estimated at 1.52 children born/woman, one of the lowest in the world, which is below the replacement rate of 2.1,[229] it remains considerably below the high of 5.02 children born per woman in 1911.[230] In 2016, 52.8% of births were to unmarried women.[231] Like most Western countries, Portugal has to deal with low fertility levels: the country has experienced a sub-replacement fertility rate since the 1980s.[232] Portugal subsequently has the 17th oldest population in the world, with the average age of 43.7 years.[233]

The structure of Portuguese society is characterized by a significant inequality which in 2016 placed the country in the lowest seventh of the Social Justice Index for the European Union.[234]

Portugal's parliament in 2018 approved a budget plan for 2019 that includes tax breaks for returning emigrants in a bid to lure back those who left during the financial crisis of 2007–2008. The expansionary 2019 budget, backed by a left-wing majority in parliament, also aims to boost the purchasing power of households while cutting the already low deficit even further. Returning emigrants will be allowed to declare only half their taxable income for five years if they return, provided they lived abroad for at least three years. The "Return Programme" is to run for two years. Around 500,000 residents left Portugal between 2010 and 2015 after the Great Recession. Although some 350,000 have since returned, Lisbon wants to tempt the rest to come home – in a similar scheme to the Irish one.[235] Portugal has approved a credit line for Portuguese emigrants aiming to invest in the country on their return. Furthermore, Emigrants returning in 2019 and 2020 will see their taxes halved as part of the stimulus to bring native Portuguese back and revitalize the population and promote continued economic growth[236] – as Portugal struggles with a low birth rate and an ageing population. According to projections by the national statistics office, Portugal's population will fall to 7.7 million by 2080 from 10.3 million now and the population will continue to age.[237]

Urbanization

Metropolitan areas

A map of Portugal showing the population density (number of inhabitants / km2) by municipality

There are two Greater Metropolitan Areas (GAMs): Lisbon and Porto.[238] The following is a list of those with mainland Functional Urban Areas (FUA).

Rank City name Population[239]
1 Lisbon 2,818,000
2 Porto 1,758,531
3 Coimbra 270,000
4 Braga 250,000
5 Funchal 210,000
6 Guimarães 180,000
7 Aveiro 140,000
8 Ponta Delgada 120,000
9 Vila Franca de Xira 120,000
10 Faro 118,000
11 Viseu 110,000

Regions by HDI

Map of Portuguese regions by Human Development Index in 2018
Legend:
  > 0.880
  0.840 – 0.880
  0.820 – 0.840
  0.800 – 0.820
  < 0.800

This is a list of NUTS2 statistical regions of Portugal by Human Development Index as of 2019.[240]

Rank Province HDI (2019)[241]
Very high human development
1 Lisbon metropolitan area 0.901
 Portugal (average) 0.864
2 Centro 0.856
3 Norte 0.851
4 Algarve 0.847
5 Alentejo 0.840
6 Madeira 0.818
7 Azores 0.807

Immigration

In 2007, Portugal had 10,617,575 inhabitants of whom about 332,137 were legal immigrants.[242] In 2015, Portugal had 10,341,330 inhabitants of whom about 383,759 were legal migrants, making up 3.7% of the population.[243] In 2017, Portugal had 416,682 legal residents of foreign origin, of which 203,753 identified as male, and 212,929 as female.[244] In 2019, 21,099 residents of foreign origin acquired the Portuguese nationality, of which 11,179 were female and 9,920 were male.PORDATA - Foreign population that acquired portuguese nationality: total and by sex

Top origins for foreign-born naturalized citizens of Portugal

Portugal's colonial history has long since been a cornerstone of its national identity, as has its geographic position at the south-western corner of Europe, looking out into the Atlantic Ocean. It was one of the last western colonial European powers to give up its overseas territories (among them Angola and Mozambique in 1975), turning over the administration of Macau to the People's Republic of China at the end of 1999. Consequently, it has both influenced and been influenced by cultures from former colonies or dependencies, resulting in immigration from these former territories for both economic and personal reasons. Portugal, long a country of emigration (the vast majority of Brazilians have Portuguese ancestry),[245] has now become a country of net immigration,[246] and not just from the last Indian (Portuguese until 1961), African (Portuguese until 1975), and Far East Asian (Portuguese until 1999) overseas territories. An estimated 800,000 Portuguese returned to Portugal as the country's African possessions gained independence in 1975.[245]

Since the 1990s, along with a boom in construction, several new waves of Ukrainian, Brazilian, Lusophone Africans and other Africans have settled in the country. Romanians, Moldovans, Kosovo Albanians, Russians and Chinese have also migrated to the country. Portugal's Romani population is estimated to be at about 40,000.

Numbers of Venezuelan, Pakistani and Indian migrants are also significant. It is estimated that over 30,000 seasonal, often illegal immigrants work in agriculture, mainly in the south where they are often exploited by organised seasonal workers' networks. The workers sometimes get paid less than half the minimum pay established by law. These migrants, who often arrive without due documentation or work contracts, make up over 90% of agricultural workers in the south of Portugal. Most are Indo-Asians, from India, Bangladesh, Nepal, Pakistan and Thailand. In the interior of the Alentejo there are many African workers. Significant numbers also come from Eastern Europe, Moldova, Ukraine, Romania and Brazil.[247]

In addition, a number of EU citizens, mostly from the United Kingdom or other northern European countries, have become permanent residents in the country (with the British community being mostly composed of retired pensioners who live in the Algarve and Madeira).[248]

Religion

Religions in Portugal (Census 2011)[249]
Roman Catholicism
81.0%
Other Christianity
3.3%
Others
0.6%
No Religion
6.8%
Undeclared
8.3%

According to the 2011 Census, 81.0% of the Portuguese population was Roman Catholic Christian.[250] The country has small Protestant, Latter-day Saint, Muslim, Hindu, Sikh, Eastern Orthodox Church, Jehovah's Witnesses, Baháʼí, Buddhist, Jewish and Spiritist communities. Influences from African Traditional Religion and Chinese Traditional Religion are also felt among many people, particularly in fields related with Traditional Chinese Medicine and Traditional African Herbal Medicine. Some 6.8% of the population declared themselves to be non-religious, and 8.3% did not give any answer about their religion.[251]

Many Portuguese holidays, festivals and traditions have a Christian origin or connotation. Although relations between the Portuguese state and the Roman Catholic Church were generally amiable and stable since the earliest years of the Portuguese nation, their relative power fluctuated. In the 13th and 14th centuries, the church enjoyed power and close identification with early Portuguese nationalism and the foundation of the Portuguese educational system, including its first university.

The growth of the Portuguese overseas empire made its missionaries important agents of colonization, with important roles in the education and evangelization of people from all the inhabited continents. The growth of liberal and nascent republican movements during the eras leading to the formation of the First Portuguese Republic (1910–26) changed the role and importance of organized religion.

Portugal is a secular state: church and state were formally separated during the First Portuguese Republic, and this was reiterated in the 1976 Portuguese Constitution. Other than the Constitution, the two most important documents relating to religious freedom in Portugal are the 1940 Concordata (later amended in 1971) between Portugal and the Holy See and the 2001 Religious Freedom Act.

Languages

Portuguese is the official language of Portugal. It is a Romance language that is derived from Galician-Portuguese, which was spoken in what is now Galicia and Northern Portugal. There are still strong similarities between the Galician and Portuguese cultures. Galicia is a consultative observer of the Community of Portuguese Language Countries.

The Portuguese language is derived from the Latin spoken by the romanized pre-Roman peoples of the Iberian Peninsula around 2000 years ago – particularly the Celts,[21] Conii,[252] Lusitanians[20] and Turduli.[253] In the 15th and 16th centuries, the language spread worldwide as Portugal established a colonial and commercial empire between 1415 and 1999.[254] Portuguese is spoken as a native language in five different continents, with Brazil accounting for the largest number of native Portuguese speakers of any country. In 2013 the Portuguese language is the official language spoken in Brazil, Angola, Mozambique, Cape Verde, São Tomé and Príncipe, Guinea-Bissau, Equatorial Guinea, and East Timor. These countries, plus Macau Special Administrative Region (People's Republic of China) where Portuguese is co-official with Cantonese, make up the Lusosphere, a term derived from the ancient Roman province of "Lusitania", which currently matches the Portuguese territory south of the Douro river.[255]

Mirandese is also recognized as a co-official regional language in some municipalities of North-Eastern Portugal. It is part of the Astur-Leonese group of languages.[256] An estimate of between 6,000 and 7,000 Mirandese speakers has been documented for Portugal.[257]

According to the International English Proficiency Index, Portugal has a high proficiency level in English, higher than those of other Romance-speaking European countries like Italy, France or Spain.[258]

Education

Founded in 1290, the University of Coimbra is Portugal's oldest and most prestigious, as well as one of the world's oldest universities.
The University of Porto is Portugal's second largest and its leading research university.

The educational system is divided into preschool (for those under age 6), basic education (9 years, in three stages, compulsory), secondary education (3 years, compulsory since 2010), and higher education (subdivided in university and polytechnic education). Universities are usually organized into faculties. Institutes and schools are also common designations for autonomous subdivisions of Portuguese higher education institutions.

The total adult literacy rate is 99.4 per cent. Portuguese primary school enrolments are 100 per cent.

According to the Programme for International Student Assessment (PISA) 2015, the average Portuguese 15-year-old student, when rated in terms of reading literacy, mathematics and science knowledge, is placed significantly above the OECD's average, at a similar level as those students from Norway, Denmark and Belgium, with 501 points (493 is the average). The PISA results of the Portuguese students have been continuously improving, overcoming a number of other highly developed Western countries like the US, Austria, France and Sweden.[259][260]

About 46,9% of college-age citizens (20 years old) attend one of Portugal's higher education institutions[261][262][263] (compared with 50% in the United States and 35% in the OECD countries). In addition to being a destination for international students, Portugal is also among the top places of origin for international students. All higher education students, both domestic and international, totalled 380,937 in 2005.

University of Evora, Portugal's second oldest university.

Portuguese universities have existed since 1290. The oldest Portuguese university[264] was first established in Lisbon before moving to Coimbra. Historically, within the scope of the Portuguese Empire, the Portuguese founded the oldest engineering school of the Americas (the Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho of Rio de Janeiro) in 1792, as well as the oldest medical college in Asia (the Escola Médico-Cirúrgica of Goa) in 1842. Presently, the largest university in Portugal is the University of Lisbon.

The Bologna process has been adopted by Portuguese universities and poly-technical institutes in 2006. Higher education in state-run educational establishments is provided on a competitive basis, a system of numerus clausus is enforced through a national database on student admissions. However, every higher education institution offers also a number of additional vacant places through other extraordinary admission processes for sportsmen, mature applicants (over 23 years old), international students, foreign students from the Lusosphere, degree owners from other institutions, students from other institutions (academic transfer), former students (readmission), and course change, which are subject to specific standards and regulations set by each institution or course department.

Most student costs are supported with public money. However, with the increasing tuition fees a student has to pay to attend a Portuguese state-run higher education institution and the attraction of new types of students (many as part-time students or in evening classes) like employees, businessmen, parents, and pensioners, many departments make a substantial profit from every additional student enrolled in courses, with benefits for the college or university's gross tuition revenue and without loss of educational quality (teacher per student, computer per student, classroom size per student, etc.).

Portugal has entered into cooperation agreements with the Massachusetts Institute of Technology and other US institutions to further develop and increase the effectiveness of Portuguese higher education and research.

Health

St António Hospital, in Porto (above), and St Maria Hospital, in Lisbon (bottom)

According to the Human Development Report, the average life expectancy in Portugal had reached 82 years in 2017,[265] in 2020 it is estimated at 82.11 years.[266] As projected by the United Nations, the life expectancy of the Portuguese population will be over 90 years when we reach 2100.[267] The trajectory of the Portuguese life expectancy is visualized with historical data from 1950 and future projections up to 2100, as can be seen in the graph on the left.

Portugal ranks 12th in the best public health systems in the world, ahead of other countries like the United Kingdom, Germany or Sweden.[268][269]

The Portuguese health system is characterized by three coexisting systems: the National Health Service (Serviço Nacional de Saúde, SNS), special social health insurance schemes for certain professions (health subsystems) and voluntary private health insurance. The SNS provides universal coverage. In addition, about 25% of the population is covered by the health subsystems, 10% by private insurance schemes and another 7% by mutual funds.

The Ministry of Health is responsible for developing health policy as well as managing the SNS. Five regional health administrations are in charge of implementing the national health policy objectives, developing guidelines and protocols and supervising health care delivery. Decentralization efforts have aimed at shifting financial and management responsibility to the regional level. In practice, however, the autonomy of regional health administrations over budget setting and spending has been limited to primary care.

The SNS is predominantly funded through general taxation. Employer (including the state) and employee contributions represent the main funding sources of the health subsystems. In addition, direct payments by the patient and voluntary health insurance premiums account for a large proportion of funding.

The Medical Department of NOVA University Lisbon

Similar to the other Eur-A countries, most Portuguese die from noncommunicable diseases. Mortality from cardiovascular diseases (CVD) is higher than in the eurozone, but its two main components, ischaemic heart disease and cerebrovascular disease, display inverse trends compared with the Eur-A, with cerebrovascular disease being the single biggest killer in Portugal (17%). Portuguese people die 12% less often from cancer than in the Eur-A, but mortality is not declining as rapidly as in the Eur-A. Cancer is more frequent among children as well as among women younger than 44 years. Although lung cancer (slowly increasing among women) and breast cancer (decreasing rapidly) are scarcer, cervical cancer and prostate cancer are more frequent. Portugal has the highest mortality rate for diabetes in the Eur-A, with a sharp increase since the 1980s.

Portugal's infant mortality rate is around 2 deaths per 1000 newborns, with 2.4 deaths per 1000 live births.

People are usually well informed about their health status, the positive and negative effects of their behaviour on their health, and their use of health care services. Yet their perceptions of their health, can differ from what administrative and examination-based data show about levels of illness within populations. Thus, survey results based on self-reporting at household level, complement other data on health status and the use of services.

Only one third of adults rated their health as good or very good in Portugal (Kasmel et al., 2004). This is the lowest of the Eur-A countries reporting and reflects the relatively adverse situation of the country in terms of mortality and selected morbidity.[270] Hospital de Santa Maria is the largest university hospital in Portugal.[271]

Culture

Jerónimos Monastery (top) and Belém Tower (middle) are magna opera of the Manueline style and symbols of Portuguese nationhood. Casa da Música (bottom) is an example of post-Millennium architecture.

Portugal has developed a specific culture while being influenced by various civilizations that have crossed the Mediterranean and the European continent, or were introduced when it played an active role during the Age of Discovery. In the 1990s and 2000s (decade), Portugal modernized its public cultural facilities, in addition to the Calouste Gulbenkian Foundation established in 1956 in Lisbon.

These include the Belém Cultural Centre in Lisbon, Serralves Foundation and the Casa da Música, both in Porto, as well as new public cultural facilities like municipal libraries and concert halls that were built or renovated in many municipalities across the country. Portugal is home to 17 UNESCO World Heritage Sites, ranking it 9th in Europe and 18th in the world.

Architecture

Traditional architecture is distinctive and include the Manueline, also known as Portuguese late Gothic a sumptuous, composite Portuguese style of architectural ornamentation of the first decades of the 16th century, followed by Pombaline style of the 18th century. A 20th-century interpretation of traditional architecture, Soft Portuguese style, appears extensively in major cities, especially Lisbon. Modern Portugal has given the world renowned architects like Eduardo Souto de Moura, Álvaro Siza Vieira (both Pritzker Prize winners) and Gonçalo Byrne. In Portugal Tomás Taveira is also noteworthy, particularly for stadium design.[272][273][274]

Cinema

Portuguese cinema has a long tradition, reaching back to the birth of the medium in the late 19th century. António Lopes Ribeiro, António Reis, Pedro Costa, Manoel de Oliveira, João César Monteiro, Edgar Pêra, António-Pedro Vasconcelos, Fernando Lopes, João Botelho, João Mário Grilo and Leonel Vieira, are among those that gained notability. Noted Portuguese film actors include Joaquim de Almeida, Nuno Lopes, Daniela Ruah, Maria de Medeiros, Diogo Infante, Soraia Chaves, Ribeirinho, Lúcia Moniz, and Diogo Morgado.

Literature

Fernando Pessoa, prolific writer in 20th-century Portuguese literature

Portuguese literature, one of the earliest Western literatures, developed through text as well as song. Until 1350, the Portuguese-Galician troubadours spread their literary influence to most of the Iberian Peninsula.[275] Gil Vicente (c. 1465–c. 1536) was one of the founders of Portuguese dramatic traditions.

Adventurer and poet Luís de Camões (c. 1524–1580) wrote the epic poem Os Lusíadas (The Lusiads), with Virgil's Aeneid as his main influence.[276] Modern Portuguese poetry is rooted in neoclassic and contemporary styles, as exemplified by Bocage (1765–1805), Antero de Quental (1842–1891) and Fernando Pessoa (1888–1935). Modern Portuguese literature is represented by authors such as Almeida Garrett, Camilo Castelo Branco, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, Sophia de Mello Breyner Andresen, António Lobo Antunes and Miguel Torga. Particularly popular and distinguished is José Saramago, recipient of the 1998 Nobel Prize in Literature.

Cuisine

Portuguese cuisine is very diverse. The Portuguese consume a lot of dry cod (bacalhau in Portuguese), for which there are hundreds of recipes.[277] Two other popular fish recipes are grilled sardines and caldeirada, a tomato-based stew that can be made from several types of fish with a mix of onion, garlic, bay leaf, potatoes, tomatoes, peppers, parsley or coriander. Typical Portuguese meat recipes made out of beef, pork, lamb, goat or chicken include cozido à portuguesa, feijoada, frango de churrasco, leitão (roast suckling pig), chanfana and carne de porco à alentejana. A very popular northern dish is dobrada, a tripe with white beans and carrots stew, often served with steamed white rice. Peri-peri chicken is a spicy charcoal chicken dish served with rice and vegetables, a favourite throughout Portugal, but most common in the Algarve region.

Pasteis de Nata in Lisbon

Typical fast food dishes include the Francesinha (Frenchie) from Porto, "Tripas à moda do Porto" which is also a traditional plate from Porto, and bifanas (grilled pork) or prego (grilled beef) sandwiches, which are well known around the country. The Portuguese art of pastry has its origins in the many medieval Catholic monasteries spread widely across the country. These monasteries, using very few ingredients (mostly almonds, vanilla, cinnamon, flour, eggs and some liquor), managed to create a spectacular wide range of different pastries, of which pastéis de Belém (or pastéis de nata) originally from Lisbon, and ovos moles from Aveiro are examples. Portuguese cuisine is very diverse, with different regions having their own traditional dishes. The Portuguese have a culture of good food, and throughout the country there are myriads of good restaurants and typical small tasquinhas.

Portuguese wines have enjoyed international recognition since the times of the Romans, who associated Portugal with their god Bacchus. Today, the country is known by wine lovers and its wines have won several international prizes. Some of the best Portuguese wines are Vinho Verde, Vinho Alvarinho, Vinho do Douro, Vinho do Alentejo, Vinho do Dão, Vinho da Bairrada and the sweet Port Wine, Madeira Wine, and the Moscatel from Setúbal and Favaios. Port and Madeira are particularly appreciated in a wide range of places around the world.

Music

Fado, depicted in this famous painting (c. 1910) by José Malhoa, is Portugal's traditional music.

Portuguese music encompasses a wide variety of genres. The traditional one is the Portuguese folk music which has deep roots in local customs having as instruments bagpipes (gaita), drums, flutes, tambourines, accordions and ukuleles (cavaquinho). Within Portuguese folk music is the renowned genre of Fado, a melancholic urban music originated in Lisbon in the 19th century, probably inside bohemian environments, usually associated with the Portuguese guitar and saudade, or longing. Coimbra fado, a unique type of "troubadour serenading" fado, is also noteworthy. Internationally notable performers include Amália Rodrigues, Carlos Paredes, José Afonso, Mariza, Carlos do Carmo, António Chainho, Mísia, Dulce Pontes and Madredeus.

In the classical music domain, Portugal is represented by names as the pianists Artur Pizarro, Maria João Pires, Sequeira Costa, the violinists Carlos Damas, Gerardo Ribeiro and in the past by the great cellist Guilhermina Suggia. Notable composers include José Vianna da Motta, Carlos Seixas, João Domingos Bomtempo, João de Sousa Carvalho, Luís de Freitas Branco and his student Joly Braga Santos, Fernando Lopes-Graça, Emmanuel Nunes and Sérgio Azevedo. Similarly, contemporary composers such as Nuno Malo and Miguel d'Oliveira have achieved some international success writing.

Amália Rodrigues, known as the Queen of Fado, performing in 1969

In addition to Folk, Fado and Classical music, other genres are present at Portugal like pop and other types of modern music, particularly from North America and the United Kingdom, as well as a wide range of Portuguese, Caribbean, Lusophone African and Brazilian artists and bands. Artists with international recognition include Dulce Pontes, Moonspell, Buraka Som Sistema, Blasted Mechanism, David Carreira and The Gift, with the three latter being nominees for a MTV Europe Music Award.

Portugal has several summer music festivals, such as Festival Sudoeste in Zambujeira do Mar, Festival de Paredes de Coura in Paredes de Coura, Festival Vilar de Mouros near Caminha, Boom Festival in Idanha-a-Nova Municipality, NOS Alive, Sumol Summer Fest in Ericeira, Rock in Rio Lisboa and Super Bock Super Rock in Greater Lisbon. Out of the summer season, Portugal has a large number of festivals, designed more to an urban audience, like Flowfest or Hip Hop Porto. Furthermore, one of the largest international Goa trance festivals takes place in central Portugal every two years, the Boom Festival, that is also the only festival in Portugal to win international awards: European Festival Award 2010 – Green'n'Clean Festival of the Year and the Greener Festival Award Outstanding 2008 and 2010. There is also the student festivals of Queima das Fitas are major events in a number of cities across Portugal. In 2005, Portugal held the MTV Europe Music Awards, in Pavilhão Atlântico, Lisbon. Furthermore, Portugal won the Eurovision Song Contest 2017 in Kyiv with the song "Amar pelos dois" presented by Salvador Sobral, and subsequently hosted the 2018 contest at the Altice Arena in Lisbon.[278][279]

Visual arts

Domingos Sequeira was one of the most prolific neoclassical painters. (Adoration of the Magi; 1828)

Portugal has a rich history in painting. The first well-known painters date back to the 15th century – like Nuno Gonçalves and Vasco Fernandes – were part of the late Gothic painting period. During the renaissance Portuguese painting was highly influenced by north European painting. In the Baroque period Josefa de Óbidos and Vieira Lusitano were the most prolific painters. José Malhoa, known for his work Fado, and Columbano Bordalo Pinheiro (who painted the portraits of Teófilo Braga and Antero de Quental) were both references in naturalist painting.

The 20th century saw the arrival of Modernism, and along with it came the most prominent Portuguese painters: Amadeo de Souza-Cardoso, who was heavily influenced by French painters, particularly the Delaunays (Robert and Sonia). Among his best-known works is Canção Popular a Russa e o Fígaro. Another great modernist painters/writers were Carlos Botelho and Almada Negreiros, friend to the poet Fernando Pessoa, who painted Pessoa's portrait. He was deeply influenced by both Cubist and Futurist trends.

Prominent international figures in visual arts nowadays include painters Vieira da Silva, Júlio Pomar, Helena Almeida, Joana Vasconcelos, Julião Sarmento and Paula Rego.

Sport

Cristiano Ronaldo is consistently ranked as one of the best football players in the world and considered to be one of the greatest players of all time.[280]

Football is the most popular sport in Portugal. There are several football competitions ranging from local amateur to world-class professional level. The legendary Eusébio is still a major symbol of Portuguese football history. FIFA World Player of the Year winners Luís Figo and Cristiano Ronaldo, who won the FIFA Ballon d'Or, are two world-class Portuguese football players. Portuguese football managers are also noteworthy, with José Mourinho being among the most renowned.

The Portugal national football team – Seleção Nacional – have won one UEFA European Championship title: the UEFA Euro 2016, with a 1–0 victory in the final over France, the tournament hosts. In addition, Portugal finished first in the 2018–19 UEFA Nations League with a 1–0 win over the Netherlands in the final (held in Portugal), second in the Euro 2004 (also held in Portugal), third in the 1966 FIFA World Cup and 2017 FIFA Confederations Cup, and fourth in the 2006 FIFA World Cup. At youth level, Portugal have won two FIFA World Youth Championships (in 1989 and 1991) and several UEFA European Youth Championships.

S.L. Benfica, Sporting CP and FC Porto are the largest sports clubs by popularity and by number of trophies won, often known as "os três grandes" ("the big three"). They have won eight titles in the European UEFA club competitions, were present in 21 finals and have been regular contenders in the last stages almost every season. Other than football, many Portuguese sports clubs, including the "big three", compete in several other sports events with a varying level of success and popularity, these may include roller hockey, basketball, futsal, handball, and volleyball. The Portuguese Football Federation (FPF)  – Federação Portuguesa de Futebol – annually hosts the Algarve Cup, a prestigious women's football tournament that has been celebrated in the Algarvian part of Portugal.

The Portuguese national rugby union team qualified for the 2007 Rugby World Cup and the Portuguese national rugby sevens team has played in the World Rugby Sevens Series.

In athletics, the Portuguese have won a number of gold, silver and bronze medals in the European, World and Olympic Games competitions. Cycling, with Volta a Portugal being the most important race, is also a popular sports event and includes professional cycling teams such as Sporting CP, Boavista, Clube de Ciclismo de Tavira and União Ciclista da Maia. At international level, Portuguese cyclists have already achieved good results. Joaquim Agostinho finished on the podium in 1978 and 1979 Tour de France, and 1974 Vuelta a España. Rui Costa has won the world title in the men's road race.

The country has also achieved notable performances in sports like fencing, judo, kitesurf, rowing, sailing, surfing, shooting, taekwondo, triathlon and windsurf, owning several European and world titles. The paralympic athletes have also conquered many medals in sports like swimming, boccia, athletics, mixed martial arts and wrestling.

Miguel Oliveira, Portuguese professional motorcycle racer.

In motorsport, Portugal is internationally noted for the Rally of Portugal, and the Estoril and Algarve Circuits as well as the revived Porto Street Circuit which holds a stage of the WTCC every two years, as well as for a number of internationally noted pilots and racers such as Miguel Oliveira, Filipe Albuquerque and others in a wide range of varied motorsports.

In equestrian sports, Portugal won the only Horseball-Pato World Championship in 2006 achieved the third position in the First Horseball World Cup and has achieved several victories in the European Working Equitation Championship.

In water sports, Portugal has three major sports: swimming, water polo and surfing. Most recently, Portugal had success in canoeing with several world and European champions, such as olympic medalists. Annually, the country also hosts one of the stages of the World Surf League men's and women's Championship Tour, the MEO Rip Curl Pro Portugal at the Supertubos in Peniche.

Northern Portugal has its own original martial art, Jogo do Pau, in which the fighters use staffs to confront one or several opponents. Other popular sport-related recreational outdoor activities with thousands of enthusiasts nationwide include airsoft, fishing, golf, hiking, hunting and orienteering.

Portugal is one of the world's best golf destinations.[281] It has received several awards by the World Golf Awards.[282]

See also

Notes

  1. ^ Mirandese, spoken in some villages of the municipality of Miranda do Douro, was officially recognized in 1999 (Lei n.° 7/99 de 29 de Janeiro),[1] awarding it an official right-of-use.[2] Portuguese Sign Language is also recognized.
  2. ^ By country of citizenship
  3. ^ Portuguese Constitution adopted in 1976 with several subsequent minor revisions, between 1982 and 2005.
  4. ^ In recognized minority languages of Portugal:
  5. ^ Thomas Dawson's The Good Hus-wifes Handmaid for the Kitchen from 1594 includes a meatball receipt for "farts of Portingale".[27]

References

  1. ^ a b "Reconhecimento oficial de direitos linguísticos da comunidade mirandesa (Official recognition of linguistic rights of the Mirandese community)". Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (UdL). Archived from the original on 18 March 2002. Retrieved 2 December 2015.
  2. ^ a b The Euromosaic study, Mirandese in Portugal, europa.eu – European Commission website. Retrieved January 2007. Link updated December 2015
  3. ^ "Foreign population with regular residence as a % of the resident population: total and by sex (2018)". Statistics Portugal, Foreigners and Borders Service and Ministry of Internal Administration. Retrieved 18 July 2019.
  4. ^ Constitution of Portugal, Preamble:
  5. ^ (in Portuguese)"Superfície Que municípios têm maior e menor área?". Pordata. Retrieved 17 November 2020.
  6. ^ "Surface water and surface water change". Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD). Retrieved 11 October 2020.
  7. ^ a b c "Censos 2021 - Divulgação dos Resultados Preliminares - 2021". Statistics Portugal - Web Portal. 28 July 2021. Retrieved 28 July 2021.
  8. ^ "PORDATA - Population density, according to Census".
  9. ^ a b c d "Report for Selected Countries and Subjects – Portugal". International Monetary Fund. 2021. Retrieved 8 April 2021.
  10. ^ "Gini coefficient". Portugal: PORDATA. Retrieved 8 June 2019.
  11. ^ "Human Development Report 2020" (PDF). United Nations Development Programme. 15 December 2020. Retrieved 15 December 2020.
  12. ^ Brian Jenkins, Spyros A. Sofos, Nation and identity in contemporary Europe, p. 145, Routledge, 1996, ISBN 0-415-12313-5
  13. ^ Melvin Eugene Page, Penny M. Sonnenburg, p. 481
  14. ^ "The World Factbook". cia.gov. Retrieved 14 September 2015.
  15. ^ "World Economic Outlook April 2014 - Recovery Strengthens, Remains Uneven" (PDF). imf.org. 8 April 2014. Archived from the original (PDF) on 8 April 2014. Retrieved 20 April 2021.
  16. ^ "SOCIAL PROGRESS INDEX 2015 : EXECUTIVE SUMMARY" (PDF). 2.deloitte.com. Retrieved 2 August 2017.
  17. ^ "Quality of Life Index by Country 2020 Mid-Year". www.numbeo.com.
  18. ^ "Democracy Reports | V-Dem". www.v-dem.net. Archived from the original on 21 June 2019. Retrieved 14 July 2019.
  19. ^ "Portugal – Origin and meaning of the name Portugal by Online Etymology Dictionary". Etymonline.com.
  20. ^ a b Winicius, Marcos. "Documentos danca portuguesa" – via www.academia.edu. Cite journal requires |journal= (help)
  21. ^ a b c Magarinhos, Luís. "Origem e significado dos nomes de Portugal e da Galiza" – via www.academia.edu. Cite journal requires |journal= (help)
  22. ^ a b Emerick, Carolyn; Authors, Various. "Europa Sun Issue 4: April 2018". Carolyn Emerick – via Google Books.
  23. ^ De Alarcão, Jorge (1998). "Ainda sobre a localização dos populi do conventus Bracaraugustanus" (PDF). Anales de Arquelogía Cordobesa: 51–58.
  24. ^ Petitot, Émile (11 July 1894). "Origines et migrations des peuples de la Gaule jusqu'à l'avènement des Francs". Paris : J. Maisonneuve – via Internet Archive.
  25. ^ "Manuel géographique et statistique de l'Espagne et du Portugal ..." Buisson. 11 April 2018 – via Google Books.
  26. ^ a b c "Portugal, n. and adj." OED Online, Oxford University Press, June 2020, www.oed.com/view/Entry/148257. Accessed 30 July 2020.
  27. ^ The Good Huswives Handmaide for the Kitchin, 1594 at the Foods of England project. Accessed 30 July 2020.
  28. ^ Hans Kurath. "Portingāl(e" Middle English Dictionary. University of Michigan Press, 1954. p. 1131.
  29. ^ Emerick, Carolyn; Authors, Various (28 December 2017). "Europa Sun Issue 2: December 2017". Carolyn Emerick – via Google Books.
  30. ^ Mountain, Harry (11 July 1998). The Celtic Encyclopedia. Universal-Publishers. ISBN 978-1-58112-890-1 – via Google Books.
  31. ^ a b David Birmingham (2003), p. 11
  32. ^ Heale, Jay; Koh, Angeline; Schmermund, Elizabeth (15 April 2016). Portugal: Third Edition. Cavendish Square Publishing, LLC. ISBN 978-1-5026-1694-4 – via Google Books.
  33. ^ Garstk, Kevin (28 August 2012). "Celtic from the West: Alternative Perspectives from Archaeology, Genetics, Language and Literature. Edited by Barry Cunliffe and John T. Koch. Oxford: Oxbow Books, 2010. 384 pages. ISBN-13: 978-1842174104". E-Keltoi: Journal of Interdisciplinary Celtic Studies. 9 (1). ProQuest 1095733285.
  34. ^ "Tartessian, Europe's newest and oldest Celtic language". 5 March 2013.
  35. ^ Devine, Darren. "Our Celtic roots lie in Spain and Portugal". Wales Online. Retrieved 11 April 2017.
  36. ^ Trombetta, Silvana (29 March 2018). "Celts and the Castro Culture in the Iberian Peninsula – issues of national identity and Proto-Celtic substratum". ppg.revistas.uema.br. Retrieved 11 July 2020.
  37. ^ Estos se establecieron en el norte de Portugal y el área de la Galicia actual, introduciendo en esta región la cultura de las urnas, una variante de las Urnenfelder que evolucionaría después en la cultura de los castros o castreña
  38. ^ "Celts Part 1". People In History. 19 September 2019.
  39. ^ Harding, D. W. (11 June 2007). The Archaeology of Celtic Art. Routledge. ISBN 978-1-134-26464-3 – via Google Books.
  40. ^ Green, Miranda J.; Aldhouse-Green, Miranda Jane (11 July 1995). The Celtic World. Psychology Press. ISBN 978-0-415-05764-6 – via Google Books.
  41. ^ Banbridge, Lughais MacAoidh. "The Irish connection with Chadic and Afro-Asiatic languages" – via www.academia.edu. Cite journal requires |journal= (help)[dead link]
  42. ^ Macalister, Robert Alexander Stewart. "Lebor gabála Érenn: The book of the taking of Ireland". Dublin : Published for the Irish texts Society by the Educational Company of Ireland – via Internet Archive.
  43. ^ "Viriathus And The Lusitanian War | UNRV.com Roman History". www.unrv.com.
  44. ^ Silva, Luis (30 July 2013). Viriathus: And the Lusitanian Resistance to Rome, 155–139 BC. Pen and Sword. ISBN 978-1-4738-2689-2 – via Google Books.
  45. ^ Conejo, Noé (2020). "Coins and villae in late Roman Lusitania: collapse of the Roman currency economy?" (PDF). Post-Classical Archaeologies. 10: 219–246.
  46. ^ David Rohrbacher, "Orosius," in The Historians of Late Antiquity (Routledge, 2002), pp. 135–137. Rohrbacher bases the date of birth on Augustine's description of Orosius as a "young priest" and a "son by age" in the period 414–418, which would place his age at 30 or younger.
  47. ^ a b L. Reynolds, Robert (11 July 1957). "Reconsideration of the History of the Suevi". Revue belge de Philologie et d'Histoire. 35 (1): 19–47. doi:10.3406/rbph.1957.2022 – via www.persee.fr.
  48. ^ a b Quiroga, Jorge López. "IN TEMPORE SUEBORUM. The time of the Suevi in Gallaecia (411-585 AD). Exhibition Catalogue (English)". Jorge LÓPEZ QUIROGA-Artemio M. MARTÍNEZ TEJERA (Coord.): IN TEMPORE SUEBORUM. The Time of the Sueves in Gallaecia (411-585 AD). The First Medieval Kingdom of the West, Ourense. – via www.academia.edu.
  49. ^ Milhazes, José. Os antepassados caucasianos dos portugueses – Rádio e Televisão de Portugal in Portuguese. Archived 1 January 2016 at the Wayback Machine
  50. ^ a b Kéry, Lotte; Kery, Lotte (1999). Canonical Collections of the Early Middle Ages (Ca. 400-1140): A Bibliographical Guide to the Manuscripts and Literature. ISBN 978-0-8132-0918-0.
  51. ^ Osborne, Jason (2016). "The development of church/state relations in the Visigothic Kingdom during the sixth century (507-601) Kingdom during the sixth century (507-60}". ir.uiowa.edu. Retrieved 11 July 2020.
  52. ^ Mason, Patricia E. (1979). "Social Implications of Borrowing: The Visigothic Element in Hispano-Romance". Word. 30 (3): 257–272. doi:10.1080/00437956.1979.11435671.
  53. ^ Verlinden, Charles (11 July 1950). "David (Pierre). Études historiques sur la Galice et le Portugal du VIe au XIIe siècle". Revue belge de Philologie et d'Histoire. 28 (1): 229–233 – via www.persee.fr.
  54. ^ Ferreiro, Alberto (1999). The Visigoths: Studies in Culture and Society. ISBN 90-04-11206-5.
  55. ^ Mason, Patricia E. (11 December 1979). "Social Implications of Borrowing: The Visigothic Element in Hispano-Romance". WORD. 30 (3): 257–272. doi:10.1080/00437956.1979.11435671.
  56. ^ "Goths and Visigoths". history.com. 14 May 2018.
  57. ^ "Fim do Império Romano e Chegada dos Suevos". notapositiva.com (in Portuguese). Archived from the original on 23 December 2014. Retrieved 12 March 2016.
  58. ^ "Suevos". infoescola.com (in Portuguese). Retrieved 12 March 2016.
  59. ^ Head, Brian F.; Semënova-Head, Larisa (2013). "Vestígios da presença sueva no noroeste da península ibérica: na etnologia, na arqueologia e na língua" [Traces of the Sueva presence in the northwest of the Iberian peninsula: in ethnology, archeology and language]. Revista Diacrítica (in Portuguese). 27 (2): 257–277.
  60. ^ Hay, Maciamo. "Genetic history of the Spaniards and the Portuguese". Eupedia.[self-published source?]
  61. ^ "the barbarians, detesting their swords, turn them into ploughs", Historiarum Adversum Paganos, VII, 41, 6.
  62. ^ "anyone wanting to leave or to depart, uses these barbarians as mercenaries, servers or defenders", Historiarum Adversum Paganos, VII, 41, 4.
  63. ^ Domingos Maria da Silva, Os Búrios, Terras de Bouro, Câmara Municipal de Terras de Bouro, 2006. (in Portuguese)
  64. ^ a b c "Al-Andalus". Encyclopædia Britannica. Retrieved 19 March 2021.
  65. ^ Portugal musalman (Le) – VIIIe-XIIIe siècles par Christophe Picard – Maisonneuve et Larose – Collection Occident Musulman – 2001, 500 p. ISBN 2-7068-1398-9
  66. ^ A History of Portugal and the Portuguese Empire, Vol. 1: From Beginnings to 1807: Portugal (Volume 1) p. 55
  67. ^ "Pelayo – king of Asturias". Britannica.com.
  68. ^ a b H. V. Livermore, A New History of Portugal (Cambridge University Press: London, 1969) pp. 32–33.
  69. ^ a b c Ribeiro, Ângelo; Hermano, José (2004). História de Portugal I – A Formação do Território [History of Portugal: The Formation of the Territory] (in Portuguese). QuidNovi. ISBN 989-554-106-6.
  70. ^ Oliveira, Leandro Vilar (2018). "A presença viking na Península Ibérica: Os Vikings em Portugal e Galiza (Hélio Pires)" [The Viking presence in the Iberian Peninsula: The Vikings in Portugal and Galicia (Hélio Pires)]. Scandia (in Portuguese). 1: 249–255.
  71. ^ Marques, André Evangelista; Barroca, Mário; Amaral, Luís Carlos. "As incursões vikings no Norte de Portugal". Mil Anos da Incursão Normanda ao Castelo de Vermoim. pp. 143–184. hdl:10216/120557. ISBN 978-989-8351-97-5.
  72. ^ Fernandes, A. de Almeida. "O Conde Vímara Peres por A. de Almeida Fernandes" – via www.academia.edu.
  73. ^ Kruszelnicki, Karl S. (13 September 2007). "Black death". Abc.net.au. Retrieved 2 April 2019.
  74. ^ "The Portuguese Explorers: Newfoundland and Labrador Heritage". Heritage.nf.ca. Retrieved 31 January 2014.
  75. ^ Vigneras, L.-A. (1979) [1966]. "Corte-Real, Miguel". In Brown, George Williams (ed.). Dictionary of Canadian Biography. I (1000–1700) (online ed.). University of Toronto Press. Retrieved 31 January 2014.
  76. ^ "Town of Portugal Cove – St.Philip's : History". Pcsp.ca. Retrieved 14 September 2015.
  77. ^ The standard view of historians is that Cabral was blown off course as he was navigating the currents of the South Atlantic, sighted the coast of South America, thereby accidentally discovering Brazil. However, for an alternative account of the discovery of Brazil, see History of Brazil
  78. ^ Giles Tremlett (22 March 2007). "Another nail in Cook's coffin as map suggests he was pipped by Portugal". The Guardian. Retrieved 31 January 2014.
  79. ^ Debusmann, Bernd (15 January 2014). "Kangaroo in 400-year-old manuscript could change Australian history". Telegraph. London. Retrieved 31 January 2014.
  80. ^ Perry, Michael (21 March 2007). "Map proves Portuguese discovered Australia: new book". Reuters. Archived from the original on 2 January 2014. Retrieved 31 January 2014.
  81. ^ "Peña, Lorenzo. Un puente jurídico entre Iberoamérica y Europa:la Constitución española de 1812. Instituto de Filosofía del CSIC" (PDF).
  82. ^ "IBGE teen". Ibge.gov.br. Archived from the original on 25 January 2012. Retrieved 11 February 2012.
  83. ^ "Historical Depictions of the 1755 Lisbon Earthquake". Nisee.berkeley.edu. 12 November 1998. Archived from the original on 11 March 2011. Retrieved 6 May 2012.
  84. ^ Kenneth Maxwell, Pombal, Paradox of the Enlightenment (Cambridge: Cambridge University Press, 1995), 83, 91–108, 160–62.
  85. ^ P S Lele, Dadra and Nagar Haveli: past and present, Published by Usha P. Lele, 1987,
  86. ^ "Portugal Não É Um País Pequeno". Purl.pt. Archived from the original on 25 October 2014. Retrieved 21 February 2011.
  87. ^ Flight from Angola, The Economist, 16 August 1975
  88. ^ Dismantling the Portuguese Empire, Time, 7 July 1975
  89. ^ Vieira, Gonçalo; Luís, Zêzere José; Mora, Carla (2018). Landscapes and Landforms of Portugal. Springer International Publishing. ISBN 978-3-319-03640-3.
  90. ^ Francisco, Susete (14 August 2017). "Portugal tenta duplicar território marítimo (in Portuguese)". Diário de Notícias. Retrieved 7 December 2017.
  91. ^ "Climate of the World: Portugal". Weatheronline.co.uk. Retrieved 14 September 2015.
  92. ^ "Mapas bioclimáticos y biogeográficos". Globalbioclimatics.org. Retrieved 2 August 2017.
  93. ^ Instituto Português do Mar e da Atmosfera (2012). "Extremos climáticos de temperatura, Capitais Distrito" (in Portuguese). Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Retrieved 23 January 2013.
  94. ^ "Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IP Portugal". ipma.pt. Retrieved 22 August 2010.
  95. ^ "Enjoyable, Mediterranean Climate in Portugal". Ocean temperatures in Portugal. LiveandInvestOverseas.com. Retrieved 18 December 2019.
  96. ^ "Average sea temperature of the Azores". seatemperature.org. Retrieved 9 November 2020.
  97. ^ "Average sea temperature of Madeira". seatemperature.org. Retrieved 9 November 2020.
  98. ^ a b "Habitats da floresta portuguesa: um refúgio de biodiversidade". florestas.pt. Retrieved 19 March 2021.
  99. ^ Dinerstein, Eric; et al. (2017). "An Ecoregion-Based Approach to Protecting Half the Terrestrial Realm". BioScience. 67 (6): 534–545. doi:10.1093/biosci/bix014. ISSN 0006-3568. PMC 5451287. PMID 28608869.
  100. ^ "1 - Portugal, Biodiversidade e Capital Natural Uma Leitura Atual". Diário da República. Retrieved 19 March 2021.
  101. ^ "As espécies florestais mais comuns da floresta portuguesa". florestas.pt. Retrieved 19 March 2021.
  102. ^ Dias, Eduardo. "A chegada dos portugueses às ilhas – o antes e o depois" (PDF). Retrieved 20 March 2021.
  103. ^ "Floresta das regiões autónomas: as ilhas do incenso, criptoméria e Laurissilva". florestas.pt. Retrieved 20 March 2021.
  104. ^ "Recuperação da Floresta Laurissilva". azores.gov.pt. Retrieved 19 March 2021.
  105. ^ "Matagais arborescentes de Laurus Nobilis". ICNF. Retrieved 19 March 2021.
  106. ^ de Almeida, João Domingues. "New additions to the exotic vascular flora of continental Portugal". Retrieved 19 March 2021.
  107. ^ "A list of the terrestrial fungi, flora and fauna of Madeira and Selvagens archipelagos" (PDF). Retrieved 19 March 2021.
  108. ^ Silva, Luís; Smith, Clifford W. (2006). "A Quantitative Approach to the Study of Non-indigenous Plants: An Example from the Azores Archipelago". Biodiversity and Conservation. Springer Science+Business Media. 15 (5): 1661–1679. doi:10.1007/s10531-004-5015-z. S2CID 28109010. Retrieved 19 March 2021.
  109. ^ "Invasoras: o que são e porque prejudicam a floresta". florestas.pt. Retrieved 19 March 2021.
  110. ^ Grantham, H. S.; et al. (2020). "Anthropogenic modification of forests means only 40% of remaining forests have high ecosystem integrity - Supplementary Material". Nature Communications. 11 (1): 5978. doi:10.1038/s41467-020-19493-3. ISSN 2041-1723. PMC 7723057. PMID 33293507.
  111. ^ "Portugal tem quase 500 espécies em perigo de extinção". Sábado. Retrieved 20 March 2021.
  112. ^ "Portugal é o 2.º país da Europa com mais espécies de mamíferos e plantas em perigo". comunidade cultura e arte. Retrieved 20 March 2021.
  113. ^ "Observação de aves". visitportugal.com. Retrieved 20 March 2021.
  114. ^ "Aves de Portugal". avesdeportugal.info. Retrieved 20 March 2021.
  115. ^ "8 mamíferos da floresta portuguesa". florestas.pt. Retrieved 20 March 2021.
  116. ^ a b "Atlas de Mamíferos de Portugal – uma recolha do conhecimento disponível sobre a distribuição dos mamíferos no nosso país" (in Portuguese). University of Évora. Retrieved 20 March 2021.
  117. ^ Correia, Paulo Filipe Alexandre. "Study of an upwelling event in the Portuguese coast" (PDF). Retrieved 22 March 2021.
  118. ^ "Fish and seafood consumption per capita, 2017". Our World in Data. Retrieved 24 March 2021.
  119. ^ Santos, A. Miguel P.; Borges, Maria de Fatima; Groom, Steve (June 2001). "Sardine and horse mackerel recruitment and upwelling off Portugal". ICES Journal of Marine Science. 58 (3): 589–596. doi:10.1006/jmsc.2001.1060. Retrieved 3 September 2021.
  120. ^ "As espécies mais populares do mar de Portugal" (PDF). Ciência Viva. Archived from the original (PDF) on 14 April 2021. Retrieved 22 March 2021.
  121. ^ Araújo, R. M.; Assis, J.; Aguillar, R.; Airoldi, L.; Bárbara, I.; Bartsch, I.; Bekkby, T.; Christie, H.; Davoult, D.; Derrien-Courtel, S.; Fernandez, C.; Fredriksen, S.; Gevaert, F.; Gundersen, H.; Le Gal, A.; Lévêque, L.; Mieszkowska, N.; Norderhaug, K. M.; Oliveira, P.; Puente, A.; Rico, J. M.; Rinde, E.; Schubert, H.; Strain, E. M.; Valero, M.; Viard, F.; Sousa-Pinto, I. (June 2016). "Status, trends and drivers of kelp forests in Europe: an expert assessment". Biodiversity and Conservation. 25 (7): 1319–1348. doi:10.1007/s10531-016-1141-7. Retrieved 3 September 2021.
  122. ^ Rodeles, Amaia A.; Galicia, David; Miranda, Rafael (11 October 2016). "Iberian fish records in the vertebrate collection of the Museum of Zoology of the University of Navarra". Scientific Data. Nature. 3: 160091. Bibcode:2016NatSD...360091R. doi:10.1038/sdata.2016.91. PMC 5058334. PMID 27727236.
  123. ^ "Biólogos estudam rios do litoral oeste, último refúgio para peixes com milhões de anos" (in Portuguese). Diário de Notícias. Retrieved 23 March 2021.
  124. ^ a b Barreiros, João Pedro. "Biodiversidade marinha dos Açores" (PDF). Retrieved 22 March 2021.
  125. ^ "As espécies residentes e as que passam durante a migração". whalewatchingazores.com. Retrieved 22 March 2021.
  126. ^ "Açores – Caça à Baleia deu lugar ao "Whale Watching"". www.mileniostadium.com. mileniostadium.com.
  127. ^ "Whale Watching Worldwide Tourism numbers, expenditures and expanding economic benefits" (PDF). Marine Mammal Commission. Retrieved 22 March 2021.
  128. ^ "Serras de Aire e Candeeiros Nature Park". natural.pt. Retrieved 20 March 2021.
  129. ^ "Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina". Infopédia, Porto Editora. Retrieved 20 March 2021.
  130. ^ "First brown bear sighting in Portugal in over a century". France 24. Retrieved 23 March 2021.
  131. ^ Martins, Ana (2006). "Presidential Elements in Government: The Portuguese Semi-Presidential System". European Constitutional Law Review. 2: 81–100. doi:10.1017/S1574019606000812. S2CID 146507857.
  132. ^ "Constituição da República Portuguesa – D.R.E. (Constitution of the Portuguese Republic)" (in Portuguese). Diário da República Electrónico. 2 April 1976. Archived from the original on 21 December 2008. Retrieved 16 August 2013.
  133. ^ "Portugal & Spain – the territorial disputes of Olivenza and the Savage Islands (Part II) – OneEurope", One-europe.net, 11 February 2015, archived from the original on 29 September 2017, retrieved 29 September 2017
  134. ^ "New maritime area in dispute between Portugal and Spain", Algarvedailynews.com, archived from the original on 29 September 2017, retrieved 29 September 2017
  135. ^ "Military expenditure (% of GDP)". Data (in Indonesian). 14 February 2002. Retrieved 11 July 2020.
  136. ^ "Portuguese soldier killed serving in Mali". Theportugalnews.com.
  137. ^ "Portuguese troops in 'large' UN operation in Central African Republic". Theportugalnews.com.
  138. ^ Brian Vastag 5 Years After: Portugal's Drug Decriminalization Policy Shows Positive Results. Scientific American. 7 April 2009
  139. ^ Maia Szalavitz, Drugs in Portugal: Did Decriminalization Work?, Time (26 April 2009)
  140. ^ Greenwald, Glenn (2 April 2009). "Drug Decriminalization in Portugal: Lessons for Creating Fair and Successful Drug Policies" (PDF). Cato Institute. Retrieved 14 February 2015.
  141. ^ "::: Lei n.º 99/2003, de 27 de Agosto". www.pgdlisboa.pt. Retrieved 8 December 2019.
  142. ^ "::: Lei n.º 1/2004, de 24 de Julho". www.pgdlisboa.pt. Retrieved 8 December 2019.
  143. ^ "Diário da República, 1.ª série — N.º 105 — 31 de Maio de 2010" (PDF). Retrieved 14 September 2013.
  144. ^ "Lei n.º 2/2016