Mortise e tenon

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar
Diagrama de um encaixe (à esquerda) e junta de espiga
Presa através de espigas usadas em um celeiro francês
1) Através da espiga e 2) encaixe como uma junta de ombro

Um encaixe (ocasionalmente mortice ) e espiga conjunta liga duas peças de madeira ou de material. Marceneiros de todo o mundo o usam há milhares de anos para juntar peças de madeira, principalmente quando as peças adjacentes se conectam em ângulos retos.

As juntas de encaixe e espiga são juntas fortes e estáveis ​​que podem ser usadas em muitos projetos. A junta de encaixe e espiga é considerada uma das juntas mais fortes ao lado da junta de cauda de andorinha comum . [ carece de fontes? ] Eles fornecem um resultado forte e se conectam por colagem ou travamento no lugar. A junta de encaixe e espiga também oferece um visual atraente. Uma desvantagem desta junta é a dificuldade em fazê-la devido ao corte preciso e apertado necessário. Em sua forma mais básica, uma junta de encaixe e espiga é simples e forte. Existem muitas variações deste tipo de junta, mas o encaixe e a espiga básicos têm dois componentes:

  1. o orifício de encaixe, e
  2. a língua de espiga.

A espiga, formada na extremidade de um membro geralmente referido como um trilho, se encaixa em um orifício quadrado ou retangular cortado no outro membro correspondente. A espiga é cortada para se ajustar exatamente ao orifício de encaixe. Geralmente tem ombros que assentam quando a junta entra totalmente no orifício de encaixe. A junta pode ser colada, fixada com alfinetes ou em cunha para travá-la no lugar.

Esta junta também é usada com outros materiais. Por exemplo, é tradicionalmente usado por pedreiros e ferreiros .

Etimologia

O substantivo mortise , "um orifício ou sulco no qual algo é encaixado para formar uma junta", vem de c. 1400 do francês antigo 'mortaise' (século 13), possivelmente do árabe 'murtazz' , "atado", particípio passado de 'razza' , "corte um encaixe em". [1]

A palavra tenon , um substantivo em inglês desde o final do século 14, desenvolveu seu sentido de "uma projeção inserida para fazer uma junta" do francês antigo 'tenir' "para segurar". [2]

História e exemplos antigos

Banquinho egípcio com travas, por volta de 1991–1450 aC

A articulação do encaixe e da espiga é uma articulação antiga que data de 7.000 anos. Os primeiros exemplos, juntas com presas, foram encontrados em um poço perto de Leipzig - a arquitetura de madeira intacta mais antiga do mundo. [3] Articulações de mortise e espiga também foram encontradas juntando-se às pranchas de madeira do " navio Khufu ", [4] uma embarcação de 43,6 m (143 pés) de comprimento selada em um fosso no complexo da pirâmide de Gizé da Quarta Dinastia por volta de 2500 aC . O uso mais antigo conhecido data da cultura da Cerâmica Linear do Neolítico Inferior , onde era usado na construção do revestimento de madeira de poços de água . [5]

Desenho de um navio de madeira com anotações de elementos do casco.
Casco de navio demonstrando a técnica de junta fenícia de encaixe e espiga travada

Articulações de encaixe e espiga também foram encontradas em móveis antigos de sítios arqueológicos no Oriente Médio, Europa e Ásia. Muitos exemplares são encontrados, por exemplo, em ruínas de casas no reino da Rota da Seda de Cadota , que datam do século I ao século IV aC. [6] Na arquitetura tradicional chinesa , os componentes de madeira, como vigas, suportes, armações de telhado e escoras, eram feitos para se encaixar perfeitamente, sem o uso de fixadores ou colas, permitindo que a madeira se expandisse e se contraísse de acordo com a umidade. [7] Evidências arqueológicas de sítios chineses mostram que, no final do Neolítico , marcenaria de encaixe e espigafoi empregado na construção chinesa. [8]

As trinta pedras sarsen de Stonehenge foram revestidas e modeladas com juntas de encaixe e espiga antes de serem erguidas entre 2600 e 2400 aC. [9]

Uma variação da técnica de encaixe e espiga, chamada de juntas fenícias (do latim coagmenta punicana ) [10] [11] foi amplamente usada na construção naval antiga para montar pranchas de casco e outros componentes de embarcações. É uma técnica de encaixe e espiga travada (com pinos) que consiste em cortar dois encaixes nas bordas de duas tábuas, um encaixe retangular separado é então inserido nos dois encaixes. O conjunto é então travado no lugar, passando um pino através de um ou mais orifícios perfurados na parede lateral de encaixe e na espiga. [12] [13]

Tipos

Arqueologia experimental ; cortando um encaixe com um cinzel de canhão

Mortises

Uma entalhe direto é usado nesta dobradiça de madeira.
Molde de tijolo do antigo Egito unido a juntas de encaixe

Um encaixe é uma cavidade cortada em uma madeira para receber uma espiga. Existem vários tipos de encaixe: [14]

  • Encaixe aberto: um encaixe que tem apenas três lados. (Veja a junta do freio ).
  • Encaixe em toco: um encaixe raso, cuja profundidade depende do tamanho da madeira; também um encaixe que não atravessa a peça de trabalho (em oposição a um "encaixe direto").
  • Por encaixe: um encaixe que passa inteiramente por uma peça.
  • Meia cauda de andorinha em cunha : um encaixe em que as costas são mais largas, ou mais altas, do que a frente, ou abertura. O espaço para a cunha inicialmente deixa espaço para inserir a espiga. A cunha, depois que a espiga é engatada, impede sua retirada.
  • Meia cauda de andorinha em cunha: um entalhe em meia cauda de andorinha em cunha que passa inteiramente pela peça.

Tenons

Duas presas através de espigas são usadas para manter os cavaletes desta mesa juntos.

Uma espiga é uma projeção na extremidade de uma madeira para inserção em um encaixe. Normalmente, a espiga é mais alta do que larga. Existem vários tipos de espigão:

  • Espiga de ponta: curta, cuja profundidade depende do tamanho da madeira; também uma espiga que é mais curta do que a largura da peça entalhada para que a espiga não apareça (em oposição a uma "espiga").
  • Através da espiga: uma espiga que passa inteiramente pela peça de madeira em que está inserida, sendo bem visível na parte posterior.
  • Espiga solta: uma espiga que é uma parte separada da junta, ao contrário de uma espiga fixa que é parte integrante de uma das peças a serem unidas.
  • Espiga de biscoito: um pedaço fino de madeira oval, em forma de biscoito [15]
  • Espiga denteada (ou fixada): a junta é reforçada cravando-se um pino ou cavilha ( treenail ) através de um ou mais orifícios perfurados na parede lateral entalhada e espigão; [16] isso é comum em juntas de estrutura de madeira .
  • Espiga presa: uma espécie de encaixe e espiga que usa uma chave em forma de cunha para manter a junta unida.
  • Espiga Teasel (ou teazle): um termo usado para a espiga no topo de um poste queixo ou gunstock, que normalmente é recebido pelo entalhe na parte inferior de uma viga de amarração . Um elemento comum da junta de amarração inglesa.
  • Espiga superior: a espiga que ocorre na parte superior de uma postagem.
  • Espiga com cabeça de martelo : um método de formar uma junta de espiga quando os ombros não podem ser apertados com uma braçadeira .
  • Espiga de meio ombro: uma espiga assimétrica com um ombro de um lado apenas. Um uso comum é em portas com moldura, com bordas e travadas.

Mais detalhes sobre o conjunto completado

Geralmente, o tamanho do encaixe e da espiga está relacionado à espessura das madeiras. É uma boa prática propor a espiga com um terço da espessura do trilho, ou o mais próximo possível disso. O pernil, a parte cortada de uma junta do canto da folha que evita que a espiga se solte, tem um terço do comprimento da espiga e um sexto da largura da espiga em sua profundidade. Os dois terços restantes do trilho, os ombros da espiga, ajudam a neutralizar as forças laterais que podem ajustar a espiga do encaixe, contribuindo para sua resistência. Também servem para esconder imperfeições na abertura do encaixe.

Galeria de vários encaixes

Veja também

Referências

  1. ^ Harper, Douglas. "mortise" . Dicionário online de etimologia . Página visitada em 19/02/2019 .
  2. ^ Harper, Douglas. "tenon" . Dicionário online de etimologia . Página visitada em 19/02/2019 .
  3. ^ "The Neolithic Toolkit" . Archaeology.org . Retirado em 7 de janeiro de 2015 .
  4. ^ Ward, Cheryl. " Os barcos de prancha mais antigos do mundo ", em Arqueologia (Volume 54, Número 3, maio / junho de 2001). Instituto Arqueológico da América .
  5. ^ Os primeiros poços de água do Neolítico revelam a arquitetura de madeira mais antiga do mundo Tegel W, Elburg R, Hakelberg D, Stäuble H, Büntgen U (2012) Os primeiros poços de água do Neolítico revelam a arquitetura de madeira mais antiga do mundo. PLoS ONE 7 (12): e51374. doi: 10.1371 / journal.pone.0051374
  6. ^ Roberts, Rachel (2012). "Construção de casas na Antiga Niya" . Notícias do IDP . 39 . Página visitada em 26 de outubro de 2012 .
  7. ^ Steinhardt, Nancy W. (2002). Arquitetura chinesa (ed. Em inglês). Yale University Press. pp.  1 . ISBN 978-0-300-09559-3.
  8. ^ Xujie, Liu (2002). Arquitetura chinesa - As origens da arquitetura chinesa (ed. Em inglês). Yale University Press. pp.  11 . ISBN 978-0-300-09559-3.
  9. ^ "Construindo Stonehenge" . Herança Inglesa . Recuperado em 2020-10-27 .
  10. ^ Cato, Marcus (1934) [ c.  160 AC ]. "XVIII". De agro cultura [ Na agricultura ]. Loeb Classical Library (em latim). Traduzido por Henderson, Jeffrey. Loeb Classical Library . Página visitada em 2021-04-27 .
  11. ^ Sleeswyk, AW (01/08/1980). "Articulações fenícias, coagmenta punicana" . International Journal of Nautical Archaeology . 9 (3): 243–244. doi : 10.1111 / j.1095-9270.1980.tb01303.x . ISSN 1057-2414 . 
  12. ^ López-Ruiz, Carolina; Doak, Brian R. (29/07/2019). The Oxford Handbook of the Phoenician and Punic Mediterranean . Imprensa da Universidade de Oxford. ISBN 978-0-19-049935-8.
  13. ^ Teague, Matthew (01-05-2007). "The Pegged Joint, Exposed" . FineWoodworking . Taunton Press. Arquivado do original em 2020-09-25 . Recuperado em 2021-04-28 .
  14. ^ Dekker, Michael. "Mortise-and-Tenon" . Detalhes de carpintaria . Retirado em 2015-02-18 .
  15. ^ "Nossas revisões, sua decisão" . Homem De Família . Recuperado em 28-07-2017 .
  16. ^ Teague, Matthew (maio de 2007). "The Pegged Joint, Exposed" . Carpintaria fina . Taunton Press . Retirado em 2015-02-18 .