Arquitetura moderna

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar

Arquitetura moderna
VillaSavoye.jpg
Panorâmica do Empire State Building, junho de 2013.jpg
PlanaltoBr.jpg
Fagus Gropius Hauptgebaeude 200705 wiki front.jpg
Fallingwater - DSC05643.JPG
Velas da Ópera de Sydney edit02.jpg
Acima : Villa Savoye , França, de Le Corbusier (1927); Empire State Building , Nova York, de Shreve, Lamb & Harmon (1931): Centro: Palácio do Planalto , Brasília, de Oscar Niemeyer (1960); Fagus Factory , Germany, de Walter Gropius e Adolf Meyer (1911–1913): Bottom: Fallingwater , Pennsylvania, de Frank Lloyd Wright (1935); Sydney Opera House , Sydney, Austrália, por Jørn Utzon (1973)
Anos ativos1920–2000
PaísInternacional

Arquitetura moderna , ou arquitetura modernista , era um movimento arquitetônico ou estilo arquitetônico baseado em novas e inovadoras tecnologias de construção, particularmente o uso de vidro, aço e concreto armado ; a ideia de que a forma deve seguir a função ( funcionalismo ); um abraço do minimalismo ; e uma rejeição do ornamento . [1] Surgiu na primeira metade do século 20 e tornou-se dominante após a Segunda Guerra Mundial até a década de 1980, quando foi gradualmente substituído como o principal estilo de edifícios institucionais e corporativos porarquitetura pós-moderna . [2]

Origens

A arquitetura moderna surgiu no final do século 19 a partir de revoluções na tecnologia, engenharia e materiais de construção, e do desejo de romper com os estilos arquitetônicos históricos e de inventar algo que fosse puramente funcional e novo.

A revolução nos materiais veio primeiro, com o uso de ferro fundido , placa de vidro de drywall e concreto armado , para construir estruturas que eram mais fortes, mais leves e mais altas. O processo de chapa de vidro fundido foi inventado em 1848, permitindo a fabricação de janelas muito grandes. O Palácio de Cristal de Joseph Paxton na Grande Exposição de 1851 foi um dos primeiros exemplos de construção em ferro e vidro laminado, seguido em 1864 pela primeira parede de cortina de vidro e metal . Juntos, esses desenvolvimentos levaram ao primeiro arranha-céu com estrutura de aço, o Home Insurance Building de dez andares em Chicago, construído em 1884 porWilliam Le Baron Jenney . [3] A construção em estrutura de ferro da Torre Eiffel , então a estrutura mais alta do mundo, capturou a imaginação de milhões de visitantes da Exposição Universal de Paris em 1889 . [4]

O industrial francês François Coignet foi o primeiro a usar o concreto armado com ferro, ou seja, o concreto reforçado com barras de ferro, como técnica de construção de edifícios. [5] Em 1853 Coignet construiu a primeira estrutura de concreto armado de ferro, uma casa de quatro andares nos subúrbios de Paris. [5] Outro passo importante à frente foi a invenção do elevador de segurança por Elisha Otis , demonstrado pela primeira vez na exposição New York Crystal Palace em 1854, que tornou prédios altos de escritórios e apartamentos. [6] Outra tecnologia importante para a nova arquitetura foi a luz elétrica, que reduziu muito o perigo inerente de incêndios causados ​​por gás no século XIX. [7]

A estréia de novos materiais e técnicas inspirou arquitetos para romper com os modelos neoclássicos e ecléticos que dominaram Europeu e arquitetura americana no final do século 19, mais notavelmente o ecletismo , vitoriana e arquitectura eduardiana , e as Beaux-Arts de estilo arquitetônico . [8] Essa ruptura com o passado foi particularmente estimulada pelo teórico e historiador da arquitetura Eugène Viollet-le-Duc . Em seu livro de 1872 Entretiens sur L'Architecture, ele exortou: "use os meios e os conhecimentos que nos são dados por nosso tempo, sem as tradições intervenientes que não são mais viáveis ​​hoje, e assim podemos inaugurar uma nova arquitetura. Para cada função seu material; para cada material sua forma e seu ornamento. " [9] Este livro influenciou uma geração de arquitetos, incluindo Louis Sullivan , Victor Horta , Hector Guimard e Antoni Gaudí . [10]

Precoce modernismo na Europa (1900-1914)

No final do século 19, alguns arquitetos começaram a desafiar as tradicionais Beaux Arts e os estilos neoclássicos que dominavam a arquitetura na Europa e nos Estados Unidos. A Escola de Arte de Glasgow (1896 a 1899), projetada por Charles Rennie Mackintosh , tinha uma fachada dominada por grandes vãos verticais de janelas. [11] O estilo Art Nouveau foi lançado na década de 1890 por Victor Horta na Bélgica e Hector Guimard na França; introduziu novos estilos de decoração, baseados em formas vegetais e florais. Em Barcelona, Antonio Gaudi concebeu a arquitetura como uma forma de escultura; a fachada doA Casa Battlo em Barcelona (1904–1907) não tinha linhas retas; foi incrustado com mosaicos coloridos de pedra e azulejos de cerâmica [12]

Os arquitetos também começaram a experimentar novos materiais e técnicas, o que lhes deu maior liberdade para criar novas formas. Em 1903-1904, em Paris, Auguste Perret e Henri Sauvage começaram a usar concreto armado , anteriormente usado apenas para estruturas industriais, para construir prédios de apartamentos. [13] O concreto armado, que podia ser moldado em qualquer forma e que podia criar espaços enormes sem a necessidade de pilares de sustentação, substituiu a pedra e o tijolo como material básico para os arquitetos modernistas. Os primeiros prédios de concreto de Perret e Sauvage foram cobertos com ladrilhos de cerâmica, mas em 1905 Perret construiu o primeiro estacionamento de concreto na rue de Ponthieu 51 em Paris; aqui, o concreto foi deixado exposto e o espaço entre o concreto foi preenchido com janelas de vidro. Henri Sauvage acrescentou outra inovação de construção em um prédio de apartamentos na Rue Vavin em Paris (1912–1914); o edifício de concreto armado era em degraus, com cada andar recuado em relação ao andar de baixo, criando uma série de terraços. Entre 1910 e 1913, Auguste Perret construiu oThéâtre des Champs-Élysées , uma obra-prima de construção em concreto armado, com baixos-relevos escultóricos Art Déco na fachada de Antoine Bourdelle . Por causa da construção de concreto, nenhuma coluna bloqueou a visão do espectador do palco. [14]

Otto Wagner , em Viena, foi outro pioneiro do novo estilo. Em seu livro Moderne Architektur (1895), ele pediu um estilo de arquitetura mais racionalista, baseado na "vida moderna". [15] Ele projetou uma estação de metrô ornamental estilizada em Karlsplatz em Viena (1888-1889), então uma residência Art Nouveau ornamental , Majolika House (1898), antes de mudar para um estilo muito mais geométrico e simplificado, sem ornamentos, na Áustria Caixa Postal de Poupança(1904–1906). Wagner declarou sua intenção de expressar a função do edifício em seu exterior. O exterior de concreto armado foi coberto com placas de mármore fixadas com parafusos de alumínio polido. O interior era puramente funcional e simples, um grande espaço aberto de aço, vidro e concreto onde a única decoração era a própria estrutura. [16]

O arquiteto vienense Adolf Loos também começou a remover qualquer ornamento de seus edifícios. Sua Steiner House , em Viena (1910), foi um exemplo do que ele chamou de arquitetura racionalista ; tinha uma fachada retangular simples de estuque com janelas quadradas e sem ornamentos. A fama do novo movimento, que ficou conhecido como a Secessão de Viena, espalhou-se para além da Áustria. Josef Hoffmann , um aluno de Wagner, construiu um marco do início da arquitetura modernista, o Palais Stoclet, em Bruxelas, em 1906–1911. Esta residência, construída em tijolos revestidos com mármore norueguês, era composta por blocos geométricos, alas e uma torre. Uma grande piscina na frente da casa refletia suas formas cúbicas. O interior foi decorado com pinturas de Gustav Klimt e outros artistas, e o arquiteto até desenhou roupas para a família que combinassem com a arquitetura. [17]

Na Alemanha, um movimento industrial modernista, a Deutscher Werkbund (Federação Alemã do Trabalho) foi criada em Munique em 1907 por Hermann Muthesius , um proeminente comentarista arquitetônico. Seu objetivo era reunir designers e industriais para produzir produtos bem projetados e de alta qualidade e, no processo, inventar um novo tipo de arquitetura. [18] A organização originalmente incluía doze arquitetos e doze firmas de negócios, mas se expandiu rapidamente. Os arquitetos incluem Peter Behrens , Theodor Fischer (que serviu como seu primeiro presidente), Josef Hoffmann e Richard Riemerschmid . [19]Em 1909, Behrens projetou um dos primeiros e mais influentes edifícios industriais no estilo modernista, a fábrica de turbinas AEG, um monumento funcional de aço e concreto. Em 1911-1913, Adolf Meyer e Walter Gropius , que trabalharam para Behrens, construíram outra planta industrial revolucionária, a Fagus Factory em Alfeld an der Leine, um edifício sem ornamento onde todos os elementos de construção estavam em exibição. A Werkbund organizou uma grande exposição de design modernista em Colônia apenas algumas semanas antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial em agosto de 1914. Para a exposição de 1914 em Colônia, Bruno Taut construiu um pavilhão de vidro revolucionário. [20]

Precoce modernismo americano (1890 a 1914)

Frank Lloyd Wright foi um arquiteto americano altamente original e independente que se recusou a ser classificado em qualquer movimento arquitetônico. Como Le Corbusier e Ludwig Mies van der Rohe , ele não teve nenhum treinamento formal em arquitetura. Em 1887-93, ele trabalhou no escritório de Louis Sullivan em Chicago , que foi o pioneiro dos primeiros edifícios de escritórios altos com estrutura de aço em Chicago e que afirmou a famosa frase "a forma segue a função ". [21] Wright decidiu quebrar todas as regras tradicionais. Ele era particularmente famoso por suas Prairie Houses , incluindo a Winslow House em River Forest, Illinois (1893-94); Arthur Heurtley House(1902) e Robie House (1909); largas residências geométricas sem decoração, com fortes linhas horizontais que pareciam brotar da terra e que ecoavam os amplos espaços planos da pradaria americana. Seu Larkin Building (1904–1906) em Buffalo, Nova York , Unity Temple (1905) em Oak Park, Illinois e Unity Temple tinham formas altamente originais e nenhuma conexão com precedentes históricos. [22]

Arranha-céus início

No final do século 19, os primeiros arranha-céus começaram a aparecer nos Estados Unidos. Eles foram uma resposta à escassez de terras e ao alto custo dos imóveis no centro das cidades americanas de rápido crescimento e à disponibilidade de novas tecnologias, incluindo estruturas de aço à prova de fogo e melhorias no elevador de segurança inventado por Elisha Otis em 1852. O primeiro "arranha-céu" com estrutura de aço, The Home Insurance Building em Chicago, tinha dez andares. Foi projetado por William Le Baron Jenney em 1883 e foi brevemente o edifício mais alto do mundo. Louis Sullivan construiu outra nova estrutura monumental, o edifício Carson, Pirie, Scott and Company, no coração de Chicago em 1904–06. Embora esses edifícios fossem revolucionários em suas estruturas de aço e altura, sua decoração foi emprestada da arquitetura Neo-Renascentista , Neo-Gótica e Beaux-Arts . O Edifício Woolworth , projetado por Cass Gilbert , foi concluído em 1912 e era o edifício mais alto do mundo até a conclusão do Edifício Chrysler em 1929. A estrutura era puramente moderna, mas seu exterior era decorado com ornamentos neogóticos, completo com contrafortes, arcos e pináculos decorativos, o que fez com que fosse apelidada de "Catedral do Comércio". [23]

Ascensão do modernismo na Europa e na Rússia (1918-1931)

Após a Primeira Guerra Mundial, uma luta prolongada começou entre arquitetos que favoreciam os estilos mais tradicionais do neoclassicismo e do estilo de arquitetura Beaux-Arts , e os modernistas, liderados por Le Corbusier e Robert Mallet-Stevens na França, Walter Gropius e Ludwig Mies van der Rohe na Alemanha e Konstantin Melnikov na nova União Soviética , que queria apenas formas puras e a eliminação de qualquer decoração. Louis Sullivan popularizou o axioma Forma segue a função para enfatizar a importância da simplicidade utilitária na arquitetura moderna. Art Decoarquitetos como Auguste Perret e Henri Sauvage freqüentemente faziam um compromisso entre os dois, combinando formas modernistas e decoração estilizada.

Estilo Internacional (1920 e 1970)

A figura dominante na ascensão do modernismo na França foi Charles-Édouard Jeanneret, um arquiteto suíço-francês que em 1920 adotou o nome de Le Corbusier . Em 1920 ele co-fundou um jornal chamado ' L'Espirit Nouveaue uma arquitetura promovida energicamente que fosse funcional, pura e livre de qualquer decoração ou associação histórica. Ele também foi um defensor apaixonado de um novo urbanismo, baseado em cidades planejadas. Em 1922, ele apresentou o projeto de uma cidade para três milhões de pessoas, cujos habitantes viviam em arranha-céus idênticos de 60 andares cercados por um parque aberto. Ele projetou casas modulares, que seriam produzidas em massa no mesmo plano e montadas em blocos de apartamentos, bairros e cidades. Em 1923 publicou "Toward an Architecture", com seu famoso slogan, "uma casa é uma máquina para se viver". [24] Ele promoveu incansavelmente suas idéias por meio de slogans, artigos, livros, conferências e participação em Exposições.

Para ilustrar suas idéias, na década de 1920 ele construiu uma série de casas e vilas em Paris e arredores. Todas foram construídas de acordo com um sistema comum, baseado na utilização de betão armado, e de pilares de betão armado no seu interior que sustentavam a estrutura, permitindo paredes de cortina de vidro na fachada e plantas abertas, independentes da estrutura. Eles eram sempre brancos e não tinham nenhum ornamento ou decoração por fora ou por dentro. A mais conhecida dessas casas foi a Villa Savoye , construída em 1928-1931 no subúrbio parisiense de Poissy. Uma elegante caixa branca envolvida por uma faixa de janelas de vidro ao redor da fachada, com uma área de estar que se abria para um jardim interno e uma paisagem ao redor, elevada por uma fileira de postes brancos no centro de um grande gramado, tornou-se um ícone de arquitetura modernista. [25]

Bauhaus eo Werkbund alemã (1919-1933)

Na Alemanha, dois movimentos modernistas importantes surgiram após a primeira Guerra Mundial, a Bauhaus foi uma escola fundada em Weimar em 1919 sob a direção de Walter Gropius . Gropius era filho do arquiteto oficial do estado de Berlim, que estudou antes da guerra com Peter Behrens e projetou a modernista fábrica de turbinas Fagus. A Bauhaus foi uma fusão da Academia de Artes do pré-guerra com a escola de tecnologia. Em 1926, foi transferido de Weimar para Dessau; Gropius projetou a nova escola e os dormitórios dos alunos no novo estilo modernista puramente funcional que ele encorajava. A escola reuniu modernistas em todos os campos; o corpo docente incluiu os pintores modernistas Vasily Kandinsky ,Joseph Albers e Paul Klee , e o designer Marcel Breuer .

Gropius se tornou um importante teórico do modernismo, escrevendo The Idea and Construction em 1923. Ele foi um defensor da padronização na arquitetura e da construção em massa de blocos de apartamentos racionalmente projetados para operários. Em 1928, ele foi contratado pela empresa Siemens para construir apartamentos para trabalhadores nos subúrbios de Berlim, e em 1929 ele propôs a construção de grupos de torres de apartamentos delgadas de oito a dez andares para os trabalhadores.

Enquanto Gropius estava ativo na Bauhaus, Ludwig Mies van der Rohe liderou o movimento arquitetônico modernista em Berlim. Inspirado pelo movimento De Stijl na Holanda, ele construiu conjuntos de casas de verão de concreto e propôs um projeto para uma torre de escritórios de vidro. Ele se tornou o vice-presidente da Werkbund alemã e o chefe da Bauhaus de 1930 a 1933, propondo uma ampla variedade de planos modernistas para reconstrução urbana. Sua obra modernista mais famosa foi o pavilhão alemão para a exposição internacional de 1929 em Barcelona. Foi uma obra de puro modernismo, com paredes de vidro e concreto e linhas horizontais limpas. Embora fosse apenas uma estrutura temporária, e foi demolida em 1930, tornou-se, junto com a de Le CorbusierVilla Savoye , um dos marcos mais conhecidos da arquitetura modernista. Uma versão reconstruída agora está no local original em Barcelona. [26]

Quando os nazistas chegaram ao poder na Alemanha, viram a Bauhaus como um campo de treinamento para comunistas e fecharam a escola em 1933. Gropius deixou a Alemanha e foi para a Inglaterra, depois para os Estados Unidos, onde ele e Marcel Breuer ingressaram no corpo docente da Harvard Graduate School of Design , e se tornaram professores de uma geração de arquitetos americanos do pós-guerra. Em 1937, Mies van der Rohe também se mudou para os Estados Unidos; ele se tornou um dos mais famosos designers de arranha-céus americanos do pós-guerra. [26]

Arquitetura expressionista (1918-1931)

O expressionismo , que apareceu na Alemanha entre 1910 e 1925, foi um contra-movimento contra a arquitetura estritamente funcional da Bauhaus e Werkbund. Seus defensores, incluindo Bruno Taut , Hans Poelzig , Fritz Hoger e Erich Mendelsohn , queriam criar uma arquitetura que fosse poética, expressiva e otimista. Muitos arquitetos expressionistas lutaram na Primeira Guerra Mundial e suas experiências, combinadas com a turbulência política e a convulsão social que se seguiu à Revolução Alemã de 1919, resultaram em uma visão utópica e uma agenda socialista romântica. [27] As condições econômicas limitaram severamente o número de comissões construídas entre 1914 e meados de 1920,[28] Como resultado, muitos dos projectos mais expressionistas inovadores, incluindo Bruno Taut 's Alpine Arquitetura e Hermann Finsterlin ' s Formspiels , permaneceram no papel. A cenografia para teatro e filmes forneceu outra saída para a imaginação expressionista, [29] e forneceu renda suplementar para designers que tentavam desafiar as convenções em um clima econômico difícil. Um tipo específico, usando tijolos para criar suas formas (em vez de concreto), é conhecido como Expressionismo de Tijolos .

Erich Mendelsohn (que não gostava do termo Expressionismo para seu trabalho) começou sua carreira projetando igrejas, silos e fábricas que eram altamente imaginativas, mas, por falta de recursos, nunca foram construídas. Em 1920, ele finalmente conseguiu construir uma de suas obras na cidade de Potsdam; um observatório e centro de pesquisa chamado Einsteinium , em homenagem a Albert Einstein . Era para ser construída em betão armado, mas devido a problemas técnicos foi finalmente construída com materiais tradicionais cobertos com gesso. Sua forma escultural, muito diferente das formas retangulares austeras da Bauhaus, primeiro lhe rendeu comissões para construir cinemas e lojas de varejo em Stuttgart, Nuremberg e Berlim. His Mossehausem Berlim, foi um dos primeiros modelos do estilo moderno aerodinâmico . Seu Columbushaus na Potsdamer Platz em Berlim (1931) foi um protótipo para os prédios de escritórios modernistas que se seguiram. (Foi demolido em 1957, porque ficava na zona entre Berlim Oriental e Ocidental, onde o Muro de Berlim foi construído.) Após a ascensão dos nazistas ao poder, ele se mudou para a Inglaterra (1933), depois para os Estados Unidos (1941). [30]

Fritz Höger foi outro notável arquiteto expressionista do período. Seu Chilehaus foi construído como a sede de uma empresa de navegação e foi modelado a partir de um navio a vapor gigante, um edifício triangular com uma proa pontiaguda. Foi construído com tijolos escuros e usava pilares externos para expressar sua estrutura vertical. Sua decoração externa foi emprestada de catedrais góticas, assim como suas arcadas internas. Hans Poelzig foi outro notável arquiteto expressionista. Em 1919, ele construiu o Großes Schauspielhaus , um imenso teatro em Berlim, com capacidade para cinco mil espectadores para o empresário de teatro Max Reinhardt. Ele apresentava formas alongadas como estalagmites penduradas em sua cúpula gigantesca e luzes em colunas maciças em seu saguão. Ele também construiu o edifício IG Farben , uma enorme sede corporativa, agora o edifício principal da Universidade Goethe em Frankfurt. Bruno Taut se especializou na construção de complexos de apartamentos de grande porte para os berlinenses da classe trabalhadora. Ele construiu doze mil unidades individuais, às vezes em edifícios com formas incomuns, como uma ferradura gigante. Ao contrário da maioria dos outros modernistas, ele usou cores exteriores brilhantes para dar mais vida aos seus edifícios. O uso de tijolos escuros nos projetos alemães deu a esse estilo particular um nome, Brick Expressionism . [31]

O filósofo, arquiteto e crítico social austríaco Rudolf Steiner também se afastou, tanto quanto possível, das formas arquitetônicas tradicionais. Seu Segundo Goetheanum , construído a partir de 1926 perto de Basel , na Suíça , o Einsteinturm em Potsdam, Alemanha, e o Segundo Goetheanum , de Rudolf Steiner (1926), não se baseavam em modelos tradicionais e tinham formas inteiramente originais.

Arquitetura construtivista (1919-1931)

Após a Revolução Russa de 1917, os artistas e arquitetos de vanguarda russos começaram a buscar um novo estilo soviético que pudesse substituir o neoclassicismo tradicional. Os novos movimentos arquitetônicos estavam intimamente ligados aos movimentos literários e artísticos do período, o futurismo do poeta Vladimir Mayakovskiy , o suprematismo do pintor Kasimir Malevich e o colorido raionismo do pintor Mikhail Larionov . O projeto mais surpreendente que surgiu foi a torre proposta pelo pintor e escultor Vladimir Tatlin para a reunião de Moscou da Terceira Internacional Comunistaem 1920: propôs duas torres de metal entrelaçadas de quatrocentos metros de altura, com quatro volumes geométricos suspensos por cabos. O movimento da arquitetura construtivista russa foi lançado em 1921 por um grupo de artistas liderado por Aleksandr Rodchenko . Seu manifesto proclamava que seu objetivo era encontrar a "expressão comunista das estruturas materiais". Os arquitetos soviéticos começaram a construir clubes de trabalhadores, prédios de apartamentos comunitários e cozinhas comunitárias para alimentar bairros inteiros. [32]

Um dos primeiros arquitetos construtivistas proeminentes a surgir em Moscou foi Konstantin Melnikov , o número de clubes de trabalho - incluindo Rusakov Workers 'Club (1928) - e sua própria casa, Melnikov House (1929) perto da rua Arbat em Moscou. Melnikov viajou para Paris em 1925, onde construiu o Pavilhão Soviético para a Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas em Paris em 1925; era uma construção vertical altamente geométrica de vidro e aço cruzada por uma escada diagonal e coroada com uma foice e um martelo. O principal grupo de arquitetos construtivistas, liderado pelos irmãos Vesnin e Moisei Ginzburg, estava publicando a revista 'Arquitetura Contemporânea'. Este grupo criou vários grandes projetos construtivistas na esteira do primeiro plano de cinco anos - incluindo a colossal Hidrelétrica Dnieper (1932) - e fez uma tentativa de iniciar a padronização de blocos de convivência com o edifício Narkomfin de Ginzburg . Vários arquitetos do período pré-soviético também adotaram o estilo construtivista. O exemplo mais famoso foi o Mausoléu de Lenin em Moscou (1924), de Alexey Shchusev (1924) [33]

Os principais centros da arquitetura construtivista foram Moscou e Leningrado; no entanto, durante a industrialização, muitos edifícios construtivistas foram erguidos em cidades provinciais. Os centros industriais regionais, incluindo Ekaterinburg , Kharkiv ou Ivanovo , foram reconstruídos de maneira construtivista; algumas cidades, como Magnitogorsk ou Zaporizhzhia , foram construídas de novo (a chamada socgorod , ou 'cidade socialista').

O estilo caiu em decadência na década de 1930, sendo substituído pelos estilos nacionalistas mais grandiosos que Stalin preferia. Arquitetos construtivistas e até mesmo projetos de Le Corbusier para o novo Palácio dos Soviéticos de 1931 a 1933, mas o vencedor foi um dos primeiros edifícios stalinistas no estilo denominado Pós-construtivismo . O último grande edifício construtivista russo, de Boris Iofan , foi construído para a Exposição Mundial de Paris (1937), onde ficava de frente para o pavilhão da Alemanha nazista do arquiteto de Hitler Albert Speer . [34]

Modernismo torna-se um movimento: CIAM (1928)

No final da década de 1920, o modernismo havia se tornado um movimento importante na Europa. A arquitetura, que antes era predominantemente nacional, começou a se internacionalizar. Os arquitetos viajaram, se conheceram e compartilharam ideias. Vários modernistas, incluindo Le Corbusier , haviam participado do concurso para a sede da Liga das Nações em 1927. No mesmo ano, o Werkbund alemão organizou uma exposição de arquitetura no Weissenhof Estate Stuttgart . Dezessete arquitetos modernistas importantes na Europa foram convidados para projetar vinte e uma casas; Le Corbusier e Ludwig Mies van der Rohedesempenhou um papel importante. Em 1927, Le Corbusier, Pierre Chareau e outros propuseram a fundação de uma conferência internacional para estabelecer a base de um estilo comum. A primeira reunião do Congrès Internationaux d'Architecture Moderne ou Congressos Internacionais de Arquitetos Modernos (CIAM), foi realizada em um castelo no Lago Leman, na Suíça, de 26 a 28 de junho de 1928. Entre os participantes estavam Le Corbusier, Robert Mallet-Stevens , Auguste Perret , Pierre Chareau e Tony Garnier da França; Victor Bourgeois da Bélgica; Walter Gropius , Erich Mendelsohn , Ernst Maye Ludwig Mies van der Rohe da Alemanha; Josef Frank da Áustria; Mart Stam e Gerrit Rietveld da Holanda e Adolf Loos da Tchecoslováquia. Uma delegação de arquitetos soviéticos foi convidada a comparecer, mas eles não conseguiram obter vistos. Os membros posteriores incluíram Josep Lluís Sert da Espanha e Alvar Aaltoda Finlândia. Ninguém compareceu dos Estados Unidos. Um segundo encontro foi organizado em 1930 em Bruxelas por Victor Bourgeois sobre o tema "Métodos racionais para grupos de habitações". Uma terceira reunião, sobre "A cidade funcional", foi agendada para Moscou em 1932, mas foi cancelada no último minuto. Em vez disso, os delegados realizaram sua reunião em um navio de cruzeiro viajando entre Marselha e Atenas. A bordo, eles redigiram um texto sobre como as cidades modernas deveriam ser organizadas. O texto, denominado Carta de Atenas, após considerável edição por Corbusier e outros, foi finalmente publicado em 1957 e tornou-se um texto influente para planejadores de cidades nas décadas de 1950 e 1960. O grupo se reuniu mais uma vez em Paris em 1937 para discutir habitação pública e estava programado para se reunir nos Estados Unidos em 1939, mas a reunião foi cancelada por causa da guerra. O legado do CIAM foi um estilo e uma doutrina mais ou menos comuns que ajudaram a definir a arquitetura moderna na Europa e nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial. [35]

Art Déco

O estilo arquitetônico Art Deco (chamado de Style Moderne na França) era moderno, mas não era modernista; tinha muitas características do modernismo, incluindo o uso de concreto armado, vidro, aço, cromo, e rejeitava modelos históricos tradicionais, como o estilo Beaux-Arts e o neoclassicismo.; mas, ao contrário dos estilos modernistas de Le Corbusier e Mies van der Rohe, fazia uso pródigo de decoração e cor. Ele se deleitou com os símbolos da modernidade; relâmpagos, amanheceres e ziguezagues. O Art Deco começou na França antes da Primeira Guerra Mundial e se espalhou pela Europa; nas décadas de 1920 e 1930, tornou-se um estilo muito popular nos Estados Unidos, América do Sul, Índia, China, Austrália e Japão. Na Europa, o Art Déco era particularmente popular em lojas de departamentos e cinemas. O estilo atingiu seu ápice na Europa na Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernasem 1925, que apresentava pavilhões art déco e decoração de vinte países. Apenas dois pavilhões eram puramente modernistas; o pavilhão Esprit Nouveau de Le Corbusier, que representou sua ideia para uma unidade habitacional produzida em massa, e o pavilhão da URSS, de Konstantin Melnikov em um estilo extravagantemente futurista . [36]

Mais tarde, marcos franceses no estilo Art Déco incluíram o cinema Grand Rex em Paris, a loja de departamentos La Samaritaine de Henri Sauvage (1926 a 1928) e o prédio do Conselho Social e Econômico em Paris (1937 a 1938) de Auguste Perret e o Palais de Tokyo e Palais de Chaillot , ambos construídos por coletivos de arquitetos para a Paris Exposition Internationale des Arts et Techniques dans la Vie Moderne de 1937 . [37]

Art Déco americano; o estilo arranha-céu (1919-1939)

No final dos anos 1920 e no início dos anos 1930, uma exuberante variante americana do Art Déco apareceu no Chrysler Building , Empire State Building e Rockefeller Center na cidade de Nova York e no Guardian Buildingem Detroit. Os primeiros arranha-céus em Chicago e Nova York foram projetados em um estilo neogótico ou neoclássico, mas esses edifícios eram muito diferentes; combinaram materiais e tecnologia modernos (aço inoxidável, concreto, alumínio, aço cromado) com geometria Art Déco; ziguezagues estilizados, relâmpagos, fontes, amanheceres e, no topo do edifício Chrysler, "gárgulas" Art Déco na forma de ornamentos de radiador de aço inoxidável. Os interiores desses novos edifícios, às vezes chamados de Catedrais do Comércio ", eram ricamente decorados em cores contrastantes e brilhantes, com padrões geométricos influenciados por pirâmides egípcias e maias, padrões têxteis africanos e catedrais europeias. O próprio Frank Lloyd Wright fez experiências com o renascimento maia, na Ennis House baseada em cubos de concreto de 1924 em Los Angeles. O estilo apareceu no final dos anos 1920 e 1930 em todas as principais cidades americanas. O estilo era usado com mais frequência em prédios de escritórios, mas também aparecia nos enormes palácios do cinema que foram construídos nas grandes cidades quando os filmes sonoros foram introduzidos. [38]

Estilo Streamline e Obras Públicas, Administração (1933-1939)

O início da Grande Depressão em 1929 trouxe o fim da arquitetura Art Déco ricamente decorada e a paralisação temporária da construção de novos arranha-céus. Ele também trouxe um novo estilo, chamado " Streamline Moderne"ou às vezes apenas Streamline. Este estilo, às vezes modelado a partir da forma de transatlânticos, apresentava cantos arredondados, linhas horizontais fortes e, muitas vezes, recursos náuticos, como superestruturas e grades de aço. Estava associado à modernidade e, especialmente, ao transporte; o O estilo era frequentemente usado para novos terminais de aeroporto, estações ferroviárias e rodoviárias e para postos de gasolina e lanchonetes construídos ao longo do crescente sistema de rodovias americanas. Na década de 1930, o estilo era usado não apenas em edifícios, mas em locomotivas ferroviárias e até mesmo em geladeiras e vácuo produtos de limpeza. Tanto tomou emprestado do desenho industrial quanto o influenciou. [39]

Nos Estados Unidos, a Grande Depressão levou a um novo estilo de edifícios governamentais, às vezes chamados de PWA Moderne , para a Administração de Obras Públicas , que lançou programas de construção gigantescos nos EUA para estimular o emprego. Era essencialmente uma arquitetura clássica despojada de ornamentos e era empregada em prédios estaduais e federais, de correios ao maior prédio de escritórios do mundo na época, o Pentágono (1941-43), iniciado pouco antes de os Estados Unidos entrarem no Segundo Mundo Guerra. [40]

Modernismo americano (1919-1939)

Durante as décadas de 1920 e 1930, Frank Lloyd Wright recusou-se terminantemente a se associar a qualquer movimento arquitetônico. Ele considerou sua arquitetura totalmente única e própria. Entre 1916 e 1922, ele rompeu com seu estilo de casa de pradaria anterior e trabalhou em casas decoradas com blocos de cimento texturizados; este ficou conhecido como seu "estilo maia", em homenagem às pirâmides da antiga civilização maia. Ele experimentou por um tempo com caixas modulares produzidas em massa. Ele identificou sua arquitetura como "Usoniana", uma combinação de EUA, "utópica" e "ordem social orgânica". Seu negócio foi severamente afetado pelo início da Grande Depressão, que começou em 1929; ele tinha menos clientes ricos que queriam experimentar. Entre 1928 e 1935,ele construiu apenas dois edifícios: um hotel próximoChandler, Arizona , e a mais famosa de todas as suas residências, Fallingwater (1934–37), uma casa de férias na Pensilvânia para Edgar J. Kaufman. Fallingwater é uma notável estrutura de lajes de concreto suspensas sobre uma cachoeira, unindo arquitetura e natureza na perfeição. [41]

O arquiteto austríaco Rudolph Schindler projetou o que poderia ser chamado de a primeira casa em estilo moderno em 1922, a casa Schindler. Schindler também contribuiu para o modernismo americano com seu projeto para a Lovell Beach House em Newport Beach . O arquiteto austríaco Richard Neutra mudou-se para os Estados Unidos em 1923, trabalhou por um curto período com Frank Lloyd Wright, também rapidamente se tornou uma força na arquitetura americana por meio de seu projeto modernista para o mesmo cliente, a Lovell Health House em Los Angeles. O trabalho arquitetônico mais notável de Neutra foi a Kaufmann Desert House em 1946, e ele projetou centenas de outros projetos. [42]

Paris Exposição Internacional de 1937 e a arquitetura de ditadores

A Exposição Internacional de Paris de 1937 marcou efetivamente o fim do Art Déco e dos estilos arquitetônicos anteriores à guerra. A maioria dos pavilhões era em estilo neoclássico Deco, com colunatas e decoração escultórica. Os pavilhões da Alemanha nazista, projetados por Albert Speer , em estilo neoclássico alemão encimados por águia e suástica, ficavam em frente ao pavilhão da União Soviética, encimado por enormes estátuas de um operário e um camponês carregando uma foice e um martelo. Quanto aos modernistas, Le Corbusier era praticamente, mas não totalmente invisível na Exposição; ele participou do Pavilion des temps nouveaux, mas se concentrou principalmente em sua pintura. [43] O único modernista que atraiu a atenção foi um colaborador de Le Corbusier,Josep Lluis Sert , o arquiteto espanhol, cujo pavilhão da Segunda República Espanhola era puro vidro modernista e caixa de aço. Em seu interior exibia a obra mais modernista da Exposição, o quadro Guernica de Pablo Picasso . O edifício original foi destruído após a Exposição, mas foi recriado em 1992 em Barcelona.

A ascensão do nacionalismo na década de 1930 refletiu-se na arquitetura fascista da Itália e na arquitetura nazista da Alemanha, baseada em estilos clássicos e projetada para expressar poder e grandeza. A arquitetura nazista, grande parte projetada por Albert Speer , pretendia impressionar os espectadores por sua enorme escala. Adolf Hitler pretendia transformar Berlim na capital da Europa, mais grandiosa que Roma ou Paris. Os nazistas fecharam a Bauhaus, e os arquitetos modernos mais proeminentes logo partiram para a Grã-Bretanha ou os Estados Unidos. Na Itália, Benito Mussolini desejava apresentar-se como o herdeiro da glória e do império da Roma Antiga. [44] O governo de Mussolini não era tão hostil ao modernismo quanto os nazistas; o espírito deO racionalismo italiano da década de 1920 continuou, com o trabalho do arquiteto Giuseppe Terragni . Sua Casa del Fascio em Como, sede do partido fascista local, era um edifício perfeitamente modernista, com proporções geométricas (33,2 metros de comprimento por 16,6 metros de altura), uma fachada limpa de mármore e um pátio interno de inspiração renascentista. Oposto a Terragni estava Marcello Piacitini, um defensor da arquitetura fascista monumental, que reconstruiu a Universidade de Roma, projetou o pavilhão italiano na Exposição de Paris de 1937 e planejou uma grande reconstrução de Roma no modelo fascista. [45]

Feira Mundial de Nova Iorque (1939)

A Feira Mundial de Nova York de 1939 marcou uma virada na arquitetura entre o Art Déco e a arquitetura moderna. O tema da Feira foi o Mundo do Amanhã , e seus símbolos foram o trílon puramente geométrico e a escultura do perisfério. Tinha muitos monumentos ao Art Déco, como o Pavilhão Ford no estilo Streamline Moderne , mas também incluía o novo Estilo Internacional que substituiria o Art Déco como estilo dominante após a Guerra. Os Pavilhões da Finlândia, de Alvar Aalto , da Suécia de Sven Markelius , e do Brasil de Oscar Niemeyer e Lucio Costa , almejavam um novo estilo. Eles se tornaram líderes no movimento modernista do pós-guerra. [46]

II Guerra Mundial: a inovação em tempo de guerra e reconstrução do pós-guerra (1939-1945)

A Segunda Guerra Mundial (1939–1945) e suas consequências foram um fator importante para impulsionar a inovação na tecnologia de construção e, por sua vez, nas possibilidades arquitetônicas. [40] [47] As demandas industriais do tempo de guerra resultaram em escassez de aço e outros materiais de construção, levando à adoção de novos materiais, como o alumínio. A guerra e o período do pós-guerra trouxeram uma grande expansão do uso de edifícios pré-fabricados ; principalmente para os militares e o governo. A cabana Nissen de metal semicircular da Primeira Guerra Mundial foi revivida como a cabana Quonset . Os anos imediatamente após a guerra viram o desenvolvimento de casas experimentais radicais, incluindo a casa Lustron de aço esmaltado(1947–1950) e Dymaxion House experimental de alumínio de Buckminster Fuller . [47] [48]

A destruição sem precedentes causada pela guerra foi outro fator no surgimento da arquitetura moderna. Grandes partes das principais cidades, de Berlim, Tóquio e Dresden a Rotterdam e leste de Londres; todas as cidades portuárias da França, especialmente Le Havre , Brest, Marselha, Cherbourg, foram destruídas por bombardeios. Nos Estados Unidos, poucas construções civis haviam sido feitas desde a década de 1920; eram necessárias moradias para milhões de soldados americanos que voltavam da guerra. A escassez de moradias do pós-guerra na Europa e nos Estados Unidos levou ao projeto e construção de enormes projetos habitacionais financiados pelo governo, geralmente em centros degradados de cidades americanas e nos subúrbios de Paris e outras cidades europeias, onde havia terrenos disponíveis,

Um dos maiores projetos de reconstrução foi o do centro da cidade de Le Havre, destruído pelos alemães e pelo bombardeio dos Aliados em 1944; 133 hectares de prédios no centro foram arrasados, destruindo 12.500 prédios e deixando 40.000 desabrigados. O arquiteto Auguste Perret , pioneiro no uso de concreto armado e materiais pré-fabricados, projetou e construiu um centro totalmente novo para a cidade, com blocos de apartamentos, edifícios culturais, comerciais e governamentais. Ele restaurou monumentos históricos quando possível e construiu uma nova igreja, St. Joseph, com uma torre semelhante a um farol no centro para inspirar esperança. Sua cidade reconstruída foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2005. [49]

Le Corbusier ea Cité Radieuse (1947-1952)

Pouco depois da guerra, o arquiteto francês Le Corbusier , que tinha quase 60 anos e não construía um prédio há dez anos, foi contratado pelo governo francês para construir um novo bloco de apartamentos em Marselha . Ele o chamou de Unité d'Habitation em Marselha, mas mais popularmente tomou o nome de Cité Radieuse(e mais tarde "Cité du Fada" "City of the crazy one" em francês de Marselha), após seu livro sobre planejamento urbano futurista. Seguindo suas doutrinas de design, o edifício tinha uma estrutura de concreto erguida acima da rua em postes. Continha 337 unidades de apartamentos duplex, encaixadas na estrutura como peças de um quebra-cabeça. Cada unidade tinha dois níveis e um pequeno terraço. As "ruas" internas tinham lojas, uma creche e outros serviços, e a cobertura plana da varanda tinha uma pista de corrida, dutos de ventilação e um pequeno teatro. Le Corbusier projetou móveis, tapetes e lâmpadas para combinar com o prédio, todos puramente funcionais; a única decoração era uma escolha de cores interiores que Le Corbusier deu aos residentes. Unité d'Habitation se tornou um protótipo para edifícios semelhantes em outras cidades, tanto na França quanto na Alemanha.Combinado com seu design orgânico igualmente radical para oCapela de Notre-Dame du-Haut em Ronchamp , esta obra impulsionou Corbusier na primeira categoria de arquitetos modernos do pós-guerra. [50]

Equipe X e de 1953 Congresso Internacional de Arquitetura Moderna

No início dos anos 1950, Michel Écochard , diretor de planejamento urbano do Protetorado Francês no Marrocos , encomendou o GAMMA ( Groupe des Architectes Modernes Marocains ), que inicialmente incluía os arquitetos Elie Azagury , George Candillis , Alexis Josic e Shadrach Woods, para projetar moradias em o bairro de Hay Mohammedi em Casablanca que fornecia um "tecido vivo culturalmente específico" para trabalhadores e migrantes do campo . [51] Sémiramis , Nid d'Abeille (Honeycomb) e Carrières Centralesforam alguns dos primeiros exemplos desse modernismo vernáculo . [52]

Ao 1953 Congrès Internationaux d'Architecture Moderne (CIAM), ATBAT-Afrique -O ramo África do Atelier des BATISSEURS fundada em 1947 por figuras incluindo Le Corbusier , Vladimir Bodiansky , e André Wogenscky -preparações um estudo de Casablanca favelas intitulado "Habitat for o maior número. " [53] Os apresentadores, Georges Candilis e Michel Ecochard , argumentaram - contra a doutrina - que os arquitetos devem considerar a cultura local e o clima em seus projetos. [54] [51] [55]Isso gerou um grande debate entre os arquitetos modernistas de todo o mundo e acabou provocando um cisma e a criação do Team 10 . [54] [56] [57] O modelo de 8x8 metros da Ecochard na Carrières Centrales lhe rendeu reconhecimento como um pioneiro na arquitetura de moradias coletivas , [58] [59] embora seu colega marroquino Elie Azagury o criticasse por servir como uma ferramenta do regime colonial francês e por ignorar a necessidade econômica e social de que os marroquinos vivam em habitações verticais de maior densidade. [60]

Modernismo pós-guerra nos Estados Unidos (1945-1985)

O Estilo Internacional de arquitetura apareceu na Europa, principalmente no movimento Bauhaus , no final dos anos 1920. Em 1932 foi reconhecido e nomeado em uma Exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York organizada pelo arquiteto Philip Johnson e o crítico de arquitetura Henry-Russel Hitchcock , entre 1937 e 1941, após a ascensão de Hitler e os nazistas na Alemanha, a maioria dos líderes do movimento Bauhaus alemão encontrou um novo lar nos Estados Unidos e desempenhou um papel importante no desenvolvimento da arquitetura moderna americana.

Frank Lloyd Wright eo Museu Guggenheim

Frank Lloyd Wright tinha oitenta anos em 1947; ele estivera presente no início do modernismo americano e, embora se recusasse a aceitar que pertencia a qualquer movimento, continuou a desempenhar um papel de liderança quase até o fim. Um de seus últimos projetos mais originais foi o campus do Florida Southern College em Lakeland, Flórida , iniciado em 1941 e concluído em 1943. Ele projetou nove novos edifícios em um estilo que descreveu como "A Criança do Sol ". Ele escreveu que queria que o campus "crescesse do solo e se transformasse na luz, um filho do sol".

Ele concluiu vários projetos notáveis ​​na década de 1940, incluindo a sede da Johnson Wax e a Price Tower em Bartlesville , Oklahoma (1956). O edifício é incomum por ser sustentado por seu núcleo central de quatro poços de elevador; o resto do edifício está em balanço com esse núcleo, como os galhos de uma árvore. Wright planejou originalmente a estrutura de um prédio de apartamentos na cidade de Nova York. Esse projeto foi cancelado por causa da Grande Depressão , e ele adaptou o projeto para um oleoduto e empresa de equipamentos em Oklahoma. Ele escreveu que na cidade de Nova York seu prédio teria se perdido em uma floresta de prédios altos, mas que em Oklahoma ele estava sozinho. O design é assimétrico; cada lado é diferente.

Em 1943, ele foi contratado pelo colecionador de arte Solomon R. Guggenheim para projetar um museu para sua coleção de arte moderna. Seu projeto era totalmente original; um edifício em forma de tigela com uma rampa em espiral no interior que levou os visitantes do museu a um passeio ascendente pela arte do século 20. O trabalho começou em 1946, mas não foi concluído até 1959, ano em que ele morreu. [46]

Walter Gropius e Marcel Breuer

Walter Gropius , o fundador da Bauhaus , mudou-se para a Inglaterra em 1934 e passou três anos lá antes de ser convidado para os Estados Unidos por Walter Hudnut, da Harvard Graduate School of Design ; Gropius tornou-se o chefe da faculdade de arquitetura. Marcel Breuer , que havia trabalhado com ele na Bauhaus, juntou-se a ele e abriu um escritório em Cambridge. A fama de Gropius e Breuer atraiu muitos alunos, que se tornaram arquitetos famosos, incluindo Ieoh Ming Pei e Philip Johnson. Eles não receberam uma comissão importante até 1941, quando projetaram moradias para trabalhadores em Kensington, Pensilvânia, perto de Pittsburgh. Em 1945, Gropius e Breuer associaram-se a um grupo de arquitetos mais jovens sob o nome de TAC ( The Architects Collaborative ). Seus trabalhos notáveis ​​incluíram a construção da Harvard Graduate School of Design , a Embaixada dos Estados Unidos em Atenas (1956–57) e a sede da Pan American Airways em Nova York (1958–63). [61]

Ludwig Mies van der Rohe

Ludwig Mies van der Rohe descreveu sua arquitetura com o famoso ditado: "Menos é mais". Como diretor da escola de arquitetura do que hoje é chamado de Instituto de Tecnologia de Illinois de 1939 a 1956, Mies (como era comumente conhecido) fez de Chicago a principal cidade do modernismo americano nos anos do pós-guerra. Ele construiu novos prédios para o Instituto em estilo modernista, dois prédios de apartamentos na Lakeshore Drive (1948–51), que se tornaram modelos para prédios em todo o país. Outras obras importantes incluíram Farnsworth House em Plano, Illinois (1945–1951), uma caixa de vidro horizontal simples que teve uma enorme influência na arquitetura residencial americana. O Centro de Convenções de Chicago (1952 a 1954) e o Crown Hallno Illinois Institute of Technology (1950–56) e no The Seagram Building na cidade de Nova York (1954–58) também estabeleceram um novo padrão de pureza e elegância. Apoiadas em pilares de granito, as paredes lisas de vidro e aço ganharam um toque de cor com o uso de vigas I em tons de bronze na estrutura. Ele retornou à Alemanha em 1962-68 para construir a nova Nationalgallerie em Berlim. Seus alunos e seguidores incluíam Philip Johnson e Eero Saarinen , cujo trabalho foi substancialmente influenciado por suas idéias. [62]

Richard Neutra e Charles e Ray Eames

Arquitetos residenciais influentes no novo estilo nos Estados Unidos incluem Richard Neutra e Charles e Ray Eames . A obra mais célebre dos Eames foi Eames House em Pacific Palisades , Califórnia, (1949) Charles Eames em colaboração com Eero Saarinen É composta por duas estruturas, uma residência de arquitetos e seu estúdio, unidas na forma de um L. A casa , influenciado pela arquitetura japonesa, é feito de painéis translúcidos e transparentes organizados em volumes simples, muitas vezes usando materiais naturais, apoiados em uma estrutura de aço. A estrutura da casa foi montada em dezesseis horas por cinco operários. Ele iluminou seus edifícios com painéis de cores puras. [63]

Richard Neutra continuou a construir casas influentes em Los Angeles, usando o tema da caixa simples. Muitas dessas casas apagaram a linha de distinção entre espaços internos e externos com paredes de vidro plano. [64] A Constance Perkins House de Neutra em Pasadena, Califórnia (1962) foi um reexame da modesta habitação de uma única família. Foi construído com material barato - madeira, gesso e vidro - e concluído a um custo de pouco menos de US $ 18.000. Neutra dimensionou a casa para as dimensões físicas de sua dona, uma pequena mulher. Possui um espelho d'água que serpenteia sob as paredes de vidro da casa. Um dos edifícios mais incomuns de Neutra foi Shepherd's Grove em Garden Grove, Califórnia, que apresentava um estacionamento adjacente onde os fiéis podiam acompanhar o culto sem sair de seus carros.

Skidmore, Owings and Merrill e Wallace K. Harrison

Muitos dos notáveis ​​edifícios modernos dos anos do pós-guerra foram produzidos por duas mega agências de arquitetura, que reuniram grandes equipes de designers para projetos muito complexos. A empresa Skidmore, Owings & Merrill foi fundada em Chicago em 1936 por Louis Skidmore e Nathaniel Owings , e ingressou em 1939 pelo engenheiro John Merrill , logo passou a ser chamada de SOM. Seu primeiro grande projeto foi o Oak Ridge National Laboratory em Oak Ridge, Tennessee, a gigantesca instalação governamental que produziu plutônio para as primeiras armas nucleares. Em 1964, a empresa tinha dezoito "sócios-proprietários", 54 "participantes associados" e 750 arquitetos, técnicos, designers, decoradores e paisagistas. Seu estilo foi amplamente inspirado no trabalho de Ludwig Mies van der Rohe , e seus edifícios logo ocuparam um lugar de destaque no horizonte de Nova York, incluindo a Lever House (1951–52) e o Manufacturers Trust Company Building (1954). Edifícios posteriores da empresa incluem a Biblioteca Beinecke na Universidade de Yale (1963), a Torre Willis , anteriormente Sears Tower em Chicago (1973) e o One World Trade Centerna cidade de Nova York (2013), que substituiu o prédio destruído no ataque terrorista de 11 de setembro de 2001. [65]

Wallace Harrison desempenhou um papel importante na história da arquitetura moderna de Nova York; como consultor de arquitetura da família Rockefeller , ele ajudou a projetar o Rockefeller Center , o principal projeto arquitetônico Art Déco da década de 1930. Ele foi o arquiteto supervisor da Feira Mundial de Nova York de 1939 e, com seu sócio Max Abramowitz , foi o construtor e arquiteto-chefe da sede das Nações Unidas ; Harrison chefiou um comitê de arquitetos internacionais, que incluiu Oscar Niemeyer (que produziu o projeto original aprovado pelo comitê) e Le Corbusier . Outros edifícios marcantes de Nova York projetados por Harrison e sua empresa incluíamMetropolitan Opera House , o plano mestre para o Lincoln Center e o Aeroporto Internacional John F. Kennedy . [66]

Philip Johnson

Philip Johnson (1906–2005) foi uma das mais jovens e últimas figuras importantes da arquitetura moderna americana. Formou-se em Harvard com Walter Gropius, depois foi diretor do departamento de arquitetura e design moderno do Metropolitan Museum of Art de 1946 a 1954. Em 1947, publicou um livro sobre Mies van der Rohe e, em 1953, projetou sua própria residência , a Glass House em New Canaan, Connecticut, em um estilo inspirado na Farnsworth House de Mies. A partir de 1955, ele começou a seguir seus próprios rumos, caminhando gradativamente em direção ao expressionismo, com designs cada vez mais distantes das ortodoxias da arquitetura moderna. Sua ruptura final e decisiva com a arquitetura moderna foi o Edifício AT&T (mais tarde conhecido como Sony Tower), e agora a 550 Madison Avenue em Nova York, (1979) um arranha-céu essencialmente modernista completamente alterado pela adição de uma tampa curva no topo de uma peça de mobília chippendale . Este edifício é geralmente considerado o marco do início da arquitetura pós-moderna nos Estados Unidos. [66]

Eero Saarinen

Eero Saarinen (1910–1961) era filho de Eliel Saarinen , o arquiteto finlandês mais famoso do período Art Nouveau, que emigrou para os Estados Unidos em 1923, quando Eero tinha treze anos. Ele estudou arte e escultura na academia onde seu pai lecionava, e depois na Académie de la Grande Chaumière.Academy in Paris antes de estudar arquitetura na Yale University. Seus projetos arquitetônicos assemelhavam-se mais a enormes peças de escultura do que a edifícios modernos tradicionais; ele se afastou das elegantes caixas inspiradas em Mies van der Rohe e, em vez disso, usou curvas radicais e parábolas, como as asas dos pássaros. Em 1948 teve a ideia de um monumento em St. Louis, Missouri, na forma de um arco parabólico de 192 metros de altura, feito de aço inoxidável (1948). Ele então projetou o Centro Técnico da General Motors em Warren, Michigan (1949–55), uma caixa modernista de vidro no estilo de Mies van der Rohe, seguido pelo Centro de Pesquisa IBM em Yorktown, Virgínia (1957–61). Seus próximos trabalhos foram uma grande mudança de estilo; ele produziu um design escultural particularmente impressionante para o Ingalls Rinkem New Haven , Connecticut (1956–59, uma pista de esqui no gelo com teto parabólico suspenso por cabos, que serviu como modelo preliminar para a próxima e mais famosa obra, o Terminal TWAno aeroporto JFK em Nova York (1956–1962). Sua intenção declarada era projetar um edifício que fosse distinto e memorável, e também que capturasse o entusiasmo particular dos passageiros antes de uma viagem. A estrutura é separada em quatro abóbadas parabólicas de concreto branco, que juntas se assemelham a um pássaro pousado no solo para voar. Cada uma das quatro abóbadas curvas do telhado tem dois lados ligados a colunas em forma de Y do lado de fora da estrutura. Um dos ângulos de cada concha é ligeiramente levantado e o outro é fixado ao centro da estrutura. A cobertura é conectada ao solo por cortinas de vidro. Todos os detalhes do interior do prédio, incluindo bancos, balcões, escadas rolantes e relógios, foram projetados no mesmo estilo. [67]

Louis Kahn

Louis Kahn (1901-1974) foi outro arquiteto americano que se afastou do modelo de caixa de vidro de Mies van der Rohe e de outros dogmas do estilo internacional prevalecente. Ele pegou emprestado de uma ampla variedade de estilos e expressões idiomáticas, incluindo o neoclassicismo. Ele foi professor de arquitetura na Universidade de Yale de 1947 a 1957, onde seus alunos incluíam Eero Saarinen . De 1957 até sua morte, ele foi professor de arquitetura na Universidade da Pensilvânia . Seu trabalho e ideias influenciaram Philip Johnson , Minoru Yamasaki e Edward Durell Stoneà medida que se moviam em direção a um estilo mais neoclássico. Ao contrário de Mies, ele não tentou fazer seus edifícios parecerem leves; ele construiu principalmente com concreto e tijolo, e fez seus edifícios parecerem monumentais e sólidos. Ele tirou proveito de uma ampla variedade de fontes diferentes; as torres dos Laboratórios de Pesquisa Médica Richards foram inspiradas pela arquitetura das cidades renascentistas que ele viu na Itália como arquiteto residente na Academia Americana em Roma em 1950. Edifícios notáveis ​​de Kahn nos Estados Unidos incluem a Primeira Igreja Unitária de Rochester , Nova York (1962); e o Museu de Arte Kimball em Fort Worth , Texas (1966–72). Seguindo o exemplo de Le Corbusiere seu projeto dos edifícios governamentais em Chandigarh , a capital do estado de Haryana e Punjab na Índia, Kahn projetou o Jatiyo Sangshad Bhaban (Edifício da Assembleia Nacional) em Dhaka , Bangladesh (1962-74), quando aquele país conquistou a independência do Paquistão . Foi o último trabalho de Kahn. [68]

IM Pei

IM Pei (1917–2019) foi uma figura importante no modernismo tardio e a estreia da arquitetura pós-moderna . Ele nasceu na China e foi educado nos Estados Unidos, estudando arquitetura no Massachusetts Institute of Technology . Enquanto a escola de arquitetura ainda treinava no estilo de arquitetura Beaux-Arts , Pei descobriu os escritos de Le Corbusier , e uma visita de dois dias de Le Corbusier ao campus em 1935 teve um grande impacto nas ideias de arquitetura de Pei. No final dos anos 1930, mudou-se para a Harvard Graduate School of Design , onde estudou com Walter Gropius e Marcel Breuer e se envolveu profundamente com o Modernismo. [69] Após a guerra, ele trabalhou em grandes projetos para o incorporador imobiliário de Nova York William Zeckendorf , antes de se separar e abrir sua própria empresa. Um dos primeiros edifícios que sua própria empresa projetou foi o Green Building no Massachusetts Institute of Technology. Enquanto a fachada modernista limpa foi admirada, o edifício desenvolveu um problema inesperado; criava um efeito de túnel de vento e, com ventos fortes, as portas não podiam ser abertas. Pei foi forçado a construir um túnel para que os visitantes pudessem entrar no prédio durante ventos fortes.

Entre 1963 e 1967, Pei projetou o Laboratório Mesa para o Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica nos arredores de Boulder, Colorado , em uma área aberta no sopé das Montanhas Rochosas. O projeto diferia do trabalho urbano anterior de Pei; ele ficaria em uma área aberta no sopé das Montanhas Rochosas . Seu projeto foi um afastamento notável do modernismo tradicional; parecia ter sido esculpido na encosta da montanha. [70]

Na área modernista tardia, os museus de arte contornaram os arranha-céus como os projetos arquitetônicos de maior prestígio; eles ofereceram maiores possibilidades de inovação na forma e mais visibilidade. Pei estabeleceu-se com seu projeto para o Museu Herbert F. Johnson of Art na Universidade de Cornell em Ithaca, New York (1973), que foi elogiado por seu uso criativo de um pequeno espaço, e seu respeito pela paisagem e outros prédios ao redor . Isso levou à encomenda de um dos mais importantes projetos de museu do período, a nova ala leste da National Gallery of Art de Washington, concluída em 1978, e de outro dos projetos mais famosos de Pei, a pirâmide na entrada do Louvre Museuem Paris (1983-1989). Pei escolheu a pirâmide como a forma que melhor se harmoniza com as formas renascentistas e neoclássicas do Louvre histórico, bem como por suas associações com Napoleão e a Batalha das Pirâmides . Cada face da pirâmide é suportada por 128 vigas de aço inoxidável, suportando 675 painéis de vidro, cada um com 2,9 por 1,9 metros (9 pés 6 pol por 6 pés 3 pol.). [71]

Fazlur Rahman Khan

Em 1955, ele começou a trabalhar na firma de arquitetura Skidmore, Owings & Merrill (SOM), em Chicago. Ele se tornou sócio em 1966. Ele trabalhou o resto de sua vida lado a lado com o arquiteto Bruce Graham. [72] Khan introduziu métodos de design e conceitos para o uso eficiente de materiais na arquitetura de edifícios. Seu primeiro prédio a empregar a estrutura tubular foi o prédio de apartamentos Chestnut De-Witt . [73] Durante as décadas de 1960 e 1970, ele se tornou conhecido por seus projetos para o John Hancock Center de 100 andares de Chicago , que foi o primeiro edifício a usar o projeto de tubo treliçado, e Sears Tower de 110 andares, renomeada como Willis Tower, o edifício mais alto do mundo de 1973 a 1998, que foi o primeiro edifício a usar o design de tubo emoldurado.

Ele acreditava que os engenheiros precisavam de uma perspectiva mais ampla da vida, dizendo: "O homem técnico não deve se perder em sua própria tecnologia; ele deve ser capaz de apreciar a vida, e a vida é arte, drama, música e, o mais importante, pessoas." Os papéis pessoais de Khan, a maioria dos quais estava em seu escritório no momento de sua morte, estão em poder das Bibliotecas Ryerson & Burnham no Art Institute of Chicago . A coleção Fazlur Khan inclui manuscritos, esboços, fitas cassete de áudio, slides e outros materiais relacionados ao seu trabalho.

O trabalho seminal de Khan de desenvolver sistemas estruturais de edifícios altos ainda é usado hoje como o ponto de partida ao considerar opções de projeto para edifícios altos. Estruturas de tubo têm sido usadas em muitos arranha-céus, incluindo a construção do World Trade Center , Aon Center , Torres Petronas , Edifício Jin Mao , Torre do Banco da China e a maioria dos outros edifícios com mais de 40 andares construídos desde 1960. A forte influência do design da estrutura tubular também é evidente no arranha-céu mais alto do mundo, o Burj Khalifa em Dubai . De acordo com Stephen Bayley do The Daily Telegraph :

Khan inventou uma nova maneira de construir altos. ... Então Fazlur Khan criou o arranha-céu não convencional. Invertendo a lógica da estrutura de aço, ele decidiu que o envelope externo do edifício poderia - com treliças, molduras e reforços suficientes - ser a própria estrutura. Isso tornava os edifícios ainda mais leves. O "tubo empacotado" significava que os prédios não precisavam mais ter a aparência de caixas: eles podiam se tornar esculturas. A incrível percepção de Khan - seu nome foi verificado por Obama em seu discurso na Universidade do Cairo no ano passado - mudou tanto a economia quanto a morfologia dos edifícios superaltos. E tornou o Burj Khalifa possível: proporcionalmente, o Burj emprega talvez metade do aço que sustenta conservadoramente o Empire State Building. ... Burj Khalifa é a expressão máxima de sua filosofia de design audaciosa e leve. [74]

Minoru Yamasaki

Nos Estados Unidos, Minoru Yamasaki obteve grande sucesso independente na implementação de soluções de engenharia exclusivas para problemas então complicados, incluindo o espaço que os poços dos elevadores ocupavam em cada andar e lidando com seu medo pessoal de altura. Durante este período, ele criou uma série de edifícios de escritórios que levaram ao seu projeto inovador das torres de 1.360 pés (410 m) do World Trade Center em 1964, que começou a ser construída em 21 de março de 1966. [75] A primeira das torres foi terminou em 1970. [76] Muitos de seus edifícios apresentam detalhes superficiais inspirados nos arcos pontiagudos da arquitetura gótica , e fazem uso de janelas verticais extremamente estreitas. Esse estilo de janelas estreitas surgiu de seu medo pessoal de altura .[77] Um desafio de design específico do design do World Trade Center estava relacionado à eficácia do sistema de elevador, que era único no mundo. Yamasaki integrou os elevadores mais rápidos da época, operando a 1.700 pés por minuto. Em vez de colocar um grande poço de elevador tradicional no centro de cada torre, Yamasaki criou osistema " Skylobby " das Torres Gêmeas. O projeto do Skylobby criou três sistemas separados de elevadores conectados que atenderiam a diferentes segmentos do edifício, dependendo do andar escolhido, economizando aproximadamente 70% do espaço usado para um poço tradicional. O espaço economizado foi então usado para escritórios. [78]Além dessas realizações, ele também projetou o Pruitt-Igoe Housing Project, o maior projeto habitacional já construído nos Estados Unidos, que foi totalmente demolido em 1976 devido às más condições do mercado e ao estado decrépito dos próprios edifícios. Separadamente, ele também projetou as Torres Century Plaza e a Avenida One Woodward, entre 63 outros projetos que desenvolveu ao longo de sua carreira.

Modernismo pós-guerra na Europa (1945-1975)

Na França, Le Corbusier continuou sendo o arquiteto mais proeminente, embora tenha construído poucos edifícios lá. Sua obra tardia mais proeminente foi o convento de Sainte Marie de La Tourette em Evreaux-sur-l'Arbresle. O convento, construído em betão bruto, era austero e sem ornamentos, inspirado nos mosteiros medievais que visitou na sua primeira viagem à Itália. [79]

Na Grã-Bretanha, as principais figuras do modernismo incluíram Wells Coates (1895–1958), FRS Yorke (1906–1962), James Stirling (1926–1992) e Denys Lasdun (1914–2001). A obra mais conhecida de Lasdun é o Royal National Theatre (1967–1976) na margem sul do Tamisa. Seu concreto bruto e sua forma em bloco ofenderam os tradicionalistas britânicos; Charles, Príncipe de Gales, comparou-o com uma central nuclear.

Na Bélgica, uma figura importante foi Charles Vandenhove (nascido em 1927), que construiu uma importante série de edifícios para o Centro Hospitalar Universitário em Liège . Seu trabalho posterior aventurou-se em um repensar colorido de estilos históricos, como a arquitetura palladiana. [80]

Na Finlândia, o arquiteto mais influente foi Alvar Aalto , que adaptou sua versão do modernismo à paisagem, luz e materiais nórdicos, especialmente o uso da madeira. Após a Segunda Guerra Mundial, ele ensinou arquitetura nos Estados Unidos. Na Dinamarca, Arne Jacobsen foi o mais conhecido dos modernistas, que projetou móveis e edifícios cuidadosamente proporcionados.

Na Itália, o modernista mais proeminente foi Gio Ponti , que trabalhou frequentemente com o engenheiro estrutural Pier Luigi Nervi , especialista em concreto armado. A Nervi criou vigas de concreto de comprimento excepcional, vinte e cinco metros, o que permitiu maior flexibilidade nas formas e maiores alturas. Seu projeto mais conhecido foi o Edifício Pirelli em Milão (1958–1960), que por décadas foi o edifício mais alto da Itália. [81]

O mais famoso modernista espanhol foi o arquiteto catalão Josep Lluis Sert , que trabalhou com grande sucesso na Espanha, França e Estados Unidos. No início de sua carreira, ele trabalhou por um tempo com Le Corbusier e projetou o pavilhão espanhol para a Exposição de Paris de 1937. Seu notável trabalho posterior incluiu a Fondation Maeght em Saint-Paul-de-Provence, França (1964), e o Harvard Science Center em Cambridge, Massachusetts. Ele atuou como Reitor de Arquitetura na Harvard School of Design .

Modernistas alemães notáveis ​​incluem Johannes Krahn , que desempenhou um papel importante na reconstrução de cidades alemãs após a Segunda Guerra Mundial, e construiu vários museus e igrejas importantes, notavelmente St. Martin, Idstein , que combinou artisticamente alvenaria de pedra, concreto e vidro. Os principais arquitetos austríacos do estilo incluem Gustav Peichl , cujos trabalhos posteriores incluíram o Centro de Arte e Exibições da República Federal Alemã em Bonn, Alemanha (1989).

América Latina

Os historiadores da arquitetura às vezes rotulam o modernismo latino-americano como "modernismo tropical". Isso reflete arquitetos que adaptaram o modernismo ao clima tropical, bem como aos contextos sociopolíticos da América Latina. [82]

O Brasil se tornou uma vitrine da arquitetura moderna no final dos anos 1930 por meio da obra de Lucio Costa (1902–1998) e Oscar Niemeyer (1907–2012). Costa liderou e Niemeyer colaborou no Ministério da Educação e Saúde do Rio de Janeiro (1936–43) e no pavilhão do Brasil na Feira Mundial de 1939 em Nova York. Após a guerra, Niemeyer, junto com Le Corbusier, concebeu a forma da Sede das Nações Unidas construída por Walter Harrison.

Lucio Costa também teve a responsabilidade geral pelo plano do projeto modernista mais ousado do Brasil; a criação da nova capital, Brasília, construída entre 1956 e 1961. Costa fez a planta geral, em cruz, com os principais edifícios governamentais ao centro. Niemeyer foi o responsável pelo projeto dos prédios do governo, incluindo o palácio do presidente, a Assembleia Nacional, composta por duas torres para os dois ramos da legislatura e duas salas de reuniões, uma com cúpula e outra com cúpula invertida. Niemeyer também construiu a catedral, dezoito ministérios e blocos residenciais gigantes, cada um projetado para três mil residentes, cada um com sua própria escola, lojas e capela. O modernismo foi empregado tanto como um princípio arquitetônico quanto como uma diretriz para a organização da sociedade, conforme explorado em The Modernist City . [83]

Após um golpe de estado militar no Brasil em 1964, Niemeyer mudou-se para a França, onde projetou a sede modernista do Partido Comunista Francês em Paris (1965-1980), uma miniatura de seu plano para as Nações Unidas. [84]

O México também teve um movimento modernista proeminente. Figuras importantes foram Félix Candela, nascido na Espanha, que emigrou para o México em 1939; ele se especializou em estruturas de concreto em formas parabólicas incomuns. Outra figura importante foi Mario Pani , que projetou o Conservatório Nacional de Música da Cidade do México (1949) e a Torre Insignia (1988); Pani também foi fundamental na construção da nova Universidade da Cidade do México na década de 1950, ao lado de Juan O'Gorman , Eugenio Peschard e Enrique del Moral . A Torre Latinoamericana , projetada por Augusto H. Alvarez, foi um dos primeiros arranha-céus modernistas da Cidade do México (1956); resistiu com sucesso ao terremoto da Cidade do México em 1985 , que destruiu muitos outros edifícios no centro da cidade. Pedro Ramirez Vasquez e Rafael Mijares projetaram o Estádio Olímpico para as Olimpíadas de 1968, e Antoni Peyri e Candela projetaram o Palácio dos Esportes. Luis Barragan foi outra figura influente no modernismo mexicano; sua residência e estúdio de concreto na Cidade do México parecem uma fortificação por fora, enquanto por dentro apresenta grande simplicidade nas formas, cores puras, luz natural abundante e, uma das assinaturas, uma escada sem corrimão. Ele ganhou o Prêmio Pritzker de Arquiteturaem 1980, e a casa foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2004. [85]

Ásia e Austrália

O Japão, como a Europa, teve uma enorme carência de moradias depois da guerra, devido ao bombardeio de muitas cidades. 4,2 milhões de unidades habitacionais precisaram ser substituídas. Os arquitetos japoneses combinaram estilos e técnicas tradicionais e. Um dos mais importantes modernistas japoneses foi Kunio Maekawa (1905–1986), que trabalhou para Le Corbusier em Paris até 1930. Sua própria casa em Tóquio foi um dos primeiros marcos do modernismo japonês, combinando o estilo tradicional com as ideias que adquiriu trabalhando com Le Corbusier . Seus edifícios notáveis ​​incluem salas de concerto em Tóquio e Kyoto e a International House of Japan em Tóquio, todos no puro estilo modernista.

Kenzo Tange (1913–2005) trabalhou no estúdio de Kunio Maekawa de 1938 a 1945 antes de abrir seu próprio escritório de arquitetura. Sua primeira grande comissão foi o Museu do Memorial da Paz de Hiroshima . Ele projetou muitos edifícios de escritórios notáveis ​​e centros culturais. edifícios de escritórios, bem como o Yoyogi National Gymnasium para os Jogos Olímpicos de Verão de 1964 em Tóquio. O ginásio, construído em concreto, possui uma cobertura suspensa sobre o estádio por cabos de aço.

O arquiteto dinamarquês Jørn Utzon (1918–2008) trabalhou brevemente com Alvar Aalto , estudou a obra de Le Corbusier e viajou para os Estados Unidos para conhecer Frank Lloyd Wright . Em 1957, ele projetou um dos edifícios modernistas mais conhecidos do mundo; a Sydney Opera House . Ele é conhecido pelas qualidades esculturais de seus edifícios e sua relação com a paisagem. As cinco conchas de concreto da estrutura lembram conchas na praia. Iniciado em 1957, o projeto encontrou dificuldades técnicas consideráveis ​​ao fazer as conchas e acertar a acústica. Utzon renunciou em 1966, e a ópera não foi concluída até 1973, dez anos após sua conclusão programada. [86]

Na Índia, a arquitetura modernista foi promovida pelo estado pós-colonial sob o primeiro-ministro Jawaharlal Nehru , principalmente ao convidar Le Corbusier para projetar a cidade de Chandigarh . Arquitetos modernistas indianos importantes incluem BV Doshi , Charles Correa , Raj Rewal , Achyut Kanvinde e Habib Rahman . [ carece de fontes? ] Muita discussão em torno da arquitetura modernista ocorreu na revista MARG . [ carece de fontes? ] No Sri Lanka, Geoffrey Bawa foi o pioneiro do modernismo tropical .[ carece de fontes? ] Minnette De Silva foi uma importante arquiteta modernista do Sri Lanka. [ citação necessária ]

África

Alguns arquitetos modernistas notáveis ​​em Marrocos foram Elie Azagury e Jean-François Zevaco . [51]

Asmara , capital da Eritreia , é bem conhecida por sua arquitetura modernista que data do período da colonização italiana. [87] [88]

Preservação

Diversas obras ou coleções de arquitetura moderna foram designadas pela UNESCO como Patrimônio Mundial . Além dos primeiros experimentos associados à Art Nouveau, eles incluem várias das estruturas mencionadas acima neste artigo: a Rietveld Schröder House em Utrecht, as estruturas da Bauhaus em Weimar, Dessau e Bernau , o Berlin Modernism Housing Estates , the White Cidade de Tel Aviv , a cidade de Asmara , a cidade de Brasília , a Ciudad Universitaria da UNAM na Cidade do México e a Cidade Universitária de Caracas na Venezuela, oSydney Opera House e o Centennial Hall em Wrocław, junto com obras selecionadas de Le Corbursier e Frank Lloyd Wright .

Organizações privadas como a Docomomo International , o World Monuments Fund e a Recent Past Preservation Network estão trabalhando para salvaguardar e documentar a arquitetura moderna em perigo. Em 2006, o World Monuments Fund lançou o Modernism at Risk , um programa de defesa e conservação. A organização MAMMA. está trabalhando para documentar e preservar a arquitetura modernista no Marrocos. [89]

Veja também

Referências

  1. ^ "O que é arquitetura moderna?" . Instituto Real de Arquitetos Britânicos . Página visitada em 15 de outubro de 2018 .
  2. ^ Tietz 1999 , pp. 6–10.
  3. ^ Bony 2012 , pp. 42-43.
  4. ^ Bony 2012 , pp. 14–16.
  5. ^ a b "François Coignet | Construtor de casas francês" . Encyclopedia Britannica .
  6. ^ 2012 ósseo , p. 42
  7. ^ 2012 ósseo , p. 16
  8. ^ Agache-se, Christopher. 2000. "Modernism in Art Design and Architecture", Nova York: St. Martins Press. ISBN 0-312-21830-3 (tecido) ISBN 0-312-21832-X (pbk)  
  9. ^ Viollet Le-duc, Entretiens sur Architecture
  10. ^ Bouillon , 1985 , p. 24
  11. ^ 2012 ósseo , p. 27
  12. ^ 2012 ósseo , p. 33
  13. ^ Poisson 2009 , pp. 318–319.
  14. ^ Poisson 2009 , p. 318.
  15. ^ Otto Wagner, Modern Architecture: A Guidebook for His Students to This Field of Art , 1895, tradução de Harry Francis Mallgrave, Getty Publications, 1988, ISBN 0226869393 
  16. ^ 2012 ósseo , p. 36
  17. ^ 2012 ósseo , p. 38
  18. ^ Lucius Burckhardt (1987). O Werkbund . ? : Hyperion Press. ISBN. Frederic J. Schwartz (1996). The Werkbund: Design Theory and Mass Culture Antes da Primeira Guerra Mundial . New Haven, Conn.: Yale University Press. ISBN.
  19. ^ Mark Jarzombek . "Joseph August Lux: Werkbund Promotor, Historiador de uma Modernidade Perdida", Jornal da Sociedade de Historiadores da Arquitetura 63/1 (junho de 2004): 202–219.
  20. ^ Tietz 1999 , p. 19
  21. ^ Tietz 1999 , p. 16
  22. ^ Bony 2012 , pp. 62–63.
  23. ^ Burchard & Bush-Brown 1966 , p. 83
  24. ^ Le Corbusier, Vers une architecture ", (1923), edição Flammarion (1995), páginas XVIII-XIX
  25. ^ 2012 ósseo , p. 83
  26. ^ a b Bony 2012 , pp. 93–95.
  27. ^ Jencks, pág. 59
  28. ^ Sharp, p. 68
  29. ^ Pehnt, p. 163
  30. ^ 2012 ósseo , p. 95
  31. ^ Tietz 1999 , pp. 26–27.
  32. ^ Bony 2012 , pp. 86–87.
  33. ^ "Alexey Shchusev (1873–1949)" . 29 de março de 2014 . Retirado em 16 de agosto de 2015 .
  34. ^ Udovički-Selb, Danilo (1 de janeiro de 2012). "Frente ao Pavilhão de Hitler: Os Usos da Modernidade no Pavilhão Soviético na Exposição Internacional de Paris de 1937". Journal of Contemporary History . 47 (1): 13–47. doi : 10.1177 / 0022009411422369 . ISSN 0022-0094 . S2CID 159546579 .  
  35. ^ Bony 2012 , pp. 84–85.
  36. ^ Anwas, Victor, Art Deco (1992), Harry N. Abrams Inc., ISBN 0810919265 
  37. ^ Poisson, Michel, 1000 Immeubles et Monuments de Paris (2009), Parigramme, páginas 318–319 e 300-01
  38. ^ Duncan 1988 .
  39. ^ Ducher 2014 , p. 204
  40. ^ a b "Crescimento, eficiência e modernismo" (PDF) . Administração de Serviços Gerais dos EUA. 2006 [2003]. p. 27. Arquivo do original (PDF) em 31 de março de 2011 . Retirado em 31 de março de 2011 .
  41. ^ 2012 ósseo , p. 99
  42. ^ Ho, Vivien (21 de outubro de 2020) Maravilha arquitetônica modernista que ficou famosa por Slim Aarons à venda por US $ 25 milhões . Obtido em 23 de outubro de 2020
  43. ^ Journel 2015 , p. 216
  44. ^ Frampton, Kenneth (1980). Arquitetura Moderna: Uma História Crítica (3ª ed.). Thames and Hudson. pp. 210–218. ISBN 0-500-20257-5.
  45. ^ Bony 2012 , pp. 120-121.
  46. ^ a b 2012 ósseo , p. 128
  47. ^ a b Jester, Thomas C., ed. (1995). Materiais de construção do século XX . McGraw-Hill. pp. 41–42, 48–49. ISBN 0-07-032573-1.
  48. ^ Jester, Thomas C., ed. (1995). Materiais de construção do século XX . McGraw-Hill. p. 259. ISBN 0-07-032573-1.
  49. ^ Bony 2012 , pp. 140–41.
  50. ^ Journel 2015 , pp. 152-163.
  51. ^ a b c Dahmani, Iman; El moumni, Lahbib; Meslil, El mahdi (2019). Mapa moderno de Casablanca . Traduzido por Borim, Ian. Casablanca: Grupo MAMMA . ISBN 978-9920-9339-0-2.
  52. ^ "Adaptations of Vernacular Modernism in Casablanca" . Página visitada em 15 de abril de 2020 .
  53. ^ "EQUIPE 10" . www.team10online.org . Página visitada em 17 de abril de 2020 .
  54. ^ a b "The Gamma Grid | Model House" . transculturalmodernism.org . Página visitada em 18 de outubro de 2019 .
  55. ^ "EQUIPE 10" . www.team10online.org . Página visitada em 17 de abril de 2020 .
  56. ^ Pedret, Annie. "Introdução ao TEAM 10" . www.team10online.org . Página visitada em 18 de outubro de 2019 .
  57. ^ Chnaoui, Aziza (2 de novembro de 2010). "Grupo de despolitização GAMMA: contestando o modernismo em Marrocos". Em Lu, Duanfang (ed.). Modernismo do Terceiro Mundo: Arquitetura, Desenvolvimento e Identidade . Routledge. ISBN 9781136895487.
  58. ^ "Habitat collectif méditerranéen et dynamique des espaces ouverts" . resohab.univ-paris1.fr . Página visitada em 18 de abril de 2020 .
  59. ^ Fabrizi, Mariabruna (7 de dezembro de 2016). "Compreendendo a Rede / 1: Planejamento e Construção de Michel Ecochard ..." SOCKS . Página visitada em 18 de abril de 2020 .
  60. ^ Chaouni, Aziza (3 de julho de 2014). “Entrevista com Elie Azagury”. Journal of Architectural Education . 68 (2): 210–216. doi : 10.1080 / 10464883.2014.943632 . ISSN 1046-4883 . S2CID 112234517 .  
  61. ^ 2012 ósseo , p. 120
  62. ^ 2012 ósseo , p. 129
  63. ^ 2012 ósseo , p. 135
  64. ^ [1] Arquivado em 21 de julho de 2011 na Wayback Machine
  65. ^ Bony 2012 , pp. 132-33.
  66. ^ a b 2012 ósseo , pp. 132.
  67. ^ Bony 2012 , pp. 171–72.
  68. ^ 2012 ósseo , p. 149.
  69. ^ Boehm 2000 , p. 36
  70. ^ Boehm 2000 , p. 59.
  71. ^ 2012 ósseo , p. 210.
  72. ^ "Obama menciona Fazlur Rahman Khan" . The Muslim Observer . 19 de junho de 2009. Arquivado do original em 19 de junho de 2013 . Página visitada em 11 de outubro de 2011 .
  73. ^ Baker, William F. (2001). "Inovação Estrutural" (PDF) . Edifícios altos e habitat urbano: cidades no terceiro milênio . Nova York: Spon Press. pp. 481–493. ISBN  0-415-23241-4. Arquivado do original (PDF) em 2 de fevereiro de 2014.
  74. ^ Bayley, Stephen (5 de janeiro de 2010). "Burj Dubai: O novo pináculo da vaidade" . The Daily Telegraph . Página visitada em 26 de fevereiro de 2010 .
  75. ^ Observações do Exmo. Richard J. Hughes , Conferência de Imprensa do World Trade Center, New York Hilton Hotel, 18 de janeiro de 1964.
  76. ^ "História das Torres Gêmeas" . Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey . Retirado em 12 de dezembro de 2014 .
  77. ^ James, Glanz; Lipton, Eric (2003). Cidade no céu: a ascensão e queda do World Trade Center . Macmillan. p. 109. ISBN 978-0-8050-7428-4.
  78. ^ Observações de Lee K. Jaffee, Conferência de Imprensa do World Trade Center, New York Hilton Hotel, 18 de janeiro de 1964.
  79. ^ Journel 2015 , pp. 164-165.
  80. ^ 2012 ósseo , p. 162
  81. ^ Bony 2012 , pp. 164-165.
  82. ^ Morawski, Erica (2016). Projetando destinos: arquitetura hoteleira, urbanismo e turismo americano em Porto Rico e Cuba (tese de doutorado). Universidade de Illinois em Chicago. pp. 169-170. hdl : 10027/19131 .
  83. ^ James., Holston (1989). A cidade modernista: uma crítica antropológica de Brasília . Chicago: University of Chicago Press. ISBN 9780226349794. OCLC  19722338 .
  84. ^ Bony 2012 , pp. 165-167.
  85. ^ 2012 ósseo , p. 166
  86. ^ 2012 ósseo , p. 157
  87. ^ Mark Byrnes Um legado de preservação incomum de uma cidade africana 8 de fevereiro de 2012 Atlantic Cities
  88. ^ "A capital da Eritreia, Asmera, faz parte da lista do Património Mundial" . 8 de julho de 2017 . Retirado em 8 de julho de 2017 .
  89. ^ infomediaire (28 de outubro de 2019). "Arquitetura: Casablanca tient sa carte moderne - Infomédiaire" (em francês) . Página visitada em 19 de maio de 2020 .

Bibliografia

Ligações externas