Leonardo da Vinci

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar

Leonardo da Vinci
Francesco Melzi - Portrait of Leonardo.png
Este retrato atribuído a Francesco Melzi , c.  1515-1518 , é a única representação contemporânea certa de Leonardo. [1] [2]
Nascer
Leonardo di ser Piero da Vinci

(1452-04-15)15 de abril de 1452
Faleceu2 de maio de 1519 (1519-05-02)(com 67 anos)
EducaçãoEstúdio de Andrea del Verrocchio
Conhecido por
  • Quadro
  • desenhando
  • Engenharia
  • Ciência
  • escultura
  • arquitetura
Trabalho notável
MovimentoAlta Renascença
Assinatura
Signature written in ink in a flowing script

Leonardo da Vinci [b] (15 de abril de 1452 - 2 de maio de 1519) foi um polímata italiano da Alta Renascença que atuou como pintor, desenhista , engenheiro, cientista, teórico, escultor e arquiteto. [3] Embora sua fama inicialmente residisse em suas realizações como pintor, ele também se tornou conhecido por seus cadernos , nos quais fazia desenhos e anotações sobre uma variedade de assuntos, incluindo anatomia, astronomia, botânica, cartografia, pintura e paleontologia . O gênio de Leonardo sintetizou o ideal humanista da Renascença , [4] e suas obras coletivascompor uma contribuição para gerações posteriores de artistas igualada apenas por seu contemporâneo mais jovem, Michelangelo . [3] [4]

Nascido fora do casamento com um notário de sucesso e uma mulher de classe baixa em, ou perto de, Vinci , ele foi educado em Florença pelo pintor e escultor italiano Andrea del Verrocchio . Ele começou sua carreira na cidade, mas depois passou muito tempo ao serviço de Ludovico Sforza no Milan. Mais tarde, ele trabalhou em Florença e Milão novamente, bem como brevemente em Roma , ao mesmo tempo que atraiu um grande número de seguidores de imitadores e estudantes. A convite de Francisco I , ele passou seus últimos três anos na França, onde morreu em 1519. Desde sua morte, não houve um momento em que suas realizações, interesses diversos, vida pessoal, e o pensamento empírico falhou em incitar interesse e admiração, [3] [4] tornando-o um homônimo frequente e sujeito na cultura .

Leonardo está entre os maiores pintores da história da arte e costuma ser considerado o fundador do Alto Renascimento. [3] Apesar de ter muitas obras perdidas e menos de 25 atribuída grandes obras -incluindo inúmeras obras inacabadas -Ele criou alguns dos mais pinturas influentes na arte ocidental . [3] Sua magnum opus , a Mona Lisa , é sua obra mais conhecida e frequentemente considerada a pintura mais famosa do mundo. A Última Ceia é a pintura religiosa mais reproduzida de todos os tempos e seu desenho do Homem Vitruviano também é considerado umícone cultural . Em 2017, Salvator Mundi , atribuído total ou parcialmente a Leonardo, [5] foi vendido em leilão por US $ 450,3 milhões , estabelecendo um novo recorde para a pintura mais cara já vendida em leilão público.

Reverenciado por sua engenhosidade tecnológica , ele conceituou máquinas voadoras, um tipo de veículo blindado de combate , energia solar concentrada, uma máquina de somar [6] e o casco duplo. Relativamente poucos de seus projetos foram construídos ou mesmo viáveis ​​durante sua vida, uma vez que as abordagens científicas modernas à metalurgia e engenharia estavam apenas em sua infância durante o Renascimento . Algumas de suas invenções menores, no entanto, entraram no mundo da manufatura sem serem anunciadas, como um enrolador de bobina automatizado e uma máquina para testar a resistência à tração do arame. Ele fez descobertas substanciais em anatomia , engenharia civil , hidrodinâmica , geologia, óptica e tribologia , mas ele não publicou suas descobertas e elas tiveram pouca ou nenhuma influência direta na ciência subsequente. [7]

Biografia

Juventude (1452-1472)

Nascimento e origem

Photo of a building of rough stone with small windows, surrounded by olive trees
O possível local de nascimento e casa de infância de Leonardo em Anchiano , Vinci , Itália

Leonardo da Vinci, [b] apropriadamente chamado de Leonardo di ser Piero da Vinci (Leonardo, filho de ser Piero da Vinci), [8] [9] [c] nasceu em 15 de abril de 1452 em ou perto da colina da Toscana cidade de Vinci ; Florença ficava a 32 quilômetros de distância. [10] [11] [d] Ele nasceu fora do casamento com Ser Piero da Vinci  [ fr ] (Ser Piero di Antonio di Ser Piero di Ser Guido da Vinci; 1426-1504), [15] um tabelião florentino , [10] e Caterina  [ it ]( c.  1434-1494 ), da classe baixa. [16] [17] [e] Permanece incerto onde Leonardo nasceu; o relato tradicional, de uma tradição oral local registrada pelo historiador Emanuele Repetti , [20] é que ele nasceu em Anchiano , uma aldeia rural que teria oferecido privacidade suficiente para o nascimento ilegítimo, embora ainda seja possível que tenha nascido em uma casa em Florença que Ser Piero quase certamente possuía. [21] [a]Os pais de Leonardo se casaram separadamente um ano após seu nascimento. Caterina - que mais tarde aparece nas notas de Leonardo como apenas "Caterina" ou "Catelina" - é geralmente identificada como a Caterina Buti del Vacca que se casou com o artesão local Antonio di Piero Buti del Vacca, apelidado de "L'Accattabriga" ("o briguento "). [16] [20] Outras teorias foram propostas, particularmente a do historiador de arte Martin Kemp , que sugeriu Caterina di Meo Lippi, uma órfã que se casou supostamente com a ajuda de Ser Piero e sua família. [22] [f] Ser Piero casou-se com Albiera Amadori - tendo sido prometido a ela no ano anterior - e após sua morte em 1462,passou a ter três casamentos subsequentes.[20] [23] [g] De todos os casamentos, Leonardo acabou tendo 12 meio-irmãos muito mais jovens do que ele (o último nasceu quando Leonardo tinha 40 anos) e com os quais teve muito pouco contato. [h]

Muito pouco se sabe sobre a infância de Leonardo e muito está envolto em mitos, em parte por causa de sua biografia nas Vidas freqüentemente apócrifas dos mais excelentes pintores, escultores e arquitetos (1550) do historiador de arte do século 16 Giorgio Vasari . [26] [27] Os registros fiscais indicam que por pelo menos 1457 ele vivia na casa de seu avô paterno, Antonio da Vinci, [10] mas é possível que ele tenha passado os anos anteriores aos cuidados de sua mãe em Vinci , Anchiano ou Campo Zeppi na freguesia de San Pantaleone. [28] [29] Acredita-se que ele tenha sido próximo de seu tio, Francesco da Vinci, [3]mas seu pai provavelmente estava em Florença a maior parte do tempo. [10] Ser Piero, que era descendente de uma longa linha de notários, estabeleceu uma residência oficial em Florença por pelo menos 1469 e teve uma carreira de sucesso. [10] Apesar de sua história familiar, Leonardo só recebeu uma educação básica e informal ( vernacular ) escrita, leitura e matemática, possivelmente porque seus talentos artísticos foram reconhecidos cedo, assim que sua família decidiu centrar a sua atenção lá. [10]

Later in life, Leonardo recorded his earliest memory, now in the Codex Atlanticus.[30] While writing on the flight of birds, he recalled as an infant when a kite came to his cradle and opened his mouth with its tail; commentators still debate whether the anecdote was an actual memory or a fantasy.[31]

Verrocchio's workshop

Painting showing Jesus, naked except for a loin-cloth, standing in a shallow stream in a rocky landscape, while to the right, John the Baptist, identifiable by the cross that he carries, tips water over Jesus' head. Two angels kneel at the left. Above Jesus are the hands of God, and a dove descending
The Baptism of Christ (1472–1475) by Verrocchio and Leonardo, Uffizi Gallery

Em meados da década de 1460, a família de Leonardo mudou-se para Florença, que na época era o centro do pensamento e da cultura humanista cristã . [32] Por volta dos 14 anos, [24] ele se tornou um garzone (garoto de estúdio) na oficina de Andrea del Verrocchio , que foi o principal pintor e escultor florentino de seu tempo. [32] Foi na época da morte do mestre de Verrocchio, o grande escultor Donatello . [i] Leonardo tornou-se um aprendiz com a idade de 17 e manteve-se em treinamento para sete anos. [34] Outros pintores famosos aprendizes na oficina ou associados a ela incluem Ghirlandaio ,Perugino , Botticelli e Lorenzo di Credi . [35] [36] Leonardo foi exposto tanto ao treinamento teórico quanto a uma ampla gama de habilidades técnicas, [37] incluindo desenho, química, metalurgia, trabalho em metal, fundição de gesso, trabalho em couro, mecânica e carpintaria, bem como o trabalho artístico habilidades de desenho, pintura, escultura e modelagem. [38] [j]

Leonardo foi contemporâneo de Botticelli, Ghirlandaio e Perugino, todos um pouco mais velhos do que ele. [39] Ele os teria encontrado na oficina de Verrocchio ou na Academia Platônica dos Medici . [35] Florença foi ornamentada com obras de artistas como os contemporâneos de Donatello Masaccio , cujos afrescos figurativos estavam imbuídos de realismo e emoção, e Ghiberti , cujo Gates of Paradise , brilhando com folha de ouro , exibiu a arte de combinar composições de figuras complexas com detalhes fundos arquitetônicos. Piero della Francesca fez um estudo detalhado deperspectiva , [40] e foi o primeiro pintor a fazer um estudo científico da luz. Esses estudos e o tratado De pictura, de Leon Battista Alberti , teriam um efeito profundo nos artistas mais jovens e, em particular, nas próprias observações e obras de arte de Leonardo. [33] [41]

Grande parte da pintura na oficina de Verrocchio foi feita por seus assistentes. De acordo com Vasari, Leonardo colaborou com Verrocchio em seu O Batismo de Cristo , pintando o jovem anjo segurando túnica de Jesus de uma forma que era tão superior ao seu mestre de que Verrocchio largou a escova e nunca pintou novamente, [‡ 1] embora acredita-se que esta seja uma história apócrifa. [13] Um exame mais detalhado revela áreas da obra que foram pintadas ou retocadas sobre a têmpera , usando a nova técnica de pintura a óleo , incluindo a paisagem, as rochas vistas através do córrego da montanha marrom e grande parte da figura de Jesus , dando testemunho da mão de Leonardo. [42]Leonardo pode ter sido o modelo para duas obras de Verrocchio: a estátua de bronze de Davi no Bargello e o Arcanjo Rafael em Tobias e o Anjo . [13]

Vasari conta a história de Leonardo quando era muito jovem: um camponês local fez para si um escudo redondo e pediu que Ser Piero o pintasse para ele. Leonardo, inspirado na história da Medusa , respondeu com uma pintura de um monstro cuspindo fogo tão aterrorizante que seu pai comprou um escudo diferente para dar ao camponês e vendeu o de Leonardo a um negociante de arte florentino por 100 ducados , que por sua vez o vendeu para o duque de Milão . [‡ 2]

First Florentine period (1472–c. 1482)

Adoration of the Magi c. 1478–1482,[d 1] Uffizi, Florence

Em 1472, aos 20 anos, Leonardo se qualificou como mestre na Guilda de São Lucas , a guilda dos artistas e doutores em medicina, [k] mas mesmo depois que seu pai o instalou em sua própria oficina, sua ligação com Verrocchio foi tal que continuou a colaborar e a viver com ele. [35] [43] O primeiro trabalho datado conhecido de Leonardo é um desenho em bico de pena de 1473 do vale do Arno . [36] [44] [l] De acordo com Vasari, o jovem Leonardo foi o primeiro a sugerir fazer do rio Arno um canal navegável entre Florença e Pisa . [45]

Em janeiro de 1478, Leonardo recebeu uma encomenda independente para pintar um retábulo para a Capela de São Bernardo no Palazzo Vecchio , [46] uma indicação de sua independência do estúdio de Verrocchio. Um antigo biógrafo anônimo, conhecido como Anonimo Gaddiano , afirma que em 1480 Leonardo vivia com os Medici e muitas vezes trabalhava no jardim da Praça de São Marcos, em Florença , onde se reunia uma academia neoplatônica de artistas, poetas e filósofos organizada pelos Médici. [13] [m] Em março de 1481, ele recebeu uma comissão dos monges de San Donato em Scopeto para A Adoração dos Magos . [47]Nenhuma dessas comissões iniciais foi concluída, sendo abandonada quando Leonardo foi oferecer seus serviços ao duque de Milão Ludovico Sforza . Leonardo escreveu uma carta a Sforza que descreveu as diversas coisas que ele poderia alcançar nos campos da engenharia e design de armas, e mencionou que ele sabia pintar. [36] [48] Ele trouxe consigo um instrumento de cordas de prata - um alaúde ou uma lira - na forma de uma cabeça de cavalo. [48]

Com Alberti, Leonardo visitou a casa dos Médici e por meio deles conheceu os filósofos humanistas mais antigos, dos quais Marsiglio Ficino , proponente do neoplatonismo ; Cristoforo Landino , escritor de comentários sobre os escritos clássicos, e John Argyropoulos , professor de grego e tradutor de Aristóteles foram os primeiros. Também associado à Academia Platônica dos Medici estava o contemporâneo de Leonardo, o jovem poeta e filósofo Pico della Mirandola . [39] [41] [49] Em 1482, Leonardo foi enviado como embaixador por Lorenzo de 'Medici a Ludovico il Moro , que governavaMilão entre 1479 e 1499. [39] [13]

Primeiro período milanês (c. 1482-1499)

Virgem das Rochas , c.  1483-1493 , [d 2] versão do Louvre

Leonardo trabalhou em Milão de 1482 a 1499. Ele foi contratado para pintar a Virgem dos Rochedos para a Confraria da Imaculada Conceição e A Última Ceia para o mosteiro de Santa Maria delle Grazie . [50] Na primavera de 1485, Leonardo viajou para a Hungria em nome de Sforza para encontrar o rei Matias Corvino , e foi contratado por ele para pintar uma Madona . [51] Leonardo foi empregado em muitos outros projetos para Sforza, incluindo a preparação de carros alegóricos e desfiles para ocasiões especiais, um desenho e um modelo de madeira para um concurso para projetar a cúpula paraCatedral de Milão (que ele retirou), [52] e um modelo para um enorme monumento equestre ao antecessor de Ludovico, Francesco Sforza . Isso teria ultrapassado em tamanho as duas únicas grandes estátuas equestres do Renascimento, a Gattamelata de Donatello em Pádua e o Bartolomeo Colleoni de Verrocchio em Veneza, e ficou conhecido como o Gran Cavallo . [36] Leonardo completou um modelo para o cavalo e fez planos detalhados para sua fundição , [36] mas em novembro de 1494, Ludovico deu o bronze a seu cunhado para ser usado como um canhão para defender a cidade deCarlos VIII da França . [36]

A correspondência contemporânea registra que Leonardo e seus assistentes foram contratados pelo Duque de Milão para pintar a Sala delle Asse no Castelo Sforza . A decoração foi concluída em 1498. O projeto tornou-se uma decoração trompe-l'oeil que fez o grande salão parecer uma pérgula criada pelos ramos entrelaçados de dezesseis amoreiras, [53] cuja copa incluía um labirinto intrincado de folhas e nós no teto. [54]

Segundo período florentino (1500-1508)

Quando Ludovico Sforza foi derrubado pela França em 1500, Leonardo fugiu de Milão para Veneza , acompanhado por seu assistente Salaì e amigo, o matemático Luca Pacioli . [56] Em Veneza, Leonardo foi contratado como arquiteto e engenheiro militar, desenvolvendo métodos para defender a cidade de ataques navais. [35] Em seu retorno a Florença em 1500, ele e sua família foram convidados dos monges servitas no mosteiro de Santissima Annunziata e receberam uma oficina onde, de acordo com Vasari, Leonardo criou o desenho da Virgem e do Menino com São Ana e São João Batista, uma obra que conquistou tanta admiração que "homens [e] mulheres, jovens e velhos" se aglomeraram para vê-la "como se fossem a uma festa solene". [‡ 3] [n]

Em Cesena em 1502, Leonardo entrou ao serviço de Cesare Borgia , filho do Papa Alexandre VI , atuando como arquiteto e engenheiro militar e viajando pela Itália com seu patrono. [56] Leonardo criou um mapa da fortaleza de Cesare Borgia, uma planta da cidade de Imola , a fim de obter seu patrocínio. Ao vê-lo, Cesare contratou Leonardo como seu engenheiro militar chefe e arquiteto. No final do ano, Leonardo produziu outro mapa para seu patrono, um do Vale de Chiana, Toscana, para dar ao seu patrono uma melhor cobertura do terreno e uma maior posição estratégica. Ele criou este mapa em conjunto com seu outro projeto de construção de uma barragem do mar até Florença, a fim de permitir um abastecimento de água para sustentar o canal durante todas as estações.

Leonardo havia deixado o serviço de Borgia e retornado a Florença no início de 1503, [58] onde se juntou novamente à Guilda de São Lucas em 18 de outubro daquele ano. Nesse mesmo mês, Leonardo começou a trabalhar em um retrato de Lisa del Giocondo , a modelo da Mona Lisa , [59] [60] no qual ele continuaria trabalhando até seus anos de crepúsculo. Em janeiro de 1504, ele fez parte de um comitê formado para recomendar onde a estátua de Davi de Michelangelo deveria ser colocada. [61] Ele então passou dois anos em Florença projetando e pintando um mural da Batalha de Anghiari pela Signoria, [56]com Michelangelo projetando sua peça companheira, A Batalha de Cascina . [o]

Em 1506, Leonardo foi convocado a Milão por Carlos II d'Amboise , o governador francês da cidade em exercício. [64] Lá, Leonardo pegou outro aluno, o conde Francesco Melzi , filho de um aristocrata lombardo , considerado seu aluno favorito. [35] O Conselho de Florença desejou que Leonardo voltasse prontamente para terminar A Batalha de Anghiari , mas ele foi autorizado a deixar por ordem de Luís XII , que considerou contratar o artista para fazer alguns retratos. [64] Leonardo pode ter iniciado um projeto para uma figura equestre de d'Amboise; [65] um modelo de cera sobreviveu e, se genuíno, é o único exemplo existente da escultura de Leonardo. Leonardo estava livre para perseguir seus interesses científicos. [64] Muitos dos alunos mais proeminentes de Leonardo o conheceram ou trabalharam com ele em Milão, [35] incluindo Bernardino Luini , Giovanni Antonio Boltraffio e Marco d'Oggiono . Em 1507, Leonardo estava em Florença resolvendo uma disputa com seus irmãos sobre a propriedade de seu pai, que morrera em 1504.

Segundo período milanês (1508-1513)

Em 1508, Leonardo estava de volta a Milão, morando em sua própria casa na Porta Orientale, na freguesia de Santa Babila. [66]

Em 1512, Leonardo estava trabalhando nos planos de um monumento equestre para Gian Giacomo Trivulzio , mas isso foi impedido pela invasão de uma confederação de forças suíças, espanholas e venezianas, que expulsou os franceses de Milão. Leonardo ficou na cidade, passando vários meses em 1513 na villa Vaprio d'Adda dos Medici . [67]

Roma e França (1513-1519)

Um dilúvio apocalíptico desenhado em giz preto por Leonardo perto do fim de sua vida (parte de uma série de 10, emparelhada com a descrição escrita em seus cadernos) [68]

Em março de 1513, o filho de Lorenzo de 'Medici, Giovanni, assumiu o papado (como Leão X); Leonardo foi a Roma naquele setembro, onde foi recebido pelo irmão do papa, Giuliano . [67] De setembro de 1513 a 1516, Leonardo passou grande parte de seu tempo morando no Pátio do Belvedere no Palácio Apostólico , onde Michelangelo e Rafael eram ativos. [66] Leonardo recebeu uma mesada de 33 ducados por mês e, de acordo com Vasari, decorou um lagarto com escamas mergulhadas em mercúrio . [69]O papa deu-lhe uma comissão de pintura de tema desconhecido, mas a cancelou quando o artista começou a desenvolver um novo tipo de verniz . [69] [p] Leonardo ficou doente no que pode ter sido o primeiro de vários acidentes vasculares cerebrais que o levaram à morte. [69] Ele praticou botânica nos jardins da Cidade do Vaticano e foi contratado para fazer planos para a drenagem proposta pelo papa dos Pântanos Pontinos . [70] Ele também dissecou cadáveres , fazendo anotações para um tratado sobre cordas vocais ; [71] ele deu a um oficial na esperança de recuperar o favor do papa, mas não teve sucesso.[69]

Em outubro de 1515, o rei Francisco I da França recapturou o Milan. [47] Leonardo esteve presente na reunião de 19 de dezembro de Francisco I e Leão X, que aconteceu em Bolonha. [35] [72] [73] Em 1516, Leonardo entrou para o serviço de Francisco, recebendo o uso da mansão Clos Lucé , perto da residência do rei no castelo real de Amboise . Freqüentemente visitado por Francisco, ele traçou planos para uma imensa cidade-castelo que o rei pretendia erguer em Romorantin , e fez um leão mecânico, que durante um desfile caminhou em direção ao rei e - ao ser atingido por uma varinha - abriu seu peito para revelar um cacho de lírios. [74] [‡ 3][q] Leonardo foi acompanhado durante esse tempo por seu amigo e aprendiz Francesco Melzi, e sustentado por uma pensão que totalizava 10.000  escudos . [66] Em algum momento, Melzi desenhou um retrato de Leonardo ; os únicos outros conhecidos de sua vida foram um esboço de um assistente desconhecido nas costas de um dos estudos de Leonardo ( c.  1517 ) [76] e um desenho de Giovanni Ambrogio Figino retratando um Leonardo idoso com o braço direito suavizado por um pano. [77] [r] Este último, além do registro de uma visita de Louis d'Aragon em outubro de 1517, [s]confirma um relato de que a mão direita de Leonardo ficou paralítica aos 65 anos, [80] o que pode indicar por que ele deixou obras como a Mona Lisa inacabadas. [78] [81] [82] Ele continuou a trabalhar em alguma capacidade até ficar doente e acamado por vários meses. [80]

Morte

Desenho do Château d'Amboise ( c.  1518 ) atribuído a Francesco Melzi

Leonardo morreu em Clos Lucé em 2 de maio de 1519 aos 67 anos, possivelmente de um derrame. [83] [82] [84] Francisco I havia se tornado um amigo próximo. Vasari descreve Leonardo lamentando em seu leito de morte, cheio de arrependimento, que "ele ofendeu Deus e os homens por não praticar sua arte como deveria". [85] Vasari afirma que em seus últimos dias, Leonardo mandou chamar um padre para fazer sua confissão e receber o Santíssimo Sacramento . [‡ 4] Vasari também registra que o rei segurou a cabeça de Leonardo nos braços enquanto ele morria, embora essa história possa ser mais uma lenda do que um fato. [t] [u]De acordo com seu testamento, sessenta mendigos carregando velas seguiram o caixão de Leonardo. [49] [v] Melzi foi o principal herdeiro e executor, recebendo, além de dinheiro, pinturas, ferramentas, biblioteca e objetos pessoais de Leonardo. O outro aluno e companheiro de longa data de Leonardo, Salaì, e seu servo Baptista de Vilanis, receberam cada um metade dos vinhedos de Leonardo . [87] Seus irmãos receberam terras, e sua serva recebeu um manto forrado de pele. Em 12 de agosto de 1519, os restos mortais de Leonardo foram enterrados na Igreja Colegiada de São Florentin no Château d'Amboise. [88]

Salaì , ou Il Salaino ("O Pequeno Imundo", isto é, o diabo), entrou na casa de Leonardo em 1490 como assistente. Depois de apenas um ano, Leonardo fez uma lista de suas contravenções, chamando-o de "um ladrão, um mentiroso, teimoso e um glutão", depois que ele fugiu com dinheiro e objetos de valor em pelo menos cinco ocasiões e gastou uma fortuna em roupas. [89] No entanto, Leonardo o tratou com grande indulgência, e ele permaneceu na casa de Leonardo pelos próximos trinta anos. [90] Salaì executou uma série de pinturas sob o nome de Andrea Salaì, mas embora Vasari afirme que Leonardo "lhe ensinou muitas coisas sobre pintura", [‡ 3] seu trabalho é geralmente considerado de menos mérito artístico do que outros entre os de Leonardo alunos,tal comoMarco d'Oggiono e Boltraffio .

Salaì possuía a Mona Lisa na época da morte de Leonardo em 1524, e em seu testamento ela foi avaliada em 505 liras, uma avaliação excepcionalmente alta para um pequeno retrato em painel. [91] Cerca de 20 anos após a morte de Leonardo, Francisco foi relatado pelo ourives e escultor Benvenuto Cellini como tendo dito: "Nunca houve outro homem nascido no mundo que soubesse tanto quanto Leonardo, nem tanto sobre pintura, escultura e arquitetura , já que ele foi um grande filósofo. " [92]

Vida pessoal

São João Batista c.  1507–1516 , [d 3] Louvre. Acredita-se que Leonardo tenha usado Salaì como modelo.

Apesar das milhares de páginas que Leonardo deixou em cadernos e manuscritos, ele quase não fez referência à sua vida pessoal. [2]

Durante a vida de Leonardo, seus extraordinários poderes de invenção, sua "grande beleza física" e "graça infinita", conforme descrito por Vasari , [5] assim como todos os outros aspectos de sua vida, atraíram a curiosidade de outras pessoas. Um desses aspectos era seu amor pelos animais, provavelmente incluindo o vegetarianismo e, de acordo com Vasari, o hábito de comprar pássaros engaiolados e soltá-los. [93] [‡ 6]

Leonardo tinha muitos amigos que agora são notáveis ​​em seus campos ou por seu significado histórico, incluindo o matemático Luca Pacioli , [94] com quem ele colaborou no livro Divina proporione na década de 1490. Leonardo parece não ter tido relações íntimas com mulheres, exceto por sua amizade com Cecilia Gallerani e as duas irmãs Este, Beatrice e Isabella . [95] Durante uma viagem que o levou por Mântua , ele desenhou um retrato de Isabella que parece ter sido usado para criar um retrato pintado, agora perdido. [35]

Além da amizade, Leonardo manteve sua vida privada em segredo. Sua sexualidade tem sido objeto de sátira, análise e especulação. Essa tendência começou em meados do século 16 e foi revivida nos séculos 19 e 20, principalmente por Sigmund Freud em seu Leonardo da Vinci, Uma memória de sua infância . [96] Os relacionamentos mais íntimos de Leonardo foram talvez com seus alunos Salaì e Melzi. Melzi, escrevendo para informar os irmãos de Leonardo de sua morte, descreveu os sentimentos de Leonardo por seus alunos como amorosos e apaixonados. Tem sido afirmado desde o século 16 que essas relações eram de natureza sexual ou erótica. Os autos do tribunal de 1476, quando ele tinha 24 anos, mostram que Leonardo e três outros jovens foram acusados ​​de sodomia em um incidente envolvendo um conhecido prostituto. As acusações foram indeferidas por falta de provas e especula-se que, como um dos acusados, Lionardo de Tornabuoni, era parente de Lorenzo de 'Medici, a família exerceu sua influência para garantir a demissão. [97] Desde aquela data, muito foi escrito sobre sua suposta homossexualidade [98] e seu papel em sua arte, particularmente naandroginia e erotismo manifestados em São João Batista e Baco e mais explicitamente em uma série de desenhos eróticos. [99]

Pinturas

Apesar da recente consciência e admiração de Leonardo como cientista e inventor, durante a maior parte dos quatrocentos anos sua fama repousou em suas realizações como pintor. Um punhado de obras que são autenticadas ou atribuídas a ele foram consideradas entre as grandes obras-primas. Essas pinturas são famosas por uma variedade de qualidades que foram muito imitadas pelos alunos e amplamente discutidas por conhecedores e críticos. Na década de 1490, Leonardo já havia sido descrito como um pintor "Divino". [100]

Entre as qualidades que tornam o trabalho de Leonardo único estão suas técnicas inovadoras de aplicação sobre a tinta; seu conhecimento detalhado de anatomia, luz, botânica e geologia; seu interesse pela fisionomia e a maneira como os humanos registram emoções na expressão e no gesto; seu uso inovador da forma humana na composição figurativa; e seu uso de gradação sutil de tom. Todas essas qualidades se reúnem em suas obras pintadas mais famosas, a Mona Lisa , a Última Ceia e a Virgem das Rochas . [101]

Trabalhos iniciais

Anunciação c.  1472-1476 , [d 4] Uffizi , é considerada a primeira obra completa de Leonardo

Leonardo chamou a atenção pela primeira vez por seu trabalho sobre o Batismo de Cristo , pintado em conjunto com Verrocchio. Duas outras pinturas parecem datar de seu tempo na oficina de Verrocchio, ambas são Anunciações . Um é pequeno, com 59 centímetros (23 pol.) De comprimento e 14 cm (5,5 pol.) De altura. É uma " predela " ir na base de uma composição maior, uma pintura de Lorenzo di Credi da qual se separou. A outra é uma obra muito maior, com 217 cm (85 pol.) De comprimento. [102] Em ambas as Anunciações, Leonardo usou um arranjo formal, como duas imagens bem conhecidas de Fra Angelico do mesmo assunto, da Virgem Mariasentado ou ajoelhado à direita da imagem, abordado pela esquerda por um anjo de perfil, com uma rica vestimenta esvoaçante, asas levantadas e segurando um lírio. Embora anteriormente atribuída a Ghirlandaio, a obra maior agora é geralmente atribuída a Leonardo. [103]

Na pintura menor, Maria desvia os olhos e cruza as mãos em um gesto que simbolizava submissão à vontade de Deus. Maria não é submissa, no entanto, na parte maior. A menina, interrompida em sua leitura por este mensageiro inesperado, coloca um dedo em sua bíblia para marcar o lugar e levanta a mão em um gesto formal de saudação ou surpresa. [33] Esta jovem calma parece aceitar seu papel de Mãe de Deus , não com resignação, mas com confiança. Nesta pintura, o jovem Leonardo apresenta o rosto humanista da Virgem Maria, reconhecendo o papel da humanidade na encarnação de Deus.

Pinturas da década de 1480

Pintura inacabada de São Jerônimo no deserto c.  1480–1490 , [d 5] Vaticano

Na década de 1480, Leonardo recebeu duas encomendas muito importantes e deu início a outra obra de importância inovadora em termos de composição. Dois dos três nunca foram concluídos, e o terceiro demorou tanto que foi sujeito a longas negociações para conclusão e pagamento.

Uma dessas pinturas foi São Jerônimo no Deserto , que Bortolon associa a um período difícil da vida de Leonardo, como evidenciado em seu diário: "Achei que estava aprendendo a viver; estava apenas aprendendo a morrer." [35] Embora a pintura mal tenha começado, a composição pode ser vista e é muito incomum. [w] Jerônimo , como um penitente , ocupa o meio da imagem, colocado em uma leve diagonal e visto um pouco de cima. Sua forma ajoelhada assume uma forma trapezoidal, com um braço estendido para a borda externa da pintura e seu olhar voltado para a direção oposta. J. Wasserman aponta a ligação entre esta pintura e os estudos anatômicos de Leonardo. [104]Em primeiro plano, espalha-se seu símbolo, um grande leão cujo corpo e cauda formam uma espiral dupla na base do espaço da imagem. A outra característica notável é a paisagem esboçada de rochas escarpadas contra as quais a figura se destaca.

A ousada exibição da composição das figuras, os elementos da paisagem e o drama pessoal também aparecem na grande obra-prima inacabada, a Adoração dos Magos , uma encomenda dos Monges de San Donato a Scopeto. É uma composição complexa, de cerca de 250 x 250 centímetros. Leonardo fez vários desenhos e estudos preparatórios, incluindo um detalhado em perspectiva linear da arquitetura clássica em ruínas que faz parte do plano de fundo. Em 1482, Leonardo foi para Milão a pedido de Lorenzo de 'Medici para ganhar o favor de Ludovico il Moro, e a pintura foi abandonada. [13]

A terceira obra importante deste período é a Virgem dos Rochedos , encomendada em Milão para a Confraria da Imaculada Conceição. A pintura, a realizar com o auxílio dos irmãos de Predis , devia preencher um grande retábulo complexo . [105] Leonardo escolheu pintar um momento apócrifo da infância de Cristo quando o menino João Batista , na proteção de um anjo, encontrou a Sagrada Família na estrada para o Egito. A pintura demonstra uma beleza misteriosa enquanto as figuras graciosas se ajoelham em adoração ao redor do menino Cristo em uma paisagem selvagem de rocha e água rodopiante. [106] Embora a pintura seja bastante grande, cerca de 200 × 120 centímetros, não é tão complexo quanto a pintura encomendada pelos monges de São Donato, tendo apenas quatro figuras em vez de cerca de cinquenta e uma paisagem rochosa em vez de detalhes arquitetônicos. A pintura foi finalmente terminada; na verdade, duas versões da pintura foram concluídas: uma permaneceu na capela da Confraria, enquanto Leonardo levou a outra para a França. Os Irmãos não receberam sua pintura, no entanto, nem o de Predis seu pagamento, até o próximo século. [36] [56]

O retrato mais notável de Leonardo desse período é a Dama com Arminho , presumivelmente Cecilia Gallerani ( c.  1483-1490 ), amante de Ludovico Sforza. [107] [108] A pintura é caracterizada pela pose da figura com a cabeça virada em um ângulo muito diferente do torso, incomum em uma data em que muitos retratos ainda estavam de perfil rígido. O arminho carrega claramente um significado simbólico, relacionado tanto ao assistente quanto a Ludovico, que pertencia à prestigiosa Ordem do Arminho . [107]

Pinturas da década de 1490

A Última Ceia , [d 7] Convento de Santa Maria delle Grazie , Milão, Itália ( c.  1492–1498 )

A pintura mais famosa de Leonardo da década de 1490 é A Última Ceia , encomendada para o refeitório do Convento de Santa Maria della Grazie em Milão. Representa a última refeição compartilhada por Jesus com seus discípulos antes de sua captura e morte, e mostra o momento em que Jesus acabou de dizer "um de vocês me trairá", e a consternação que essa declaração causou. [36]

O escritor Matteo Bandello observou Leonardo trabalhando e escreveu que alguns dias ele pintava do amanhecer ao anoitecer sem parar para comer e depois não pintava por três ou quatro dias seguidos. [109] Isso estava além da compreensão do prior do convento, que o perseguiu até que Leonardo pediu a Ludovico que interviesse. Vasari descreve como Leonardo, preocupado com sua capacidade de representar adequadamente os rostos de Cristo e do traidor Judas , disse ao duque que ele poderia ser obrigado a usar o prior como seu modelo. [‡ 7]

A pintura foi aclamada como uma obra-prima de design e caracterização, [‡ 8] mas se deteriorou rapidamente, de modo que em cem anos foi descrita por um observador como "completamente arruinada". [110] Leonardo, em vez de usar a técnica confiável de afresco, usou têmpera sobre um solo que era principalmente de gesso , resultando em uma superfície sujeita a mofo e descamação. [111] Apesar disso, a pintura continua a ser uma das obras mais reproduzidas de arte; inúmeras cópias foram feitas em vários meios.

No final desse período, em 1498, a decoração trompe-l'oeil de Da Vinci da Sala delle Asse foi pintada para o Duque de Milão no Castelo Sforza.

Pinturas dos anos 1500

Mona Lisa ou La Gioconda c.  1503-1516 , [d 8] Louvre , Paris

Em 1505, Leonardo foi contratado para pintar A Batalha de Anghiari no Salone dei Cinquecento (Salão dos Quinhentos) no Palazzo Vecchio , em Florença. Leonardo desenvolveu uma composição dinâmica que descreve quatro homens montados em furiosos cavalos de guerra engajados em uma batalha pela posse de um estandarte, na Batalha de Anghiari em 1440. Michelangelo foi designado para a parede oposta para representar a Batalha de Cascina . A pintura de Leonardo deteriorou-se rapidamente e agora é conhecida por uma cópia de Rubens . [112]

Entre as obras criadas por Leonardo no século 16 está o pequeno retrato conhecido como Mona Lisa ou La Gioconda , o que sorri. Na era atual, é indiscutivelmente a pintura mais famosa do mundo. Sua fama repousa, em particular, no sorriso evasivo no rosto da mulher, sua qualidade misteriosa talvez devido aos cantos da boca e dos olhos sutilmente sombreados de tal forma que a natureza exata do sorriso não pode ser determinada. A qualidade sombria pela qual a obra é famosa passou a ser chamada de " sfumato ", ou fumaça de Leonardo. Vasari escreveu que o sorriso era "tão agradável que parecia mais divino do que humano, e foi considerado maravilhoso que fosse tão vivo quanto o sorriso do original vivo". [‡ 9]

Outras características da pintura são o vestido sem adornos, em que os olhos e as mãos não competem com outros detalhes; o cenário dramático da paisagem, em que o mundo parece estar em um estado de fluxo; a coloração suave; e a natureza extremamente suave da técnica de pintura, empregando óleos aplicados de maneira muito semelhante à têmpera e misturados na superfície de modo que as pinceladas sejam indistinguíveis. [113] Vasari expressou que a qualidade da pintura faria até "o mestre mais confiante ... se desesperar e desanimar". [‡ 10] O perfeito estado de conservação e o fato de não haver indícios de conserto ou pintura é raro em uma pintura de painel desta data. [114]

Na pintura Virgem e o Menino com Santa Ana , a composição retoma o tema das figuras em uma paisagem, que Wasserman descreve como "incrivelmente bela" [115] e remete à pintura de São Jerônimo com a figura oblíqua ângulo. O que torna esta pintura incomum é que há duas figuras dispostas obliquamente sobrepostas. Maria está sentada no joelho de sua mãe, Santa Ana. Ela se inclina para frente para conter o Menino Jesus enquanto ele brinca rudemente com um cordeiro, o sinal de seu próprio sacrifício iminente. [36] Esta pintura, que foi copiada muitas vezes, influenciou Michelangelo, Rafael e Andrea del Sarto , [116] e através deles Pontormo e Correggio. As tendências na composição foram adotadas em particular pelos pintores venezianos Tintoretto e Veronese .

Desenhos

Auto-retrato presumido de Leonardo (c. 1510) na Biblioteca Real de Turim , Itália.

Leonardo foi um desenhista prolífico, mantendo diários cheios de pequenos esboços e desenhos detalhados, registrando todos os tipos de coisas que chamavam sua atenção. Assim como os diários, existem muitos estudos para pinturas, alguns dos quais podem ser identificados como preparatórios para obras particulares, como A Adoração dos Magos , A Virgem dos Rochedos e A Última Ceia . [117] Seu desenho datado mais antigo é uma Paisagem do Vale do Arno , 1473, que mostra o rio, as montanhas, o Castelo de Montelupo e as fazendas além dele em grandes detalhes. [35] [117] [x] Alguns estudiosos, incluindo o historiador de arte Ludwig Heydenreich, citaram o desenho como a primeira paisagem na arte, [118] [44] embora exemplos anteriores sejam conhecidos. [119] [120]

Entre seus desenhos famosos estão o Homem Vitruviano , um estudo das proporções do corpo humano; a Cabeça de um Anjo , para A Virgem das Rochas no Louvre ; um estudo botânico da Star of Bethlehem ; e um grande desenho (160 × 100 cm) em giz preto sobre papel colorido de A Virgem e o Menino com Santa Ana e São João Batista na National Gallery, Londres. [117] Este desenho emprega a técnica sfumato sutil de sombreamento, à maneira da Mona Lisa . Pensa-se que Leonardo nunca fez uma pintura a partir dele, sendo a semelhança mais próxima com A Virgem e o Menino com Santa Ana.no Louvre. [121]

Antigo guerreiro de perfil , c.  1472

Outros desenhos de interesse incluem numerosos estudos geralmente chamados de "caricaturas" porque, embora exagerados, parecem ser baseados na observação de modelos vivos. Vasari relata que Leonardo procuraria rostos interessantes em público para usar como modelos em algumas de suas obras. [‡ 7] Existem numerosos estudos de belos rapazes, muitas vezes associados a Salaì, com a característica facial rara e muito admirada, o chamado "perfil grego". [y] Esses rostos costumam ser contrastados com os de um guerreiro. [117]Salaì é freqüentemente retratado em trajes de fantasia. Leonardo é conhecido por ter criado conjuntos para concursos aos quais eles podem ser associados. Outros desenhos, muitas vezes meticulosos, mostram estudos de cortinas. Um notável desenvolvimento na habilidade de Leonardo de desenhar cortinas ocorreu em seus primeiros trabalhos. Outro desenho frequentemente reproduzido é um esboço macabro feito por Leonardo em Florença em 1479, mostrando o corpo de Bernardo Baroncelli , enforcado em conexão com o assassinato de Giuliano, irmão de Lorenzo de 'Medici, na conspiração Pazzi . [117] Em suas anotações, Leonardo registrou as cores das vestes que Baroncelli usava quando morreu.

Como os dois arquitetos contemporâneos Donato Bramante (que projetou o Pátio do Belvedere) e Antonio da Sangallo, o Velho , Leonardo fez experiências com projetos para igrejas planejadas centralmente, algumas das quais aparecem em seus diários, como plantas e vistas, embora nenhuma tenha sido realizada . [39] [122]

Diários e notas

O humanismo da Renascença não reconhecia polaridades mutuamente exclusivas entre as ciências e as artes, e os estudos de Leonardo em ciência e engenharia às vezes são considerados tão impressionantes e inovadores quanto seu trabalho artístico. [36] Esses estudos foram registrados em 13.000 páginas de notas e desenhos, que fundem arte e filosofia natural (o precursor da ciência moderna). Eles foram feitos e mantidos diariamente ao longo da vida e viagens de Leonardo, enquanto ele fazia observações contínuas do mundo ao seu redor. [36]As anotações e desenhos de Leonardo mostram uma enorme gama de interesses e preocupações, alguns tão mundanos quanto listas de mantimentos e pessoas que lhe deviam dinheiro e outros tão intrigantes quanto designs de asas e sapatos para andar sobre a água. São composições para pinturas, estudos de detalhes e drapeados, estudos de rostos e emoções, de animais, bebês, dissecações, estudos de plantas, formações rochosas, redemoinhos, máquinas de guerra, máquinas voadoras e arquitetura. [36]

Uma página que mostra o estudo de Leonardo de um feto no útero ( c.  1510 ), Biblioteca Real, Castelo de Windsor

Esses cadernos - originalmente papéis soltos de diferentes tipos e tamanhos - foram em grande parte confiados ao discípulo de Leonardo e herdeiro Francesco Melzi após a morte do mestre. [123] Estes deveriam ser publicados, uma tarefa de enorme dificuldade devido ao seu escopo e à escrita idiossincrática de Leonardo. [124] Alguns dos desenhos de Leonardo foram copiados por um artista anônimo milanês para um tratado planejado sobre arte c.  1570 . [125] Após a morte de Melzi em 1570, a coleção passou para seu filho, o advogado Orazio, que inicialmente teve pouco interesse pelos periódicos. [123] Em 1587, um tutor doméstico Melzi chamado Lelio Gavardi levou 13 dos manuscritos para Pisa; lá, o arquiteto Giovanni Magentacensurou Gavardi por ter pegado os manuscritos ilicitamente e os devolvido a Orazio. Tendo muitas outras obras em sua posse, Orazio presenteou os volumes para Magenta. As notícias se espalharam dessas obras perdidas de Leonardo, e Orazio recuperou sete dos 13 manuscritos, que ele então deu a Pompeo Leoni para publicação em dois volumes; um deles foi o Codex Atlanticus . As outras seis obras foram distribuídas para alguns outros. [126] Após a morte de Orazio, seus herdeiros venderam o resto das posses de Leonardo e, assim, começaram sua dispersão. [127]

Algumas obras foram incluídas em coleções importantes, como a Biblioteca Real do Castelo de Windsor , o Louvre, a Biblioteca Nacional de España , o Museu Victoria and Albert , a Biblioteca Ambrosiana em Milão, que contém o Codex Atlanticus de 12 volumes, e o British Library in London, que colocou online uma seleção do Codex Arundel (BL Arundel MS 263). [128] Os trabalhos também estiveram no Holkham Hall , o Metropolitan Museum of Art , e nas mãos privadas de John Nicholas Brown I e Robert Lehman . [123] OCodex Leicester é a única grande obra científica privada de Leonardo; é propriedade de Bill Gates e exibida uma vez por ano em diferentes cidades ao redor do mundo.

A maioria dos escritos de Leonardo está em letra cursiva espelhada . [44] [129] Visto que Leonardo escrevia com a mão esquerda, provavelmente era mais fácil para ele escrever da direita para a esquerda. [130] [z] Leonardo usou uma variedade de taquigrafias e símbolos, e afirma em suas notas que pretendia prepará-los para publicação. [129] Em muitos casos, um único tópico é coberto em detalhes em palavras e imagens em uma única folha, juntos transmitindo informações que não seriam perdidas se as páginas fossem publicadas fora de ordem. [133] Por que eles não foram publicados durante a vida de Leonardo é desconhecido. [36]

Ciência e invenções

Rhombicuboctaedron conforme publicado em Pacioli's Divina proporione (1509)

A abordagem de Leonardo da ciência era observacional: ele tentava compreender um fenômeno descrevendo e retratando-o com o máximo de detalhes e não enfatizava experimentos ou explicações teóricas. Como ele não teve educação formal em latim e matemática, os estudiosos contemporâneos quase sempre ignoraram Leonardo, o cientista, embora ele tenha se ensinado latim sozinho. Suas observações perspicazes em muitas áreas foram notadas, como quando ele escreveu "Il sole non si move". ("O Sol não se move.") [134]

Na década de 1490, ele estudou matemática com Luca Pacioli e preparou uma série de desenhos de sólidos regulares em uma forma esquelética para serem gravados como placas para o livro Divina proporione de Pacioli , publicado em 1509. [36] Enquanto vivia em Milão, ele estudou a luz do cimeira do Monte Rosa . [64] Os escritos científicos em seu caderno sobre fósseis foram considerados influentes no início da paleontologia . [135]

O conteúdo de seus diários sugere que ele estava planejando uma série de tratados sobre uma variedade de assuntos. Diz-se que um tratado coerente sobre anatomia foi observado durante uma visita do secretário do cardeal Louis d'Aragon em 1517. [136] Aspectos de seu trabalho nos estudos de anatomia, luz e paisagem foram reunidos para publicação por Melzi e eventualmente publicados como Tratado sobre a pintura na França e na Itália em 1651 e na Alemanha em 1724, [137] com gravuras baseadas em desenhos do pintor clássico Nicolas Poussin . [4]Segundo Arasse, o tratado, que na França teve 62 edições em cinquenta anos, fez com que Leonardo fosse visto como "o precursor do pensamento acadêmico francês sobre arte". [36]

Enquanto a experimentação de Leonardo seguiu métodos científicos, uma análise recente e exaustiva de Leonardo como um cientista por Fritjof Capra argumenta que Leonardo era um tipo de cientista fundamentalmente diferente de Galileu , Newton e outros cientistas que o seguiram nisso, como um " Homem da Renascença ", sua teorização e hipóteses integraram as artes e, particularmente, a pintura. [138] [ página necessária ]

Anatomia e fisiologia

Estudo anatômico do braço ( c.  1510 )

Leonardo iniciou seus estudos de anatomia do corpo humano com o aprendizado de Verrocchio, que exigia que seus alunos desenvolvessem um conhecimento profundo do assunto. [139] Como artista, ele rapidamente se tornou mestre em anatomia topográfica , desenhando muitos estudos de músculos , tendões e outras características anatômicas visíveis.

Como um artista de sucesso, Leonardo recebeu permissão para dissecar cadáveres humanos no Hospital de Santa Maria Nuova em Florença e mais tarde em hospitais em Milão e Roma. De 1510 a 1511 colaborou em seus estudos com o médico Marcantonio della Torre . Leonardo fez mais de 240 desenhos detalhados e escreveu cerca de 13.000 palavras para um tratado de anatomia. [140] Apenas uma pequena quantidade do material sobre anatomia foi publicada no Tratado sobre pintura de Leonardo . [124] Durante o tempo em que Melzi estava ordenando o material em capítulos para publicação, eles foram examinados por uma série de anatomistas e artistas, incluindo Vasari, Cellini eAlbrecht Dürer , que fez vários desenhos a partir deles. [124]

Os desenhos anatômicos de Leonardo incluem muitos estudos do esqueleto humano e suas partes, e dos músculos e tendões. Ele estudou as funções mecânicas do esqueleto e as forças musculares que são aplicadas a ele de uma maneira que prefigurou a ciência moderna da biomecânica . [141] Ele desenhou o coração e o sistema vascular , os órgãos sexuais e outros órgãos internos, fazendo um dos primeiros desenhos científicos de um feto no útero . [117] Os desenhos e notações estão muito à frente de seu tempo e, se publicados, sem dúvida teriam feito uma grande contribuição para a ciência médica. [140]

Esboço fisiológico de Leonardo do cérebro e crânio humanos ( c.  1510 )

Leonardo também observou e registrou de perto os efeitos da idade e da emoção humana na fisiologia, estudando em particular os efeitos da raiva. Ele desenhou muitas figuras com deformidades faciais significativas ou sinais de doença. [36] [117] Leonardo também estudou e desenhou a anatomia de muitos animais, dissecando vacas, pássaros, macacos, ursos e sapos, e comparando em seus desenhos sua estrutura anatômica com a dos humanos. Ele também fez vários estudos sobre cavalos. [117]

As dissecações e a documentação de músculos, nervos e vasos de Leonardo ajudaram a descrever a fisiologia e a mecânica do movimento. Ele tentou identificar a origem das 'emoções' e sua expressão. Ele achou difícil incorporar o sistema prevalecente e as teorias dos humores corporais , mas acabou abandonando essas explicações fisiológicas das funções corporais. Ele fez as observações de que os humores não estavam localizados nos espaços ou ventrículos cerebrais . Ele documentou que os humores não estavam contidos no coração ou no fígado e que era o coração que definia o sistema circulatório. Ele foi o primeiro a definir aterosclerose e cirrose hepática. Ele criou modelos dos ventrículos cerebrais com o uso de cera derretida e construiu uma aorta de vidro para observar a circulação do sangue pela válvula aórtica usando água e sementes de grama para observar os padrões de fluxo. Vesalius publicou seu trabalho sobre anatomia e fisiologia no De humani corporis fabrica em 1543. [142]

Engenharia e invenções

Um projeto para uma máquina voadora ( c.  1488 ), apresentado pela primeira vez no Codex on the Flight of Birds .
Um parafuso aéreo ( c.  1489 ), sugestivo de um helicóptero, do Codex Atlanticus .

Durante sua vida, Leonardo também foi valorizado como engenheiro. Com a mesma abordagem racional e analítica que o moveu a representar o corpo humano e a investigar a anatomia, Leonardo estudou e projetou muitas máquinas e dispositivos. Ele desenhou sua “anatomia” com maestria incomparável, produzindo a primeira forma do desenho técnico moderno, incluindo uma técnica de "vista explodida" aperfeiçoada, para representar componentes internos. Esses estudos e projetos reunidos em seus códices ocupam mais de 5.000 páginas. [143] Em uma carta de 1482 ao senhor de Milão Ludovico il Moro, ele escreveu que poderia criar todos os tipos de máquinas tanto para a proteção de uma cidade quanto para o cerco. Quando fugiu de Milão para Veneza em 1499, encontrou emprego como engenheiro e criou um sistema de barricadas móveis para proteger a cidade de ataques. Em 1502, ele criou um esquema para desviar o fluxo do rio Arno, um projeto em que Niccolò Machiavelli também trabalhou. [144] [145] Ele continuou a contemplar a canalização das planícies da Lombardia enquanto estava na companhia de Luís XII [64] e do Loire e seus afluentes na companhia de Francisco I. [146] Os diários de Leonardo incluem um grande número de invenções, ambos prático e impraticável. Eles inclueminstrumentos musicais , um cavaleiro mecânico , bombas hidráulicas, mecanismos reversíveis de manivela, projéteis de morteiro com aletas e um canhão de vapor . [35] [36]

Desenhos de Leonardo de uma carruagem com foice e um veículo de combate .

Leonardo ficou fascinado com o fenômeno do vôo durante grande parte de sua vida, produzindo muitos estudos, incluindo Codex on the Flight of Birds ( c.  1505 ), bem como planos para várias máquinas voadoras, como um ornitóptero oscilante e uma máquina com um rotor helicoidal . [36] Um documentário de 2003 da estação de televisão britânica Channel Four , intitulado Leonardo's Dream Machines , vários designs de Leonardo, como um paraquedas e uma besta gigante , foram interpretados e construídos. [147] [148] Alguns desses projetos foram bem-sucedidos, enquanto outros se saíram menos bem quando testados.

A pesquisa realizada por Marc van den Broek revelou protótipos mais antigos para mais de 100 invenções atribuídas a Leonardo. Semelhanças entre as ilustrações e desenhos de Leonardo da Idade Média e da Grécia e Roma Antigas, dos impérios chinês e persa e do Egito sugerem que grande parte das invenções de Leonardo foi concebida antes de sua vida. A inovação de Leonardo foi combinar diferentes funções de rascunhos existentes e colocá-los em cenas que ilustrassem sua utilidade. Ao reconstituir invenções técnicas, ele criou algo novo. [149]

Em seus cadernos de notas, Leonardo declarou pela primeira vez as "leis" do atrito deslizante em 1493. [150] Sua inspiração para investigar o atrito surgiu em parte de seu estudo do movimento perpétuo , que ele concluiu corretamente não era possível. [151] Seus resultados nunca foram publicados e as leis de fricção não foram redescobertas até 1699 por Guillaume Amontons , a cujo nome agora são normalmente associadas. [150] Por esta contribuição, Leonardo foi nomeado o primeiro dos 23 "Homens da Tribologia" por Duncan Dowson . [152]

Legado

Estátua fora do Uffizi , Florença, por Luigi Pampaloni (1791-1847)

A fama de Leonardo durante sua própria vida foi tamanha que o rei da França o carregou como um troféu e alegou tê-lo apoiado em sua velhice e segurado em seus braços quando ele morreu. O interesse por Leonardo e sua obra nunca diminuiu. As multidões ainda fazem fila para ver suas obras de arte mais conhecidas, as camisetas ainda exibem seus desenhos mais famosos e os escritores continuam a saudá-lo como um gênio enquanto especulam sobre sua vida privada, bem como sobre o que alguém tão inteligente realmente acreditava. [ 36]

A admiração contínua que Leonardo comandava de pintores, críticos e historiadores se reflete em muitas outras homenagens escritas. Baldassare Castiglione , autor de Il Cortegiano ( O cortesão ), escreveu em 1528: "... Outro dos maiores pintores deste mundo menospreza esta arte na qual é inigualável ..." [153] enquanto o biógrafo conhecido como "Anonimo Gaddiano" escreveu, c.  1540 : "Seu gênio foi tão raro e universal que pode-se dizer que a natureza fez um milagre em seu nome ..." [154] Vasari, em suas Vidas dos Artistas (1568), abre seu capítulo sobre Leonardo: [‡ 11]

No curso normal dos eventos, muitos homens e mulheres nascem com talentos notáveis; mas ocasionalmente, de uma forma que transcende a natureza, uma única pessoa é maravilhosamente dotada pelo Céu com beleza, graça e talento em tal abundância que deixa outros homens para trás, todas as suas ações parecem inspiradas e na verdade tudo o que ele faz claramente vem de Deus, ao invés do que da habilidade humana. Todos reconheciam que isso era verdade para Leonardo da Vinci, um artista de grande beleza física, que exibia graça infinita em tudo o que fazia e que cultivava sua genialidade de maneira tão brilhante que todos os problemas que estudava ele resolvia com facilidade.

The 19th century brought a particular admiration for Leonardo's genius, causing Henry Fuseli to write in 1801: "Such was the dawn of modern art, when Leonardo da Vinci broke forth with a splendour that distanced former excellence: made up of all the elements that constitute the essence of genius..."[155] This is echoed by A.E. Rio who wrote in 1861: "He towered above all other artists through the strength and the nobility of his talents."[156]

By the 19th century, the scope of Leonardo's notebooks was known, as well as his paintings. Hippolyte Taine wrote in 1866: "There may not be in the world an example of another genius so universal, so incapable of fulfilment, so full of yearning for the infinite, so naturally refined, so far ahead of his own century and the following centuries."[157] Art historian Bernard Berenson wrote in 1896: "Leonardo is the one artist of whom it may be said with perfect literalness: Nothing that he touched but turned into a thing of eternal beauty. Whether it be the cross section of a skull, the structure of a weed, or a study of muscles, he, with his feeling for line and for light and shade, forever transmuted it into life-communicating values."[158]

The interest in Leonardo's genius has continued unabated; experts study and translate his writings, analyse his paintings using scientific techniques, argue over attributions and search for works which have been recorded but never found.[159] Liana Bortolon, writing in 1967, said: "Because of the multiplicity of interests that spurred him to pursue every field of knowledge...Leonardo can be considered, quite rightly, to have been the universal genius par excellence, and with all the disquieting overtones inherent in that term. Man is as uncomfortable today, faced with a genius, as he was in the 16th century. Five centuries have passed, yet we still view Leonardo with awe."[35] The Elmer Belt Library of Vinciana is a special collection at the University of California, Los Angeles.[160]

Leonardo Museum in Vinci, which houses a large collection of models constructed on the basis of Leonardo's drawings.

Twenty-first-century author Walter Isaacson based much of his biography of Leonardo[97] on thousands of notebook entries, studying the personal notes, sketches, budget notations, and musings of the man whom he considers the greatest of innovators. Isaacson was surprised to discover a "fun, joyous" side of Leonardo in addition to his limitless curiosity and creative genius.[161]

On the 500th anniversary of Leonardo's death, the Louvre in Paris arranged for the largest ever single exhibit of his work, called Leonardo, between November 2019 and February 2020. The exhibit includes over 100 paintings, drawings and notebooks. Eleven of the paintings that Leonardo completed in his lifetime were included. Five of these are owned by the Louvre, but the Mona Lisa was not included because it is in such great demand among general visitors to the Louvre; it remains on display in its gallery. Vitruvian Man, however, is on display following a legal battle with its owner, the Gallerie dell'Accademia in Venice. Salvator Mundi [aa] was also not included because its Saudi owner did not agree to lease the work.[164][165]

The Mona Lisa, considered Leonardo's magnum opus, is often regarded as the most famous portrait ever made.[3][166] The Last Supper is the most reproduced religious painting of all time,[167] and Leonardo's Vitruvian Man drawing is also considered a cultural icon.[168]

More than a decade of analysis of Leonardo's genetic genealogy, conducted by Alessandro Vezzosi and Agnese Sabato, came to a conclusion in mid-2021. It was determined that the artist has 14 living male relatives. The work could also help determine the authenticity of remains thought to belong to Leonardo.[169]

Location of remains

Tomb in the chapel of Saint Hubert at the Château d'Amboise where a plaque describes it as the presumed site of Leonardo's remains.

While Leonardo was certainly buried in the collegiate church of Saint Florentin at the Château d'Amboise in 12 August 1519, the current location of his remains is unclear.[170][171] Much of Château d'Amboise was damaged during the French Revolution, leading to the church's demolition in 1802.[170] Some of the graves were destroyed in the process, scattering the bones interred there and thereby leaving the whereabouts of Leonardo's remains subject to dispute; a gardener may have even buried some in the corner of the courtyard.[170]

In 1863, fine-arts inspector general Arsène Houssaye received an imperial commission to excavate the site and discovered a partially complete skeleton with a bronze ring on one finger, white hair, and stone fragments bearing the inscriptions "EO", "AR", "DUS", and "VINC"—interpreted as forming "Leonardus Vinci".[88][170][172] The skull's eight teeth corresponds to someone of approximately the appropriate age and a silver shield found near the bones depicts a beardless Francis I, corresponding to the king's appearance during Leonardo's time in France.[172]

Houssaye postulated that the unusually large skull was an indicator of Leonardo's intelligence; author Charles Nicholl describes this as a "dubious phrenological deduction."[170] At the same time, Houssaye noted some issues with his observations, including that the feet were turned toward the high altar, a practice generally reserved for laymen, and that the skeleton of 1.73 metres (5.7 ft) seemed too short.[172] Art historian Mary Margaret Heaton wrote in 1874 that the height would be appropriate for Leonardo.[173] The skull was allegedly presented to Napoleon III before being returned to the Château d'Amboise, where they were re-interred in the chapel of Saint Hubert in 1874.[172][174] A plaque above the tomb states that its contents are only presumed to be those of Leonardo.[171]

It has since been theorized that the folding of the skeleton's right arm over the head may correspond to the paralysis of Leonardo's right hand.[77][83][172] In 2016, it was announced that DNA tests would be conducted to determine whether the attribution is correct.[174] The DNA of the remains will be compared to that of samples collected from Leonardo's work and his half-brother Domenico's descendants;[174] it may also be sequenced.[175]

In 2019, documents were published revealing that Houssaye had kept the ring and a lock of hair. In 1925, his great-grandson sold these to an American collector. Sixty years later, another American acquired them, leading to their being displayed at the Leonardo Museum in Vinci beginning on 2 May 2019, the 500th anniversary of the artist's death.[88][176]

Notes

General
  1. ^ a b See Nicholl (2005, pp. 17–20) and Bambach (2019, p. 24) for further information on the dispute and uncertainty surrounding Leonardo's exact birthplace.
  2. ^ a b English: /ˌləˈnɑːrd də ˈvɪni, ˌlˈ-, ˌlˈ-/; LEE-ə-NAR-doh də VIN-chee, LEE-oh-, LAY-oh-
  3. ^ Italian: [leoˈnardo di ˈsɛr ˈpjɛːro da (v)ˈvintʃi] (About this soundlisten) The inclusion of the title 'ser' (shortening of Italian Messer or Messere, title of courtesy prefixed to the first name) indicates that Leonardo's father was a gentleman.
  4. ^ The diary of his paternal grandfather Ser Antonio relays a precise account: "There was born to me a grandson, son of Ser Piero [fr], on 15 April, a Saturday, at the third hour of the night."[12][13] Ser Antonio records Leonardo being baptized the following day by Piero di Bartolomeo at the parish of Santa Croce [it].[14]
  5. ^ It has been suggested that Caterina may have been a slave from the Middle East "or at least, from the Mediterranean" or even of Chinese descent. According to art critic Alessandro Vezzosi, head of the Leonardo Museum in Vinci, there is evidence that Piero owned a slave called Caterina.[18] The reconstruction of one of Leonardo's fingerprints shows a pattern that matches 60% of people of Middle Eastern origin, suggesting the possibility that Leonardo may have had Middle Eastern blood. The claim is refuted by Simon Cole, associate professor of criminology, law and society at the University of California at Irvine: "You can't predict one person's race from these kinds of incidences, especially if looking at only one finger". More recently, historian Martin Kemp, after digging through overlooked archives and records in Italy, found evidence that Leonardo's mother was a young local woman identified as Caterina di Meo Lippi.[19]
  6. ^ See Nicholl (2005, pp. 26–30) for further information of Leonardo's mother and Antonio di Piero Buti del Vacca.
  7. ^ See Kemp & Pallanti (2017, pp. 65–66) for detailed table on Ser Piero's marriages.
  8. ^ He also never wrote about his father, except a passing note of his death in which he overstates his age by three years.[24] Leonardo's siblings caused him difficulty after his father's death in a dispute over their inheritance.[25]
  9. ^ The humanist influence of Donatello's David can be seen in Leonardo's late paintings, particularly John the Baptist.[33][32]
  10. ^ The "diverse arts" and technical skills of Medieval and Renaissance workshops are described in detail in the 12th-century text On Divers Arts by Theophilus Presbyter and in the early 15th-century text Il Libro Dell'arte O Trattato Della Pittui by Cennino Cennini.
  11. ^ That Leonardo joined the guild by this time is deduced from the record of payment made to the Compagnia di San Luca in the company's register, Libro Rosso A, 1472–1520, Accademia di Belle Arti.[13]
  12. ^ On the back he wrote: "I, staying with Anthony, am happy," possibly in reference to his father.
  13. ^ Leonardo later wrote in the margin of a journal, "The Medici made me and the Medici destroyed me."[35]
  14. ^ In 2005, the studio was rediscovered during the restoration of part of a building occupied for 100 years by the Department of Military Geography.[57]
  15. ^ Both works are lost. The entire composition of Michelangelo's painting is known from a copy by Aristotole da Sangallo, 1542.[62] Leonardo's painting is known only from preparatory sketches and several copies of the centre section, of which the best known, and probably least accurate, is by Peter Paul Rubens.[63]
  16. ^ Pope Leo X is quoted as saying, "This man will never accomplish anything! He thinks of the end before the beginning!" [69]
  17. ^ It is unknown for what occasion the mechanical lion was made, but it is believed to have greeted the king at his entry into Lyon and perhaps was used for the peace talks between the French king and Pope Leo X in Bologna. A conjectural recreation of the lion has been made and is on display in the Museum of Bologna.[75]
  18. ^ Identified via its similarity to Leonardo's presumed self-portrait[78]
  19. ^ "... Messer Lunardo Vinci [sic] ... an old graybeard of more than 70 years ... showed His Excellency three pictures ... from whom, since he was then subject to a certain paralysis of the right hand, one could not expect any more good work." [79]
  20. ^ This scene is portrayed in romantic paintings by Ingres, Ménageot and other French artists, as well as Angelica Kauffman.
  21. ^ a b On the day of Leonardo's death, a royal edict was issued by the king at Saint-Germain-en-Laye, a two-day journey from Clos Lucé. This has been taken as evidence that King Francis cannot have been present at Leonardo's deathbed, but the edict was not signed by the king.[86]
  22. ^ Each of the sixty paupers were to have been awarded in accord with Leonardo's will.[49]
  23. ^ The painting, which in the 18th century belonged to Angelica Kauffman, was later cut up. The two main sections were found in a junk shop and cobbler's shop and were reunited.[104] It is probable that outer parts of the composition are missing.
  24. ^ This work is now in the collection of the Uffizi, Drawing No. 8P.
  25. ^ The "Grecian profile" has a continuous straight line from forehead to nose-tip, the bridge of the nose being exceptionally high. It is a feature of many Classical Greek statues.
  26. ^ He also drew with his left hand, his hatch strokes "slanting down from left to right—the natural stroke of a left-handed artist".[131] He also sometimes wrote conventionally with his right hand.[132]
  27. ^ Salvator Mundi, a painting by Leonardo depicting Jesus holding an orb, sold for a world record US$450.3 million at a Christie's auction in New York, 15 November 2017.[162] The highest known sale price for any artwork was previously US$300 million, for Willem de Kooning's Interchange, which was sold privately in September 2015.[163] The highest price previously paid for a work of art at auction was for Pablo Picasso's Les Femmes d'Alger, which sold for US$179.4 million in May 2015 at Christie's New York.[163]
Dates of works
  1. ^ The Adoration of the Magi
  2. ^ Virgin of the Rocks (Louvre version)
  3. ^ Saint John the Baptist
  4. ^ The Annunciation
  5. ^ Saint Jerome in the Wilderness
  6. ^ Lady with an Ermine
  7. ^ The Last Supper
  8. ^ Mona Lisa

References

Citations

Early
  1. ^ Vasari 1991, p. 287
  2. ^ Vasari 1991, pp. 287–289
  3. ^ a b c Vasari 1991, p. 293
  4. ^ Vasari 1991, p. 297
  5. ^ Vasari 1991, p. 284
  6. ^ Vasari 1991, p. 286
  7. ^ a b Vasari 1991, p. 290
  8. ^ Vasari 1991, pp. 289–291
  9. ^ Vasari 1991, p. 294
  10. ^ Vasari 1965, p. 266
  11. ^ Vasari 1965, p. 255
Modern
  1. ^ "A portrait of Leonardo c.1515–18". Royal Collection Trust. Archived from the original on 23 November 2020. Retrieved 26 September 2020.
  2. ^ a b Zöllner 2019, p. 20.
  3. ^ a b c d e f g Kemp 2003.
  4. ^ a b c d Heydenreich 2020.
  5. ^ Zöllner 2019, p. 250.
  6. ^ Kaplan, Erez (1996). "Roberto Guatelli's Controversial Replica of Leonardo da Vinci's Adding Machine". Archived from the original on 29 May 2011. Retrieved 19 August 2013.
  7. ^ Capra 2007, pp. 5–6.
  8. ^ Brown 1998, p. 7.
  9. ^ Kemp 2006, p. 1.
  10. ^ a b c d e f Brown 1998, p. 5.
  11. ^ Nicholl 2005, p. 17.
  12. ^ Vezzosi 1997, p. 13.
  13. ^ a b c d e f g Ottino della Chiesa 1985, p. 83.
  14. ^ Nicholl 2005, p. 20.
  15. ^ Bambach 2019, pp. 16, 24.
  16. ^ a b Marani 2003, p. 13.
  17. ^ Bambach 2019, p. 16.
  18. ^ Hooper, John (12 April 2008). "Da Vinci's mother was a slave, Italian study claims". The Guardian. Retrieved 16 August 2015.
  19. ^ Alberge, Dalya (21 May 2017). "Tuscan archives yield up secrets of Leonardo's mystery mother". The Guardian. Retrieved 5 June 2019.
  20. ^ a b c Bambach 2019, p. 24.
  21. ^ Nicholl 2005, p. 18.
  22. ^ Kemp & Pallanti 2017, p. 6.
  23. ^ Kemp & Pallanti 2017, p. 65.
  24. ^ a b Wallace 1972, p. 11.
  25. ^ Magnano 2007, p. 138.
  26. ^ Brown 1998, pp. 1, 5.
  27. ^ Marani 2003, p. 12.
  28. ^ Brown 1998, p. 175.
  29. ^ Nicholl 2005, p. 28.
  30. ^ Nicholl 2005, p. 30, 506.
  31. ^ Nicholl 2005, p. 30. See p. 506 for the original Italian.
  32. ^ a b c Rosci 1977, p. 13.
  33. ^ a b c Hartt 1970, pp. 127–133.
  34. ^ Bacci, Mina (1978) [1963]. The Great Artists: Da Vinci. Translated by Tanguy, J. New York: Funk & Wagnalls.
  35. ^ a b c d e f g h i j k l m Bortolon 1967.
  36. ^ a b c d e f g h i j k l m n o p q r s Arasse 1998.
  37. ^ Rosci 1977, p. 27.
  38. ^ Martindale 1972.
  39. ^ a b c d Rosci 1977, pp. 9–20.
  40. ^ Piero della Francesca, On Perspective for Painting (De Prospectiva Pingendi)
  41. ^ a b Rachum, Ilan (1979). The Renaissance, an Illustrated Encyclopedia.
  42. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 88.
  43. ^ Wallace 1972, p. 13.
  44. ^ a b c Polidoro, Massimo (2019). "The Mind of Leonardo da Vinci, Part 1". Skeptical Inquirer. Center for Inquiry. 43 (2): 30–31.
  45. ^ Wallace 1972, p. 15.
  46. ^ Clark, Kenneth; Kemp, Martin (26 November 2015). Leonardo da Vinci (Newition ed.). United Kingdom: Penguin. p. 45. ISBN 978-0-14-198237-3.
  47. ^ a b Wasserman 1975, pp. 77–78.
  48. ^ a b Wallace 1972, pp. 53–54.
  49. ^ a b c Williamson 1974.
  50. ^ Kemp 2011.
  51. ^ Franz-Joachim Verspohl [de], Michelangelo Buonarroti und Leonardo Da Vinci: Republikanischer Alltag und Künstlerkonkurrenz in Florenz zwischen 1501 und 1505 (Wallstein Verlag, 2007), p. 151.
  52. ^ Wallace 1972, p. 79.
  53. ^ Ruggiero, Rocky, Episode 142 – Leonardo da Vinci’s Sala delle Asse, Making Art and History Come to Life, Rebuilding the Renaissance, October 6, 2021
  54. ^ "Segui il restauro" [Follow the restoration]. Castello Sforzesco – Sala delle Asse (in Italian). Archived from the original on 16 October 2018. Retrieved 19 October 2018.
  55. ^ Wallace 1972, p. 65.
  56. ^ a b c d Ottino della Chiesa 1985, p. 85.
  57. ^ Owen, Richard (12 January 2005). "Found: the studio where Leonardo met Mona Lisa". The Times. London. Retrieved 5 January 2010.
  58. ^ Wallace 1972, p. 124.
  59. ^ "Mona Lisa – Heidelberg discovery confirms identity". University of Heidelberg. Archived from the original on 5 November 2013. Retrieved 4 July 2010.
  60. ^ Delieuvin, Vincent (15 January 2008). "Télématin". Journal Télévisé. France 2 Télévision.
  61. ^ Coughlan, Robert (1966). The World of Michelangelo: 1475–1564. et al. Time-Life Books. p. 90.
  62. ^ Goldscheider, Ludwig (1967). Michelangelo: paintings, sculptures, architecture. Phaidon Press. ISBN 978-0-7148-1314-1.
  63. ^ Ottino della Chiesa 1985, pp. 106–07.
  64. ^ a b c d e Wallace 1972, p. 145.
  65. ^ "Achademia Leonardi Vinci". Journal of Leonardo Studies & Bibliography of Vinciana. VIII: 243–44. 1990.
  66. ^ a b c Ottino della Chiesa 1985, p. 86.
  67. ^ a b Wallace 1972, pp. 149–150.
  68. ^ Wallace 1972, p. 151.
  69. ^ a b c d e Wallace 1972, p. 150.
  70. ^ Ohlig, Christoph P. J., ed. (2005). Integrated Land and Water Resources Management in History. Books on Demand. p. 33. ISBN 978-3-8334-2463-2.
  71. ^ Gillette, Henry Sampson (2017). Leonardo da Vinci: Pathfinder of Science. Prabhat Prakashan. p. 84.
  72. ^ Georges Goyau, François I, Transcribed by Gerald Rossi. The Catholic Encyclopedia, Volume VI. Published 1909. New York: Robert Appleton Company. Retrieved on 4 October 2007
  73. ^ Miranda, Salvador (1998–2007). "The Cardinals of the Holy Roman Church: Antoine du Prat". Retrieved 4 October 2007.
  74. ^ Wallace 1972, pp. 163, 164.
  75. ^ "Reconstruction of Leonardo's walking lion" (in Italian). Archived from the original on 25 August 2009. Retrieved 5 January 2010.
  76. ^ Brown, Mark (1 May 2019). "Newly identified sketch of Leonardo da Vinci to go on display in London". The Guardian. Retrieved 2 May 2019.
  77. ^ a b Strickland, Ashley (4 May 2019). "What caused Leonardo da Vinci's hand impairment?". CNN. Retrieved 4 May 2019.
  78. ^ a b McMahon, Barbara (1 May 2005). "Da Vinci 'paralysis left Mona Lisa unfinished'". The Guardian. Retrieved 2 May 2019.
  79. ^ Wallace 1972, p. 163.
  80. ^ a b Lorenzi, Rossella (10 May 2016). "Did a Stroke Kill Leonardo da Vinci?". Seeker. Retrieved 5 May 2019.
  81. ^ Saplakoglu, Yasemin (4 May 2019). "A Portrait of Leonardo da Vinci May Reveal Why He Never Finished the Mona Lisa". Live Science. Retrieved 5 May 2019.
  82. ^ a b Bodkin, Henry (4 May 2019). "Leonardo da Vinci never finished the Mona Lisa because he injured his arm while fainting, experts say". The Telegraph. Retrieved 6 May 2019.
  83. ^ a b Charlier, Philippe; Deo, Saudamini. "A physical sign of stroke sequel on the skeleton of Leonardo da Vinci?". Neurology. 4 April 2017; 88(14): 1381–82
  84. ^ Ian Chilvers (2003). The Concise Oxford Dictionary of Art and Artists. Oxford, England: Oxford University Press. p. 354. ISBN 978-0-19-953294-0.
  85. ^ Antonina Vallentin, Leonardo da Vinci: The Tragic Pursuit of Perfection, (New York: The Viking Press, 1938), 533
  86. ^ White, Leonardo: The First Scientist
  87. ^ Kemp 2011, p. 26.
  88. ^ a b c Florentine editorial staff (2 May 2019). "Hair believed to have belonged to Leonardo on display in Vinci". The Florentine. Retrieved 4 May 2019.
  89. ^ Leonardo, Codex C. 15v, Institut of France. Trans. Richter
  90. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 84.
  91. ^ Rossiter, Nick (4 July 2003). "Could this be the secret of her smile?". Daily Telegraph. London. Archived from the original on 25 September 2003. Retrieved 3 October 2007.
  92. ^ Gasca, Nicolò & Lucertini 2004, p. 13.
  93. ^ MacCurdy, Edward, The Mind of Leonardo da Vinci (1928) in Leonardo da Vinci's Ethical Vegetarianism
  94. ^ Bambach 2003.
  95. ^ Cartwright Ady, Julia. Beatrice d'Este, Duchess of Milan, 1475–1497. Publisher: J.M. Dent, 1899; Cartwright Ady, Julia. Isabella D'Este, Marchioness of Mantua, 1474–1539. Publisher; J.M. Dent, 1903.
  96. ^ Sigmund Freud, Eine Kindheitserinnerung des Leonardo da Vinci, (1910)
  97. ^ a b Isaacson 2017.
  98. ^ "Leonardo, ladies' man: why can't we accept that Da Vinci was gay?". the Guardian. 26 March 2021. Retrieved 27 March 2021.
  99. ^ Michael Rocke, Forbidden Friendships epigraph, p. 148 & N120 p. 298
  100. ^ Arasse 1998, pp. 11–15.
  101. ^ These qualities of Leonardo's works are discussed in Hartt (1970, pp. 387–411)
  102. ^ Ottino della Chiesa 1985, pp. 88, 90.
  103. ^ Marani 2003, p. 338.
  104. ^ a b Wasserman 1975, pp. 104–106.
  105. ^ Wasserman 1975, p. 108.
  106. ^ "The Mysterious Virgin". National Gallery, London. Archived from the original on 15 October 2007. Retrieved 27 September 2007.
  107. ^ a b "Da Vinci's Lady with an Ermine among Poland's "Treasures" – Event – Culture.pl". Retrieved 18 November 2017.
  108. ^ Kemp, M. The Lady with an Ermine in the exhibition Circa 1492: Art in the Age of Exploration. Washington-New Haven-London. p. 271.
  109. ^ Wasserman 1975, p. 124.
  110. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 97.
  111. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 98.
  112. ^ Seracini, Maurizio (2012). "The Secret Lives of Paintings" (lecture).
  113. ^ Wasserman 1975, p. 144.
  114. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 103.
  115. ^ Wasserman 1975, p. 150.
  116. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 109.
  117. ^ a b c d e f g h Popham, A.E. (1946). The Drawings of Leonardo da Vinci.
  118. ^ Wallace 1972, p. 30.
  119. ^ Giesecke, Annette Lucia (2001). "Beyond the Garden of Epicurus: The Utopics of the Ideal Roman Villa". Utopian Studies: 23.
  120. ^ Sickman, Laurence, in: Sickman L & Soper A, "The Art and Architecture of China", Pelican History of Art, 3rd ed 1971, Penguin (now Yale History of Art), LOC 70-125675. pp. 184–186, 203.
  121. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 102.
  122. ^ Hartt 1970, pp. 391–392.
  123. ^ a b c Wallace 1972, p. 169.
  124. ^ a b c Keele Kenneth D (1964). "Leonardo da Vinci's Influence on Renaissance Anatomy". Med Hist. 8 (4): 360–70. doi:10.1017/s0025727300029835. PMC 1033412. PMID 14230140.
  125. ^ Bean, Jacob; Stampfle, Felice (1965). Drawings from New York Collections I: The Italian Renaissance. Greenwich, CT: Metropolitan Museum of Art. pp. 81–82.
  126. ^ Major, Richard Henry (1866). Archaeologia: Or Miscellaneous Tracts Relating to Antiquity, Volume 40, Part 1. London: The Society. pp. 15–16.
  127. ^ Calder, Ritchie (1970). Leonardo & the Age of the Eye. New York: Simon and Schuster. p. 275. ISBN 9780671207137.
  128. ^ "Sketches by Leonardo". Turning the Pages. British Library. Retrieved 27 September 2007.
  129. ^ a b Da Vinci, Leonardo (1960). Taylor, Pamela; Taylor, Francis Henry (eds.). The Notebooks of Leonardo da Vinci. New York: New American Library. p. x. ISBN 9780486225722.
  130. ^ Livio, Mario (2003) [2002]. The Golden Ratio: The Story of Phi, the World's Most Astonishing Number (First trade paperback ed.). New York City: Broadway Books. p. 136. ISBN 0-7679-0816-3.
  131. ^ Wallace 1972, p. 31.
  132. ^ Ciaccia, Chris (15 April 2019). "Da Vinci was ambidextrous, new handwriting analysis shows". Fox News. Retrieved 15 April 2019.
  133. ^ Windsor Castle, Royal Library, sheets RL 19073v–74v and RL 19102.
  134. ^ Cook, Theodore Andrea (1914). The Curves of Life. London: Constable and Company Ltd. p. 390.
  135. ^ Baucon, A. 2010. Da Vinci’s Paleodictyon: the fractal beauty of traces. Acta Geologica Polonica, 60(1). Accessible from the author's homepage
  136. ^ O'Malley; Saunders (1982). Leonardo on the Human Body. New York: Dover Publications.
  137. ^ Ottino della Chiesa 1985, p. 117.
  138. ^ Capra 2007.
  139. ^ Davinci, Leonardo (2011). The Notebooks of Leonardo Da Vinci. Lulu. p. 736. ISBN 978-1-105-31016-4.
  140. ^ a b Alastair Sooke, Daily Telegraph, 28 July 2013, "Leonardo da Vinci: Anatomy of an artist", accessed 29 July 2013.
  141. ^ Mason, Stephen F. (1962). A History of the Sciences. New York: Collier Books. p. 550.
  142. ^ Jones, Roger (2012). "Leonardo da Vinci: anatomist". British Journal of General Practice. 62 (599): 319. doi:10.3399/bjgp12X649241. ISSN 0960-1643. PMC 3361109. PMID 22687222.
  143. ^ Guarnieri, M. (2019). "Reconsidering Leonardo". IEEE Industrial Electronics Magazine. 13 (3): 35–38. doi:10.1109/MIE.2019.2929366. S2CID 202729396.
  144. ^ Masters, Roger (1996). Machiavelli, Leonardo and the Science of Power.
  145. ^ Masters, Roger (1998). Fortune is a River: Leonardo Da Vinci and Niccolò Machiavelli's Magnificent Dream to Change the Course of Florentine History. Simon & Schuster. ISBN 978-0-452-28090-8.
  146. ^ Wallace 1972, p. 164.
  147. ^ "Leonardo's Dream Machines (TV Movie 2003)". IMDb.
  148. ^ British Library online gallery (retrieved 10 October 2013)
  149. ^ Marc van den Broek (2019), Leonardo da Vinci Spirits of Invention. A Search for Traces, Hamburg: A.TE.M., ISBN 978-3-00-063700-1
  150. ^ a b Hutchings, Ian M. (15 August 2016). "Leonardo da Vinci׳s studies of friction". Wear. 360–361: 51–66. doi:10.1016/j.wear.2016.04.019. ISSN 0043-1648.
  151. ^ Isaacson 2017, pp. 194–197.
  152. ^ Dowson, Duncan (1 October 1977). "Men of Tribology: Leonardo da Vinci (1452–1519)". Journal of Lubrication Technology. 99 (4): 382–386. doi:10.1115/1.3453230. ISSN 0022-2305.
  153. ^ Castiglione, Baldassare (1528). "Il Cortegiano" (in Italian).
  154. ^ "Anonimo Gaddiani", elaborating on Libro di Antonio Billi, 1537–1542
  155. ^ Fuseli, Henry (1801). "Lectures". II. Cite journal requires |journal= (help)
  156. ^ Rio, A.E. (1861). "L'art chrétien" (in French). Retrieved 19 May 2021.
  157. ^ Taine, Hippolyte (1866). "Voyage en Italie" (in Italian). Paris, Hachette et cie. Retrieved 19 May 2021.
  158. ^ Berenson, Bernard (1896). The Italian Painters of the Renaissance.
  159. ^ Henneberger, Melinda. "ArtNews article about current studies into Leonardo's life and works". Art News Online. Archived from the original on 5 May 2006. Retrieved 10 January 2010.
  160. ^ Marmor, Max. "The Elmer Belt Library of Vinciana." The Book Collector 38, no. 3 (Autumn 1989): 1-23.
  161. ^ Italie, Hillel (7 January 2018). "NonFiction: Biography honors 'fun, joyous' sides of genius da Vinci". Richmond Times-Dispatch. Associated Press. p. G6.
  162. ^ Crow, Kelly (16 November 2017). "Leonardo da Vinci Painting 'Salvator Mundi' Sells for $450.3 Million". The Wall Street Journal. ISSN 0099-9660. Retrieved 16 November 2017.
  163. ^ a b Leonardo da Vinci painting 'Salvator Mundi' sold for record $450.3 million, Fox News, 16 November 2017
  164. ^ "Leonardo da Vinci's Unexamined Life as a Painter". The Atlantic. 1 December 2019. Retrieved 1 December 2019.
  165. ^ "Louvre exhibit has most da Vinci paintings ever assembled". Aleteia. 1 December 2019. Retrieved 1 December 2019.
  166. ^ Turner 1993, p. 3.
  167. ^ Gardner, Helen (1970). Art through the Ages. New York, Harcourt, Brace & World. pp. 450–56. ISBN 9780155037526.
  168. ^ Vitruvian Man is referred to as "iconic" at the following websites and many others: Vitruvian Man, Fine Art Classics, Key Images in the History of Science; Curiosity and difference at the Wayback Machine (archived 30 January 2009); "The Guardian: The Real da Vinci Code"
  169. ^ Turner, Ben (6 July 2021). "Scientists may have cracked the mystery of da Vinci's DNA". Live Science. Retrieved 9 July 2021.
  170. ^ a b c d e Nicholl 2005, p. 502.
  171. ^ a b Isaacson 2017, p. 515.
  172. ^ a b c d e Montard, Nicolas (30 April 2019). "Léonard de Vinci est-il vraiment enterré au château d'Amboise?" [Is Leonardo da Vinci really buried at the Château d'Amboise?]. Ouest-France (in French). Retrieved 4 May 2019.
  173. ^ Heaton 1874, p. 204, "The skeleton, which measured five feet eight inches, accords with the height of Leonardo da Vinci. The skull might have served for the model of the portrait Leonardo drew of himself in red chalk a few years before his death.".
  174. ^ a b c Knapton, Sarah (5 May 2016). "Leonardo da Vinci paintings analysed for DNA to solve grave mystery". The Daily Telegraph. Retrieved 21 August 2017.
  175. ^ Newman, Lily Hay (6 May 2016). "Researchers Are Planning to Sequence Leonardo da Vinci's 500-Year-Old Genome". Slate Magazine. Retrieved 4 May 2019.
  176. ^ Messia, Hada; Robinson, Matthew (30 April 2019). "Leonardo da Vinci's 'hair' to undergo DNA testing". CNN. Retrieved 3 May 2019.

Works cited

Early

Modern

Books
Journals and encyclopedia articles

Further reading

See Kemp (2003) and Bambach (2019, pp. 442–579) for extensive bibliographies

External links

General
Works