Telureto de hidrogênio

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar
Telureto de hidrogênio
Diagrama estrutural da molécula de telureto de hidrogênio
Modelo de preenchimento de espaço da molécula de telureto de hidrogênio
Nomes
Nome IUPAC
telureto de hidrogênio
Outros nomes
ácido
hidrotelúrico telano
telúrio hidreto
dihidrogênio telureto
Identificadores
Modelo 3D ( JSmol )
ChEBI
ChemSpider
ECHA InfoCard 100.029.073 Edite isso no Wikidata
Número EC
  • 236-813-4
UNII
  • InChI = 1S / H2Te / h1H2 ☒N
    Chave: VTLHPSMQDDEFRU-UHFFFAOYSA-N ☒N
  • [TeH2]
Propriedades
H 2 Te
Massa molar 129,6158 g mol −1
Aparência gás incolor
Odor Pungente, lembra alho podre ou alho-poró
Densidade 3,310 g / L, gás
2,57 g / cm 3 (−20 ° C, líquido)
Ponto de fusão −49 ° C (−56 ° F; 224 K) [1]
Ponto de ebulição -2,2 ° C (28,0 ° F; 270,9 K) (instável acima de -2 ° C)
0,70 g / 100 mL
Acidez (p K a ) 2,6
Ácido conjugado Telurônio
Base conjugada Telluride
Estrutura
dobrado
Termoquímica
Entalpia
padrão de formação f H 298 )
0,7684 kJ / g
Perigos
Riscos principais tóxico
NFPA 704 (diamante de fogo)
4
4
1
Compostos relacionados
Outros ânions
H 2 O
H 2 S
H 2 Se
H 2 Po
Outros cátions
Na 2 Te
Ag 2 Te
K 2 Te
Rb 2 Te
Cs 2 Te
Compostos relacionados
ácido telúrico
ácido tellurous
Exceto onde indicado de outra forma, os dados são fornecidos para materiais em seu estado padrão (a 25 ° C [77 ° F], 100 kPa).
☒N verificar  (o que é   ?) VerificaY☒N
Referências da Infobox

Telureto de hidrogênio (telano) é o composto inorgânico com a fórmula H 2 Te . Um calcogeneto de hidrogênio e o hidreto mais simples do telúrio , é um gás incolor. Embora instável no ar ambiente, o gás pode existir em concentrações muito baixas por tempo suficiente para ser prontamente detectado pelo odor de alho podre em concentrações extremamente baixas; ou pelo odor repulsivo de alho - poró podre em concentrações um pouco mais altas. A maioria dos compostos com ligações Te-H ( teluróis ) são instáveis ​​em relação à perda de H 2 . H 2 Te é química e estruturalmente semelhante ao seleneto de hidrogênio, ambos são ácidos. O ângulo H – Te – H é de cerca de 90 °. Os compostos voláteis do telúrio costumam apresentar odores desagradáveis, que lembram alho-poró ou alho em decomposição. [2]

Síntese

Métodos eletrolíticos foram desenvolvidos. [3]

H 2 Te também pode ser preparado por hidrólise dos derivados telureto de metais eletropositivos. [4] A hidrólise típica é a de telureto de alumínio :

Al 2 Te 3 + 6 H 2 O → 2 Al (OH) 3 + 3 H 2 Te

Outros sais de Te 2− como MgTe e telureto de sódio também podem ser usados. Na 2 Te pode ser feito pela reação de Na e Te em amônia anidra . [5] O intermediário na hidrólise, HTe-
, também podem ser isolados como sais. NaHTe, pode ser feito reduzindo o telúrio com NaBH
4
. [5]

O telureto de hidrogênio não pode ser preparado de forma eficiente a partir de seus elementos constituintes, ao contrário do H 2 Se. [3]

Propriedades

H
2
Te
é um composto endotérmico , degradando-se aos elementos à temperatura ambiente:

H
2
Te
H
2
+ Te

A luz acelera a decomposição. É instável ao ar, sendo oxidado em água e telúrio elementar: [6]

2 H
2
Te
+ O
2
→ 2 H
2
O
+ 2 Te

É quase tão ácido quanto o ácido fosfórico ( K a = 8,1 × 10 −3 ), tendo um valor de K de cerca de 2,3 × 10 −3 . [6] Ele reage com muitos metais para formar teluretos. [7]

Veja também

Referências

  1. ^ Lide, David R., ed. (2006). CRC Handbook of Chemistry and Physics (87ª ed.). Boca Raton, FL: CRC Press . ISBN 0-8493-0487-3.
  2. ^ Greenwood, NN; & Earnshaw, A. (1997). Chemistry of the Elements (2ª Ed.), Oxford: Butterworth-Heinemann. ISBN 0-7506-3365-4 . 
  3. ^ a b F. Fehér, "Hydrogen Telluride" em Handbook of Preparative Inorganic Chemistry, 2a Ed. Editado por G. Brauer, Academic Press, 1963, NY. Vol. 1. pp. 438.
  4. ^ Shriver, Atkins. Química Inorgânica, Quinta Edição. WH Freeman and Company, Nova York, 2010; pp 407.
  5. ^ a b Nicola Petragnani; Hélio A. Stefani (2007). Telúrio em síntese orgânica . Melhores métodos sintéticos (2ª ed.). Academic Press. p. 6. ISBN 0-08-045310-4.
  6. ^ a b Egon Wiberg; Arnold Frederick Holleman (2001). Nils Wiberg (ed.). Química inorgânica . Traduzido por Mary Eagleson. Academic Press. p. 589. ISBN 0-12-352651-5.
  7. ^ Henry Enfield Roscoe; Carl Schorlemmer (1878). Um tratado de química . 1 . Appleton. pp. 367–368.