Horst Rittel

Horst Wilhelm Johannes Rittel
Nascer( 14/07/1930 )14 de julho de 1930
Berlim, Alemanha
Morreu9 de julho de 1990 (09/07/1990)(59 anos)
Heidelberg, Alemanha Ocidental
Conhecido porProblemas perversos, sistemas de informação baseados em questões, teoria do design
TítuloProfessor
CônjugeAnitta
Trabalho acadêmico
DisciplinaArquitetura, Planejamento, Teoria do Design
InstituiçõesUlm School of Design Germany, Universidade da Califórnia em Berkeley Washington University em St.

Horst Wilhelm Johannes Rittel (14 de julho de 1930 - 9 de julho de 1990) foi um teórico do design e professor universitário. Ele é mais conhecido por popularizar o conceito de problema perverso , [1] mas sua influência na teoria e prática do design foi muito mais ampla. [2]

Seu campo de trabalho é a ciência do design , ou, como também é conhecida, a área de teorias e métodos de design (DTM), com o entendimento de que atividades como planejamento, engenharia e formulação de políticas estão incluídas como formas particulares de design.

Em resposta aos fracassos percebidos nas primeiras tentativas de projeto sistemático, ele introduziu o conceito de " métodos de projeto de segunda geração " [3] e um método de planejamento/projeto conhecido como sistema de informação baseado em problemas (IBIS) para lidar com problemas graves.

Início de carreira

Rittel nasceu em Berlim . De 1958 a 1963, foi Professor de Metodologia de Design na Escola de Design de Ulm , na Alemanha (Hochschule für Gestaltung—HfG Ulm). [4] [5]

Carreira posterior

Ele morreu em Heidelberg , aos 59 anos.

Problemas graves

Rittel popularizou o termo problema perverso em meados da década de 1960 para descrever os problemas mal definidos de planejamento. Rittel e Melvin Webber publicaram o artigo seminal sobre Wicked Problems na revista Policy Sciences em 1973. [6] Embora o assunto Wicked Problems seja às vezes considerado como tendo se originado nas Ciências Sociais, como professor em um departamento de arquitetura, Rittel foi claro que os problemas de projeto arquitetônico também eram problemas graves.

ÍBIS

IBIS (para sistema de informação baseado em questões ) é a versão instrumental da compreensão do design como argumentação. [7] É um método para orientar o processo de design e para reforçar a deliberação e a argumentação. Várias versões informáticas do IBIS foram e estão a ser desenvolvidas para vários sistemas informáticos (computadores pessoais e estações de trabalho).

A ideia do IBIS foi concebida em 1968. Tem servido como uma ferramenta de ensino regular, a fim de demonstrar as dificuldades típicas do design e as diferentes formas de lidar com elas. A IBIS foi uma ideia “à espera de uma tecnologia apropriada” para se tornar mais eficaz e atractiva. As diversas candidaturas anteriores tiveram mais ou menos sucesso, mas sofreram de inabilidade burocrática. A recente disponibilidade de estruturas de dados e interfaces de usuário de "hipertexto" - mesmo em pequenos microcomputadores e estações de trabalho com preços moderados - permitiu o design de IBISes que são muito mais "amigáveis" do que seus antecessores. Hoje, existem vários programas IBIS, desenvolvidos e implementados em diversas máquinas.

Algumas antigas fraquezas cruciais da IBIS permanecem as mesmas: o perigo de se perder na teia de referências cruzadas, a falta de uma visão geral "sinótica" do estado da resolução e a "lógica da próxima questão", ou seja, o problema de pré-estruturar as possibilidades de orientar as deliberações dos designers em direções plausíveis.

Veja também

Referências

  1. ^ Clérigo, CW (1967). Problemas terríveis. Ciência de Gestão, 14(4), B-141 e B-142.
  2. ^ Rith, C e Dubberly, H, "Por que Horst WJ Rittel é importante", Design Issues, Vol 23, No 1, pp.
  3. ^ Rittel, H., 1984, "Second-Generation Design Methods", em "Developments in Design Methodology", N. Cross (Editor), John Wiley & Sons, Reino Unido pp.
  4. ^ "Escola de Design de Ulm | Arquivo HfG Ulm" . Arquivado do original em 12/10/2018 . Recuperado em 24/01/2012 .
  5. ^ Lindinger, H., (1991), Ulm Design: A Moralidade dos Objetos , Cambridge: The MIT Press.
  6. ^ "Rittel e Webber, Dilemas em uma Teoria Geral do Planejamento" (PDF) . Arquivado do original (PDF) em 30/09/2007 . Recuperado em 31/05/2007 .
  7. ^ Rittel, Horst WJ, Relatório Anual de Desempenho do Corpo Docente, UC Berkeley. 1988. Estes parágrafos sobre o IBIS foram escritos em primeira pessoa por Horst Rittel e adaptados para narrativa em terceira pessoa pelo colaborador da Wikipedia.
Obtido em "https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Horst_Rittel&oldid=1213274528"