David Anderle

David Anderle
Anderle ao lado de sua pintura de Brian Wilson
Nascer( 09/07/1937 )9 de julho de 1937
Los Angeles, Califórnia, EUA
Morreu1º de setembro de 2014 (01/09/2014)(77 anos)
Los Angeles, Califórnia, EUA
Ocupação(ões)Produtor musical, A&R , retratista, gerente de talentos

David Anderle (9 de julho de 1937 - 1 de setembro de 2014) foi um homem de A&R , produtor musical e retratista americano . Ele é mais conhecido por suas associações comerciais com os Beach Boys durante a produção do álbum inacabado da banda Smile e a formação da empresa do grupo Brother Records . Anderle também trabalhou para MGM , Elektra e A&M Records , e mais tarde atuou como supervisor musical em filmes como The Breakfast Club (1985), Pretty in Pink (1986), Good Morning, Vietnam (1987) e Scrooged (1988).

Fundo

David Anderle nasceu no leste de Los Angeles e foi criado nas proximidades de Inglewood . [1] Ele se formou em junho de 1955 na Fairfax High School em Los Angeles, onde seus colegas de escola incluíam Herb Alpert , Jerry Moss e o produtor Shel Talmy . [2] Depois disso, ele frequentou a escola de teatro da Universidade do Sul da Califórnia com Michael Vosse . [3] Em 1964, ele começou a trabalhar com A&R na MGM Records , que também possuía o selo Verve , e convenceu a gravadora a contratar Frank Zappa and the Mothers of Invention em 1965. [2] Ele também trabalhou como empresário do cantor Danny Hutton [4] e o músico Van Dyke Parks . [2] [5]

Anderle era um "membro proeminente" da Community for Fact and Freedom (CAFF), uma organização formada pelo empresário dos Byrds , Jim Dickson, e cuja sede estava localizada no escritório do ex-assessor de imprensa dos Beatles, Derek Taylor , que logo se tornou o membro dos Beach Boys. publicista. [6] De acordo com o biógrafo dos Beach Boys , Steven Gaines , durante este período, Anderle foi apelidado de "o prefeito do quadril" pelos jornais underground. [6]

O historiador musical Keith Badman caracterizou Anderle como "um artista que ... oscilava entre a pintura e a indústria fonográfica, com resultados mistos em ambos. Como executivo da MGM Records, ele [ganhou] a reputação de gênio por supostamente pensar até a oferta de um milhão de dólares de gravação de filme para TV que ... brevemente [atraiu] Bob Dylan de Columbia para a MGM em 1967 - até que todos mudem de idéia e Dylan decida voltar para casa em Columbia. [7]

Os Beach Boys

Através de seu primo Bill Bloom, que era amigo dos irmãos Wilson quando crianças, [8] Anderle foi apresentado a Brian Wilson no início de 1965, embora os dois não se conhecessem de perto até meados de 1966, quando os Beach Boys estavam gravando o " Boas Vibrações ” single. [9] De acordo com Anderle, "decidi me associar a Brian porque a música dele estava me matando. Eu adorei. Então, de repente, surgiram novos elementos em sua vida. Muitos dos contatos que fiz aqui no chamado underground começou a prestar atenção ..." [7] Gaines credita Anderle como o principal canal entre Wilson e os associados "descolados" que o cercavam neste período. [1]

Em outubro de 1966, Anderle aceitou a oferta de Wilson para dirigir a Brother Records , uma nova gravadora formada pelos Beach Boys. [1] Wilson exibiu declínio da saúde mental durante esse período. Uma das histórias mais conhecidas envolvia um retrato de Wilson que Anderle pintava em segredo há vários meses. Quando mostrou a pintura a Wilson, Wilson acreditou que o retrato havia literalmente capturado sua alma. [10] Na descrição do biógrafo Peter Ames Carlin ,

Pintando de memória, Anderle produziu uma visão sombria e taciturna de Brian, sua pele cor de alabastro, sua boca curvada em um sorriso curioso, seus olhos brilhantes espiando através de uma escuridão repleta de ícones e figuras. ... Tudo na pintura pareceu [Brian] extraordinariamente significativo, desde a forma como o spray de ícones pairava no fundo até o significado numerológico de seu número e ordem. [10]

Anderle disse mais tarde que sentiu que seu relacionamento com Wilson nunca mais foi o mesmo. A última vez que Wilson foi visitado por Anderle para discutir assuntos de negócios, Wilson recusou-se a sair de seu quarto. [5] Frustrado com o comportamento de Wilson, Anderle se desassociou do grupo e da Brother Records em abril de 1967. [7]

Uma conversa publicada entre Anderle e o jornalista Paul Williams , serializada na Crawdaddy em 1968, foi um dos primeiros recursos de informações sobre o álbum Smile . [11] Em 1971, Anderle se tornou o primeiro a alegar, por escrito, que a observação " não brinque com a fórmula " foi dita por Beach Boy Mike Love . [12] Outra conversa entre Anderle e Williams, de 1997, foi publicada na forma de um capítulo no livro de Williams, How Deep Is the Ocean? . [13]

Trabalho posterior

Em 1968, Anderle mudou-se para a Elektra Records , onde trabalhou com artistas como Judy Collins , David Ackles , The Doors e Love . Em 1970, ele ingressou na A&M Records , trabalhando como produtor e A&R da empresa fundada por Herb Alpert e Jerry Moss. Seus créditos de produção incluíram álbuns de Rita Coolidge , Amy Grant , Delaney and Bonnie , Kris Kristofferson , Aaron Neville , Chris De Burgh , Rhinoceros , Ozark Mountain Daredevils , Doc Holliday and the Circle Jerks . [2]

Na A&M, mais tarde ele assumiu o comando da música para filmes e supervisionou a música em filmes como The Breakfast Club (1985), Pretty in Pink (1986), Good Morning, Vietnam (1987) e Scrooged (1988). [2] Keith Forsey deu crédito a Anderle por convencer Simple Minds a gravar " Don't You (Forget About Me) " para a trilha sonora de The Breakfast Club . [14]

Morte

Anderle se aposentou em 1999. [2] Em 1º de setembro de 2014, ele morreu de câncer aos 77 anos.

Referências

  1. ^ abc Gaines, Steven (1986). Heróis e vilões: a verdadeira história dos Beach Boys . Nova York: Da Capo Press. pp . 0306806479.
  2. ^ abcdefg Gallo, Phil (2 de setembro de 2014). "David Anderle, A&R de Frank Zappa, Beach Boys & More, morre aos 77 anos" . Painel publicitário .
  3. ^ Gaines 1986, pp.
  4. ^ Carter, Dale (2016). "Into the Mystic? O underground de Brian Wilson, 1964–1967". Em Lambert, Philip (ed.). Boas vibrações: Brian Wilson e os Beach Boys em perspectiva crítica. Imprensa da Universidade de Michigan. pág. 175. ISBN 978-0-472-11995-0.
  5. ^ ab Nolan, Tom (28 de outubro de 1971). "Os Beach Boys: Uma Saga da Califórnia" . Pedra rolando . Nº 94. Arquivado do original em 25 de setembro de 2018 . Recuperado em 25 de agosto de 2017 .
  6. ^ ab Gaines 1986, p. 155.
  7. ^ abcBadman , Keith (2004). The Beach Boys: O Diário Definitivo da Maior Banda da América, no Palco e no Estúdio . Livros de backbeat. pp . 978-0-87930-818-6.
  8. ^ Gaines 1986, pág. 156.
  9. ^ Williams, Paulo ; Anderle, David (1995). “Uma celebração do mel selvagem” . Em Priore, Domenic (ed.). Olhe, ouça, vibre, sorria! Último suspiro. páginas 220–241. ISBN 0-86719-417-0.
  10. ^ ab Carlin, Peter Ames (2006). Pegue uma onda: a ascensão, queda e redenção de Brian Wilson dos Beach Boys. Rodale. pág. 119. ISBN 978-1-59486-320-2.
  11. ^ Staton, Scott (22 de setembro de 2005). "Uma sinfonia pop perdida" . A Crítica de Livros de Nova York . Arquivado do original em 24 de dezembro de 2015 . Recuperado em 12 de setembro de 2013 .
  12. ^ Com amor, Mike ; Hirsch, James S. (2016). Boas vibrações: minha vida como Beach Boy. Pinguim. pág. 164. ISBN 978-0-399-17641-8.
  13. ^ Williams, Paul , ed. (1997). "Smile Is Done (conversa com David Anderle, parte IV, 3/97". Brian Wilson e The Beach Boys Quão profundo é o oceano? . Omnibus Press. ISBN 0711961972.
  14. ^ Unterberger, Andrew (24 de fevereiro de 2015). "Mudança lenta pode nos separar: a história oral de mentes simples' 'Don't You (Forget About Me)'". Rodar .

links externos

  • Discografia de David Anderle no Discogs
  • David Anderle na IMDb
  • Exposição “Antes Tarde do que Nunca”
  • As falsidades de David Anderle
Obtido em "https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=David_Anderle&oldid=1180035204"