Metais de cunhagem

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para a navegação Saltar para pesquisar

Os metais de cunhagem compreendem, no mínimo, aqueles elementos químicos metálicos que historicamente têm sido usados ​​como componentes em ligas usadas para cunhar moedas. O termo não está perfeitamente definido, no entanto, uma vez que vários metais foram usados ​​para fazer "moedas de demonstração" que nunca foram usadas para fazer moedas monetizadas para qualquer estado-nação, mas poderiam ser. Alguns desses elementos dariam excelentes moedas em teoria (por exemplo, zircônio ), mas seu status como metais de moedas não é claro. Em geral, devido aos problemas causados ​​quando os metais de moedas são intrinsecamente valiosos como commodities, houve uma tendência no século 21 para o uso de metais de moedas apenas dos tipos menos exóticos e caros.

História

Historicamente, a maioria dos metais (ou ligas) cunhadas são dos três membros não radioativos do grupo 11 da tabela periódica : cobre, prata e ouro, sendo o cobre geralmente aumentado com estanho e muitas vezes outros metais para formar bronze . Ouro, prata e bronze ou cobre eram os metais de cunhagem do mundo antigo e a maioria das moedas medievais.

Todas as histórias ocidentais de moedas começaram a ser inventadas em algum momento um pouco antes ou depois de 700 aC, na Ilha Egina , [1] ou, segundo outros, em Éfeso , Lídia , 650 aC. [2] A Índia antiga , por volta do século VI aC, foi um dos primeiros emissores de moedas do mundo . [3]

Desde aquela época, as moedas têm sido a personificação mais universal do dinheiro . Essas primeiras moedas eram feitas de electrum , uma mistura amarela pálida natural de ouro e prata que foi posteriormente ligada com prata e cobre.

No entanto, o daric persa foi a primeira moeda de ouro que, juntamente com uma moeda de prata semelhante, os siglos (do grego antigo σίγλος, hebraico שֶׁקֶל ( shékel )) representou o padrão monetário bimetálico do Império Persa Aquemênida, que continua até hoje. [4] As moedas persas também eram muito conhecidas na era persa e sassânida . Mais notavelmente, em Susa e em Ctesiphon .

No entanto, existem muitos mais, mesmo para moedas feitas de metais intrinsecamente preciosos. Metais preciosos são sempre usados ​​em moedas de ouro e algumas moedas colecionáveis . Moedas não destinadas à circulação ou ao valor intrínseco também foram feitas experimentalmente usando uma variedade ainda maior de metais, uma vez que funcionam como moeda fiduciária . Em geral, as moedas destinadas à circulação devem ter valores metálicos consideravelmente inferiores aos seus valores de face, pelas razões discutidas abaixo.

Requisitos para um metal de cunhagem

As moedas destinadas à circulação têm alguns requisitos especiais com base nas condições que encontrarão. Por exemplo, uma moeda pode estar em circulação por até 30 anos e, portanto, deve ter excelente resistência ao desgaste e propriedades anticorrosivas . Alcançar este objetivo requer o uso de ligas de metais básicos . Alguns metais como o manganês têm sido ocasionalmente usados ​​em moedas, mas sofrem por tornar as moedas muito duras para serem bem impressas (ou metais aptos a desgastar as máquinas de estampar na casa da moeda).

Ao cunhar moedas, especialmente moedas de baixo valor, existe o risco de que o valor do metal dentro de uma moeda seja maior do que o valor nominal . Isso leva à possibilidade de fundições pegarem moedas e derretê-las para o valor de sucata do metal. As moedas de um centavo britânicas anteriores a 1992 eram feitas de 97% de cobre; mas a partir de 2008, com base no preço do cobre, o valor de um centavo desse período é de 1,5 pence. As moedas de um centavo britânicas modernas agora são feitas de aço banhado a cobre. Por razões semelhantes, os centavos americanos (centavos) já foram feitos de ligas de cobre, mas desde 1982 são feitos de zinco revestido de cobre.

Este problema levou quase ao fim do uso de uma liga de metal comum para cunhagem cotidiana no século 20, chamada cuproníquel , com proporções variadas de cobre e níquel , mais comumente 75% Cu 25% Ni. O cuproníquel tem uma cor prateada, é resistente e possui excelentes propriedades marcantes, essenciais para que o desenho da moeda seja prensado com precisão e rapidez durante a fabricação. No século 21, com os preços do cobre e do níquel subindo, tornou-se mais comum experimentar várias ligas de aço , geralmente aço inoxidável. Por exemplo, na Índia, algumas moedas foram feitas de um aço inoxidável que contém 82% de ferro, 18% de cromo, e muitos outros países que cunharam moedas que contêm metais que agora valem quase o valor de face da moeda estão experimentando várias ligas de aço. .

Elementos químicos usados ​​em moedas circulantes

Elemento Exemplo de uso
Alumínio Emitido pela primeira vez em 1907 para circulação pela África Oriental e Protetorados de Uganda, embora existam padrões anteriores
Antimônio Usado em Guizhou, China moeda de 10 centavos de 1931. Usado em liga de medalha de medalhão
Carbono Em todas as moedas de aço e ferro. Algumas moedas Notgeld de "carvão galvânico prensado" foram cunhadas na hiperinflação na Alemanha pós- Primeira Guerra Mundial
Cromo Usado para chapear moedas e em algumas raras moedas de aço inoxidável duras
Cobre Muitas moedas ao longo da história foram feitas de ouro, prata e cobre
Prata
Ouro
Ferro De 1942 a 1952, algumas das moedas da coroa sueca – como as de 1, 2 e 5 öre – eram de ferro
Liderar
Manganês Algum Mn usado em "níqueis de prata" durante a guerra dos EUA e na nova moeda de dólar dos EUA por razões semelhantes - tentativas de combinar propriedades magnéticas e elétricas de níquel anteriores e dólares Susan B. Anthony anteriores, para máquinas de venda automática
Magnésio Moedas de magnésio-alumínio foram emitidas em 1943 para a marca Lodz Ghetto na Polônia e são usadas na Índia
Níquel Usado em ligas desde a antiguidade. A primeira moeda de níquel puro foi a Swiss 20 Rappen de 1881
Platina Rússia 3, 6 e 12 moedas de rublo de Nicolau I emitidas 1828-1845
Lata
Zinco

Não circulante

Elementos químicos usados ​​em moedas não circulantes (comemorativas, de demonstração, barras de ouro ou novidade), medalhas, padrões e greves de teste:

  • Cádmio (medalha de 1828 feita por G. Loos para o casamento de Heinrich von Dechen, "de cádmio da Silésia" [5] )
  • Cobalto (2005 Camarões 750 francos CFA atingidos em ferro banhado a cobalto.)
  • Háfnio ( moeda de demonstração de Fred Zinkann .)
  • Iridium (2013 125 oz 10 franco moeda de ouro emitida por Ruanda como parte do conjunto de metais preciosos "Noble Five".)
  • Molibdênio (moeda Demo – Fred Zinkann ) (moedas cunhadas de 250-1 tr oz 2008 por Coins By Design – Murray Buckner.)
  • Nióbio (A Áustria emitiu uma série de moedas bimetálicas de 25 euros com um centro de nióbio.)
  • Palladium (Primeira emitida em 1966 pela Serra Leoa. Também apresenta conjuntos de Tonga, moedas de ouro de vários países. [6] )
  • Rhenium ( peças de fantasia de Fred Zinkann – Pope Matthew Triple Ducat e Malvinas 5 Australes)
  • Rhodium (2014 125 oz 10 francos moeda de ouro emitida por Ruanda como parte do conjunto de metais preciosos "Noble Six". Também Cohen Mint round.)
  • Rutênio (1967 12 Hau de Tonga era 98% de paládio e 2% de rutênio)
  • Selênio (medalha de 1862 no Museu de Ciências do Reino Unido, comemorando Berzelius , descobridor do elemento.)
  • Silício (Padrões de quarto dos EUA com assinatura privada datados de 1964 (Pollock-5380) em liga de níquel-silício.)
  • Tântalo (Usado em uma moeda bimetálica de prata-tântalo do Cazaquistão.)
  • Telúrio (medalha de mineração húngara de 1896. Existem reproduções de 1975.)
  • Titânio (Primeira emitida em 1999 por Gibraltar. [7] A Áustria fez comemorativos bimetálicos de prata/titânio.)
  • Tungstênio (As ligas são muito duras. Algumas demos privadas feitas apenas para experimentação. Fred Zinkann Padrões de meia águia dos EUA.)
  • Urânio (Dois tipos de uma medalha alemã de urânio nativo. [8] )
  • Vanadium (moedas de 20-1 troy onça cunhadas 2011 por Coins By Design - Murray Buckner.)
  • Zircônio (moedas de 500-1 troy onça cunhadas em 2012, incluindo 50 moedas pretas e 50 arco-íris por Coins By Design – Murray Buckner.)

Série Elemento

A partir de 2006, Dave Hamric (Metallium) [9] vem tentando encontrar "moedas" (tecnicamente fichas ou medalhas, do tamanho de um centavo de dólar americano) de cada elemento químico estável. Até o momento, ele atingiu fichas dos seguintes elementos:

Artigo "A cunhagem do mundo usa 24 elementos químicos"

A revista World Coin News publicou um artigo intitulado "A moeda do mundo usa 24 elementos químicos" de Jay e Marieli Roe, que apareceu em duas edições consecutivas: 17 de fevereiro de 1992, páginas 24-25; e 2 de março de 1992, páginas 18-19.

O artigo foi baseado em uma exposição premiada que foi montada por Jay e Marieli Roe (também conhecido como Dr. John Westel Rowe, um químico orgânico em Wisconsin, e sua esposa Marieli Rowe), e exibido durante o período de 1987-1990. Os 24 elementos nomeados são: Al, Sb, C, Co, Cu, Au, Hf, Fe, Pb, Mg, Mo, Ni, Nb, Pd, Pt, Re, Ag, Ta, Sn, Ti, W, V, Zn e Zr.

A ANA não premiou Best-of-Show "porque a exposição foi rebaixada por incompletude" devido à falta de duas peças. No entanto, o autor defendeu suas escolhas: o token de ródio da British Royal Mint "é apenas banhado a ródio", e a moeda de irídio da Pobjoy Mint "não existe (possível confusão com paládio?").

Curiosamente, o cromo e o manganês não foram mencionados, embora ambos os elementos tenham sido usados ​​em moedas de circulação comum (níquelas V da guerra do Canadá e níquel Jefferson da guerra dos EUA, respectivamente) muito antes da publicação do artigo.

Materiais não metálicos usados ​​para circulação de moedas

Material Exemplo de uso
Papel 50 de agosto de 1923 de janeiro.  Аверс.png Papel 50 copeques (1923, Rússia Soviética)
Madeira Usado para tokens semelhantes a moedas, como níquel de madeira
Pedra Yap Stone Money.jpg Pedras de Rai da ilha de Yap
Cartão Stamp-moneyRussia1915 15k.jpg Papelão, 15 copeques (1915, Império Russo)
Cerâmica Grünberg em Schlesien, Zielona Góra, 1922, 75 Pf, Burg, Keramik.jpg 75 pfennig, notgeld , Zielona Gora , 1922
Couro Co-Russo-Americano - 1 Rublo (7559).jpg Rublos de couro da Companhia Russo-Americana no Alasca [11]
Plástico 2014-1-Rubel-Prednistrojen-Kursmuenze-Avers.jpg moedas de rublo da Transnístria
carvão comprimido 1000 Mark 1922 Conradty.jpg 1000 mark private notgeld , Conradty Company, 1922)
Porcelana Notgeld produzido em 1920-1921 na Meissen Porcelain Works [12]
Fibra Moeda de fibra Manchukuo.jpg 1 e 5 moedas de fen, Manchukuo , 1944-1945.
Seda Dinheiro de seda de Khorezm , no Uzbequistão. [13]

Referências

  1. ^ "Cunhagem antiga de Egina" . snible.org .
  2. ^ "Moeda mais antiga do mundo - primeiras moedas" . rg.ancients.info .
  3. ^ Veja: Cunhagem da Índia e História da rupia
  4. Michael Alram, "DARIC" , Encyclopaedia Iranica , 15 de dezembro de 1994, última atualização em 17 de novembro de 2011
  5. ^ Wuerst, EA (1868). Die Münzen und Medallen Bonns . pág. 51–.
  6. ^ Frank, René. "Lista de todas as moedas de paládio (1966-2019)" . Heusenstamm , Alemanha . Recuperado em 5 de maio de 2021 .
  7. ^ Primeiros mundos . Hortelã Pobjoy
  8. ^ Schwankner, Robert Josef; Eigenstetter, Michael; Laubinger, Rudolf; Schmidt, Michael (2005). "Strahlende Kostbarkeiten: Uran als Farbkörper in Gläsern und Glasuren" (PDF) . Physik em Unseer Zeit . 36 (4): 160. Bibcode : 2005PhuZ...36..160S . doi : 10.1002/piuz.200501073 .
  9. ^ "A coleção Dave Hamric na Tabela Periódica" . periodictable. com.
  10. ^ "Token de 'moeda de elemento' de urânio empobrecido 92U feito por Dave Hamric (Metallium)" . Omnicoin.
  11. ^ Шиканова И.С. Денежные знаки Российско-Американской компании первой половины XIX в. (Памятники денежного обращения XVIII — XX вв.) // Труды ГИМ. — Вып. 53. Нумизматический сборник. Ч. 7. — 1980. — С. 159—169
    Шиканова И.С. Новые материалы о денежных знаках Российско-Американской компании. (Новые нумизматические исследования). // Труды ГИМ. — Вып. 61. Нумизматический сборник. Ч. 9. — 1986. — С. 44-47.
    Иллюстрация
  12. ^ "ФАРФОРОВЫЕ ДЕНЬГИ. Словарь нумизмата" . www.numizm.ru .
  13. ^ Normatov, Nodir; Sirtsowa, Yulia, eds. (2009). "Dinheiro de Seda de Khorezm" . San'at . No. 4. Traduzido por Davidova, Adelia. Academia de Artes do Uzbequistão.

Links externos