Bélgica

Page semi-protected
Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para navegação Pular para pesquisar

Coordenadas : 50 ° 50′N 4 ° 00′E / 50.833°N 4.000°E / 50.833; 4.000

Reino da Bélgica
Lema:  "Eendracht maakt macht"  ( holandês )
"L'union fait la force"  ( francês )
"Einigkeit macht stark"  ( alemão )
Hino: 
" La Brabançonne "
(inglês: "The Brabantian" )
Location of Belgium (dark green) – in Europe (green & dark grey) – in the European Union (green)
Localização da Bélgica (verde escuro)

- na Europa  (verde e cinza escuro)
- na União Europeia  (verde)

Capital
e a maior cidade
Bruxelas 50 ° 51 N 4 ° 21 E
 / 50.850°N 4.350°E / 50.850; 4.350
Línguas oficiaisHolandês
francês
alemão
Religião
(2019 [1] )
Demônimo (s)
Governo Monarquia constitucional parlamentar federal [2]
•  Monarca
Philippe
Alexander De Croo
LegislaturaParlamento federal
Senado
Câmara dos Representantes
Independência 
• Declarado
4 de outubro de 1830
19 de abril de 1839
Área
• Total
30.689 [3]  km 2 (11.849 sq mi) ( 136 )
• Água (%)
0,71 (a partir de 2015) [4]
População
• estimativa para 2020
Neutral increase11.492.641 [5] ( 82º )
• Densidade
376 / km 2 (973,8 / sq mi) ( 22º )
PIB  ( PPP )Estimativa para 2020
• Total
$ 575,808 bilhões [6] ( 36º )
• per capita
$ 50.114 [6] ( 18º )
PIB  (nominal)Estimativa para 2020
• Total
$ 503,416 bilhões [6] ( 26º )
• per capita
$ 43.814 [6] ( 16º )
Gini  (2020)Positive decrease 25,4 [7]
baixo
HDI  (2019)Increase 0,919 [8]
muito alto  ·  17º
MoedaEuro ( ) ( EUR )
Fuso horárioUTC +1 ( CET )
• Verão ( DST )
UTC +2 ( CEST )
Lado de conduçãodireito
Código de chamada+32
Código ISO 3166SER
Internet TLD.ser
  1. As proporções oficiais da bandeira de 13:15 raramente são vistas; proporções de 2: 3 ou semelhantes são mais comuns.
  2. A região de Bruxelas é a capital de facto , mas o município da cidade de Bruxelas é a capital de jure . [9]
  3. O .eu domínio também é usado, como ele é compartilhado com outros Estados membros da União Europeia.

Bélgica , [A] oficialmente o Reino da Bélgica , [B] é um país da Europa Ocidental . Faz fronteira com a Holanda ao norte, Alemanha a leste, Luxemburgo a sudeste, França a sudoeste e Mar do Norte a noroeste. Abrange uma área de 30.689 km 2 (11.849 sq mi) e tem uma população de mais de 11,5 milhões, tornando-se o 22º país mais densamente povoado do mundo e o 6º país mais densamente povoadopaís na Europa, com uma densidade de 376 por quilômetro quadrado (970 / sq mi). A capital e maior cidade é Bruxelas ; outras cidades importantes são Antuérpia , Ghent , Charleroi , Liège , Bruges , Namur e Leuven .

A Bélgica é um estado soberano e uma monarquia constitucional federal com um sistema parlamentar . A sua organização institucional é complexa e está estruturada em bases regionais e linguísticas. É dividida em três regiões altamente autônomas : [10] a Região Flamenga (Flandres) no norte, a Região da Valônia (Valônia) no sul e a Região de Bruxelas-Capital . [11] Bruxelas é a região mais pequena e mais populosa, bem como a região mais rica em termos de PIB per capita .

A Bélgica é o lar de duas comunidades linguísticas principais : a comunidade flamenga de língua holandesa , que constitui cerca de 60 por cento da população, e a comunidade de língua francesa , que constitui cerca de 40 por cento da população. Uma pequena comunidade de língua alemã , com cerca de um por cento, existe nos cantões do Leste . A região de Bruxelas-Capital é oficialmente bilíngue em francês e holandês, [12] embora o francês seja a língua dominante. [13] A diversidade linguística da Bélgica e os conflitos políticos relacionados se refletem em seu complexo sistema de governança , composto por seis governos diferentes .

O país como existe hoje foi estabelecida após 1830 Revolução Belga , quando se separou da Holanda , que tinha em si só existia desde 1815. O nome escolhido para o novo estado é derivado do latim palavra Bélgica , usado em Júlio César s' " Guerras gaulesas ", para descrever uma região próxima no período por volta de 55 AC. [14] A Bélgica faz parte de uma área conhecida como Países Baixos , historicamente uma região um pouco maior do que o grupo de estados do Benelux , visto que também incluía partes do norte da França. Desde a Idade Média, sua localização central perto de vários rios importantes significa que a área tem sido relativamente próspera, conectada comercial e politicamente com seus vizinhos maiores. A Bélgica também tem sido o campo de batalha das potências europeias, ganhando o apelido de "Campo de Batalha da Europa", [15] uma reputação fortalecida no século 20 por ambas as guerras mundiais .

A Bélgica participou da Revolução Industrial [16] [17] e, ao longo do século 20, possuiu várias colônias na África . [18] Entre 1888 e 1908, Leopoldo II , rei da Bélgica, perpetrou um dos maiores massacres da história da humanidade no Estado Livre do Congo , que era sua propriedade privada, e ainda não uma colônia da Bélgica. As estimativas do número de mortos são contestadas, mas milhões de pessoas, uma parte significativa da população, morreram por causa das exportações de borracha e marfim. [19]

A segunda metade do século 20 foi marcada por tensões crescentes entre os cidadãos de língua holandesa e francesa, alimentadas por diferenças de idioma e cultura e pelo desenvolvimento econômico desigual de Flandres e Valônia. Esse antagonismo contínuo levou a várias reformas de longo alcance , resultando na transição de um arranjo unitário para um federal durante o período de 1970 a 1993. Apesar das reformas, as tensões entre os grupos permaneceram, se não aumentaram; existe um separatismo significativo, particularmente entre os flamengos ; existem leis polêmicas sobre idiomas, como os municípios com serviços de idiomas ; [20]e a formação de um governo de coalizão levou 18 meses após as eleições federais de junho de 2010 , um recorde mundial. [21] O desemprego na Valônia é mais que o dobro do de Flandres, que cresceu após a Segunda Guerra Mundial. [22]

A Bélgica é um dos seis países fundadores da União Europeia e sua capital, Bruxelas, hospeda as sedes oficiais da Comissão Europeia , do Conselho da União Europeia e do Conselho Europeu , bem como uma das duas sedes do Parlamento Europeu (sendo o outro Estrasburgo ). A Bélgica é também membro fundador da Zona Euro , OTAN , OCDE e OMC , e parte da União trilateral Benelux e do Espaço Schengen . Bruxelas acolhe a sede de muitas das principais organizações internacionais, como a OTAN. [C]

A Bélgica é um país desenvolvido , com uma economia avançada de alta renda . Ele tem muito elevados padrões de vida , qualidade de vida , [23] de saúde , [24] de educação , [25] e é classificado como "muito alto" no Índice de Desenvolvimento Humano . [26] Também é classificado como um dos países mais seguros ou pacíficos do mundo. [27]

História

Antiguidade

A Gália é dividida em três partes, uma das quais habitam os Belgae, a Aquitani outra, aqueles que em sua própria língua se chamam Celtas, na nossa Gauleses, a terceira.

(...) De todos esses, os Belgae são os mais fortes (...).

- Júlio César , De Bello Gallico, Livro I, Ch. 1

Os belgas eram os habitantes da parte norte da Gália , que era muito maior do que a Bélgica moderna. César usou a palavra latina " Bélgica " para se referir ao seu país no norte da Gália, que agora era uma região no norte da França. [28] Modern Bélgica corresponde às terras do Morini , menápios , nérvios , Germani Cisrhenani , Aduatuci , e, por volta de Arlon , uma parte do país do Treveri . Todos esses, exceto Treveri, formaram uma "zona de transição" menos influenciada pelos célticos , ao norte da área que César tratou como "Bélgica".

Após as conquistas de César, Gallia Belgica passou a ser o nome latino de uma grande província romana que cobria a maior parte do norte da Gália, incluindo Treveri. As áreas mais próximas da fronteira do baixo Reno, incluindo a parte oriental da Bélgica moderna, eventualmente se tornaram parte da província fronteiriça da Germânia Inferior , que interagia com tribos germânicas fora do império. Na época em que o governo central entrou em colapso no Império Romano Ocidental , as províncias romanas da Bélgica e da Germânia eram habitadas por uma mistura de uma população romanizada e francos de língua germânica que passaram a dominar a classe política e militar.

Meia idade

Durante o século 5, a área ficou sob o domínio dos reis francos merovíngios , que provavelmente se estabeleceram no norte da França. Durante o século 8, o reino dos francos passou a ser governado pela Dinastia Carolíngia , cujo centro de poder era em torno da área que hoje é o leste da Bélgica. [29] O reino franco havia sido dividido de várias maneiras, mas o Tratado de Verdun em 843 dividiu o Império Carolíngio em três reinos, cujas fronteiras tiveram um impacto duradouro nas fronteiras políticas medievais. A maior parte da Bélgica moderna ficava no Reino do Meio , mais tarde conhecido como Lotharingia , mas no condado costeiro de Flandres , a oeste doScheldt , tornou-se parte do West Francia , o predecessor da França . Em 870 no Tratado de Meerssen , as terras da Bélgica moderna tornaram-se todas parte do reino ocidental por um período, mas em 880 no Tratado de Ribemont , Lotharingia voltou ao controle duradouro do Sacro Imperador Romano . Os senhorios e bispados ao longo da "Marcha" (fronteira) entre os dois grandes reinos mantinham conexões importantes entre si. O condado de Flandres expandiu-se ao longo do Escalda até o império e, durante vários períodos, foi governado pelos mesmos senhores do condado de Hainaut .

Nos séculos XIII e XIV, a indústria e o comércio do tecido prosperaram, especialmente no condado de Flandres , tornando-se uma das áreas mais ricas da Europa. Essa prosperidade desempenhou um papel importante nos conflitos entre Flandres e o rei da França. Notoriamente, as milícias flamengas obtiveram uma vitória surpresa na Batalha das Esporas Douradas contra uma forte força de cavaleiros montados em 1302, mas a França logo recuperou o controle da província rebelde.

Borgonha e Habsburgo Holanda

No século 15, o duque da Borgonha, na França, assumiu o controle de Flandres e, a partir daí, eles passaram a unir grande parte do que hoje é o Benelux, os chamados Países Baixos da Borgonha . [30] "Bélgica" e "Flandres" foram os dois primeiros nomes comuns usados ​​para a Holanda da Borgonha, que foi a antecessora da Holanda austríaca, a antecessora da Bélgica moderna. [31] A união, tecnicamente se estendendo entre dois reinos, deu à área estabilidade econômica e política que levou a uma prosperidade e criação artística ainda maiores.

Nascido na Bélgica, o imperador dos Habsburgos Carlos V era herdeiro dos borgonheses, mas também das famílias reais da Áustria , Castela e Aragão . Com a Sanção Pragmática de 1549, ele deu às Dezessete Províncias mais legitimidade como uma entidade estável, ao invés de apenas uma união pessoal temporária . Ele também aumentou a influência desses Países Baixos sobre o Príncipe-Bispado de Liège , que continuou a existir como um grande enclave semi-independente. [32]

Holanda espanhola e austríaca

A Guerra dos Oitenta Anos (1568-1648) foi desencadeada pela política do governo espanhol em relação ao protestantismo , que estava se tornando popular nos Países Baixos. As rebeldes Províncias Unidas do norte ( Belgica Foederata em latim , a "Holanda Federada") eventualmente se separaram da Holanda Meridional ( Belgica Regia , a "Holanda Real"). Estes últimos foram governado sucessivamente pelo Espanhol ( Espanhol Holanda ) e os austríacos Habsburgos ( Países Baixos austríacos) e compreendia a maior parte da Bélgica moderna. Este foi o palco de vários conflitos mais prolongados durante grande parte dos séculos 17 e 18 envolvendo a França, incluindo a Guerra Franco-Holandesa (1672-1678), a Guerra dos Nove Anos (1688-1697), a Guerra da Sucessão Espanhola ( 1701–1714), e parte da Guerra da Sucessão Austríaca (1740–1748).

A Revolução Francesa e o Reino dos Países Baixos

Após as campanhas de 1794 nas Guerras Revolucionárias Francesas , os Países Baixos - incluindo territórios que nunca estiveram nominalmente sob o domínio dos Habsburgos, como o Príncipe-Bispado de Liège - foram anexados pela Primeira República Francesa , encerrando o domínio austríaco na região. A reunificação dos Países Baixos como Reino Unido dos Países Baixos ocorreu na dissolução do Primeiro Império Francês em 1814, após a abdicação de Napoleão.

Bélgica independente

Cena da Revolução Belga de 1830 (1834), de Gustaf Wappers

Em 1830, a Revolução Belga levou à separação das Províncias do Sul da Holanda e ao estabelecimento de uma Bélgica independente católica e burguesa, oficialmente francófona e neutra, sob um governo provisório e um congresso nacional . [33] [34] Desde a instalação de Leopoldo I como rei em 21 de julho de 1831, agora celebrado como o Dia Nacional da Bélgica, a Bélgica tem sido uma monarquia constitucional e uma democracia parlamentar , com uma constituição laica baseada no código napoleônico . [35]Embora a franquia tenha sido inicialmente restrita, o sufrágio universal para os homens foi introduzido após a greve geral de 1893 (com voto plural até 1919) e para as mulheres em 1949.

Os principais partidos políticos do século XIX foram o Partido Católico e o Partido Liberal , com o Partido Trabalhista Belga surgindo no final do século XIX. O francês foi originalmente a única língua oficial adotada pela nobreza e pela burguesia . Ele perdeu progressivamente sua importância geral à medida que o holandês também foi sendo reconhecido. Esse reconhecimento tornou-se oficial em 1898 e, em 1967, o parlamento aceitou uma versão holandesa da Constituição . [36]

A Conferência de Berlim de 1885 cedeu o controle do Estado Livre do Congo ao Rei Leopoldo II como sua posse privada. Por volta de 1900, houve uma crescente preocupação internacional com o tratamento extremo e selvagem da população congolesa sob Leopoldo II , para quem o Congo era principalmente uma fonte de receita da produção de marfim e borracha. [37] Muitos congoleses foram mortos pelos agentes de Leopold por não cumprirem as cotas de produção de marfim e borracha. [38] Em 1908, esse clamor levou o Estado belga a assumir a responsabilidade pelo governo da colônia, doravante chamada de Congo Belga . [39]Uma comissão belga em 1919 estimou que a população do Congo era metade do que era em 1879. [38]

Multidões aplaudem as tropas britânicas entrando em Bruxelas , 4 de setembro de 1944

A Alemanha invadiu a Bélgica em agosto de 1914 como parte do Plano Schlieffen para atacar a França , e muitos dos combates da Frente Ocidental na Primeira Guerra Mundial ocorreram nas partes ocidentais do país. Os primeiros meses da guerra ficaram conhecidos como o Estupro da Bélgica devido aos excessos alemães. A Bélgica assumiu o controle das colônias alemãs de Ruanda-Urundi (atual Ruanda e Burundi ) durante a guerra, e em 1924 a Liga das Nações as mandou para a Bélgica. No rescaldo da Primeira Guerra Mundial, a Bélgica anexou os distritos prussianos deEupen e Malmedy em 1925, causando assim a presença de uma minoria de língua alemã.

As forças alemãs invadiram novamente o país em maio de 1940 , e 40.690 belgas, mais da metade deles judeus, foram mortos durante a ocupação subsequente e o Holocausto . De setembro de 1944 a fevereiro de 1945, os Aliados libertaram a Bélgica. Após a Segunda Guerra Mundial, uma greve geral forçou o rei Leopoldo III a abdicar em 1951 em favor de seu filho, o príncipe Balduíno , já que muitos belgas achavam que ele havia colaborado com a Alemanha durante a guerra. [40] O Congo Belga conquistou a independência em 1960 durante a Crise do Congo ; [41]Ruanda-Urundi seguiu com sua independência dois anos depois. A Bélgica juntou-se à OTAN como membro fundador e formou o grupo Benelux de nações com a Holanda e Luxemburgo.

A Bélgica tornou-se um dos seis membros fundadores da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço em 1951 e da Comunidade Europeia da Energia Atómica e da Comunidade Económica Europeia , criada em 1957. Esta última tornou-se agora a União Europeia, para a qual a Bélgica acolhe as principais administrações e instituições , incluindo a Comissão Europeia , o Conselho da União Europeia e as sessões extraordinárias e de comités do Parlamento Europeu .

No início da década de 1990, a Bélgica viu vários grandes escândalos de corrupção, notadamente em torno de Marc Dutroux , Andre Cools , o caso da dioxina , o escândalo da Agusta e o assassinato de Karel van Noppen .

Geografia

Mapa de relevo da Bélgica

A Bélgica faz fronteira com a França ( 620 km ), Alemanha ( 167 km ), Luxemburgo ( 148 km ) e Holanda ( 450 km ). Sua superfície total, incluindo a área de água, é de 30.689 km 2 (11.849 sq mi). Antes de 2018, sua área total era estimada em 30.528 km 2 (11.787 sq mi). No entanto, quando as estatísticas do país foram medidas em 2018, um novo método de cálculo foi usado. Ao contrário dos cálculos anteriores, este incluiu a área da costa até a linha de baixa-mar, revelando que o país era 160 km 2 (62 mi2) maior em área de superfície do que se pensava anteriormente. [42][43] Sua área de terra sozinha é 30.278 km 2 . [44] [ precisa de atualização ] Situa-se entre as latitudes 49 ° 30 'e 51 ° 30' N e as longitudes 2 ° 33 'e 6 ° 24' E. [45]

A Bélgica tem três regiões geográficas principais; a planície costeira no noroeste e o planalto central pertencem à Bacia Anglo-Belga, e as terras altas das Ardenas no sudeste ao cinturão orogênico Hercínico . A Bacia de Paris atinge uma pequena quarta área no extremo sul da Bélgica, a Lorena Belga . [46]

A planície costeira consiste principalmente de dunas de areia e pólderes . Mais para o interior encontra-se uma paisagem suave e de subida lenta irrigada por numerosos cursos de água, com vales férteis e a planície arenosa do nordeste de Campine ( Kempen ). As colinas e planaltos com densas florestas das Ardenas são mais acidentadas e rochosas, com cavernas e pequenos desfiladeiros . Estendendo-se para o oeste na França, esta área está conectada a leste com o Eifel na Alemanha pelo planalto de High Fens , no qual o Signal de Botrange forma o ponto mais alto do país com 694 m (2.277 pés). [47] [48]

O rio Meuse entre Dinant e Hastière
Paisagem de High Fens perto da fronteira alemã

O clima é temperado marítimo com precipitação significativa em todas as estações ( classificação climática de Köppen : Cfb ), como a maior parte do noroeste da Europa. [49] A temperatura média é mais baixa em janeiro em 3 ° C (37,4 ° F) e mais alta em julho em 18 ° C (64,4 ° F). A precipitação média por mês varia entre 54 mm (2,1 in) para fevereiro e abril, e 78 mm (3,1 in) para julho. [50] As médias para os anos de 2000 a 2006 mostram temperaturas mínimas diárias de 7 ° C (44,6 ° F) e máximas de 14 ° C (57,2 ° F) e precipitação mensal de 74 mm (2,9 pol.); estes são cerca de 1 ° C e quase 10 milímetros acima dos valores normais do século passado, respectivamente. [51]

Fitogeograficamente , a Bélgica é compartilhada entre as províncias da Europa Atlântica e da Europa Central da Região Circumboreal dentro do Reino Boreal . [52] De acordo com o World Wide Fund for Nature , o território da Bélgica pertence às ecorregiões terrestres de florestas mistas atlânticas e florestas latifoliadas da Europa Ocidental . [53] [54] A Bélgica teve uma pontuação média do Índice de Integridade da Paisagem Florestal em 2018 de 1,36 / 10, classificando-o em 163º lugar globalmente entre 172 países. [55]

Províncias

O território da Bélgica está dividido em três regiões, duas das quais, a região flamenga e a região da Valônia , estão por sua vez subdivididas em províncias ; a terceira Região, a Região de Bruxelas Capital , não é uma província nem parte de uma província.

Província Nome holandês Nome francês Nome alemão Capital Área [3] População
(1 de janeiro de 2019) [5]
Densidade ISO 3166-2: BE
[ carece de fontes? ]
Região Flamenga
 Antuérpia Antuérpia Anvers Antuérpia Antuérpia 2.876 km 2 (1.110 sq mi) 1.857.986 647 / km 2 (1.680 / sq mi) FURGÃO
 Flandres Oriental Oost-Vlaanderen Flandre orientale Ostflandern Ghent 3.007 km 2 (1.161 sq mi) 1.515.064 504 / km 2 (1.310 / sq mi) VOV
 Brabante Flamengo Vlaams-Brabant Brabant flamand Flämisch-Brabant Leuven 2.118 km 2 (818 sq mi) 1.146.175 542 / km 2 (1.400 / sq mi) VBR
 Limburg Limburg Limbourg Limburg Hasselt 2.427 km 2 (937 sq mi) 874.048 361 / km 2 (930 / sq mi) VLI
 Flandres Ocidental West-Vlaanderen Flandre occidentale Westflandern Bruges 3.197 km 2 (1.234 sq mi) 1.195.796 375 / km 2 (970 / sq mi) VWV
Região da Valônia
 Hainaut Henegouwen Hainaut Hennegau Mons 3.813 km 2 (1.472 MI quadrado) 1.344.241 353 / km 2 (910 / sq mi) WHT
 Liège Luik Liège Lüttich Liège 3.857 km 2 (1.489 sq mi) 1.106.992 288 / km 2 (750 / sq mi) WLG
 Luxemburgo Luxemburgo Luxemburgo Luxemburgo Arlon 4.459 km 2 (1.722 sq mi) 284.638 64 / km 2 (170 / sq mi) WLX
 Namur Namen Namur Namur (Namür) Namur 3.675 km 2 (1.419 sq mi) 494.325 135 / km 2 (350 / sq mi) WNA
 Walloon Brabant Waals-Brabant Brabant Wallon Wallonisch-Brabant Wavre 1.097 km 2 (424 sq mi) 403.599 368 / km 2 (950 / sq mi) WBR
Região da Capital de Bruxelas
 Região da Capital de Bruxelas Bruxelas Hoofdstedelijk Gewest Région de Bruxelles-Capitale Região Brüssel-Hauptstadt Cidade de Bruxelas 162,4 km 2 (62,7 mi quadrados) 1.208.542 7.442 / km 2 (19.270 / sq mi) BBR
Total België Belgique Belgien Cidade de Bruxelas 30.689 km 2 (11.849 sq mi) 11.431.406 373 / km 2 (970 / sq mi)

Política

A Bélgica é um constitucional , monarquia popular e uma federal de democracia parlamentar . O parlamento federal bicameral é composto por um Senado e uma Câmara de Representantes . O primeiro é formado por 50 senadores indicados pelos parlamentos das comunidades e regiões e 10 senadores cooptados . Antes de 2014, a maioria dos membros do Senado era eleita diretamente. Os 150 representantes da Câmara são eleitos pelo sistema de votação proporcional em 11 distritos eleitorais . Bélgica tem voto obrigatórioe, portanto, mantém uma das maiores taxas de participação eleitoral do mundo. [56]

O rei (atualmente Philippe ) é o chefe de estado , embora com prerrogativas limitadas . Ele nomeia ministros, incluindo um primeiro-ministro, que têm a confiança da Câmara dos Representantes para formar o governo federal . O Conselho de Ministros é composto por, no máximo, quinze membros. Com a possível exceção do Primeiro-Ministro, o Conselho de Ministros é composto por um número igual de membros de língua holandesa e membros de língua francesa. [57] O sistema judicial é baseado no direito civil e tem origem no código napoleônico . O Tribunal de Cassaçãoé o tribunal de última instância, estando os tribunais de apelação um nível abaixo. [58]

Cultura política

As instituições políticas da Bélgica são complexas; a maior parte do poder político é organizado em torno da necessidade de representar as principais comunidades culturais . [59] Desde cerca de 1970, os partidos políticos nacionais belgas significativos dividiram-se em componentes distintos que representam principalmente os interesses políticos e linguísticos dessas comunidades. [60] Os principais partidos em cada comunidade, embora próximos ao centro político, pertencem a três grupos principais: democratas-cristãos , liberais e social-democratas . [61] Outros partidos notáveis ​​surgiram bem depois de meados do século passado, principalmente em torno da linguagemtemas, nacionalistas ou ambientais e, recentemente, outros menores de alguma natureza liberal específica. [60]

Uma série de governos de coalizão democratas-cristãos de 1958 foi quebrada em 1999 após a primeira crise de dioxina , um grande escândalo de contaminação de alimentos . [62] [63] [64] Uma "coalizão arco-íris" emergiu de seis partidos: os Flamengos e os Liberais de língua francesa, os sociais-democratas e os verdes. [65] Mais tarde, uma " coalizão roxa " de liberais e sociais-democratas se formou depois que os verdes perderam a maioria de seus assentos nas eleições de 2003 . [66]

O governo liderado pelo primeiro-ministro Guy Verhofstadt de 1999 a 2007 alcançou um orçamento equilibrado, algumas reformas tributárias , uma reforma do mercado de trabalho, uma eliminação progressiva programada da energia nuclear e uma legislação que permite crimes de guerra mais rígidos e processos mais brandos pelo uso de drogas leves . As restrições à retenção da eutanásia foram reduzidas e o casamento entre pessoas do mesmo sexo legalizado. O governo promoveu uma diplomacia ativa na África [67] e se opôs à invasão do Iraque . [68] É o único país que não possui restrições de idade para a eutanásia. [69]

A coalizão de Verhofstadt se saiu mal nas eleições de junho de 2007 . Por mais de um ano, o país viveu uma crise política . [70] Esta crise foi tal que muitos observadores especularam sobre uma possível partição da Bélgica . [71] [72] [73] De 21 de dezembro de 2007 a 20 de março de 2008, o governo temporário de Verhofstadt III estava em funções. Esta coligação dos flamengos e francófonos democratas-cristãos , o Flamengo e liberais francófonos , juntamente com os social-democratas francófonosfoi um governo interino até 20 de março de 2008. [74]

Naquele dia, um novo governo , liderado pelo democrata cristão flamengo Yves Leterme , o verdadeiro vencedor das eleições federais de junho de 2007 , foi empossado pelo rei. Em 15 de julho de 2008, Leterme anunciou a renúncia do gabinete ao rei, visto que nenhum progresso nas reformas constitucionais havia sido feito. [74] Em dezembro de 2008, ele mais uma vez ofereceu sua renúncia ao rei após uma crise em torno da venda do Fortis para o BNP Paribas . [75] Neste momento, sua renúncia foi aceita e o democrata cristão e flamengo Herman Van Rompuyfoi empossado como primeiro-ministro em 30 de dezembro de 2008. [76]

Depois de Herman Van Rompuy ter sido designado o primeiro presidente permanente do Conselho Europeu em 19 de novembro de 2009, ele ofereceu a renúncia de seu governo ao rei Albert II em 25 de novembro de 2009. Algumas horas depois, o novo governo sob o primeiro-ministro Yves Leterme foi empossado in. Em 22 de abril de 2010, Leterme novamente ofereceu a renúncia de seu gabinete ao rei [77] depois que um dos parceiros da coalizão, o OpenVLD , se retirou do governo, e em 26 de abril de 2010 o rei Albert aceitou oficialmente a renúncia. [78]

As eleições parlamentares na Bélgica em 13 de junho de 2010 viram o nacionalista flamengo N-VA se tornar o maior partido na Flandres, e o Partido Socialista PS o maior partido na Valônia. [79] Até dezembro de 2011, a Bélgica era governada pelo governo provisório de Leterme, aguardando o fim das negociações em impasse para a formação de um novo governo . Em 30 de março de 2011, isso estabeleceu um novo recorde mundial para o tempo decorrido sem um governo oficial, anteriormente detido pelo Iraque dilacerado pela guerra . [80] Finalmente, em dezembro de 2011, o governo Di Rupo liderado pelo primeiro-ministro socialista da Valônia, Elio Di Rupo, foi empossado.[81]

As eleições federais de 2014 (coincidindo com as eleições regionais ) resultaram em mais um ganho eleitoral para o nacionalista flamengo N-VA, embora a coalizão atual (composta por social-democratas flamengos e francófonos, liberais e democratas-cristãos) mantenha uma maioria sólida no Parlamento e em todos os círculos eleitorais. Em 22 de julho de 2014, o rei Philippe nomeou Charles Michel (MR) e Kris Peeters (CD&V) para liderar a formação de um novo gabinete federal composto pelos partidos flamengos N-VA, CD&V, Open Vld e o MR francófono, o que resultou no governo Michel. Foi a primeira vez que o N-VA fez parte do gabinete federal, enquanto o lado francófono foi representado apenas pelo RM, que obteve uma minoria dos votos do público na Valônia. [82]

Em maio de 2019, as eleições federais na região de língua flamenga ao norte do partido de extrema direita de Flandres, Vlaams Belang , tiveram grandes ganhos. Na área de língua francesa do sul da Valônia, os socialistas eram fortes. O partido nacionalista flamengo moderado, o N-VA, permaneceu como o maior partido no parlamento. [83] Em julho de 2019, o primeiro-ministro Charles Michel foi escolhido para ocupar o cargo de Presidente do Conselho Europeu . [84] Sua sucessora, Sophie Wilmès, foi a primeira mulher primeira-ministra da Bélgica. Ela liderou o governo provisório desde outubro de 2019. [85] O político do partido liberal flamengo Alexander De Crootornou-se primeiro-ministro em outubro de 2020. Os partidos haviam concordado com o governo federal 16 meses após as eleições. [86]

Comunidades e regiões

Comunidades:
  Comunidade flamenga / área de língua holandesa
  Comunidade flamenga e francesa / área de língua bilíngue
  Comunidade francesa / área da língua francesa
  Comunidade de língua alemã / área da língua alemã
Regiões:
  Região Flamenga / área da língua holandesa
  Região de Bruxelas-Capital / área bilíngüe
  Região da Valônia / áreas de língua francesa e alemã

Seguindo um uso que pode ser rastreado até os tribunais da Borgonha e dos Habsburgos, [87] no século 19 era necessário falar francês para pertencer à classe alta governante, e aqueles que só falavam holandês eram efetivamente cidadãos de segunda classe. [88] No final daquele século, e continuando no século 20, os movimentos flamengos evoluíram para combater esta situação. [89]

Enquanto as pessoas no sul da Bélgica falavam francês ou dialetos do francês, e a maioria dos Brusselers adotou o francês como sua primeira língua, os flamengos recusaram-se a fazê-lo e conseguiram progressivamente tornar o holandês uma língua igual no sistema educacional. [89] Após a Segunda Guerra Mundial, a política belga tornou-se cada vez mais dominada pela autonomia de suas duas principais comunidades linguísticas. [90] As tensões intercomunitárias aumentaram e a constituição foi emendada para minimizar o potencial de conflito. [90]

Com base nas quatro áreas de linguagem definidas no 1962-1963 (os holandeses, bilíngüe, francês e áreas de língua alemã), consecutivas revisões de constituição do país em 1970, 1980, 1988 e 1993, estabeleceu uma forma única de um estado federal com poder político segregados em três níveis: [91] [92]

  1. O governo federal , com sede em Bruxelas.
  2. As três comunidades linguísticas:
  3. As três regiões:

As áreas linguísticas jurisdicionais determinam os idiomas oficiais em seus municípios, bem como os limites geográficos das instituições competentes para assuntos específicos. [93] Embora isso permitiria sete parlamentos e governos quando as Comunidades e Regiões foram criadas em 1980, os políticos flamengos decidiram fundir ambos. [94] Assim, os flamengos têm apenas um único órgão institucional do parlamento e o governo tem poderes para tudo, exceto para questões federais e municipais específicas. [D]

As fronteiras sobrepostas das Regiões e Comunidades criaram duas peculiaridades notáveis: o território da Região de Bruxelas-Capital (que passou a existir quase uma década depois das outras regiões) está incluído nas Comunidades Flamenga e Francesa, e o território da A comunidade de língua alemã está totalmente dentro da Região da Valônia. Os conflitos de jurisdição entre os órgãos são resolvidos pelo Tribunal Constitucional da Bélgica . A estrutura pretende ser um compromisso para permitir que diferentes culturas vivam juntas pacificamente. [16]

Local de jurisdição da política

A competência do Estado Federal inclui justiça, defesa, polícia federal, previdência social, energia nuclear, política monetária e dívida pública, entre outros aspectos das finanças públicas. As empresas estatais incluem o Belgian Post Group e a Belgian Railways . O Governo Federal é responsável pelas obrigações da Bélgica e suas instituições federalizadas para com a União Europeia e a OTAN. Ele controla partes substanciais da saúde pública, assuntos internos e externos. [95] O orçamento - sem a dívida - controlado pelo governo federal equivale a cerca de 50% da receita fiscal nacional. O governo federal emprega cerca de 12% dos funcionários públicos. [96]

As comunidades exercem a sua autoridade apenas dentro de limites geográficos determinados linguisticamente, originalmente orientados para os indivíduos de uma língua comunitária: cultura (incluindo os meios de comunicação audiovisuais), educação e utilização da língua em causa. As extensões aos assuntos pessoais menos diretamente relacionados com a língua abrangem a política de saúde (medicina curativa e preventiva) e a assistência aos indivíduos (proteção da juventude, assistência social, assistência às famílias, serviços de assistência ao imigrante , etc.). [97]

As regiões têm autoridade em campos que podem ser amplamente associados a seu território. Incluem economia, emprego, agricultura, política hídrica, habitação, obras públicas, energia, transporte, meio ambiente, planejamento urbano e rural, conservação da natureza, crédito e comércio exterior. Eles supervisionam as províncias, municípios e empresas de serviços públicos intercomunitários. [98]

Em vários campos, os diferentes níveis cada um tem sua própria opinião sobre as especificidades. Com a educação, por exemplo, a autonomia das Comunidades não inclui decisões sobre a obrigatoriedade nem permite a fixação de requisitos mínimos para a outorga de habilitações, que continuam a ser de competência federal. [95] Cada nível de governo pode estar envolvido em pesquisas científicas e relações internacionais associadas a seus poderes. O poder de fazer tratados dos governos das regiões e das comunidades é o mais amplo de todas as unidades da federação de todas as federações em todo o mundo. [99] [100] [101]

Relações Estrangeiras

Devido à sua localização na encruzilhada da Europa Ocidental , a Bélgica tem sido historicamente a rota de invasão de exércitos de seus vizinhos maiores. Com fronteiras virtualmente indefesas, a Bélgica tradicionalmente busca evitar o domínio das nações mais poderosas que a cercam por meio de uma política de mediação. Os belgas têm sido fortes defensores da integração europeia . Tanto a União Européia quanto a OTAN estão sediadas na Bélgica.

Forças Armadas

As Forças Armadas belgas têm cerca de 47.000 soldados ativos. Em 2019, o orçamento de defesa da Bélgica totalizou € 4,303 bilhões (US $ 4,921 bilhões), representando 0,93% de seu PIB. [102] Eles são organizados em uma estrutura unificada que consiste em quatro componentes principais: Componente Terrestre , ou Exército; Componente Aéreo , ou Força Aérea; Componente Marinho , ou Marinha; Componente médico . Os comandos operacionais dos quatro componentes estão subordinados ao Departamento de Estado-Maior para Operações e Treinamento do Ministério da Defesa , que é chefiado pelo Subchefe de Operações e Treinamento do Estado-Maior , e ao Chefe da Defesa . [103]

Os efeitos da Segunda Guerra Mundial fizeram da segurança coletiva uma prioridade da política externa belga . Em março de 1948, a Bélgica assinou o Tratado de Bruxelas e depois aderiu à OTAN em 1948. No entanto, a integração das forças armadas na OTAN só começou depois da Guerra da Coréia . [104] Os belgas, junto com o governo de Luxemburgo, enviaram um destacamento de força de batalhão para lutar na Coréia conhecido como Comando das Nações Unidas da Bélgica . Esta missão foi a primeira de uma longa linha de missões da ONU que os belgas apoiaram. Atualmente, o Componente Marinho da Bélgica está trabalhando em estreita colaboração com a Marinha Holandesasob o comando do Almirante Benelux .

Economia

A Bélgica faz parte de uma união monetária, a zona do euro (azul escuro) e do mercado único da UE .
Uma representação proporcional das exportações da Bélgica, 2019

A economia fortemente globalizada da Bélgica [105] e a sua infraestrutura de transporte estão integradas com o resto da Europa. Sua localização no centro de uma região altamente industrializada ajudou a torná-la a 15ª maior nação comercial do mundo em 2007. [106] [107] A economia é caracterizada por uma força de trabalho altamente produtiva, alto PIB e altas exportações per capita. [108] As principais importações da Bélgica são matérias-primas, máquinas e equipamentos, produtos químicos, diamantes brutos, produtos farmacêuticos, alimentos, equipamentos de transporte e produtos petrolíferos. Suas principais exportações são máquinas e equipamentos, produtos químicos, diamantes acabados, metais e produtos de metal e alimentos. [44]

A economia belga é fortemente orientada para os serviços e mostra uma natureza dupla: uma economia flamenga dinâmica e uma economia da Valónia que fica para trás. [16] [109] [E] Um dos membros fundadores da União Europeia, a Bélgica apoia fortemente uma economia aberta e a extensão dos poderes das instituições da UE para integrar as economias membros. Desde 1922, através da União Econômica Bélgica-Luxemburgo , Bélgica e Luxemburgo têm sido um mercado comercial único com união alfandegária e monetária. [110]

Fabricação de aço ao longo do Mosa em Ougrée , perto de Liège

A Bélgica foi o primeiro país da Europa continental a passar pela Revolução Industrial , no início do século XIX. [111] Áreas na província de Liège e ao redor de Charleroi desenvolveram rapidamente a mineração e a siderurgia, que floresceram até meados do século 20 nos vales de Sambre e Meuse e tornaram a Bélgica uma das três nações mais industrializadas do mundo de 1830 a 1910. [112] ] [113] No entanto, na década de 1840, a indústria têxtil de Flandres estava em grave crise e a região passou por fome de 1846 a 1850. [114] [115]

Após a Segunda Guerra Mundial , Ghent e Antuérpia experimentaram uma rápida expansão das indústrias química e de petróleo. As crises do petróleo de 1973 e 1979 colocaram a economia em recessão; foi particularmente prolongado na Valônia, onde a indústria do aço se tornou menos competitiva e experimentou um sério declínio. [116] Nas décadas de 1980 e 1990, o centro econômico do país continuou a se deslocar para o norte e agora está concentrado na populosa área do Diamante Flamengo . [117]

No final da década de 1980, as políticas macroeconômicas belgas resultaram em uma dívida pública cumulativa de cerca de 120% do PIB. Em 2006 , o orçamento estava equilibrado e a dívida pública era igual a 90,30% do PIB. [118] Em 2005 e 2006, as taxas de crescimento real do PIB de 1,5% e 3,0%, respetivamente, foram ligeiramente superiores à média da área do euro. As taxas de desemprego de 8,4% em 2005 e 8,2% em 2006 foram próximas à média da região. Em outubro de 2010 , esse índice havia crescido para 8,5%, em comparação com uma taxa média de 9,6% para a União Europeia como um todo (UE 27). [119] [120] De 1832 até 2002, a moeda da Bélgica era o franco belga. A Bélgica mudou para o euro em 2002, com os primeiros conjuntos de moedas de euro cunhados em 1999. As moedas de euro belgas padrão designadas para circulação mostram o retrato do monarca (primeiro rei Alberto II, desde 2013, rei Filipe).

Apesar de uma diminuição de 18% observada de 1970 a 1999, a Bélgica ainda tinha em 1999 a maior densidade da rede ferroviária da União Europeia com 113,8 km / 1 000 km 2 . Por outro lado, o mesmo período, 1970–1999, assistiu a um enorme crescimento (+ 56%) da rede de autoestradas . Em 1999, a densidade de km de autoestradas por 1000 km 2 e 1000 habitantes era de 55,1 e 16,5, respetivamente, e era significativamente superior às médias da UE de 13,7 e 15,9. [121]

Do ponto de vista dos recursos biológicos, a Bélgica tem uma baixa dotação: a biocapacidade da Bélgica soma apenas 0,8 hectares globais em 2016, [122] apenas cerca de metade dos 1,6 hectares globais de biocapacidade disponíveis por pessoa em todo o mundo. [123] Em contraste, em 2016, os belgas usaram em média 6,3 hectares globais de biocapacidade - sua pegada ecológica de consumo. Isso significa que eles exigiam cerca de oito vezes mais biocapacidade do que a Bélgica contém. Como resultado, a Bélgica tinha um déficit de biocapacidade de 5,5 hectares globais por pessoa em 2016. [122]

A Bélgica tem um dos tráfegos mais congestionados da Europa. Em 2010, os passageiros das cidades de Bruxelas e Antuérpia gastaram respectivamente 65 e 64 horas por ano em congestionamentos. [124] Como na maioria dos pequenos países europeus, mais de 80% do tráfego aéreo é tratado por um único aeroporto, o Aeroporto de Bruxelas . Os portos de Antuérpia e Zeebrugge (Bruges) partilham mais de 80% do tráfego marítimo belga, sendo Antuérpia o segundo porto europeu com um peso bruto de mercadorias movimentadas de 115 988 000 t em 2000, após um crescimento de 10,9% nos cinco anos anteriores . [121] [125] Em 2016, o porto de Antuérpia movimentou 214 milhões de toneladas após um crescimento anual de 2,7%. [126]

Existe uma grande lacuna econômica entre a Flandres e a Valônia . Valônia era historicamente rica em comparação com Flandres, principalmente devido às suas indústrias pesadas , mas o declínio da indústria siderúrgica após a Segunda Guerra Mundial levou ao rápido declínio da região, enquanto Flandres cresceu rapidamente. Desde então, Flandres tem sido próspera, uma das regiões mais ricas da Europa, enquanto a Valônia tem definhado. Em 2007, a taxa de desemprego da Valônia era mais do dobro da de Flandres. A divisão desempenhou um papel fundamental nas tensões entre flamengos e valões, além da divisão linguística já existente. Como consequência, os movimentos pró-independência ganharam grande popularidade na Flandres. A separatista Nova Aliança Flamenga(N-VA) partido, por exemplo, é o maior partido na Bélgica. [127] [128] [129]

Ciência e Tecnologia

Contribuições para o desenvolvimento da ciência e tecnologia têm surgido ao longo da história do país. O florescimento do início do século 16 na Europa Ocidental incluiu o cartógrafo Gerardus Mercator , o anatomista Andreas Vesalius , o fitoterapeuta Rembert Dodoens [130] [131] [132] [133] e o matemático Simon Stevin entre os cientistas mais influentes. [134]

O químico Ernest Solvay [135] e o engenheiro Zenobe Gramme (École industrielle de Liège) [136] deram seus nomes ao processo Solvay e ao dínamo Gramme , respectivamente, na década de 1860. A baquelite foi desenvolvida em 1907–1909 por Leo Baekeland . Ernest Solvay também atuou como um grande filantropo e deu o seu nome ao Instituto Solvay de Sociologia , à Escola de Economia e Gestão Solvay de Bruxelas e aos Institutos Solvay Internacionais de Física e Química, que agora fazem parte da Université libre de Bruxelles . Em 1911, ele iniciou uma série de conferências, aConferências Solvay sobre Física e Química, que tiveram um profundo impacto na evolução da física e química quântica. [137] Uma grande contribuição para a ciência fundamental também foi devida a um belga, monsenhor Georges Lemaître ( Universidade Católica de Louvain ), a quem se atribui a proposição da teoria do Big Bang sobre a origem do universo em 1927. [138]

Três prêmios Nobel de Fisiologia ou Medicina foram atribuídos aos belgas: Jules Bordet (Université libre de Bruxelles) em 1919, Corneille Heymans ( University of Ghent ) em 1938 e Albert Claude (Université libre de Bruxelles) juntamente com Christian de Duve ( Université catholique de Louvain ) em 1974. François Englert (Université libre de Bruxelles) recebeu o Prêmio Nobel de Física em 2013. Ilya Prigogine (Université libre de Bruxelles) recebeu o Prêmio Nobel de Química em 1977. [139]Dois matemáticos belgas foram condecorados com a Medalha Fields : Pierre Deligne em 1978 e Jean Bourgain em 1994. [140] [141] A Bélgica foi classificada em 22º no Índice Global de Inovação em 2020, ante 23º em 2019. [142] [143] [144] [145]

Demografia

Densidade populacional na Bélgica por arrondissement .
Bruxelas, a capital e maior área metropolitana da Bélgica

Em 1º de janeiro de 2020, a população total da Bélgica de acordo com seu registro populacional era de 11.492.641. [5] A densidade populacional da Bélgica era de 376 / km 2 (970 / sq mi) em janeiro de 2019, tornando-o o 22º país mais densamente povoado do mundo e o país mais densamente povoado da Europa . A província mais densamente povoada é Antuérpia , a província menos povoada é Luxemburgo . Em janeiro de 2019, a Região Flamenga tinha uma população de 6.589.069 (57,6% da Bélgica), sendo as cidades mais populosas Antuérpia (523.248), Ghent (260.341) e Bruges (118.284).Valônia tinha uma população de 3.633.795 (31,8% da Bélgica) com Charleroi (201.816), Liège (197.355) e Namur (110.939), suas cidades mais populosas. A Região de Bruxelas-Capital tem 1.208.542 habitantes (10,6% da Bélgica) nos 19 municípios , três dos quais com mais de 100.000 residentes. [5]

Em 2017, a taxa média de fertilidade total (TFT) na Bélgica era de 1,64 filhos por mulher, abaixo da taxa de reposição de 2,1; permanece consideravelmente abaixo da alta de 4,87 crianças nascidas por mulher em 1873. [146] A Bélgica posteriormente tem uma das populações mais velhas do mundo, com uma idade média de 41,6 anos. [147]

Migração

Em 2007 , quase 92% da população tinha cidadania belga, [148] e outros cidadãos membros da União Europeia representavam cerca de 6%. Os estrangeiros prevalentes foram italianos (171.918), franceses (125.061), holandeses (116.970), marroquinos (80.579), portugueses (43.509), espanhóis (42.765), turcos (39.419) e alemães (37.621). [149] [150] Em 2007, havia 1,38 milhão de residentes estrangeiros na Bélgica, correspondendo a 12,9% da população total. Destes, 685.000 (6,4%) nasceram fora da UE e 695.000 (6,5%) nasceram noutro Estado-Membro da UE. [151] [152]

No início de 2012, estimava-se que as pessoas de origem estrangeira e seus descendentes formavam cerca de 25% da população total, ou seja, 2,8 milhões de novos belgas . [153] Destes novos belgas, 1.200.000 são de ascendência europeia e 1.350.000 [154] são de países não ocidentais (a maioria deles de Marrocos , Turquia e República Democrática do Congo ). Desde a modificação da lei da nacionalidade belga em 1984, mais de 1,3 milhões de migrantes adquiriram a cidadania belga . O maior grupo de imigrantes e seus descendentes na Bélgica são marroquinos . [155] 89,2% dos habitantes deA origem turca foi naturalizada, assim como 88,4% dos marroquinos, 75,4% dos italianos, 56,2% dos franceses e 47,8% dos holandeses. [154]

Statbel divulgou dados da população belga em relação à origem das pessoas na Bélgica. De acordo com os dados, a partir de 1 de janeiro de 2021, 67,3% da população belga era de origem étnica belga e 32,7% era de origem ou nacionalidade estrangeira, sendo 20,3% dos de nacionalidade estrangeira ou grupo étnico originários de países vizinhos. O estudo também descobriu que 74,5% da região de Bruxelas-Capital eram de origem não belga, dos quais 13,8% eram originários de países vizinhos. [156]


línguas

Distribuição estimada de idiomas primários na Bélgica
holandês
59%
francês
40%
alemão
1%
Placas bilíngües em Bruxelas

A Bélgica tem três línguas oficiais: holandês, francês e alemão. Uma série de línguas minoritárias não oficiais também são faladas. [157] Como não existe censo, não há dados estatísticos oficiais sobre a distribuição ou uso das três línguas oficiais da Bélgica ou seus dialetos . [158] No entanto, vários critérios, incluindo o (s) idioma (s) dos pais, de educação ou o status de segundo idioma de estrangeiro, podem fornecer dados sugeridos. Estima-se que 60% da população belga são falantes nativos de holandês (muitas vezes referido como flamengo), e 40% da população fala francês nativamente. Os belgas que falam francês são freqüentemente chamados de valões, embora os que falam francês em Bruxelas não sejam valões. [F]

O número total de falantes nativos de holandês é estimado em cerca de 6,23 milhões, concentrados na região norte de Flandres, enquanto os falantes nativos de francês chegam a 3,32 milhões na Valônia e cerca de 870.000 (ou 85%) na região oficialmente bilíngue de Bruxelas-Capital. [G] [159] A comunidade de língua alemã é composta por 73.000 pessoas no leste da Região da Valônia ; cerca de 10.000 alemães e 60.000 cidadãos belgas são falantes de alemão. Cerca de 23.000 falantes de alemão moram em municípios próximos à comunidade oficial. [160] [161] [162] [163]

Tanto o holandês belga quanto o francês belga têm pequenas diferenças no vocabulário e nas nuances semânticas das variedades faladas, respectivamente, na Holanda e na França. Muitos flamengos ainda falam dialetos do holandês em seu ambiente local. Walloon , considerado um dialeto do francês ou uma língua românica distinta , [164] [165] agora só é entendida e falada ocasionalmente, principalmente por pessoas idosas. Valão é dividido em quatro dialetos, que junto com os de Picard , [166] raramente são usados ​​na vida pública e foram amplamente substituídos pelo francês.

Religião

Desde a independência do país, o catolicismo romano teve um papel importante na política da Bélgica. [167] No entanto, a Bélgica é em grande parte um país secular, pois a constituição prevê a liberdade de religião, e o governo geralmente respeita esse direito na prática. Durante os reinados de Albert I e Baudouin , a família real belga tinha uma reputação de catolicismo profundamente enraizado. [168]

O catolicismo romano tem sido tradicionalmente a religião majoritária da Bélgica; sendo especialmente forte na Flandres. No entanto, em 2009, a freqüência à igreja aos domingos era de 5% para a Bélgica no total; 3% em Bruxelas [169] e 5,4% na Flandres. A freqüência à igreja em 2009 na Bélgica foi cerca de metade da freqüência à igreja aos domingos em 1998 (11% para o total da Bélgica em 1998). [170] Apesar da queda na freqüência à igreja, a identidade católica continua sendo uma parte importante da cultura da Bélgica. [168]

De acordo com o Eurobarómetro 2010, [171] 37% dos cidadãos belgas responderam que acreditam que Deus existe. 31% responderam que acreditam que existe algum tipo de espírito ou força vital. 27% responderam que não acreditam que exista qualquer tipo de espírito, Deus ou força vital. 5% não responderam. De acordo com o Eurobarômetro 2015, 60,7% da população total da Bélgica aderiu ao Cristianismo , sendo o Catolicismo Romano a maior denominação com 52,9%. Os protestantes representavam 2,1% e os cristãos ortodoxos, 1,6% do total. Pessoas não religiosas constituíam 32,0% da população e estavam divididas entre ateus (14,9%) e agnósticos (17,1%). Outros 5,2% da população eram muçulmanos e 2,1% crentes em outras religiões. [172]A mesma pesquisa realizada em 2012 descobriu que o cristianismo era a maior religião da Bélgica, representando 65% dos belgas . [173]

Simbólica e materialmente, a Igreja Católica Romana permanece em uma posição favorável. [168] A Bélgica reconhece oficialmente três religiões: Cristianismo (Católica, Protestantismo, Igrejas Ortodoxas e Anglicanismo), Islã e Judaísmo. [174]

No início dos anos 2000, havia aproximadamente 42.000 judeus na Bélgica. A Comunidade Judaica de Antuérpia (com cerca de 18.000) é uma das maiores da Europa e um dos últimos lugares no mundo onde o iídiche é o idioma principal de uma grande comunidade judaica (espelhando certas comunidades ortodoxas e hassídicas em Nova York, Nova York Jersey e Israel). Além disso, a maioria das crianças judias em Antuérpia recebe educação judaica. [175] Existem vários jornais judeus e mais de 45 sinagogas ativas (30 das quais estão em Antuérpia) no país. Uma pesquisa de 2006 na Flandres, considerada uma região mais religiosa do que a Valônia, mostrou que 55% se consideravam religiosos e que 36% acreditavam que Deus criou o universo. [176]Por outro lado, a Valônia se tornou uma das regiões mais seculares / menos religiosas da Europa. A maioria da população da região de língua francesa não considera a religião uma parte importante de suas vidas, e até 45% da população se identifica como irreligiosa. Este é particularmente o caso na Valônia oriental e áreas ao longo da fronteira francesa.

Uma estimativa de 2008 descobriu que aproximadamente 6% da população belga (628.751 pessoas) é muçulmana . Os muçulmanos constituem 23,6% da população de Bruxelas , 4,9% da Valônia e 5,1% da Flandres . A maioria dos muçulmanos belgas vive nas grandes cidades, como Antuérpia , Bruxelas e Charleroi . O maior grupo de imigrantes na Bélgica são marroquinos, com 400.000 pessoas. Os turcos são o terceiro maior grupo e o segundo maior grupo étnico muçulmano, com 220.000. [155] [177]

Saúde

Hospital Universitário de Antuérpia

Os belgas gozam de boa saúde. De acordo com as estimativas de 2012, a expectativa média de vida é de 79,65 anos. [44] Desde 1960, a esperança de vida tem, em linha com a média europeia, aumentado dois meses por ano. A morte na Bélgica deve-se principalmente a doenças cardíacas e vasculares, neoplasias , doenças do sistema respiratório e causas não naturais de morte (acidentes, suicídio). Causas não naturais de morte e câncer são as causas mais comuns de morte para mulheres até 24 anos e homens até 44 anos. [178]

Os cuidados de saúde na Bélgica são financiados através de contribuições para a segurança social e impostos. O seguro saúde é obrigatório. Os cuidados de saúde são prestados por um sistema misto público e privado de médicos independentes e hospitais públicos, universitários e semiprivados. Os serviços de saúde são pagos pelo paciente e posteriormente reembolsados ​​pelas instituições de seguro saúde, mas para categorias inelegíveis (de pacientes e serviços) existem os chamados sistemas de pagamento terceirizados. [178] O sistema de saúde belga é supervisionado e financiado pelo governo federal, os governos regionais flamengo e valão; e a Comunidade Alemã também tem supervisão e responsabilidades (indiretas). [178]

Pela primeira vez na história da Bélgica, a primeira criança foi sacrificada após a marca de 2 anos da remoção das restrições de idade para a eutanásia. A criança foi sacrificada devido a uma doença incurável que foi infligida à criança. Embora possa ter havido algum suporte para a eutanásia, há uma possibilidade de controvérsia devido à questão que gira em torno do suicídio assistido. [179] [180] Excluindo o suicídio assistido, a Bélgica tem a maior taxa de suicídio na Europa Ocidental e uma das maiores taxas de suicídio no mundo desenvolvido (superada apenas pela Lituânia, Coréia do Sul e Letônia). [181]

Educação

A Biblioteca Central da Universidade KU Leuven

A educação é obrigatória dos 6 aos 18 anos de idade para os belgas. [182] Entre os países da OCDE em 2002, a Bélgica tinha a terceira maior proporção de jovens de 18 a 21 anos matriculados na educação pós-secundária , com 42%. [183] Embora cerca de 99% da população adulta seja alfabetizada, é crescente a preocupação com o analfabetismo funcional . [166] [184] O Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (PISA), coordenado pela OCDE, atualmente classifica a educação da Bélgica como a 19ª melhor do mundo, sendo significativamente superior à média da OCDE. [185]A educação sendo organizada separadamente por cada um, a Comunidade Flamenga pontua visivelmente acima das Comunidades Francesa e Alemã. [186]

Espelhando a estrutura dual da paisagem política belga do século 19, caracterizada pelos partidos liberal e católico , o sistema educacional é segregado em um segmento secular e um segmento religioso. O ramo escolar secular é controlado pelas comunidades, províncias ou municípios, enquanto o ensino religioso, principalmente o ramo católico , é organizado pelas autoridades religiosas, embora subsidiado e supervisionado pelas comunidades. [187]

Cultura

Apesar de suas divisões políticas e linguísticas , a região correspondente à atual Bélgica viu o florescimento de grandes movimentos artísticos que tiveram uma enorme influência na arte e cultura europeias. Hoje em dia, em certa medida, a vida cultural está concentrada dentro de cada comunidade linguística, e uma variedade de barreiras tornou uma esfera cultural compartilhada menos pronunciada. [16] [188] [189] Desde a década de 1970, não há universidades ou faculdades bilíngues no país, exceto a Royal Military Academy e a Antwerp Maritime Academy . [190]

Belas-Artes

O retábulo de Ghent : A Adoração do Cordeiro Místico (vista interna), pintado em 1432 por van Eyck

Contribuições para pintura e arquitetura têm sido especialmente ricas. A arte Mosan , os primeiros holandeses , [191] o renascimento flamengo e a pintura barroca [192] e os principais exemplos da arquitetura românica , gótica , renascentista e barroca [193] são marcos na história da arte. Enquanto a arte do século 15 nos Países Baixos é dominada pelas pinturas religiosas de Jan van Eyck e Rogier van der Weyden , o século 16 é caracterizado por um painel mais amplo de estilos, como Peter Breughelpinturas de paisagens e representação de Lambert Lombard da antiguidade. [194] Embora o estilo barroco de Peter Paul Rubens e Anthony van Dyck tenha florescido no início do século 17 no sul da Holanda, [195] ele declinou gradualmente depois disso. [196] [197]

Durante os séculos 19 e 20 surgiram muitos pintores belgas românticos , expressionistas e surrealistas originais , incluindo James Ensor e outros artistas pertencentes ao grupo Les XX , Constant Permeke , Paul Delvaux e René Magritte . O movimento de vanguarda CoBrA surgiu na década de 1950, enquanto o escultor Panamarenko continua sendo uma figura notável na arte contemporânea. [198] [199] Artistas multidisciplinares Jan Fabre , Wim Delvoye e o pintor Luc Tuymans são outras figuras de renome internacional no cenário da arte contemporânea.

As contribuições belgas para a arquitetura também continuaram nos séculos 19 e 20, incluindo a obra de Victor Horta e Henry van de Velde , que foram os principais iniciadores do estilo Art Nouveau . [200] [201]

A música vocal da Escola Franco-Flamenga desenvolveu-se na parte sul dos Países Baixos e foi uma importante contribuição para a cultura renascentista. [202] Nos séculos 19 e 20, houve o surgimento de grandes violinistas, como Henri Vieuxtemps , Eugène Ysaÿe e Arthur Grumiaux , enquanto Adolphe Sax inventou o saxofone em 1846. O compositor César Franck nasceu em Liège em 1822. Contemporâneo a música popular na Bélgica também é conhecida . O músico de jazz Toots Thielemans e o cantor Jacques Brel alcançaram fama global. Hoje cantoraStromae tem sido uma revelação musical na Europa e além, com grande sucesso. Na música rock / pop, Telex , Front 242 , K's Choice , Hooverphonic , Zap Mama , Soulwax e dEUS são bem conhecidos. No cenário do heavy metal, bandas como Machiavel , Channel Zero e Enthroned têm fãs em todo o mundo. [203]

A Bélgica produziu vários autores conhecidos , incluindo os poetas Emile Verhaeren , Guido Gezelle , Robert Goffin e os romancistas Hendrik Conscience , Stijn Streuvels , Georges Simenon , Suzanne Lilar , Hugo Claus e Amélie Nothomb . O poeta e dramaturgo Maurice Maeterlinck ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1911. As Aventuras de Tintin de Hergé é o mais conhecido dos quadrinhos franco-belgas , mas muitos outros autores importantes, incluindo Peyo( Os Smurfs ), André Franquin ( Gaston Lagaffe ), Dupa ( Cubitus ), Morris ( Lucky Luke ), Greg ( Achille Talon ), Lambil ( Les Tuniques Bleues ), Edgar P. Jacobs e Willy Vandersteen trouxeram para a indústria de desenhos animados belga uma fama mundial. [204] Além disso, a famosa autora de crime Agatha Christie criou o personagem Hercule Poirot , um detetive belga que serviu como protagonista em vários de seus aclamados romances de mistério.

O cinema belga trouxe uma série de romances, principalmente flamengos, à vida na tela. [H] Outros diretores belgas incluem André Delvaux , Stijn Coninx , Luc e Jean-Pierre Dardenne ; atores conhecidos incluem Jean-Claude Van Damme , Jan Decleir e Marie Gillain ; e filmes de sucesso incluem Bullhead , Man Bites Dog e The Alzheimer Affair . [205] A Bélgica também é o lar de uma série de designers de moda de sucesso. Categoria: Designers de moda belgas . Por exemplo, na década de 1980, AntuérpiaA Royal Academy of Fine Arts produziu importantes criadores de tendências da moda, conhecidos como Antwerp Six . [206]

Folclore

Os Gilles de Binche , fantasiados, usando máscaras de cera

O folclore desempenha um papel importante na vida cultural da Bélgica: o país tem um número comparativamente alto de procissões, cavalgadas, desfiles, ' ommegangs ' e 'ducados', [I] ' kermesse ' e outros festivais locais, quase sempre com um ou fundo mitológico . O Carnaval de Binche com seus famosos Gilles e os 'Gigantes e Dragões Processionais' de Ath , Bruxelas, Dendermonde , Mechelen e Mons são reconhecidos pela UNESCO como Obras-primas do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade . [207]

Outros exemplos são o Carnaval de Aalst ; as ainda muito religiosas procissões do Santo Sangue em Bruges , a Basílica Virga Jesse em Hasselt e a Basílica de Nossa Senhora de Hanswijk em Mechelen; Festival de 15 de agosto em Liège ; e o festival da Valônia em Namur . Originado em 1832 e revivido na década de 1960, o Gentse Feesten se tornou uma tradição moderna. Um feriado não oficial importante é o Dia de São Nicolau , uma festa para crianças e, em Liège, para estudantes. [208]

Cozinha

O moules-frites ou mosselen met friet é um prato representativo da Bélgica.

Muitos restaurantes belgas altamente classificados podem ser encontrados nos guias de restaurantes mais influentes, como o Guia Michelin . [209] A Bélgica é famosa pela cerveja , chocolate , waffles e batatas fritas com maionese . Ao contrário do seu nome, afirma-se que as batatas fritas são originárias da Bélgica, embora o seu local exato de origem seja incerto. Os pratos nacionais são " bife com batata frita com salada" e " mexilhão com batata frita ". [210] [211] [212] [J]

Marcas de chocolate belga e bombons , como Côte d'Or , Neuhaus , Leonidas e Godiva são famosos, bem como produtores independentes, como Burie e Del Rey em Antuérpia e de Maria, em Bruxelas. [213] A Bélgica produz mais de 1100 variedades de cerveja . [214] [215] A cerveja trapista da Abadia de Westvleteren foi repetidamente classificada como a melhor cerveja do mundo. [216] [217] [218] A maior cervejaria do mundo em volume é a Anheuser-Busch InBev , com sede em Leuven . [219]

Esportes

Eddy Merckx , considerado um dos maiores ciclistas de todos os tempos

Desde a década de 1970, os clubes e federações esportivas são organizados separadamente dentro de cada comunidade linguística. [220] O futebol de associação é o esporte mais popular em ambas as partes da Bélgica; também são muito populares o ciclismo, tênis, natação, judô [221] e basquete. [222]

A seleção belga de futebol está no topo do ranking mundial da FIFA desde setembro de 2018 (a primeira vez que alcançou essa posição em novembro de 2015). [223] Desde a década de 1990, o time tem sido o número um do mundo por mais anos na história, atrás apenas dos recordes de Brasil e Espanha . [224] As gerações de ouro da equipe com os jogadores de classe mundial no elenco, nomeadamente Eden Hazard , Kevin De Bruyne , Jean-Marie Pfaff , Jan Ceulemans conquistaram as medalhas de bronze na Copa do Mundo 2018 e medalhas de prata no Euro 1980. A Bélgica sediou o Euro 1972 e co-sediou o Euro 2000 com a Holanda.

Os belgas detêm o maior número de vitórias no Tour de France de qualquer país, exceto a França. Eles também têm o maior número de vitórias no Campeonato Mundial de Estrada da UCI . Philippe Gilbert é o campeão mundial de 2012. Outro ciclista belga moderno e conhecido é Tom Boonen . Com cinco vitórias no Tour de France e vários outros recordes de ciclismo, o ciclista belga Eddy Merckx é considerado um dos maiores ciclistas de todos os tempos. [225]

Kim Clijsters e Justine Henin foram ambas jogadoras do ano na Women's Tennis Association, já que foram classificadas como a tenista número um. O circuito de automobilismo Spa-Francorchamps hospeda o Grande Prêmio da Bélgica do Campeonato Mundial de Fórmula 1 . O piloto belga Jacky Ickx venceu oito Grandes Prêmios e seis 24 Horas de Le Mans e terminou duas vezes como vice-campeão no Campeonato Mundial de Fórmula Um. A Bélgica também tem uma forte reputação no motocross com os pilotos Joël Robert , Roger De Coster , Georges Jobé ,Eric Geboers e Stefan Everts, entre outros. [226] Eventos esportivos realizados anualmente na Bélgica incluem a competição de atletismo Memorial Van Damme , o Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1 e uma série de corridas clássicas de ciclo , como o Tour de Flandres e Liège – Bastogne – Liège . Os Jogos Olímpicos de Verão de 1920 foram realizados em Antuérpia. O Campeonato Europeu de Basquete de 1977 foi realizado em Liège e Ostend .

Veja também

Notas de rodapé

  1. ^ Holandês : België [ˈBɛlɣijə] ( ouvir )About this sound ; Francês : belga [bɛlʒik] ( ouvir )About this sound ; Alemão : Belgien [ˈBɛlɡi̯ən] ( ouvir )About this sound
  2. ^ Holandês : Koninkrijk België ; Francês : Royaume de Belgique ; Alemão : Königreich Belgien
  3. ^ A Bélgica é membro ou afiliada a muitas organizações internacionais, incluindo ACCT , AfDB , AsDB , Australia Group , Benelux , BIS , CCC , CE , CERN , EAPC , EBRD , EIB , EMU , ESA , EU, FAO , G -10 , IAEA , IBRD , ICAO , ICC , ICRM , IDA , BID ,IEA , IFAD , IFC , IFRCS , IHO , ILO , IMF , IMO , IMSO , Intelsat , Interpol , IOC , IOM , ISO , ITU , MONUSCO (observadores), OTAN , NEA , NSG , OAS (observador), OCDE , OPCW , OSCE , PCA , ONU, UNCTAD , UNECE ,UNESCO , UNHCR , UNIDO , UNMIK , UNMOGIP , UNRWA , UNTSO , UPU , WADB (não regional), WEU , OMS , WIPO , WMO , WTrO , ZC .
  4. ^ A Constituição estabelece sete instituições, cada uma das quais pode ter um parlamento, governo e administração. Na verdade, existem apenas seis desses órgãos porque a Região Flamenga se fundiu com a Comunidade Flamenga. Assim, este órgão único flamengo exerce competências sobre questões comunitárias na área bilingue de Bruxelas-Capital e na área de língua holandesa, enquanto sobre questões regionais apenas na Flandres.
  5. ^ A mais rica (renda per capita) das três regiões da Bélgica é a Região Flamenga , seguida pela Região da Valônia e, por último, a Região de Bruxelas-Capital . Os dez municípios com a renda declarada mais alta são: Laethem-Saint-Martin , Keerbergen , Lasne , Oud-Heverlee , Hove , De Pinte , Meise , Knokke-Heist , Bierbeek . "Où habitent les Belges les plus riches?" . tendências.be. 2010. Arquivado do original em 27 de agosto de 2011 . Obtido em 15 de julho2011 .
  6. ^ Os falantes nativos de holandês que vivem na Valônia e de francês na Flandres são minorias relativamente pequenas que, além disso, se equilibram amplamente, portanto, atribuir todos os habitantes de cada área unilíngue à língua da área pode causar apenas imprecisões insignificantes (99% podem falar a língua). Holandês: Os 6,079 milhões de habitantes da Flandres e cerca de 15% dos 1,019 milhões de Bruxelas são 6,23 milhões ou 59,3% dos 10,511 milhões de habitantes da Bélgica (2006); Alemão: 70.400 na comunidade de língua alemã (que possui instalações de idiomaspara seus menos de 5% de falantes de francês) e cerca de 20.000–25.000 falantes de alemão na Região da Valônia fora das fronteiras geográficas de sua comunidade oficial, ou 0,9%; Franceses: nesta última área, bem como principalmente no resto da Valônia (3,321 milhões) e 85% dos habitantes de Bruxelas (0,866 milhões), portanto, 4,187 milhões ou 39,8%; juntos, de fato, 100%.
  7. ^ Acadêmico Flamengo Eric Corijn (iniciador do Charta 91), em um colóquio sobre Bruxelas, em 2001-12-05, afirma que em Bruxelas 91% da população fala francês em casa, sozinha ou com outra língua, e cerca de 20% fala holandês em casa, sozinho (9% ) ou com o francês (11%) - Após ponderação, a repartição pode ser estimada entre 85 e 90% de língua francesa, e os restantes são de língua holandesa, correspondendo às estimativas baseadas nas línguas escolhidas em Bruxelas pelos cidadãos para o seu funcionário documentos (RG, carteira de habilitação, casamento, nascimento, sexo e assim por diante); todas essas estatísticas sobre a língua também estão disponíveis no Departamento de Justiça da Bélgica (para casamentos, nascimento, sexo), Departamento de Transporte (para cartas de condução), Departamento do Interior (para carteiras de identidade), porque não há meios de saber com precisãoas proporções desde que a Bélgica aboliu os censos linguísticos “oficiais”, portanto, os documentos oficiais sobre as escolhas de idioma podem ser apenas estimativas. Para obter uma fonte da web sobre este tópico, consulte, por exemplo, Fontes gerais online: Janssens, Rudi
  8. ^ Filmes belgas notáveis ​​baseados em obras de autores flamengos incluem: De Witte (autor Ernest Claes ) filme de Jan Vanderheyden e Edith Kiel em 1934, refilmado como De Witte van Sichem dirigido por Robbe De Hert em 1980; De man die zijn haar kort liet knippen ( Johan Daisne ) André Delvaux 1965; Mira ('De teleurgang van de Waterhoek' de Stijn Streuvels ) Fons Rademakers 1971; Malpertuis (também conhecido como The Legend of Doom House) ( Jean Ray [pseudônimo de autor flamengo que escreveu principalmente em francês, ou como John Flanders em holandês])Harry Kümel 1971; De loteling ( Hendrik Conscience ) Roland Verhavert 1974; Dood van een non ( Maria Rosseels ) Paul Collet e Pierre Drouot 1975; Pallieter ( Felix Timmermans ) Roland Verhavert 1976; De komst van Joachim Stiller ( Hubert Lampo ) Harry Kümel 1976; De Leeuw van Vlaanderen ( Hendrik Conscience ) Hugo Claus (um autor famoso) 1985; Daens ('Pieter Daens' de Louis Paul Boon ) Stijn Coninx 1992; veja também Filmarchiefles DVD! s de la cinémathèque (em holandês). Página visitada em 7 de junho de 2007.
  9. ^ A palavra holandesa 'ommegang' é usada aqui no sentido de uma procissão inteiramente ou principalmente não religiosa, ou a parte não religiosa dela - veja também seu artigo na Wikipedia em holandês ; os gigantes processionais de Bruxelas, Dendermonde e Mechelen mencionados neste parágrafo fazem parte do 'ommegang' de cada cidade. A palavra francesa 'ducasse' também se refere a uma procissão; os mencionados Gigantes Processionais de Ath e Mons fazem parte da 'ducasse' de cada cidade.
  10. ^ Ao contrário do que o texto sugere, a temporada começa já em julho e vai até abril.

Referências

  1. ^ Eurobarômetro 90.4: Atitudes dos europeus em relação à biodiversidade, consciência e percepções dos costumes da UE e percepções do anti-semitismo . Comissão Europeia . Retirado em 9 de agosto de 2019 - via GESIS .
  2. ^ "Tipo de governo: Bélgica" . The World Factbook . CIA. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2012 . Página visitada em 19 de dezembro de 2011 .
  3. ^ a b "be.STAT" . Bestat.statbel.fgov.be. 26 de novembro de 2019.
  4. ^ "Mudança das águas superficiais e das águas superficiais" . Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) . Página visitada em 11 de outubro de 2020 .
  5. ^ a b c d "Structuur van de bevolking" (em holandês). Statbel . Página visitada em 29 de fevereiro de 2020 .
  6. ^ a b c d "Banco de dados do Outlook Econômico Mundial" . Fundo Monetário Internacional . Retirado em 1 de outubro de 2020 .
  7. ^ "Coeficiente de Gini de rendimento disponível equivalente - inquérito EU-SILC" . ec.europa.eu . Eurostat . Retirado em 9 de agosto de 2021 .
  8. ^ "Ranking do Índice de Desenvolvimento Humano 2019" . Hdr.undp.org. Arquivado do original em 19 de abril de 2020 . Recuperado em 10 de dezembro de 2019 .
  9. ^ A constituição belga (PDF) . Bruxelas, Bélgica: Câmara dos Representantes da Bélgica. Maio de 2014. p. 63. Arquivado (PDF) do original em 10 de agosto de 2015 . Retirado em 10 de setembro de 2015 .
  10. ^ Pateman, Robert e Elliott, Mark (2006). Bélgica . Livros de referência. p. 27. ISBN 978-0-7614-2059-0 
  11. ^ A constituição belga (PDF) . Bruxelas, Bélgica: Câmara dos Representantes da Bélgica. Maio de 2014. p. 5. Arquivado do original (PDF) em 10 de agosto de 2015 . Retirado em 10 de setembro de 2015 . Artigo 3.º: A Bélgica compreende três regiões: a Região Flamenga, a Região da Valónia e a Região de Bruxelas. Artigo 4: A Bélgica compreende quatro regiões linguísticas: a região de língua holandesa, a região de língua francesa, a região bilingue de Bruxelas-Capital e a região de língua alemã.
  12. ^ Janssens, Rudi (2008). O uso da língua em Bruxelas e a posição do holandês . Estudos de Bruxelas [online] . Retirado em 17 de julho de 2018 .
  13. ^ Leclerc, Jacques (18 de janeiro de 2007). "Belgique • België • Belgien — Région de Bruxelles-Capitale • Bruxelas Hoofdstedelijk Gewest" . L'aménagement linguistique dans le monde (em francês). Anfitrião: Trésor de la langue française au Québec (TLFQ), Université Laval , Quebec. Arquivado do original em 9 de junho de 2007 . Página visitada em 18 de junho de 2007 . C'est une région officiellement bilingue formant au centre du pays une enclave na província du Brabant flamand (Vlaams Brabant)
    * "Sobre a Bélgica" . Serviço Público Federal Belga (ministério) / Embaixada da Bélgica na República da Coréia. Arquivado do original em 2 de outubro de 2008 . Página visitada em 21 de junho de 2007 . a Região da Capital de Bruxelas é um enclave de 162 km 2 na região flamenga.
    * "Flandres (região administrativa)" . Enciclopédia online da Microsoft Encarta . Microsoft. 2007. Arquivado do original em 31 de outubro de 2009 . Página visitada em 21 de junho de 2007 . A capital da Bélgica, Bruxelas, é um enclave dentro da Flandres.
    * McMillan, Eric (outubro de 1999). "As invasões FIT de Mons" (PDF) . Tradutor de capital, Newsletter of the NCATA, Vol. 21, nº 7, p. 1 . Capítulo da Área da Capital Nacional da American Translators Association (NCATA). Arquivado do original (PDF) em 26 de junho de 2007 . Página visitada em 21 de junho de 2007 . O país está dividido em três regiões autônomas: Flandres de língua holandesa no norte, Bruxelas de língua francesa no centro como um enclave dentro de Flandres e Valônia de língua francesa no sul, incluindo os Cantões de l'Est de língua alemã .
    * Van de Walle, Steven. "Facilidades linguísticas na periferia de Bruxelas" . KULeuven —Leuvens Universitair Dienstencentrum voor Informatica en Telematica. Arquivado do original (PDF) em 31 de outubro de 2009 . Página visitada em 21 de junho de 2007 . Bruxelas é uma espécie de enclave dentro da Flandres - não tem ligação direta com a Valônia.
  14. ^ C. Julius Caesar, De Bello Gallico , livro 8, capítulo 46 .
  15. ^ Haß, Torsten (17 de fevereiro de 2003). Rezension zu (Revisão de) Cook, Bernard: Bélgica. A History (em alemão). FH-Zeitung (jornal da Fachhochschule ). ISBN 978-0-8204-5824-3. Arquivado do original em 9 de junho de 2007 . Página visitada em 24 de maio de 2007 . die Bezeichnung Belgiens als "o cockpit da Europa" (James Howell, 1640), die damals noch auf eine kriegerische Hahnenkampf-Arena hindeutete—O crítico do livro, Haß, atribui a expressão em inglês a James Howell em 1640. A frase original de Howell "o cockpit da cristandade " foi modificada posteriormente, conforme mostrado por:
    * Carmont, John. "The Hydra No.1 New Series (novembro de 1917) - Arras And Captain Satan" . Coleção Poetas de Guerra . Escola de Negócios da Napier University. Arquivado do original em 11 de maio de 2008 . Página visitada em 24 de maio de 2007 .- e, como tal, cunhado para a Bélgica:
    * Wood, James (1907). "Nuttall Encyclopaedia of General Knowledge - Cockpit of Europe" . Arquivado do original em 9 de agosto de 2011 . Página visitada em 24 de maio de 2007 . Cockpit da Europa, Bélgica, como palco de tantas batalhas entre as Potências da Europa.(Veja também The Nuttall Encyclopaedia )
  16. ^ a b c d Fitzmaurice, John (1996). "Nova Ordem? Modelos internacionais de paz e reconciliação - Diversidade e sociedade civil" . Diálogo democrático Primeiro think tank da Irlanda do Norte, Belfast, Irlanda do Norte, Reino Unido. Arquivado do original em 13 de maio de 2011 . Página visitada em 12 de agosto de 2007 .
  17. ^ "Perfil de país da Bélgica" . EUbusiness, Richmond, Reino Unido. 27 de agosto de 2006. Arquivado do original em 7 de outubro de 2009 . Página visitada em 12 de agosto de 2007 .
  18. ^ Karl, Farah; Stoneking, James (1999). "Capítulo 27. The Age of Imperialism (Section 2. The Partition of Africa)" (PDF) . História Mundial II . Escola do Governador Regional de Appomattox (Departamento de História), Petersburg, Virginia, EUA. Arquivado do original (PDF) em 25 de setembro de 2007 . Página visitada em 16 de agosto de 2007 .
  19. ^ "O legado colonial genocida da Bélgica assombra o futuro do país" . The Independent . 17 de outubro de 2017 . Página visitada em 22 de junho de 2021 .
  20. ^ Bruxelas flutuante. "Ilha bilíngüe em Flandres" . UCL . Arquivado do original em 24 de maio de 2016 . Retirado em 5 de junho de 2016 .
  21. ^ "O governo belga jurou, acabando com a crise de 18 meses" . Expatica . 6 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 2 de fevereiro de 2014 . Página visitada em 8 de dezembro de 2011 .
  22. ^ "Bélgica: uma nação dividida por mais de duas línguas" . Financial Times . Arquivado do original em 9 de agosto de 2017 . Retirado em 19 de julho de 2017 .
  23. ^ "Índice de qualidade de vida por país em meados do ano de 2017" . www.numbeo.com . Arquivado do original em 23 de janeiro de 2018 . Retirado em 28 de dezembro de 2017 .
  24. ^ "Índice de saúde" (PDF) . Organização Mundial da Saúde. Arquivado (PDF) do original em 5 de agosto de 2011.
  25. ^ "Índice de educação | Relatórios de desenvolvimento humano" . hdr.undp.org . Arquivado do original em 4 de janeiro de 2018 . Retirado em 28 de dezembro de 2017 .
  26. ^ "Relatório de Desenvolvimento Humano 2016" (PDF) . undp.org. Arquivado (PDF) do original em 27 de março de 2017.
  27. ^ "Índice de Paz Global 2017" (PDF) . reliefweb.int. Arquivado (PDF) do original em 28 de dezembro de 2017.
  28. ^ Caesar, Gallic War , 8.46 " quattuor legiones in Belgio collocavit ", " seu confectis rebus ad legiones na Bélgica se recipit hibernatque Nemetocennae ". (Nas traduções online para o inglês, a segunda parte é frequentemente incluída no próximo parágrafo 8.47 . Wightman, Edith (1985), Gallia Belgica , p. 12, ISBN 978-0-520-05297-0. González Villaescusa; Jacquemin (2011), "Gallia Belgica: An Entity with No National Claim", Études rurales , 2 (2): 93–111, doi : 10.4000 / etudesrurales.9499.
  29. ^ Werner, Matthias (1980), Der Lütticher Raum in frühkarolingischer Zeit: Untersuchungen zur Geschichte einer karolingischen Stammlandschaft
  30. ^ Edmundson, George (1922). "Capítulo I: A Holanda da Borgonha" . História da Holanda . The University Press, Cambridge. Republicado: Authorama. Arquivado do original em 28 de abril de 2011 . Página visitada em 15 de dezembro de 2010 .
  31. ^ Van Der Essen, Leon (1925), "Notre nom national" , Revue belge de philologie et d'histoire , 4 (1): 121–131, doi : 10.3406 / rbph.1925.6335
  32. ^ Edmundson, George (1922). "Capítulo II: Regra de Habsburgo na Holanda" . História da Holanda . The University Press, Cambridge. Republicado: Authorama. Arquivado do original em 26 de setembro de 2007 . Página visitada em 9 de junho de 2007 .
  33. ^ Dobbelaere, Karel ; Voyé, Liliane (1990). "Do Pilar à Pós-modernidade: A Situação em Mudança da Religião na Bélgica". Análise Sociológica . 51 : S1 – S13. doi : 10.2307 / 3711670 . JSTOR 3711670 . 
  34. ^ Gooch, Brison Dowling (1963). Bélgica e a Revolução de fevereiro . Martinus Nijhoff Publishers , Haia , Holanda. p. 112. Arquivado do original em 28 de junho de 2011 . Página visitada em 18 de outubro de 2010 .
  35. ^ "Dia Nacional e dias de festa das Comunidades e Regiões" . Governo Federal da Bélgica. 3 de outubro de 2010. Arquivado do original em 24 de julho de 2011 . Retirado em 20 de julho de 2011 .
  36. ^ Deschouwer, Kris (janeiro de 2004). "Estrutura étnica, desigualdade e governança do setor público na Bélgica" (PDF) . Instituto de Pesquisa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Social (UNRISD). Arquivado do original (PDF) em 14 de junho de 2007 . Página visitada em 22 de maio de 2007 .
  37. ^ Forbath, Peter (1977). O Rio Congo: A descoberta, exploração e exploração dos rios mais dramáticos do mundo . Harper & Row. p. 278. ISBN 978-0-06-122490-4.
  38. ^ a b "Bélgica confronta seu coração da escuridão; O comportamento colonial desagradável no Congo será abordado por um novo estudo - The New York Times" . nytimes.com . Arquivado do original em 24 de dezembro de 2016 . Retirado em 6 de janeiro de 2017 .
  39. ^ Meredith, Martin (2005). O Estado da África . Jonathan Ball. pp. 95–96 (?). ISBN 978-1-86842-220-3.
  40. ^ Arango, Ramon (1961). Leopold III e a Questão Real Belga . Baltimore: The Johns Hopkins Press. p. 108. ISBN 978-0-8018-0040-5.
  41. ^ "A Guerra Civil Congolesa 1960-1964" . BBC News . Arquivado do original em 24 de maio de 2010 . Página visitada em 29 de abril de 2010 .
  42. ^ "Novos dados sobre o uso da terra" . Statbel . Arquivado do original em 19 de março de 2019 . Página visitada em 17 de fevereiro de 2019 .
  43. ^ "België tem 160 km² groter dan gedacht" . Het Laatste Nieuws . 10 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2019 . Página visitada em 17 de fevereiro de 2019 .
  44. ^ a b c "Bélgica" . The World Factbook . Agência Central de Inteligência .
  45. ^ (em holandês) Geografische beschrijving van België - Over Belgie - Portaal Belgische Overheid Arquivado em 19 de agosto de 2013 na Wayback Machine . Belgium.be. Retirado em 12 de agosto de 2013.
  46. ^ "Bélgica - a terra - alívio" . Encyclopædia Britannica . Encyclopædia Britannica, Chicago, Illinois, EUA. 2007. Arquivado do original em 17 de dezembro de 2013 . Página visitada em 3 de julho de 2007 .
  47. ^ "Geografia da Bélgica" . 123independenceday.com. Arquivado do original em 12 de setembro de 2007 . Página visitada em 10 de agosto de 2007 .
  48. ^ "Vida — Natureza" (PDF) . Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias. 2005. Arquivado (PDF) do original em 25 de setembro de 2007 . Página visitada em 10 de agosto de 2007 .
  49. ^ Peel, Murray C .; Finlayson, Bryan L. & McMahon, TA (2007). "Mapa-múndi atualizado da classificação climática Köppen-Geiger" . Hidrologia e Ciências do Sistema Terrestre . 11 (5): 1633–1644. Bibcode : 2007HESS ... 11.1633P . doi : 10.5194 / hess-11-1633-2007 . ISSN 1027-5606 . Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2017 . Página visitada em 10 de dezembro de 2011 .  (direto: artigo final revisado arquivado em 29 de fevereiro de 2012 na Wayback Machine )
  50. ^ "Clima médias — Bruxelas" . EuroWEATHER / EuroMETEO, Nautica Editrice Srl, Roma, Itália. Arquivado do original em 21 de outubro de 2007 . Página visitada em 27 de maio de 2007 .
  51. ^ "Kerncijfers 2006 - Statistisch overzicht van België" (PDF) (em holandês). Serviço do Governo Federal Belga (ministério) da Economia - Direcção-Geral de Estatísticas da Bélgica. pp. 9–10. Arquivado do original (PDF) em 5 de junho de 2007 . Página visitada em 8 de maio de 2007 .
  52. ^ Takhtajan, Armen, 1986. Regiões florísticas do mundo . (traduzido por TJ Crovello e A. Cronquist). University of California Press , Berkeley .
  53. ^ Dinerstein, Eric; Olson, David; Joshi, Anup; Vynne, Carly; Burgess, Neil D .; Wikramanayake, Eric; Hahn, Nathan; Palminteri, Suzanne; Hedao, Prashant; Noss, Reed; Hansen, Matt; Locke, Harvey; Ellis, Erle C; Jones, Benjamin; Barber, Charles Victor; Hayes, Randy; Kormos, Cyril; Martin, Vance; Crist, Eileen; Sechrest, Wes; Price, Lori; Baillie, Jonathan EM; Weeden, Don; Amamentando, Kierán; Davis, Crystal; Sizer, Nigel; Moore, Rebecca; Thau, David; Birch, Tanya; Potapov, Peter; Turubanova, Svetlana; Tyukavina, Alexandra; de Souza, Nádia; Pintea, Lilian; Brito, José C .; Llewellyn, Othman A .; Miller, Anthony G .; Patzelt, Annette; Ghazanfar, Shahina A .; Timberlake, Jonathan; Klöser, Heinz; Shennan-Farpón, Yara; Kindt, Roeland; Lillesø, Jens-Peter Barnekow; van Breugel, Paulo; Graudal, Lars; Voge, Maianna; Al-Shammari, Khalaf F .; Saleem, Muhammad (2017)."Uma abordagem baseada em ecorregiões para proteger metade do reino terrestre" . BioScience . 67 (6): 534–545. doi : 10.1093 / biosci / bix014 . ISSN  0006-3568 . PMC  5451287 . PMID  28608869 .
  54. ^ "Florestas Mistas Atlânticas" . Ecorregiões Terrestres . Fundo Mundial para a Vida Selvagem.
  55. ^ Grantham, HS; Duncan, A .; Evans, TD; Jones, KR; Beyer, HL; Schuster, R .; Walston, J .; Ray, JC; Robinson, JG; Callow, M .; Clements, T .; Costa, HM; DeGemmis, A .; Elsen, PR; Ervin, J .; Franco, P .; Goldman, E .; Goetz, S .; Hansen, A .; Hofsvang, E .; Jantz, P .; Júpiter, S .; Kang, A .; Langhammer, P .; Laurance, WF; Lieberman, S .; Linkie, M .; Malhi, Y .; Maxwell, S .; Mendez, M .; Mittermeier, R .; Murray, NJ; Possingham, H .; Radachowsky, J .; Saatchi, S .; Samper, C .; Silverman, J .; Shapiro, A .; Strassburg, B .; Stevens, T .; Stokes, E .; Taylor, R .; Tear, T .; Tizard, R .; Venter, O .; Visconti, P .; Wang, S .; Watson, JEM (2020). “A modificação antropogênica das florestas significa que apenas 40% das florestas remanescentes têm alta integridade do ecossistema - Material Suplementar” .Nature Communications . 11 (1): 5978. doi : 10.1038 / s41467-020-19493-3 . ISSN  2041-1723 . PMC  7723057 . PMID  33293507 .
  56. ^ López Pintor, Rafael; Gratschew, Maria (2002). "Taxas de participação eleitoral em uma perspectiva comparativa" (PDF) . IDEIA . Arquivado (PDF) do original em 21 de novembro de 2011 . Página visitada em 22 de junho de 2011 .
  57. ^ "A Constituição belga - Artigo 99" (PDF) . Câmara dos Representantes da Bélgica. Janeiro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 6 de julho de 2011 . Página visitada em 26 de junho de 2011 .
  58. ^ "Bélgica 1831 (rev. 2012)" . Constituir . Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2015 . Retirado em 30 de março de 2015 .
  59. ^ "Bélgica, um estado federal" . Belgium.be. Arquivado do original em 12 de novembro de 2010 . Página visitada em 26 de novembro de 2010 .
  60. ^ a b "Nota de fundo: Bélgica" . Departamento de Estados dos EUA. 29 de abril de 2010 . Página visitada em 26 de novembro de 2010 .
  61. ^ "Bélgica - partidos políticos" . Banco de dados de eleições europeias . Serviços Noruegueses de Dados de Ciências Sociais. 2010. Arquivado do original em 27 de abril de 2011 . Página visitada em 10 de dezembro de 2010 .
  62. ^ Tyler, Richard (8 de junho de 1999). "Escândalo de contaminação por dioxina atinge a Bélgica: efeitos se espalham pela União Europeia e além" . Site Socialista Mundial (WSWS) . Comitê Internacional da Quarta Internacional (ICFI). Arquivado do original em 1º de agosto de 2016 . Retirado em 16 de julho de 2016 .
  63. ^ ElAmin, Ahmed (31 de janeiro de 2006) Os setores de carnes da Bélgica, Holanda enfrentam crise de dioxina Arquivado em 14 de setembro de 2007 na Wayback Machine . foodproductiondaily.com
  64. ^ Comissão Europeia (16 de junho de 1999). "Notícias sobre legislação alimentar - UE: CONTAMINANTES - Comunicado à imprensa da Comissão (IP / 99/399) Resultados preliminares da inspeção da UE na Bélgica" . School of Food Biosciences, University of Reading, Reino Unido. Arquivado do original em 27 de setembro de 2006 . Página visitada em 29 de maio de 2007 .
  65. ^ "Coligação do" arco-íris "da Bélgica empossada" . BBC News . 12 de julho de 1999 . Página visitada em 20 de maio de 2007 .
  66. ^ "La Chambre des représentants — Composition" [Composição da Câmara dos Representantes] (PDF) (em francês). A Câmara dos Representantes da Bélgica. 9 de março de 2006. Arquivado (PDF) do original em 7 de novembro de 2006 . Página visitada em 25 de maio de 2007 .
  67. ^ "Ruanda" . tiscali.reference . Tiscali UK. Arquivado do original em 24 de setembro de 2009 . Página visitada em 27 de maio de 2007 .O artigo mostra um exemplo do recente [ quando? ] Políticas africanas.
  68. ^ "A demanda belga interrompe o progresso da OTAN" . CNN. 16 de fevereiro de 2003. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2005 . Página visitada em 16 de junho de 2007 .
  69. ^ "Bélgica menor primeiro a ser concedida a eutanásia - BBC News" . BBC News . bbc.co.uk. 17 de setembro de 2016. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2017 . Retirado em 6 de janeiro de 2017 .
  70. ^ "Linha do tempo Bélgica" . BBC News . 5 de janeiro de 2009. Arquivado do original em 29 de setembro de 2009 . Página visitada em 16 de julho de 2009 . Setembro de 2007 - Bélgica sem governo por 100 dias.
  71. ^ Bryant, Elizabeth (12 de outubro de 2007). "Divisões podem levar a uma partição na Bélgica" . San Francisco Chronicle . Arquivado do original em 29 de abril de 2011 . Página visitada em 28 de maio de 2008 .
  72. ^ Hughes, Dominic (15 de julho de 2008). "Análise: Onde agora para a Bélgica?" . BBC News . Arquivado do original em 19 de julho de 2008 . Página visitada em 16 de julho de 2008 .
  73. ^ Bancos, Martin (6 de setembro de 2010). "Medos sobre o 'desmembramento' da Bélgica" . The Daily Telegraph . Londres. Arquivado do original em 9 de setembro de 2010 . Retirado em 6 de setembro de 2010 .
  74. ^ a b "PM belga oferece sua renúncia" . BBC News . 15 de julho de 2008. Arquivado do original em 20 de abril de 2010 . Página visitada em 29 de abril de 2010 .
  75. ^ CNN.com Arquivado em 1º de fevereiro de 2009 na Wayback Machine , "Primeiro-ministro da Bélgica oferece renúncia por acordo bancário"
  76. ^ O rei belga pede a Van Rompuy para formar o governo Arquivado em 4 de fevereiro de 2009 na Wayback Machine Reuters.
  77. ^ "O primeiro-ministro Leterme renuncia após os liberais deixarem o governo" . França 24. 22 de abril de 2010. Arquivo do original em 26 de abril de 2010 . Página visitada em 22 de abril de 2010 .
  78. ^ "O rei Albert II aceita a renúncia do primeiro-ministro Yves Leterme" . França 24. 26 de abril de 2010. Arquivo do original em 29 de abril de 2010 . Página visitada em 29 de abril de 2010 .
  79. ^ "Eleições federais em Bélgica - resultados da Câmara dos Representantes" . Arquivado do original em 22 de setembro de 2010 . Página visitada em 14 de junho de 2010 .
  80. ^ Kovacevic, Tamara (6 de maio de 2015). "Verificação da realidade: quanto tempo as nações podem ficar sem governos?" . BBC News Online . Arquivado do original em 13 de outubro de 2015 . Retirado em 25 de março de 2016 .
  81. ^ "Crise política se aproxima do fim como novo PM, gabinete nomeado" . França 24 . 5 de dezembro de 2011.
  82. ^ "Bélgica concorda em formar governo de coalizão | DW | 07.10.2014" . DW.COM .
  83. ^ "Nenhuma coalizão à vista após fraturada eleição na Bélgica | DW | 27.05.2019" . DW.COM .
  84. ^ Houzel, Timothée (1 de abril de 2021). "Quem é Charles Michel, o próximo presidente do Conselho Europeu?" . O Novo Federalista .
  85. ^ "Bélgica obtém o primeiro PM feminino quando Sophie Wilmès assume o cargo" . The Guardian . 28 de outubro de 2019.
  86. ^ Didili, Zoi (1º de outubro de 2020). "A Bélgica concorda com o governo federal, De Croo, para se tornar PM" .
  87. ^ Kramer, Johannes (1984). Zweisprachigkeit in den Benelux-ländern (em alemão). Buske Verlag. p. 69. ISBN 978-3-87118-597-7. Zur prestige Sprache wurde in den Spanischen Niederlanden ganz eindeutig das Französische. Die Vertreter Spaniens beherrschten normalerweise das Französische, nicht aber das Niederländische; ein beachtlicher Teil der am Hofe tätigen Adligen stammte aus Wallonien, das sich ja eher auf die spanische Seite geschlagen hatte als Flandern und Brabant. In dieser Situation war es selbstverständlich, dass die flämischen Adligen, die im Laufe der Zeit immer mehr ebenfalls zu Hofbeamten wurden, sich des Französischen bedienen mussten, wenn sie als gleichwertig anerkannt werden wollten. [Tradução: A língua de prestígio na Holanda espanhola era claramente o francês. Os representantes da Espanha geralmente dominavam o francês, mas não o holandês; uma parte notável dos nobres da corte veio da Valônia,que tinha partido para o lado espanhol em maior grau do que Flandres e Brabante. Era, portanto, evidente neste contexto que a nobreza flamenga, da qual um número cada vez maior se tornou serva da corte, tinha de usar o francês, se também quisesse ser reconhecida.]
  88. ^ Witte, Els; Craeybeckx, Jan & Meynen, Alain (2009). História política da Bélgica: de 1830 em diante . Bruxelas: Academic and Scientific Publishers. p. 56
  89. ^ a b Fitzmaurice (1996) , p. 31
  90. ^ a b "Bélgica" . Banco de dados de eleições europeias . Serviços Noruegueses de Dados de Ciências Sociais . 2010. Arquivado do original em 29 de abril de 2011 . Página visitada em 8 de dezembro de 2010 .
  91. ^ Willemyns, Roland (2002). "A fronteira da língua holandesa-francesa na Bélgica" (PDF) . Journal of Multilingual and Multicultural Development . 23 (1 e 2): 36–49. doi : 10.1080 / 01434630208666453 . S2CID 143809695 . Arquivado do original (PDF) em 26 de junho de 2007 . Página visitada em 22 de junho de 2007 .  
  92. ^ "A Constituição belga - Artigo 4" (PDF) . Câmara dos Representantes da Bélgica. Janeiro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 6 de julho de 2011 . Página visitada em 26 de junho de 2011 .
  93. ^ Fitzmaurice (1996) , p. 121
  94. ^ Fitzmaurice (1996) , p. 122
  95. ^ a b "Os poderes do governo federal" . .be Portal . Governo Federal da Bélgica. 3 de outubro de 2010. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2010 . Página visitada em 4 de fevereiro de 2011 .
  96. ^ Lagasse, Charles-Etienne (2003). Les nouvelles institucionais politiques de la Belgique et de l'Europe . Namur: Erasme. p. 289. ISBN 978-2-87127-783-5. Em 2002, 58,92% da receita fiscal estava indo para o orçamento do governo federal, mas mais de um terço foi usado para pagar os juros da dívida pública. Sem incluir esse cargo, a parcela do orçamento do governo federal seria de apenas 48,40% da receita fiscal. 87,8% dos servidores públicos atuam nas Regiões ou Comunidades e 12,2% no Estado Federal.
  97. ^ "As Comunidades" . .be Portal . Governo Federal da Bélgica. 3 de outubro de 2010. Arquivado do original em 15 de junho de 2011 . Página visitada em 26 de junho de 2011 .
  98. ^ "As Regiões" . .be Portal . Governo Federal da Bélgica. 3 de outubro de 2010. Arquivado do original em 15 de junho de 2011 . Página visitada em 26 de junho de 2011 .
  99. ^ Lagasse, Charles-Etienne (18 de maio de 2004). "Federalismo na Rússia, Canadá e Bélgica: experiência de pesquisa comparativa" (em francês). Instituto de Federalismo de Kazan. Arquivado do original em 20 de junho de 2010 . Página visitada em 5 de outubro de 2008 . La Belgique constitui ainsi le seul exemple clair du transfert d'une partie de la compétence "affaires étrangères" à des entités fédérées. (Tradução: a Bélgica é, portanto, o único exemplo claro de transferência de uma parte das competências de "Negócios Estrangeiros" para unidades federadas.)
  100. ^ Lagasse, Charles-Etienne. Les nouvelles institucions de la Belgique et de l'Europe (em francês). p. 603. [Le fédéralisme belge] repose sur une combinaison unique d'équipollence, d'exclusivité et de prolongement international des compétences. ([O federalismo belga] é baseado em uma combinação única de equipolência, exclusividade e extensão internacional de competências.)
  101. ^ Suinen, Philippe (outubro de 2000). "Une Première mondiale" . Le Monde diplomatique (em francês). Arquivado do original em 17 de novembro de 2000 . Página visitada em 5 de outubro de 2008 .Dans l'organisation de ces autonomies, la Belgique a réalisé une "première" mondiale: afin d'éviter la remise en cause, par le biais de la dimension internationale, de compétences exclusives transférées aux entités fédérées, les communautés et régions se sont vu reconnaître une capacité et des pouvoirs internationaux. (Ao organizar suas autonomias, a Bélgica realizou uma inovação mundial: para evitar um impasse relevante, as consequências internacionais causaram transferências de competências exclusivas para entidades federais, comunitárias e regionais que são reconhecidamente habilitadas e capacitadas internacionalmente.)
  102. ^ "Dados de defesa de Bélgica em 2010" . Agência Europeia de Defesa . Arquivado do original em 24 de setembro de 2012 . Retirado em 9 de agosto de 2012 .
  103. ^ "Defensie La Défense" . Arquivado do original em 14 de junho de 2011 . Página visitada em 15 de junho de 2011 .
  104. ^ David Isby e Charles Kamps Jr, 'Armies of NATO's Central Front,' Jane's Publishing Company, 1985, p.59
  105. ^ A Bélgica ficou em primeiro lugar no Índice de Globalização KOF2009 ETH Zürich (ed.). "Índice KOF de Globalização" . Arquivado do original em 31 de maio de 2012 . Página visitada em 2 de fevereiro de 2009 .
  106. ^ "Ordem de classificação - Exportações" . CIA - The 2008 world factbook . Arquivado do original em 4 de outubro de 2008 . Página visitada em 5 de outubro de 2008 . 15 [th]: Bélgica $ 322.200.000.000 (est. 2007)
  107. ^ "Ordem de classificação - Importações" . CIA - The 2008 world factbook . Arquivado do original em 4 de outubro de 2008 . Página visitada em 5 de outubro de 2008 . 15 [th]: Bélgica $ 323.200.000.000 (est. 2007)
  108. ^ "Economia belga" . Bélgica . Serviço Público Federal Belga (ministério) dos Negócios Estrangeiros, Comércio Externo e Cooperação para o Desenvolvimento. Arquivado do original em 15 de junho de 2009 . Página visitada em 12 de junho de 2009 . A Bélgica é o líder mundial em termos de exportação per capita e pode justificadamente considerar-se o “maior exportador mundial”.
  109. ^ "Valônia em 'declínio' graças aos políticos" . Expatica Communications BV. 9 de março de 2005. Arquivado do original em 29 de setembro de 2007 . Página visitada em 16 de junho de 2007 .
  110. ^ "L'Union économique belgo-luxembourgeoise" (em francês). Ministério das Relações Exteriores de Luxemburgo. Arquivado do original em 30 de setembro de 2011 . Página visitada em 15 de junho de 2011 .
  111. ^ "História Industrial Bélgica" . Rota Europeia do Património Industrial. Arquivado do original em 31 de julho de 2013 . Página visitada em 8 de maio de 2007 .
  112. ^ Rioux, Jean-Pierre (1989). La révolution industrielle (em francês). Paris: Seuil. p. 105. ISBN 978-2-02-000651-4.
  113. ^ "História Industrial, Bélgica" . Rota europeia do património industrial. Arquivado do original em 31 de julho de 2010 . Página visitada em 15 de novembro de 2010 .
  114. ^ Vanhaute, Eric; Paping, Richard & Ó Gráda, Cormac (2006). A crise de subsistência europeia de 1845-1850: uma perspectiva comparativa (PDF) . IEHC. Helsinque. Arquivado (PDF) do original em 11 de outubro de 2011 . Página visitada em 31 de maio de 2011 .
  115. ^ Vanhaute, Eric (2007). " ' Um exemplo tão digno para a Irlanda'. A subsistência e a crise industrial de 1845-1850 em Flandres" . Quando a batata falhou. Causas e efeitos da 'última' crise de subsistência europeia, 1845-1850 . Brepols. pp. 123–148. ISBN 978-2-503-51985-2. Arquivado do original (PDF) em 22 de julho de 2011 . Página visitada em 31 de maio de 2011 .
  116. ^ "Nota de fundo: Bélgica" . Departamento de Estado dos EUA , Escritório de Assuntos Europeus e Eurasianos. Abril de 2007 . Página visitada em 8 de maio de 2007 .
  117. ^ Vanhaverbeke, Wim. "Het belang van de Vlaamse Ruit vanuit economisch perspectief A importância do diamante flamengo de uma perspectiva económica " (em holandês). Instituto Holandês de Organização Empresarial e Pesquisa em Estratégia, Universidade de Maastricht . Arquivado do original em 14 de março de 2007 . Página visitada em 19 de maio de 2007 .
  118. ^ "The World Factbook— (Rank Order — Public dívida)" . CIA. 17 de abril de 2007. Arquivado do original em 13 de junho de 2007 . Página visitada em 8 de maio de 2007 .
  119. ^ "Principais números" . Banco Nacional da Bélgica . Arquivado do original em 30 de abril de 2007 . Página visitada em 19 de maio de 2007 .
  120. ^ "EurActiv" . A Bélgica abre espaço para empreendimentos urbanos . EurActiv. Arquivado do original em 30 de abril de 2011 . Página visitada em 19 de março de 2011 .
  121. ^ a b Panorama do transporte (PDF) . Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias. 2003. ISBN  978-92-894-4845-1. Arquivado do original (PDF) em 7 de agosto de 2011.
  122. ^ a b "Tendências do país" . Global Footprint Network . Retirado em 15 de novembro de 2019 .
  123. ^ Lin, David; Hanscom, Laurel; Murthy, Adeline; Galli, Alessandro; Evans, Mikel; Neill, Evan; Mancini, Maria Serena; Martindill, Jon; Medouar, Fatime-Zahra; Huang, Shiyu; Wackernagel, Mathis (2018). "Contabilidade da pegada ecológica para os países: atualizações e resultados das contas nacionais da pegada, 2012–2018" . Recursos . 7 (3): 58. doi : 10.3390 / resources7030058 .
  124. ^ Fidler, Stephen (3 de novembro de 2010). "Principais capitais de engarrafamento da Europa" . Wallstreet Journal . Arquivado do original em 19 de janeiro de 2012 . Página visitada em 21 de junho de 2011 .
  125. ^ Outro estudo comparativo sobre transporte na Bélgica: Avaliações de desempenho ambiental da OCDE: Bélgica . OCDE. 2007. ISBN 978-92-64-03111-1.
  126. ^ "Registro duplo para volume de frete" . porto de Antuérpia . Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2017 . Retirado em 23 de fevereiro de 2017 .
  127. ^ "A crise belga" . Arquivado do original em 11 de setembro de 2016 . Retirado em 5 de junho de 2016