Allan M. Collins

Da Wikipédia, a enciclopédia livre

Allan M. Collins é um cientista cognitivo americano , Professor Emérito de Ciências da Aprendizagem na Escola de Educação e Política Social da Northwestern University . Sua pesquisa é reconhecida como tendo amplo impacto nos campos da psicologia cognitiva , inteligência artificial e educação.

Contribuições de pesquisa

Psicologia

Collins é mais conhecido em psicologia por sua pesquisa fundamental sobre memória semântica e cognição humana. Collins e seus colegas, principalmente MR Quillian e Elizabeth Loftus , desenvolveram a posição de que o conhecimento semântico é representado em representações de categorias armazenadas, ligadas em uma hierarquia de processamento taxonomicamente organizada (ver redes semânticas ). O suporte para seus modelos veio de uma série clássica de experimentos de tempo de reação em respostas a perguntas humanas. [1] [2] [3]

Inteligência Artificial

Em inteligência artificial , Collins é reconhecido pelo trabalho em sistemas tutores inteligentes e raciocínio plausível . Com o colaborador Jaime Carbonell , Collins produziu o primeiro exemplo documentado de um sistema tutor inteligente chamado SCHOLAR CAI (instrução assistida por computador). [4]O conhecimento no SCHOLAR foi estruturado de forma análoga à então teorizada organização da memória semântica humana para permitir uma variedade de interações significativas com o sistema. O extenso programa de pesquisa de Collins foi pioneiro em métodos de análise de discurso para estudar as estratégias que os tutores humanos usam para adaptar seu ensino aos alunos. Além disso, Collins estudou e desenvolveu uma teoria formal que caracteriza a variedade de inferências plausíveis que as pessoas usam para fazer perguntas sobre as quais seu conhecimento é incompleto. É importante ressaltar que Collins desenvolveu métodos para incorporar as lições aprendidas com essa pesquisa no sistema SCHOLAR, melhorando a usabilidade e a eficácia do sistema. Posteriormente, Collins desenvolveu o WHY, um sistema de tutoria inteligente que utilizava o método socráticopara tutoria de conhecimento causal e raciocínio. Em conjunto com este projeto, ele desenvolveu uma teoria computacional formal de tutoria socrática, derivada de análises de diálogos de ensino investigativo.

Educação

Como cientista cognitivo e membro fundador do campo das ciências da aprendizagem , Collins influenciou várias vertentes da pesquisa e desenvolvimento educacional. Com base em seu trabalho em sistemas tutores inteligentes, ele conduziu vários projetos investigando o uso de tecnologia em escolas e desenvolvendo tecnologias educacionais para avaliar e melhorar o aprendizado dos alunos. Collins mudou gradualmente para a visão de cognição situada do conhecimento sendo incorporado na atividade, contexto e cultura em que é desenvolvido e usado. Em resposta às práticas convencionais que muitas vezes ignoram a influência da cultura e da atividade, Collins e seus colegas desenvolveram e estudaram o aprendizado cognitivocomo uma prática educacional alternativa eficaz. Além disso, Collins foi um dos primeiros a defender e delinear metodologias de pesquisa baseadas em design na educação.

Educação e nomeações profissionais

Honras e serviços acadêmicos

Principais publicações

  • Collins, AM, & Quillian, MR (1969). Tempo de recuperação da memória semântica. Journal of Verbal Learning and Verbal Behavior , 8, 240–247. (citação clássica)
  • Collins, AM, & Loftus, EF (1975). Uma teoria de ativação de propagação de processamento semântico. Psychological Review , 82, 407–428. (citação clássica)
  • Collins, AM; Michalski, RS (1989). "A lógica do raciocínio plausível: uma teoria central" (PDF) . Ciência Cognitiva . 13 :1–49. doi : 10.1207/s15516709cog1301_1 .
  • Collins AM, Brown JS e Newman S. (1989). Aprendizagem Cognitiva: Ensinar o ofício da leitura, escrita e matemática, em Conhecimento, Aprendizagem e Instrução: Ensaios em homenagem a Robert Glaser , editado por LB Resnick, Lawrence Erlbaum, Hillsdale, NJ.
  • Marrom, JS; Collins, AM; Duguid, P. (1989). "Cognição situada e a cultura da aprendizagem" (PDF) . Pesquisadora Educacional . 18 (1): 32–42. doi : 10.3102/0013189x018001032 . hdl : 2142/17979 . S2CID  9824073 .
  • Collins, AM (1992). Rumo a uma ciência do design da educação. Em E. Scanlon & T. O'Shea (Eds.), Novas direções em tecnologia educacional (pp. 15–22). Berlim: Springer.
  • Collins, AM; Ferguson, W. (1993). "Formas epistêmicas e jogos epistêmicos: estruturas e estratégias para orientar a investigação". Psicóloga Educacional . 28 (1): 25–42. doi : 10.1207/s15326985ep2801_3 .
  • Greeno, J., Collins, AM, & Resnick, L. (1996). Cognição e aprendizagem. (pp. 15–46) Em D. Berliner e R. Calfee (Eds.), Handbook of Educational Psychology. Nova York: Macmillan.
  • Bielaczyc, K. & Collins, AM (1999). Comunidades de aprendizagem em salas de aula: uma reconceituação da prática educacional. Em Reigeluth, CM (Ed), Teorias e modelos de design instrucional: um novo paradigma de teoria instrucional: 269–292.
  • Collins, AM; José, D.; Bielaczyc, K. (2004). "Pesquisa em design: questões teóricas e metodológicas" (PDF) . Jornal das Ciências da Aprendizagem . 13 (1): 15–42. doi : 10.1207/s15327809jls1301_2 . S2CID  7154229 . Arquivado do original (PDF) em 2010-06-13 . Recuperado em 29/04/2009 .
  • Collins, A. & Halverson, R. (2009): Repensando a educação na era da tecnologia: a revolução digital e a escolaridade na América. Nova York: Teachers College Press.

Referências

  1. ^ Allan M. Collins, A; MR Quillian (1969). "Tempo de recuperação da memória semântica". Jornal de Aprendizagem Verbal e Comportamento Verbal . 8 (2): 240–248. doi : 10.1016/S0022-5371(69)80069-1 .
  2. ^ Allan M. Collins, A; MR Quillian (1970). "O tamanho da categoria afeta o tempo de categorização?". Jornal de Aprendizagem Verbal e Comportamento Verbal . 9 (4): 432–438. doi : 10.1016/S0022-5371(70)80084-6 .
  3. ^ Allan M. Collins, Allan M.; Elizabeth F. Loftus (1975). "Uma teoria de ativação de propagação do processamento semântico" (PDF) . Revisão Psicológica . 82 (6): 407–428. doi : 10.1037/0033-295X.82.6.407 . S2CID 14217893 .  
  4. ^ Collins, AM; Grignetti, MC (1975). "Intelligent CAI. Relatório Final (1 de março de 1971 a 31 de agosto de 1975)" (PDF) . {{cite journal}}: Cite journal requires |journal= (help)

Links externos