.458 SOCOM

Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para a navegação Saltar para pesquisar
.458 SOCOM
458SOCOM.jpg
55gr 5.56 NATO vs 500gr .458 SOCOM
ModeloRifle
Lugar de origemEstados Unidos
Histórico de produção
ProjetistaTeppo Jutsu LLC
FabricantePesquisa Balística do Sul (SBR)
Steinel Ammunition Inc
Especificações
Caso pai.50 Ação Expressa
Caso-tipoAro rebaixado, gargalo
Diâmetro da bala11,63 mm (0,458 pol.)
Diâmetro do pescoço12,32 mm (0,485 pol.)
Diâmetro do ombro13,49 mm (0,531 pol.)
Diâmetro da base13,74 mm (0,541 pol.)
Diâmetro do aro12,01 mm (0,473 pol.)
Espessura do aro1,04 mm (0,041 pol.)
Comprimento do caso40,00 mm (1,575 pol.)
Comprimento total57,40 mm (2,260 pol.)
Torção de espingarda1 em 14" (mais comum) ou 18"
Tipo de primerPistola Grande
Pressão máxima35.000 psi (241 MPa)
Desempenho balístico
Massa/tipo de bala Velocidade Energia
250 gr (16 g) SP 655 m/s (2.150 pés/s) 3.478 J (2.565 pés⋅lbf)
300 gr (19 g) HP 580 m/s (1.900 pés/s) 3.261 J (2.405 pés⋅lbf)
325 gr (21 g) FTX 566 m/s (1.860 pés/s) 3.384 J (2.496 pés⋅lbf)
405 gr (26 g) JFP 489 m/s (1.600 pés/s) 3.148 J (2.322 pés⋅lbf)
600 gr (39 g) RN 304,8 m/s (1.000 pés/s) 1.811 J (1.336 pés⋅lbf)

O .458 SOCOM ( 11,63 × 40 mm ) é um cartucho moderadamente grande projetado para funcionar em uma plataforma AR-15. Isto é conseguido através da instalação de um parafuso 458 e barril. O projétil de 300 grãos (19 g) oferece uma velocidade de saída supersônica de 1.900 pés/s (580 m/s) e 2.405 pés⋅lbf (3.261 J), [1] semelhante a um leve 0,45-70 , mas com muito caso menor.

História

Impulsionado pela falta de potência oferecida pelo cartucho 5.56 NATO usado na carabina M4 e no fuzil M16 , o .458 SOCOM surgiu de uma discussão informal de membros do comando de operações especiais , especificamente a experiência do Task Force Ranger de que vários tiros foram necessário para incapacitar membros da força oposta em Mogadíscio durante a Operação Serpente Gótica . Marty ter Weeme da Teppo Jutsu e Tony Rumore da Tromix projetaram o cartucho em 2000 e a Tromix foi contratada para construir o primeiro fuzil .458 SOCOM em fevereiro de 2001.

O patrocinador do projeto estabeleceu uma série de requisitos específicos, a saber, que o cartucho tinha que caber na carabina M4 e ser capaz de disparar projéteis de calibre pesado em velocidade subsônica usando supressores. Durante a fase de desenvolvimento, vários outros cartuchos foram considerados e propostos ao patrocinador do projeto, mas rejeitados por não atenderem a todos os requisitos. Os cartuchos considerados foram 7,62×39mm , 9×39mm Grom, .45 Professional (que desde então se tornou o .450 Bushmaster ) e .50 Action Express . Na época, o cartucho .499 LWR ainda estava em fase de desenvolvimento e não havia sido comercializado.

O .45 Professional foi descartado porque, em entrevista à imprensa do setor, o desenvolvedor do referido cartucho afirmou que foi utilizado aço de propriedade da General Motors nos parafusos e no extrator para suportar as altas pressões de operação. A .50 AE e a .499 LWR foram descartadas porque em 2000 apenas duas balas foram oferecidas no diâmetro .501, ambas desenvolvidas como balas de pistola para a .50 AE e não pesadas o suficiente para o papel subsônico suprimido. Pesquisas indicaram que um cartucho com cinto curto chamado 0,458 × 1,5" Barnes havia sido adotado para uso em rifles de ação de ferrolho suprimidos para uso no sudeste da Ásia durante a Guerra do Vietnã. Mostrou-se eficaz em termos de balística, disparando uma bala de 500 grãos subsonicamente, mas não idealmente adequada para o seu papel devido ao tamanho e peso da plataforma. Combinado com a ampla seleção de balas disponíveis em diâmetro .458, isso cimentou a escolha do calibre.

O design da caixa do cartucho foi finalizado com base em discussões com Tony Rumore na Tromix, sugerindo que uma caixa alongada de 0,50 AE funcionaria bem nos carregadores, além de ser a caixa de maior diâmetro capaz de alimentar a extensão do cano. O protótipo inicial de latão ainda trazia o carimbo de cabeça .50 AE e isso causou alguma confusão, já que a caixa do SOCOM é mais longa com um aro mais estreito. O diâmetro do aro 0,50 AE foi reduzido de 0,514 polegadas para 0,473 polegadas para compatibilidade com outras plataformas, principalmente rifles de ferrolho. O aro de 0,473 polegadas / 12 mm de diâmetro foi projetado em 1888 para o Rifle da Comissão Alemã com câmara em cartucho Mauser de 7,92 × 57 mm e é sem dúvida o tamanho de aro mais comum em todo o mundo, já que todas as ações do parafuso compartimentadas em cartuchos derivados desse cartucho, como Como.30-06 Springfield , .308 Winchester e cartuchos derivados deles, compartilham esse tamanho de aro. O comprimento da caixa foi escolhido para ser compatível com a bala Barnes 300-grain X Spitzer . O design final da caixa tem dimensões de base e aro idênticas às da .425 Westley Richards , embora fazer caixas .458 SOCOM a partir dela seja impraticável devido ao alto custo do latão .425. [2] Em 2009, Barnes desenvolveu um novo projétil especificamente para uso no .458 SOCOM, o Tripped Triple Shock X de 300 grãos, também conhecido como TTSX ou TAC-X.

Conforme observado acima, o cartucho foi projetado para ser 100% compatível com a plataforma M4. Isso incluiu o amortecedor, a mola amortecedora, os pentes da OTAN , muitos pentes de reposição .223/5.56 e o ​​compartimento do pente. No calibre .223/5.56, os cartuchos são empilhados de forma escalonada (pilha dupla). No entanto, com o SOCOM .458 muito maior, arredonda "single stack" sem qualquer modificação nos lábios ou seguidor de alimentação do magazine GI padrão. Um carregador padrão OTAN de 5,56 mm de 20 cartuchos pode conter sete cartuchos SOCOM .458 e um carregador OTAN padrão de 30 cartuchos de 5,56 mm pode conter dez cartuchos SOCOM .458. [ citação necessária ]

Veja também

Referências

Links externos

O site dedicado ao .458SOCOM, onde também estão disponíveis dados de carga e outras informações.